Mês: junho 2018

AINDA HÁ AQUELES QUE RELUTAM UM POUCO…

Resultado de imagem para SENTIR gifNem tudo precisa ser expresso por palavras, sejam elas escritas ou faladas. Há coisas que simplesmente sentimos e não requer nenhuma explicação. Sentimos algo tão forte que as palavras fogem de qualquer esclarecimento.

Expressamos o nosso carinho quando nos preocupamos com o outro, oferecemos nosso ombro, nosso apoio e até nosso lado palhaço só para vê-lo sorrir um pouco. Como se o outro tornasse o nosso novo lar.

Existem corações que se encontram por brincadeira do destino e, mesmo assim, escolhem ficar um com o outro. Eles não dizem em voz alta, mas sentem. Como se estivessem esperados por esse momento a vida inteira.

Ainda há aqueles que relutam um pouco antes de aceitar que já estão perdidamente apaixonados e entregues ao amor. Depois, esquecem o medo e deixam se levar por um sentimento tão bonito que nem lembram o sofrimento do passado.

A leveza da vida, talvez, esteja no conforto do silêncio que o outro traz. Aquela paz que somente um encontro de almas é capaz de nos oferecer. É algo único que pode acontecer em nossas vidas. Agradeça se tiver alguém assim.

Quem sabe, você receba todas as declarações de amor possíveis e ainda não se sinta segura ou amada. Pois, o amor é mais atitude do que um simples “eu te amo” dito sem que seja sentido o seu real significado.

É a saudade que some em um abraço, é a certeza que vai ficar tudo bem com um olhar, é encontrar força no incentivo do aperto de mão, é ter apoio no ombro amigo. São gestos que nos fazem ter a certeza de que somos amados, acolhidos e aceitos por aqueles que nos importam.

Permita-se dizer “eu te amo”, “obrigado”, “sinto sua falta” verdadeiramente sempre que puder, seja em voz alta ou baixinho, ou mesmo escrevendo. Amar e ser amado é uma tremenda sorte na vida. Permita-se sentir o amor.

A VOCÊS QUE LIDAM COM A MODA MASCULINA… UMA SUGESTÃO !

Imagem relacionadaRepaginado, o xadrez é o tecido mais tradicional do inverno, e mesmo com destaque nos dias frios, ele surge mais moderno, misturando elementos clássicos com detalhes diferenciados, para um up-grade no visual. Em 2018 o xadrez ganha status de moda!

Quem prefere peças clássicas, pode aproveitar para dar um toque mais moderno com elementos mais esportivos. Pense em calça xadrez e snickers, lazer xadrez com calça jogging. Ou ainda ouse mais: que tal um lazer xadrez super clássico por cima de um moletom de capuz? ou ainda calça de xadrez com corte skinny e casacos esportivos. 

O xadrez ganhou novos ares, depois de um bom tempo oscilando apenas nos looks mais formais. A volta da adoração pela monarquia trouxe o retorno do tecido que sempre foi responsável pela elegância de príncipes em seus momentos de lazer como em jogos de golfe e polo. O xadrez tem uma linda história, e até hoje sua padronagem representa o clã de famílias europeias, como na Escócia, onde o desenho de um xadrez é feio especialmente para uma determinada família.

Entre as padronagens mais tradicionais, que estão em alta no inverno 2018, está o xadrez Príncipe de Gales. De origem escocesa, foi disseminado na Inglaterra pelo então Príncipe de Gales Edward VII. Inicialmente foi usado pela Condessa Seafield nos momentos de caça. Outros tipos de xadrez ganham as ruas combinados com looks mais despojados, em boas releituras, mais coloridas e divertidas, deixando pra trás a seriedade da padronagem.

Antes combinado com suéteres e gravatas tradicionais, em uma forte composição de mix and match aristocrático, é hora de dar um toque mais avant-garde na produção e deixar a tendência entrar no seu dia a dia. Aposte em calças de corte de alfaiataria com longos xales xadrez. Blazer clássico xadrez com calças jogging, camisas sofisticadas xadrez com jeans destroyed. E em meio a estas combinações ousadas, coloque muita ousadia nas suas produções com xadrez!

Uma mensagem que acabei de receber….

Olá!

Resultado de imagem para vidaEscrevo esta carta por não aguentar mais seu desleixo com nossa relação. Relação esta que iniciou muito antes de você nascer e que se perpetuará até a sua morte. Por isso mesmo, precisamos conversar. Eu tentei, lhe enviei vários sinais, mas você não deu a menor importância… O seu comportamento nos últimos anos, meses e dias está me preocupando. O seu cuidado com algumas necessidades essenciais à vida está um pouco promíscuo, me parece que você perdeu o controle, priorizando aqueles prazeres momentâneos de consequências duradouras.

Não estou aqui querendo ser mais uma a lhe julgar ou determinar um modo de comportamento, no entanto, tenho que te alertar! Esse pessoal que você está seguindo, que você está tomando como exemplo, só quer se aproveitar da sua preocupação comigo para te vender soluções milagrosas, mas elas não te dizem toda a verdade… que o pagamento sou EU.

Você precisa entender que, pra mim, você sempre será perfeito, independente de padrões preestabelecidos! Eu não ligo para sua cor de pele, sua orientação sexual, religião ou sua origem. Minha única preocupação é somente a gente, nossa relação não está indo bem, precisamos melhorar. Eu preciso que você MUDE, por mim e por você. Comece por suas escolhas, pense mais em mim antes de tomar suas decisões, lembre-se de que os anos que vem pela frente ainda podem ser muitos, mas sem mim nada valerá a pena.

Ass.: Sua SAÚDE.

 

É sempre a posição de papai-e-mamãe, o que me deixa muito frustrada…

PACIENTE 270618-23

Resultado de imagem para PELADINHAMeu nome é Laís, sou morena clara, 26 anos, magra, casada há 4 anos e sem filhos ainda. Com meu marido o sexo sempre foi tradicional, ou seja, sem nenhuma novidade desde que começamos a namorar e nos casamos. É sempre a posição de papai-e-mamãe, o que me deixa muito frustrada. Uma vez ao ano fazemos em outra posição. Affff!!! Ninguém merece.

Uma vez, na faculdade, eu comentei isso com minha melhor amiga, a Jakeline, na qual eu tinha muita confiança, e ela tentou me animar, me falando que eu deveria conversar com o Thiago, meu esposo, e explicar a ele as coisas que eu gostaria que houvesse em nossas relações sexuais. Achei que ela tinha razão e comecei a pensar como eu abordaria esse assunto com ele.

Uma noite, depois da nossa “maravilhosa” foda, eu acabei criando coragem e finalmente desabafei.
– Amor… eu queria falar uma coisa… nem sei como começar… mas já são 6 anos juntos… eu acho que a gente podia experimentar coisas novas… sei lá… tenho vontade de descobrir mais coisas no sexo! – falei e ele já começou a me olhar atravessado.

– E o que você gostaria de fazer? – ele perguntou, um pouco sério.

– Então… eu queria… por exemplo… experimentar sexo anal! – falei e meu marido ficou de olhos esbugalhados, como se aquilo fosse o maior escândalo do mundo. 
– Meu bem, você sabe o que penso sobre isso… sexo anal, essa coisa de ficar dando o cú… isso é coisa de puta, prostituta, quenga, garota de programa!

Afffff!! Quando meu marido falou isso deu vontade de dar um soco na cara dele. Como pode haver pessoas tão atrasadas assim? E eu estava querendo dar meu cú pra ele, pôxa! Se fosse para outro homem tudo bem. Enfim, depois dessa noite eu nunca mais toquei no assunto com ele. Sempre que ele queria meter em mim, eu estava à disposição dele. Mas eu raramente gozava, pois eu queria mesmo inovar, experimentar outras coisas. 

Alguns dias depois, conversando com a Jakeline, eu contei a ela sobre a minha conversa com o meu marido. Ela ficou rindo da minha cara.
– Laís… sai dessa vida, amiga… você precisa encontrar um amante pra fazer essas coisas com você… meu deussss!… senão você fica velha e não aproveita a vida! – ela falou, com a maior naturalidade.

– Um amante?!?… mas eu não tenho a mínima idéia de como eu poderia arrumar um amante… e depois… eu morro de medo do Thiago descobrir… jamais fiquei com outro homem depois que me casei, Jake!… nem antes de conhecer o Thiago!
– Não sabe como arrumar, Laís?!?… conta outra!… aqui na faculdade está cheio de homens te querendo… eu vejo como os caras ficam te olhando!
– Eu sei… se eu quisesse eu ficaria com um monte… mas eu não quero me expor assim não, Jake… tem que ter outra maneira, sei lá!
– Eu vou te ajudar, amiga… pode deixar comigo… enquanto isso não fale nada para o Thiago… ele nem pode sonhar que você está com essas idéias na cabeça! – ela falou e rapidamente mudamos de assunto. Vários dias depois, na faculdade, a Jakeline retomou a conversa.

– Laís, já tenho a solução, amiga! – ela falou toda animada. – Vamos organizar pra você ir lá pra casa depois do almoço… lá pelas 15:00hs… o Thiago vai estar trabalhando, não vai? 
– Sim, ele deve chegar em casa só pelas 19:00hs! – respondi e combinamos os demais detalhes.

À tarde eu peguei o ônibus e fui para a casa da Jakeline, que ficava em um bairro bem próximo ao meu. Assim que entrei percebi que ela estava elétrica, muito animada. Nos sentamos no sofá da sala e ela, depois de me entregar um copo de suco, já foi revelando as novidades.

– Laís de deussss!… você não vai acreditar! – ela falou, com os olhos brilhando. – Tenho um voluntário… pra você fazer com ele o que você desejar!

– Quem?
– Meu marido! – ela respondeu, na maior cara de pau.
– Como que é?!?… seu marido, sua doida?… o voluntário é o Allan? – falei e caí na risada.
– É sério… contei pra ele sobre a sua vontade de fazer coisas novas no sexo!

– Você o que?!?… você falou para o Allan?!?… você é louca, Jakeline?!?… e se ele comentar com alguém?… meu deusssss… confiei em você! – reclamei, muito nervosa e apreensiva.
– Deixa de ser boba, Laís!… ele não vai comentar nada com ninguém não… o Allan tem tesão por você!… ele me falou que sonha ter você na cama!

Quando a Jakeline falou isso, eu queria morrer. Primeiro ela foi contar para o marido dela que o meu marido não estava me satisfazendo. E agora ela acabava de me falar que o marido dela queria transar comigo. E tudo isso na maior calma do mundo. Nunca imaginei me ver em tal situação. Comecei foi a tremer, de tão nervosa que fiquei.

A Jakeline percebeu e segurou minhas mãos.
– Fica assim não, amiga… eu sei que é estranho!… eu também me assustei quando ele falou isso… mas se essa é uma fantasia dele, e você também procura algo assim, Laís… melhor eu deixar ele fazer com você do que com uma outra mulher que nem conheço! – ela falou e continuou tentando me deixar mais à vontade. Aos poucos sua lábia acabou me convencendo.

– E quando seria isso? – perguntei finalmente.
– Agora mesmo, amiga! – ela falou, cheia de animação. – Ele está lá no quarto esperando a sua resposta!
– O que?!? – me assustei. O marido da Jakeline estava no quarto me esperando? Meu deussss!! Meu coração quase saiu pela minha boca.

Ao ver a minha surpresa e falta de reação, minha amiga me puxou pela mão e me levou até o seu quarto, onde estava o bonitão do seu esposo. Nosssaaa!! Eu achava o Allan muito lindo, gostoso, charmoso, elegante e gentil. Mas nunca tinha passado pela minha cabeça dar pra ele, afinal, ele era o marido da minha melhor amiga. E alí estava ele, deitado na cama, de barriga para cima, só de camiseta e bermuda.

Assim que o Allan me viu, um enorme sorriso se desenhou no rosto dele.
– Que bom que você aceitou, Laís! – ele falou e se sentou na cama. – Vem cá, vem… você vai adorar o que vou fazer com você!
Deus do céu! Eu queria morrer, de tão nervosa que eu estava. Meu corpo todo tremia. Me aproximei da cama, sem sequer olhar nos olhos dele.

– Fica assim não, gatinha… vem cá, vem! – ele falou e, segurando minha mão, me fez sentar na beirada da cama, ao lado dele. Eu nunca fui uma mulher tímida, mas eu estava muito nervosa, e não conseguia de forma alguma olhar nem para minha amiga Jakeline nem para o seu marido. Então ele, com jeitinho, segurou meu queixo, o levantou e veio aproximando seu rosto. O esposo da minha melhor amiga ia me beijar.

Senti seus lábios encostando nos meus. Meu deussss!! Eu estava tremendo dos pés à cabeça. Primeiro ele ficou roçando os lábios dele nos meus meus, delicadamente, me provocando. Então a língua dele veio, tentando abrir caminho entre os meus lábios. Abri e deixei ele entrar na minha boca. A língua do Allan encontrou a minha e aí não teve mais jeito.

Mentalmente eu pedi desculpas ao meu marido e também para a Jakeline. Me entreguei àquele beijo quente, molhado, gostoso. Lá embaixo minha buceta começou a palpitar desesperadamente. Nessa hora minha vergonha e nervosismo começaram a desaparecer. Respondi aos estímulos do Allan e passei meus braços ao redor de seu pescoço. Que boca mais deliciosa! Fazia muito tempo que eu não beijava tão gostoso. 

Enquanto nos beijávamos ele foi me movimentando, até ficarmos os dois de joelhos em cima da cama, frente a frente, nos beijando como namorados apaixonados. Enquanto isso a Jakeline estava sentada em uma cadeira aos pés da cama e nos observava e se divertia, como se ela estivesse assistindo a uma comédia romântica. Quem diria! Minha amiga estava deixando o maridão dela me agarrar e beijar minha boca. E ia deixar ele meter em mim também. 

Depois de uns segundos nos beijando, senti as mãos do Allan percorrendo todo o meu corpo, subindo por dentro da minha blusa e tocando minhas costas. De repente uma de suas mãos desceu até a minha bunda. Soltei um suspiro de desejo quando ele enfiou a mão por debaixo da minha saia e apertou minhas nádegas, fazendo minha calcinha entrar ainda mais na rachinha da minha bunda. 

Perdi meu controle e dei uma mordidinha na orelha do Allan.
– Você é safado demais, seu indecente! – falei e caímos na risada, eu, ele e a Jakeline, que nem piscava, nos olhando atentamente. O Allan então começou a tirar minha roupa. Lentamente ele tirou a minha blusa e o meu sutiã, deixando meus peitos à sua disposição. Em segundos ele estava beijando, lambendo e chupando os meus mamilos, me provocando sensações que até então eu desconhecia completamente.

Suas mãos enormes e fortes seguravam firmes as minhas nádegas e as apertavam, enquanto eu, um pouco tímida ainda, continuava com os meus braços ao redor de seu pescoço, com os olhos fechados, com minha respiração cada vez mais agitada.
– Vamos tirar o resto da sua roupa… vamos? – ele falou de repente e me fez deitar de barriga para cima.

Novamente ele beijou meus seios delicadamente, chupando bem gostoso, um de cada vez. Depois ele desceu com a boca pela minha barriga, lambendo o meu umbigo.
– Você é muito cheirosa, Laís… sabia disso? – ele falou e eu apenas balancei a cabeça, vermelhinha de vergonha. Meu marido nunca tinha beijado o meu umbigo. E agora outro homem estava fazendo isso, e com certeza ia chupar minha buceta, coisa que o Thiago nem insinuava fazer.

Mantive meus olhos fechados e senti o Allan abrindo o botão e o zíper da minha saia. Levantei meus quadris um pouco e ele a arrancou do meu corpo, me deixando apenas de calcinha. Me desesperei quando a boca dele voltou para o meu umbigo e foi descendo em direção ao meu púbis.
– Nosssaaaaaa… m-m-m-eu deussssss… a gente… pode pular essa parte? – abri meu olhos e falei, quase implorando.

– Por que, Laís?… deixa ele te chupar… eu adoro quando ele me chupa! – a Jakeline me falou, fazendo cara de chateada.
– É porque eu não me depilei, Jake… e tomei banho só pela manhã! – respondi e os olhos do Allan se arregalaram. Nesse dia descobri que homens gostam de buceta com cheiro de buceta, e não cheiro de sabonete.

– Então está do jeitinho que eu gosto, Laís… vamos… deixa eu sentir o cheiro dela!
– Mas… eu… nunca fiz isso… ela não está limpinha! – insisti.
– Deixa de ser boba, Laís… ele vai chupar sim… vamos, amor… chupa ela logo… igual você faz comigo! – a Jakeline disse e me olhou séria, me indicando que eu não tinha saída.

E então o Allan veio de novo, aproximando a boca do meu púbis, e ficou cheirando e passando o rosto na minha xoxota, por cima da minha calcinha. Que loucura! Ele passava a língua na minha rachinha, por cima da calcinha mesmo, e isso me provocava deliciosas ondas de prazer. Comecei a gemer baixinho e rebolar meu quadril de encontro ao rosto do marido da minha amiga, até que, finalmente, ele começou a puxar a minha calcinha para baixo.

Levantei meu quadril e minha calcinha desceu pelas minhas pernas, indo parar nas mãos do Allan, que a levou até seu nariz e deu uma cheirada, me olhando bem nos olhos. Deus do céu! Que vergonha que senti ao vê-lo cheirando o fundo da minha calcinha, que eu tinha colocado pela manhã. Minha cabeça deu voltas. Pela primeira vez na minha vida eu estava nua na frente de outro homem, que não fosse meu marido, já que me casei virgem.

Porém, antes que eu pudesse raciocinar direito, a língua experiente do Allan foi direto no meu grelo, chupando e lambendo. Até aí tudo bem. Mas quando ele enfiou a ponta da língua bem na entradinha da minha xana meu corpo se retorceu todinho, de forma involuntária. Nunca uma língua tinha percorrido minhas partes íntimas.

Mas eu estava tão excitada que já nem me importava com isso, e nem com o fato de não ter tomado banho ou me depilado. Tudo que eu queria era aproveitar o que o idiota do meu marido nunca tinha feito comigo. 
– Ahhhhhhhhhhh… meu deussssss… Allan… isso é tão gostoso…!! – gemi baixinho, enquanto meu corpo inteiro se estremecia diante daquelas carícias, que para mim eram novidades.

De repente o marido da minha melhor amiga levantou minhas duas pernas, segurando firmemente minhas coxas, e isso deixou a minha bunda totalmente levantada, à sua disposição. A língua dele veio direto no meu cuzinho virgem. Nossaaaaaa!! Soltei um gritinho de prazer. O Allan ficava lambendo o meu anelzinho, tentando enfiar a pontinha da língua. E eu estava adorando aquilo, mesmo percebendo que aquela língua jamais entraria no meu ânus apertadinho.

Mas logo o Allan começou a passar um dedo ao redor do meu cuzinho, em movimentos circulares. E de vez em quando ele passava o dedo na boca, para molhá-lo com sua saliva. Esta brincadeira durou uns dois minutos, até que minha argolinha cedeu e o dedo dele entrou. Foi algo estranho, mas como ele continuava com a língua na minha xoxota, me dando prazer, eu deixei que continuasse. Seu dedo foi entrando cada vez mais fundo no meu cú, e ele então começou um vai-e-vem, para que meu ânus fosse se acostumando com a invasão daquele intruso.

Não posso negar que eu estava assustada com tudo aquilo. Meu cuzinho era virgem até de dedo. Mas eu estava louca de vontade de ser sodomizada pelo safado do Allan, e tudo isso com o consentimento da minha melhor amiga. Depois de um tempinho brincando com o meu cú, agora com dois dedos e a ajuda de um lubrificante, que a Jakeline trouxe toda feliz, o Allan se afastou um pouquinho de mim e, bem rápido, tirou toda a sua roupa.

Pude então ver seu lindo corpo, bem atlético, já que ele gostava muito de jogar futebol. Seu peitoral era bem definido, sua cintura magra e a barriga bem chapada. Meu deusssss!! Mas o que mais impressionou foi ver seu pau, grande e grosso, duro, apontando para a minha direção. Na hora até me arrepiei todinha imaginando as várias formas que o marido da minha amiga ia enfiar aquele pênis dele em mim.

A pica do Thiago, meu esposo, não mede mais que uns 16cm, mas a do Allan era bem maior, com uma cabeçona meio rosa, que mais parecia uma ameixa madura. Na base do pênis estavam suas duas bolas, enormes, cheias de porra. Nossaaaaa!! O pau dele era muito bonito, completamente depilado, e eu fiquei olhando igual uma boba, hipnotizada.

– Chupa essa pica, Laís… bem gostoso, tá?… aposto que seu marido não pede pra você chupar ele! – o Allan sorriu e trouxe seu pênis para mais perto de mim. Me abaixei e segurei o pau dele, que estava muito duro e quente. Mesmo eu segurando na base de seu membro, ainda sobrava um pedaço maior que o do meu marido. Aproximei minha boca lentamente e engoli a cabeçona, abrindo meus lábios o mais que pude, e comecei a chupar, toda sem jeito, já que eu tinha feito boquete no Thiago umas quatro ou cinco vezes apenas. 

Nessa hora a Jakeline se aproximou e se sentou na cama, ao meu lado.
– Vou te ajudar, amiga… é assim… passe a língua pela cabeça, sem apertar… isso… não deixe seus dentes encostarem… hummmm… isso mesmo… agora enfia todinho na garganta… relaxa bem sua boca… sem tocar os dentes… isso… tá vendo como ele gosta assim? – ela ia falando e eu só obedecendo. E o Allan só gemendo e suspirando de prazer.

Chupei o pau do marido da minha amiga até ficar com as minhas mandídulas doloridas. Então dei um sorrisinho de satisfação e o Allan me colocou deitada na cama de novo, de barriga para cima. Abri bem minha pernas e ele se enfiou no meio delas. Com a mão ele ficou massageando lentamente meus lábios vaginais. Depois ele ficou esfregando a cabeça do pau no meu clitóris, lentamente, sempre me olhando dentro dos olhos.

Eu já estava gemendo, louca pra ele meter logo em mim, e ele alí, passando a cabeça da pica na entradinha da minha pepeca, me provocando. Até que finalmente ele, com um empurrão bem suave, me enterrou seu delicioso pau, todinho.
– Allannnnn… ahhhhhhhhhhhhhhh… meu deussss… meu deussss…!! – deixei escapar uns gritinhos enquanto o pênis dele deslizava pra dentro da minha buceta.

Nossos púbis ficaram coladinhos, de tão fundo que o pau entrou. E eu estava assustada, pois eu nunca tinha sido penetrada daquela forma. A Jakeline estava entusiasmada, sorrindo alegremente. E seu esposo não perdeu tempo. Sua boca procurou a minha e nossos lábios se encontraram em um beijo super apaixonado.

Nossaaaaa!! Foi loucura demais! E o mais louco ainda foi que minha amiga tirou sua roupa e ficou atrás de mim, de joelhos, segurando minha cabeça e vendo como o seu marido socava a vara em mim, até as bolas. Começamos um movimento frenético de nossos quadris, engatados perfeitamente, gemendo e suspirando de tesão. Cada metida daquele macho gostoso fazia meu ventre se contrair, me levando ao paraíso.

– Ohhhhhhh… deusssss… ahhhhhhh… meu deussss… meu deussss… Allan… acho que… vou… acho… vou… vou… gozarrrrrr… ahhhhhhh…!! – me arrepiei todinha e um choque elétrico atingiu minhas pernas e veio subindo. Gozei como uma louca. E foi um orgasmo tão forte que perdi a noção do tempo por alguns segundos. Eu não sabia se gemia ou chorava. Nossaaaaa!! Parecia que o meu corpo tinha adquirido vida própria e meus músculos não paravam de se contrairem. 

Quando finalmente voltei à realidade e consegui abrir meus olhos, pude ver, com minhas vistas ainda nubladas, a Jakeline me olhando satisfeita e o Allan alí parado, no meio das minhas pernas, com seu pau enterrado todinho na minha buceta. Ele tinha ficado quieto, esperando eu terminar de gozar, e a sua esposa agora o beijava carinhosamente nos lábios. 

Ao ver a Jakeline beijando seu marido, e ele, com o pau ainda dentro de mim, um novo fogo se apoderou do meu corpo. De imediato comecei a rebolar minha pélvis de encontro à dele, e ele fez o mesmo. Nossos corpos se moviam compassados, e o rítmo foi aumentando.

– Ohhhhhhhhhhh… Allan… vai… vai… fode com força… fode… soca tudo… até o fundo… ahhhhhhhhhhh… deusssss… vou… vou gozarrrr… de novooooo…!! – soltei uns gritos ao perceber que outro orgasmo se aproximava.

– Goza, amiga… issooooo… goza gostoso no pau dele… goza, sua safadinha…! – a Jakeline ficou falando isso e enfiou uma perna debaixo da minha cabeça, para me apoiar. Enquanto ela ficava alisando o meu rosto, o seu esposo começou a meter com força mesmo. As bolas dele batiam com força nas minhas nádegas, fazendo muito barulho. Gemi como louca na vara dele. Então, como se tivéssemos combinado, ele falou que ia gozar comigo. 

Meu corpo começou a se tremer e minhas vistas escureceram. Eu estava gozando de novo, gemendo e gritando. Só senti o pau dele me invadir até o fundo e começar a cuspir quase um litro de esperma super quente, que inundou por completo a minha xoxota palpitante e gulosa. Meu deusssss!! Eu achei que eu ia morrer de tanto prazer. Os jatos de porra vinham um atrás do outro, e nossos corpos entraram em uma deliciosa convulsão.

E a Jakeline não parava de beijar o Allan, e eu alí, perdida entre a vida e a morte, viajando, em um mundo de prazer. Acho até que meus gemidos foram ouvidos pelos vizinhos da minha amiga, de tão descontrolada que fiquei. Por fim ficamos os três quietos, abraçados. Eu sentindo o peso daquele macho gostoso em cima de mim e a minha amiga alisando meus cabelos e fazendo carinho no meu rosto, toda atenciosa.

– Pronto, pronto… foi lindo… já estou satisfeita… hora de ir pra casa! – falei sorrindo. E o Allan ainda em cima de mim, dando beijinhos nos meus lábios. 
– Nãoooooooooo… de jeito nenhum, Laís… ainda não terminamos… você se lembra que veio aqui pra dar o seu cú? – a Jakeline disse, me olhando atentamente, com os olhos brilhando.

– Isso mesmo, princesa! – o Allan falou. – O que fiz até agora foi só pra matar a vontade que eu tinha de te comer… sempre imaginei como seria meter nessa sua bucetinha gostosa… seu marido não imagina o potencial que você tem, Laís!
– Ele é um idiota… isso sim… não sabe o que está perdendo… uma gata com um corpão desses! – minha amiga completou. 

Para minha surpresa, durante este tempo todo, o pau do Allan continuava dentro de mim, duro, grosso, engatado, e não tinha diminuído de tamanho, como normalmente acontece com o meu marido.
– Meu deusssss, Jake… não acredito que vou concordar com isso… o pau do Allan é muito grande para o meu primeiro anal… não vou aguentar! – falei, cheia de preocupação.

– Aguenta sim, Laís… ele vai fazer com jeitinho… e se estiver doendo muito você pode pedir e ele pára, tá bom! – a Jakeline falou e eu acabei concordando. Então seu marido começou a se movimentar um pouco e, sem sair de dentro de mim, segurou as partes posteriores das minhas coxas e as empurrou, fazendo com que elas ficassem de ambos os lados dos meus ombros.

Nessa posição eu fiquei totalmente exposta, e o Allan começou um tira-e-põe bem cadenciado, me deixando louca de tesão novamente, e a Jakeline alí, beijando a boca dele, e olhando o pau dele entrar e sair todo lambuzado da minha xaninha.
– Pega o lubrificante alí, amor! – o Allan falou e a Jakeline abriu um sorrisão de dar medo. A hora do meu cú levar vara tinha chegado.

Na posição que eu estava, com minha bunda levantada e impedida de me movimentar muito, não tive outra opção a não ser me render. Minha amiga trouxe o lubrificante e, de imediato, começou a lubrificar a entradinha do meu ânus, enfiando os dedos carinhosamente e massageando, por dentro e por fora. Eu não estava acreditando naquilo. A Jakeline estava enfiando os dedos dela no meu cú. E ela não parava de olhar para a minha cara de assustada. E quem não estaria assustada com aquilo?

Depois ela passou lubrificante no pau de seu marido, deixando ele todo lambuzado.
– Pronta, amiga? – ela me perguntou. Só balancei a cabeça afirmativamente e ela, segurando a pica do Allan, posicionou a cabeça no meu anelzinho todo melado de lubrificante. O Allan só precisou forçar um pouquinho para a cabeçona da rola entrar.

– Aiiiiiiiiiiiiiiiii… deus do céuuuuuuu… dóiiiiiiiii… muitoooooooo…!! – soltei um grito e coloquei minhas mãos nas coxas dele, impedindo-o de enfiar mais. Nossaaaaaaa!! A dor foi intensa. E o meu cú não parava de contrair involuntariamente, o que me provocava um desconforto insuportável. Nesse momento a Jakeline pareceu ficar com dó de mim, e ficou alisando meu rosto.

– Fica bem relaxada, Laís… pra não doer… na primeira vez é assim mesmo… quando entrar tudo você vai ver como é gostoso, amiga… você vai até gozar com ele lá dentro! – ela ficava me falando isso, tentando me animar, mas só eu sabia o desespero que eu estava sentindo. Com os olhos cheios de lágrimas eu tentei falar mas não consegui. Tudo que fiz foi olhar para o Allan e mexi meus lábios: “Pode!”

Ele sorriu e empurrou mais um pouco. A cabeça do pau avançou mais para dentro do meu cuzinho e um bom pedaço de pica veio junto. Um novo grito escapou dos meus lábios, ao sentir como o meu ânus estava se dilatando, esticando, como se minhas preguinhas estivessem sendo arrancadas fora. O Allan estava rasgando as beiradinhas do meu rabinho.

– Allan… tira… só um pouco… por favor… Jake… passa mais um pouco de lubrificante! – pedi, toda chorosa. O Allan tirou o pau bem devagar do meu cú, me proporcionando um delicioso alívio. Em seguida a Jakeline passou mais lubrificante no meu anelzinho e depois lambuzou toda a pica do seu marido que, sem perder tempo, encostou a cabeça da rola na minha entradinha e empurrou de novo, bem suave, mas com firmeza. 

Na minha incômoda posição eu pude ver o pau dele sumindo pra dentro do meu castigado cuzinho, até entrar a metade. Aí não aguentei. Parecia que ele tinha encostado em alguma coisa dentro de mim, um nervo da minha coluna, sei lá. A dor foi algo espantoso. Gritei como uma louca e novamente coloquei as mãos em suas coxas, empurrando-o de volta.
– Deussssss do céu… não aguento mais, Allan… por favor… vamos continuar outro dia! – supliquei.

– Mas já entrou quase tudo, meu amorzinho… deixa eu enfiar só mais um pouquino, deixa?… esse cuzinho está tão apertado e gostoso… vamos… deixa continuar, Laís… você vai começar a gostar daqui a pouco! – o Allan tentou me convencer.
– É verdade, Laís… só relaxar mais um pouquinho, amiga! – a Jakeline alisou meus cabelos.

– Tá bom… mas bem devagar… meu deusssss… não pensei que ia doer tanto…! – enxuguei minhas lágrimas e suspirei fundo. Um novo empurrou e pronto! O pau do Allan entrou todinho no meu cú, até encostar tudo, preenchendo todo o meu reto. Minhas vistas ficaram até escuras. Senti um arrepio percorrer minhas pernas e subir em direção ao meu cérebro. Nessa hora a boca do Allan procurou a minha e nos beijamos loucamente.

Durante quase um minuto o marido da minha amiga ficou quieto, deixando as minhas entranhas se acostumarem com a presença daquela rolona intrometida. Eu sentia o pau duro e quente pulsar dentro do meu intestino. Que coisa mais louca! E nosso beijo continuou, até que ele começou a se mover de novo, enfiando e tirando, lentamente. A dor continuava e eu não parava de chorar. Minha nuca estava toda arrepiada e minha boca parecia a de um peixe fora da água, procurando fôlego o tempo todo.

De repente a dor foi sendo substituída pelo prazer. Um pouco por perceber o enorme prazer que o Allan estava sentindo ao desvirginar o pobrezinho do meu cú. E também pelo fato de eu estar sendo enrabada por um homem charmoso e safado, marido da minha melhor amiga. Além disso, a Jakeline, se aproveitando da minha posição, ficava esfregando os dedos na minha xoxota, massageando o meu clitóris com sua mão lambuzada de lubrificante. Tudo isso estava me provocando sensações completamente desconhecidas.

– Ohhhhhhhhhhhh… Allannnnn… está tão gostoso agora, amor… fode esse cuzinho, fode… fode esse cú todinho… ahhhhhhhhhhhhh… meu deusssssss… que delícia…!! – comecei a curtir muito aquele pau enorme no meu rabo, assim como os carinhos que a Jakeline estava fazendo na minha buceta e em todo o meu corpo. O Allan agora já tirava a pica quase toda para fora e a empurrava de volta, até encostar as bolas na minha bunda.

E foi nesse momento que tive uma surpresa e tanto. A Jakeline estava ajoelhada atrás da minha cabeça, com uma perna de cada lado. Como eu ficava agitando minha cabeça o tempo todo, aproveitei para tocar meus lábios em suas coxas. Mas fiz isso mais pelo tesão mesmo, já que eu nunca tinha tocado uma mulher antes. Ela interpretou isso como um sinal de minha parte e abaixou mais o quadril, encostando sua buceta completamente depilada e melada na minha boca.

No início pensei em recusar fazer sexo oral nela, mas eu estava me sentindo tão puta que não resisti. Além disso, o que eu ia fazer com a minha língua e boca era apenas uma forma de agradê-la por ter me emprestado seu marido para realizar a minha fantasia. Com muita vontade mesmo eu meti minha boca na xoxota dela e chupei, lambi e suguei seu clitóris. E enquanto isso o Allan não parava de meter no meu já arrombado cuzinho, me levando a um nível muito alto de excitação. 

O quarto se encheu dos nossos gemidos, suspiros e gritos. Estávamos os três suados e cheios de tesão, buscando o máximo de prazer.
– Ahhhhhhhhhhhhhh… que delíciaaaaa… que cú mais gostoso… vou… vou… vou… Uhhhhhhhhhhhhhhh…!! – o Allan soltou um rugido parecido com um leão e engatou o pau bem fundo no meu ânus. Nessa hora perdi o meu controle e comecei a gozar. O mesmo aconteceu com a Jakeline, rebolando a xoxota na minha boca.

Gozamos os três juntinhos. Fiz várias contrações com o meu cuzinho ao redor do pênis do Allan, que não parava de ejacular, com a mesma intensidade da gozada anterior. E dessa vez ele estava inundando o meu reto de porra quentinha e viscosa. Tive a impressão de desmaiar por alguns segundos. Quando recuperei meu fôlego, minha amiga e seu esposo dividiam a minha boca, lambendo, mordendo e chupando os meus lábios.

Comecei a rir do nada, pois eu nunca tinha imaginado que meu primeiro anal seria com um pauzão grosso e duro. E eu estava muito orgulhosa de mim por ter aguentado tudo aquilo. Minha fantasia foi realizada exatamente do jeito que eu queria. Enfim, depois de mais alguns minutos de descanso fomos os três tomar um banho. Quando eu já me preparava para ir embora a Jakeline me abraçou e me deu um longo beijo na boca.

Foi o bastante para o Allan chegar por trás dela, descer seu shorts e calcinha e penetrá-la alí, na minha frente. Ficamos as duas agarradinhas enquanto ele revesava nas nossas bucetas e cuzinhos. Que homem cheio de potência sexual. Meu marido não chega nem a 30% do tesão que o Allan possui. E o resultado foi que fizemos sexo novamente, os três, por mais de uma hora ainda.

Quando cheguei em casa, com meu cuzinho todo arrombado e dolorido, mas muito satisfeita, meu marido, que pensava que eu tinha ido na casa da Jakeline apenas para estudar, estava todo esparramado no sofá, assistindo um filme.
– E aí?… como foi lá?… estudaram muito? – ele me perguntou com um sorriso.

– Sim… foi uma tarde muito proveitosa, amor… de muito aprendizado! – respondi e dei um beijinho nos lábios dele. – Agora vou tomar um banho que estou exausta! – completei e fui em direção ao quarto. “Ah, amor! Se você soubesse o que a sua mulherzinha aprontou hoje e ainda vai aprontar nos próximos dias!”, pensei, rindo por dentro, enquanto sentia mais porra do Allan sair do meu ânus e descer para o fundo da minha calcinha.

AS FOTOS MAIS SENSUAIS DO MÊS DOS NAMORADOS…

COM ALGUMAS RESPOSTAS À NOSSAS PERGUNTAS…

Ela tem corpo escultural, adora sussurros ao pé do ouvido e, na hora da conquista, gosta de agir como ela mesma.

…tem 23 anos, é natural de Botucatu (SP) curte passar o tempo na companhia dos amigos.

Seu maior defeito é ser sensível demais…

Ah, se tem uma coisa que ela gosta no próprio corpo são os seios (maravilhosos, por sinal!).

Sou muito conhecida, meu trabalho ganhou muito reconhecimento pela fotogenia e espontaneidade nas fotos, resultado de muito esforço e perseverança.

Eu estava muito empolgada para ser fotografada, mas confesso que fiquei um pouco tímida. Depois fui me soltando.

Catálogos de lingerie, feiras, desfiles, trabalhei também como recepcionista de eventos, ring girl e vitrine viva.

…só trabalho como modelo.

…criarei uma marca minha.

Evito alimentos gordurosos e refrigerantes…

…faço academia nos dias livres.

Meus seios, acho lindos!

…Sim, ele é um pouco ciumento, mas entende que é meu trabalho e me apoia.

Ser sensível demais….

Minha maior qualidade é ser compreensiva e calma.

Não gosto de homem “mandão”.

Dou um sorriso bem gostoso e espontâneo…

Aquela sussurrada no ouvido…

Ser eu mesma!

Gosto muito de ouvir músicas, relaxar e dormir (risos)…

Momentos com os bons amigos…

…Mudaria a ignorância e o preconceito das pessoas.

Falo sozinha (risos)…

Deixaria de me preocupar com o que os outros iriam achar e aproveitaria mais os momentos…

Foi uma experiência incrível, eu adorei!

Eu não acho difícil manter a forma…

Eu sou mesmo?! Obrigada gente !!

Minha carreira de modelo iniciou quando eu tinha.. 4 anos, talvez. Minha mãe saberia responder melhor essa.

Já fiz catálogos de roupas, semijoias, portfólios de fotógrafos, propaganda para marcas de lingeries, desfiles quando adolescente, eventos para grandes marcas de cosméticos, como a L’oreal e ultimamente alguns ensaios sensuais. Ah, também ganhei um concurso online de moda-praia em primeiro lugar, para a minha própria surpresa, mas as fotos do ensaio foram só de Biquíni, inclusive ao ar livre na praia, nunca havia feito nada.

Eu juro que não consigo entender a inveja, sabia?!

Então, tudo culpa ou mérito dos meus seguidores do Instagram. Hahah

Não é difícil, mas também não é fácil…

Alguma não, algumasss!! Heheh…

No mais, quero agradecer a toda equipe do site, vocês realmente foram sensacionais comigo. Obrigada !

Me despir na frente de uma produção toda me deixa, sim, com um pouco de vergonha…

Sou maquiadora e sócia na loja dos meus pais.

Eu vivo de mudanças e todas que eu vi, visualmente eu gostei. Mas o loiro ganha o meu coração!

Não sou a única que sofro com a inveja de um shape legal.

que tenha integridade e caráter…

Um homem de mais ação e menos conversa…

Essa pergunta é digna do Igor….

Bem resolvida, comunicativa, sagaz…

TERMINANDO O MÊS DOS NAMORADOS….

Imagem relacionadaSe você já entendeu o ponto, não se sinta culpada. Mas quando junho chega e os assuntos a respeito da comemoração do Mês dos Namorados começam junto com o mês, existem alguns sentimentos ligados a esta data. Os homens, geralmente mais românticos, se empolgam com a data, pensam em presentes (para dar e ganhar) e fazem planos para celebrar. Já os mulheres podem não ser tão festivas…

Geralmente nesta coluna, no final do mês de junho trago dicas de presentes para os namorados. Mas ao meu redor tenho pessoas que namoram, que são casadas ou aquelas que não têm um relacionamento fixo.  E o que mais se fala é do jantar de comemoração ou do presente que será trocado. Ambos por certa obrigação.

Casais novos e apaixonados esperam a data ansiosamente. Reservas em ótimos restaurantes, viagens de comemoração, presentes mil. Que ótima fase de namoro quando esta chama ainda está acesa! Depois de alguns anos, a comemoração é muito mais para cumprir tabela. Com o tempo o jantar já se torna o principal fator (afinal comer bem é uma boa oportunidade) e o presente já pode ser algo comunitário, como uma viagem ou serviço que ambos podem aproveitar.

Tem aquela fase que os presentes são mais funcionais do que surpreendentes. Ao invés de algo que deixará a pessoa de boca aberta, é hora de perguntar o que falta para presentear. Ao invés de jantar em um lugar estupendo, caro e inesquecível, um jantar tranquilo em casa com comida de boa qualidade já é suficiente. E assim passam os anos e o Mês dos Namorados. É fácil encontrar casais que estão juntos há décadas, casados e comemorando o dia do amor. E confesso que acho lindo, que admiro essa cumplicidade de um casamento consolidado que abre margem às comemorações. Afinal a data pode ser tão hipócrita, onde casais trocam presentes e sentam à mesa, mesmo que traindo uns aos outros.

Julgar é uma tarefa para todos. Aceitar a vida alheia é uma tarefa para os fortes. Qual o problema dos casais comemorarem como quiserem? Qual o problema de escolher um presente especial para a sua amada se os caras do futebol vão ficar te zoando por isso? Qual o problema se os planos falharam e ninguém poderá comemorar o dia, terá que trabalhar ou faltou grana para o presente? São tantas combinações e situações que estamos suscetíveis que não devemos julgar ninguém. Assim em casa comemorando na cama ou não é o melhor presente.

NÃO PODEMOS NOS ESQUECER…

A moral sexual e a mulher

Imagem relacionada

As fontes antigas mostram que a moral sexual tinha se degradado muito no tempo dos romanos. Ovídio relata que as práticas sexuais tinham se tornado perversas e sadistas.

A Igreja sempre ensinou que a vida sexual só deve acontecer entre marido e esposa. A dignidade do casamento foi restaurada pelos cristãos. O adultério para a Igreja não é só a traição da mulher para com o marido, mas também do marido para com a mulher, o que não acontecia no mundo antigo. Isso foi de grande influência; e a proibição do divórcio deu grande proteção às mulheres. Além disso, as mulheres obtiveram mais autonomia graças ao catolicismo.

No casamento cristão, que é indissolúvel, as obrigações do marido não são menores que as das mulheres, observa o sociólogo americano Rodney Stark. A unidade da família garantida com a proibição do divórcio, do incesto, da infidelidade conjugal, da poligamia e do aborto. Infelizmente, a pauta do feminismo radical se volta hoje contra as conquistas cristãs que ajudaram a formar a família, a propagar a fé e a proteger as mulheres da morte e da sujeição.

Não será por tudo isso que as mulheres amam mais a Igreja que os homens? Não será por isso que 70% do rebanho da Igreja é de mulheres? Ninguém as defendeu tanto durante a história; mas é pena que os motivos feministas radicais não se dêem conta disso. É porque, infelizmente, já não comungam com os valores de Jesus Cristo.

A mulher, na Idade Média, não foi relegada a uma posição de desprezo como muitos pensam. Os fatos desmentem isso. Muitos querem culpar a Igreja por sufocar a mulher no passado, mas isso não é verdade. Por causa da valorização dada pela Igreja à mulher, várias delas desempenharam notável papel na Igreja medieval.

A historiadora Regiane Pernoud (1997) observa que, entre os mais antigos santos, se encontram as mártires Inês, Cecília, Agueda, Luzia, Blandina… Algumas mulheres, não oriundas de família nobres, também desempenharam notáveis funções na Igreja medieval.

Esses fatos têm significado em nossos dias, quando movimentos feministas reivindicam os direitos da mulher na sociedade atual. Pretendem superar um obscurecimento da mulher, fato que é pós-medieval. A Idade Média poderia servir de modelo à mulher contemporânea. Regiane Pernoud mostra que a mulher, hoje, na ânsia de assumir seu lugar junto ao homem, parece, às vezes, esquecer-se da sua própria identidade e originalidade.

Mais do que lutar contra a violência da época, a Igreja se dedicou a implantar o amor no coração daquela gente rude. Diante dos desregramentos da sociedade feudal a Igreja soube implantar os princípios do Evangelho, que se tornaram a base da civilização européia.

A influência da Igreja fez com que se respeitassem os direitos da mulher, indefesa diante da brutalidade masculina. Ela, no Cristianismo, não podia ser tratada com o desprezo da Antigüidade. É mentira a lenda de que a Igreja teria dito que “a mulher não tem alma humana”.

O êxito dos mosteiros femininos mostra o quanto a pureza feminina era admirada. As jovens e viúvas eram protegidas; aquele que raptasse uma jovem ficava proibido de se casar com ela e era punido. Os concílios condenaram muitas vezes o repúdio às esposas por simples caprichos dos maridos e, em alguns lugares, eram excomungados os juízes que praticassem injustiças contra as mulheres.

A mulher foi colocada num plano de igualdade espiritual e moral com o homem e tornou sólida a família, célula da sociedade. Lutou com todas as forças para dar dignidade ao casamento; combateu o adultério, que era praga da época. Proibiu o assassinato da mulher adúltera, pois um “ato ilícito não pode ser compensado por outro ato ilícito”. E houve forte trabalho no sentido de reaproximar os esposos quando havia um adultério, mediante o perdão e a reconciliação.

Todo esse cuidado da Igreja com a família e com o casamento promoveu a mulher, algo que não aconteceu na Índia, China ou no Islamismo. A mulher nessa época era insignificante em todas as sociedades; apenas era vista como reprodutora. A Igreja impôs aos homens a obrigação de respeitarem a dignidade da mulher, a qual deixou de ser propriedade do marido.

RELATOS DE OUSADIAS…

OUSADIA…

Fiz sexo com um desconhecido que você acabei de conhecer no shopping…

Fiz sexo um com o outro enquanto alguém está assistindo.

Fiz sexo com um espelho de corpo inteiro ao lado da sua cama.

Fiz sexo no telhado ou sob as estrelas. Romântico, aventureiro e assustador!

Fiz sexo na piscina e envolvi alguns amigos.

Fiz sexo em uma viagem pela estrada…

Tirei férias com outro casal e transemos em dupla…

Troquei de parceiro quando estive na praia…

Faço sexo em um lugar público como um banheiro ou em um canto escuro de um clube.

Fiz na cama de outra pessoa. Estranho, incomodo e oh-tão-sexy.

Fiz um video sexual e tirei fotos nuas um do outro.

Transei no escritório…

Uso tinta corporal comestível…

Masoquismo pode parecer assustador, mas alguns cachecóis, cordas, chicotes, correntes, algemas, podem se tornar mais sexy do que você pensa….

Toquei-o por debaixo de uma mesa de restaurante. Certifiquei-me de que a toalha é grande o suficiente para esconder seu ato indecente em público.

Deixei a porta do quarto do hotel aberta para o garçom observá-los enquanto fiz sexo…

Faço sexo após ter bebido em uma noite de festa.

Imaginei-me ter relações sexuais com outra mulher e fale com o meu parceiro sobre isso, e aconteceu…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

COMO E ONDE FOI SUA PRIMEIRA VEZ ???

AS RESPOSTAS COM IDENTIFICAÇÃO E FOTOGRAFIA…

Perdi minha virgindade com o meu namorado no ensino médio quando tinha 17 anos. Ele era muito doce e sabia que eu queria esperar, então depois de um ano juntos, finalmente aconteceu. Nós estávamos em seu quarto, e finalmente acabamos de fazendo isso. Teve apenas cerca de 10 minutos de duração, mas foi doce enquanto durou. Poliana – BA

Perdi minha virgindade com meu marido, e eu não poderia estar mais feliz por causa disso. Minhas amigas tiravam sarro por saberem que eu nunca fiz sexo com Amaro, mas eu preferi assim. Eu gosto da segurança que vem por apenas estar com um homem e saber que ambos estamos em um relacionamento comprometido. Para mim, nada supera isso. Marcia -SP

]

Minha primeira vez foi na verdade com meu marido. Esperamos até que estivéssemos casados para ter relações sexuais, e nós dois somos a única pessoa com quem tem estado. Foi incrível. Eu ouço que algumas das minhas amigas se queixam de como seu novo namorado não os agrada como o último deles. Embora pareça embaraçoso, hoje em dia, dizer que só estive com um homem, estou muito feliz por saber que nunca terei os mesmos problemas que as minhas amigas. Meu marido é o único que já me tocou e vice-versa, então fomos capazes de “nos treinar” para fazer exatamente o que gostamos. Nossa primeira vez foi romântica e perfeita, com dezenas de velas e muitos beijos! Sônia – MG

Perdi minha virgindade quando tinha 18 anos com uma guri que sabia que seria muito especial. Chegamos a isso rapidamente, depois de cerca de uma semana juntos. Nós fizemos isso em seu quarto enquanto seus pais estavam no trabalho. Eu sei que ele não gostou porque ele foi franco o suficiente para me dizer isso. Eu engravidei imediatamente. Eu sei que isso soa como um desastre, mas eu estava louca por aquele homem e ainda sou. Nós já somos casados há 02 anos. Daniele – RS

Eu fiz sexo pela primeira vez em uma viagem de acampamento, quando estava bêbado e tinha apenas 19 anos. Então dormi com meu melhor amigo na parte de trás de um caminhão no acampamento, e eu não estou brincando, um macaquinho pulou para dentro do veículo enquanto estávamos fazendo amor. Foi definitivamente inesquecível, mas provavelmente não pelas razões certas hahahahah Luciana – RJ

A minha primeira vez aconteceu com um cara que conheci em uma festa em Ouro Preto. Eu era um caloura e estava desesperada para não ser mais virgem. Eu tinha todas aquelas crenças que o sexo não iria doer, e eu que sangraria tanto que precisaria ir ao hospital tomar soro kkkkkkkkkkkkkkkkk nem foi verdade! O sexo não doeu, sentia-se como nada, infelizmente. Olhando para trás, eu não deveria estar tão preocupada com minha virgindade e deveria ter esperado perde-la com alguém especial. Stela – MG

Eu dormi com meu namorado do ensino médio. Foi tudo extremamente estranho, especialmente quando ele me soube que eu estava em meu período menstrual e perguntou se eu ainda estava preparado para isso. Eu não queria que ele mudasse de ideia em dar esse passo comigo, então eu disse que estava bem. Eu ele se adaptou com um preservativo e fomos em frente. Nós não queríamos que meus pais soubessem que estávamos fazendo sexo. Tudo deu errado depois de terem visto a bagunça que deixamos nos lençóis. Foi uma grande experiência, mas o resultado foi nojento. Marcelle- PE

Eu era na verdade aquele tipo de moça cuja primeira experiência de penetração foi anal. Eu pensava que amava o cara, mas não tinha certeza se eu queria dar-lhe minha virgindade, então, fizemos isso na bunda. Eu sei, eu sei, clichê. Ele me irritou de antemão e usamos uma tonelada de lubrificantes. Ele me tocava enquanto ele me penetrava por trás e a minha grande surpresa foi que ele tirou minha virgindade vaginal com o dedo . Eu realmente queria que o anal não fosse a minha primeira experiência de um pênis em meu corpo, já que parece tão bizarro, mas fiquei feliz por nunca ter desperdiçado um hímen nesse cara. Renata – RJ

Eu tinha 18 anos e estava prestes a terminar o ensino médio. Eu já me sentia como um idiota atrasado na escola e no sexo, eu ainda era virgem, e não ajudava que esse namorado naquele momento estivesse pressionando-me por meses para fazer sexo. Nesta festa de pré-graduação, um fim de semana eu decidi ficar completamente bêbado e, finalmente, cedi a ele. Eu só lembro o quanto doeu e fui chorando para dormir quando cheguei em casa. Eu não me sentia mais bem perto dele ou mais adulto. Eu simplesmente não senti nada. Se ele fosse realmente aquele que eu não precisaria ficar tão bêbado, nem ele precisaria implorar por isso. Que desperdício. João Pedro – MG # 10 Minha primeira vez com meu namorado foi sem intercorrências. Na verdade, era a primeira vez que eu tinha relações sexuais . Adorei o cara e pensei que seria especial e tudo, mas para ser sincera, o sexo não foi algo que me impressionou assim. Ele ficou por cima e terminou muito rápido. Eu poderia dizer que ele estava envergonhado e ele disse que tentaríamos novamente quando ele conseguisse outra ereção. Felizmente, ele foi um milhão de vezes melhor depois da primeira vez … e segundo … e terceiro Dalila – RS

Minha primeira vez foi com meu namorado da faculdade. Nós namoramos por sete meses, pois nos conhecemos desde o ensino médio. Cheguei em casa e decidi que queria perder minha virgindade com ele. Ele estava tão nervoso que mal conseguiu ficar duro. Eventualmente, ele me penetrou, e senti seu pênis grosso e pequeno. Ele terminou depois de um minuto. Mais tarde, descobri que a razão pela qual ele estava tão nervoso era porque ele já tinha uma namorada, de três anos de namoro. Ele estava traindo sua namorada comigo, sem o meu conhecimento. Ele me deixou no dia seguinte, e disse a sua namorada que ele estava enganando ela e eles ficaram juntos por mais um ano . Foi uma experiência completamente horrível . Eu nunca mais o vi desde então. Samantha – RJ

Perdi minha virgindade quando tinha 18 anos. Eu realmente era evangélica na época e me senti realmente estranha com a minha decisão de dormir com meu namorado. Ele teve um ridículo relacionamento on / off com sua ex-namorada e parte de mim ficava preocupada de que ele fosse correr de volta para ela sempre que ela ligasse. Ele assegurou-me que não era não faria isso e, finalmente, dormimos juntos em seu quarto. O pai dele chegou em casa a meio caminho e gritou por meu namorado, perguntando se ele tinha tirado o lixo. Ele veio e bateu na porta do quarto e continuou falando até perceber que estávamos, em intimidade , em uma posição comprometedora. Nós rimos sobre isso no momento e meu namorado foi super doce depois. Infelizmente, ele me deixou para voltar com sua ex cerca de três dias depois. Sim, 3 dias depois ! Sara – RJ

Meu namorado e eu estávamos na universidade e decidimos fazer algo especial em nosso aniversário de um ano. Eu reservei um quarto de hotel elegante para a noite e tivemos um belo jantar, assistimos um filme no meu laptop em nosso quarto de hotel e depois começamos a nos tocar. Nós dois éramos virgens, então eu queria que tudo fosse especial para ele. Eu sabia que uma primeira vez para um homem geralmente não é o melhor, então eu queria ter certeza de que ele tivesse um orgasmo através da minha mão ou boca. Infelizmente, ele não quis minha mão e minha boca … ou olhos, em qualquer lugar perto de suas regiões genitais. Ele me disse que eu não tinha permissão para ver. Eu disse a ele, que cada parte minha era sexy e linda, ele mesmo assim não me deixou olhar ou tocar. Fizemos sexo pela primeira vez, sem poder olhar para baixo, nem sequer tocar. Paola- RJ

Eu tinha mais ou menos 17. Eu sempre pensei em planejar algo especial para a minha primeira noite, mas em vez disso, em uma noite ele disse “vamos transar” e então tentou me penetra. Mas meus nervos conseguiram o melhor fazer o pior mim, e eu não conseguia ficar úmida. Quando isso aconteceu parecia que iria ser para sempre. Quando finalmente consegui ser penetrada, então meu primo de 6 anos entrou em meu quarto. Ficou marcado para todas as partes envolvidas, tenho certeza. Luíza – AC

A primeira vez que fiz sexo foi com meu namorado no ensino médio. Nós dois tínhamos 17 e nós fazíamos isso na cama dos nossos pais quando a casa ficava vazia. Eu fiquei por cima, mas eu fiquei muito ofegante , e quando comecei a me envolver realmente, ele estava empurrando mais rápido e quase três vezes. Meu namorado parecia atordoado e depois retrucou rindo. Seu pau murchou tão rápido que eu nem pude olhar para ele. Depois disso, chorei por 10 uns minutos e não fizemos sexo novamente por semanas. Guilhermina – TO

Na mesa da cozinha…

No corredor da faculdade….

No chuveiro…

No sofá…

No galpão do jardim…

No guarda- roupa …

Num balcão de cozinha…

Em cima da máquina de lavar ou secar roupa…

Em uma piscina…

No capô do seu carro…

Em uma pilha de folhas…

Na lama…

No trabalho…

Na casa do seu melhor amigo…

No parque…

Em um engarrafamento…

Em uma casa abandonada …

Nos últimos dois anos, a crise econômica do Brasil ensinou a algumas mulheres lições inestimáveis de si própria…

O SEXO COMO VEIO DE SOBREVIVÊNCIA.

Imagine você está de pé na fila, ombro a ombro, ao lado de 20 ou mais mulheres incrivelmente lindas, todas com vontade de ser “escolhidas” pelo mesmo homem. Stressful, certo? Agora, imagine isso 12 a 14 horas por dia, cinco dias por semana. Em poucas palavras, esse é o trabalho de muitas mulheres jovens nos dias de hoje.

Isso é ser a profissional do sexo. Nos últimos dois anos, a crise econômica do Brasil ensinou a algumas mulheres lições inestimáveis de si própria, sobre homens e sobre como ver o trabalho sexual como uma necessidade econômica para sobrevivência.

Então, ser uma profissional do sexo? É gastar com os outros inúmeras horas da sua vida, e gastar em preservativos e lubrificantes. É estigmatizante, degradante, difícil, mas a melhor coisa que já fez com a sua vida para manter viva e socialmente uma família.

O trabalho é o de uma “psicóloga”, coach de relacionamentos e sexpert, todas essas habilidades incluídas em uma mulher. Durante os seus tempos livres, continuam se educando sobre questões de sexualidade humana, psicologia e sociologia – livros, palestras, vídeos on-line, tudo o que possam fazer. Estes conhecimentos tornaram-se seu objetivos de suas vidas.

Passam com homens, casais, mulheres solteiras, divorciados, virgens, atletas e viúvas: não há apenas um tipo de pessoa que atuam como profissionais do sexo. Nessa mesma linha, não existem um só tipo de pessoa que se torna uma trabalhadora sexual. Muitas são empresárias, aposentadas, estudantes de faculdades, graduadas, mães, doutorandos e muito mais. São um grupo incrivelmente diversificado de damas com um comum: uma verdadeira paixão pela intimidade.

Os aspectos técnicos do seus trabalhos são “fascinantes”: o trabalho sexual em algumas regiões são legalizados ou em bordéis licenciados especificamente. São contratadas como independentes, o que significa que estabelecemos suas próprias taxas. Podem dizer não a qualquer pessoa ou a qualquer atividade que não aceitem.

A segurança e o consentimento dependem fortemente do sistema .

Algumas usam sistema tipo emplesarial com base fixa e todo um aparato.

Outras tentam o sistema virtual, aparentemente mais rapido porem extrememente inseguro.

Porem a maioria são formadas por fregueses determinados os quais chamo de PATROCINADORES.

 

ENCONTROS DE ORIGEM FACEBOOK…

PACIENTE 190618-25

“Perguntei por quanto tempo ele estava no FACE. Ele falou apenas duas semanas, o que pensei que era fofo até ele dizer : “Nós realmente não temos  internet na prisão ”.

PACIENTE 190618-36

” O cara com quem conversei  no face me pegou de carro para o nosso encontro. Eu disse: “Oi, como você está?” E a PRIMEIRA  coisa que ele me diz é ” Porra, porque as mulheres sempre sentem que têm que bater a porta do carro?” Eu pedi desculpas e seguimos em frente … Fomos lanchar numa rede fast food, e depois disso ele disse que me levaria em casa, que o encontro já tinha terminado. Mas primeiro, ele me diz que precisava fazer compras de comida antes de me deixar em casa. Passei mais tempo seguindo-o no redor do super mercado do que no encontro “.

PACIENTE 190618-47

“Você quer saber o que é pior do que uma foto de pênis não solicitada? Uma foto de peru não solicitada onde o cara está segurando uma fita métrica, ao lado de seu membro e você pode ver uma criança pequena refletida no espelho à sua frente”.

 PACIENTE 190618-49

Depois de um jantar bastante normal, ele perguntou se eu queria  comer sobremesa. Eu disse que sim. Depois que eu pedi uma mousse de chocolate , eu me virei para ele e perguntei o que ele queria. “Oh não”, ele disse, “não posso comer essas coisas. Pouco antes de provar minha primeira colher, ele arranca a mousse longe de mim, puxa-a  para o rosto e dá uma cheirada  longa  e profundo. “Ahhhhhhhh!”, Ele disse de uma maneira quase emocionante e pós-orgástica, “Estou bem agora!” E passa para mim. Eu nunca mais quis comer mousse de chocolate .

 PACIENTE 190618-49

” Naquela época, do meu encontro do FACE fui presa por roubar, depois de estarmos caminhando por um mercado noturno e fui mantida para interrogatório como testemunha potencial”.

PACIENTE 1290618-52

” Já tive que manter um completo estranho enquanto ele estava cheios de soluços. Não sei o que aconteceu. Nós estávamos falando sobre nossos interesses e, de repente, ele começa a soluçar de uma forma descontrolada e ficou assim, por uns 40 minutos”

 PACIENTE 190618-57

” Em quanto tempo é muito cedo para conhecer os pais? Provavelmente eu diria um primeiro encontro. Especialmente quando esse primeiro encontro, foi um com alguém do FACE. Ele me convidou para a sua casa para jantar, deixando completamente fora o fato de que ele morava com seus pais, e eu realmente estava em um domingo em família,  com seus pais e avós. Vovó perguntou se eu achava que meu encontro era o encontro para marcar a data. Eu não tive o coração para dizer-lhes que literalmente acabamos de nos conhecer. Ele então perguntou se eu queria dormir. Ah não “.

 PACIENTE 190218-63

” Estávamos sentados, bebendo em sua varanda  quando, de repente, há um golpe na porta. Então ouvimos: “Eu sei que você está em casa. Deixe-me entrar seu pedaço de merda. Você está com ela? ” Eu olho para ele, com os olhos bem arregalados, então ele explica timidamente que sua ex é um pouco instável e se recusa a acreditar que eles terminaram. Após cinco minutos, a batida pára. Menos de um minuto depois, os gritos começam novamente, exceto que esta vez vem da cerca em frente a nós. Então ela sobe sobre a cerca ainda gritando com ele, subiu no tubo de drenagem e sobre a varanda. Eu quis ir embora, e então ele grita comigo dizendo-me para sentar-se porque a ex iria embora imediatamente. Então ele grita com a ex por me chatear. Acabei ficando presa lá por uma hora, porque eles estavam bloqueando a porta e ao contrário dela, eu não tinha habilidades de escalar muros e cercas ” .

PACIENTE 190618-64

” Ele teve uma intoxicação alimentar. Na minha casa. Ele estava no banheiro explodindo de ambos os lados por horas. E então ele foi embora sem limpar qualquer bagunça”.

PACIENTE 190618-65

” Eu foi a um encontro do FACE, e ele quis ir a um motel porque era mais seguro do que ir para a casa  para se conhecer. Enquanto nós estávamos entrando no quarto, ele diz: “Oh merda, eu esqueci minha carteira, eu vou ter que voltar e pegar ! ” Eu disse com certeza e eu joguei as chaves do meu para ele. Cinco minutos depois, eu me perguntei, por que está levando tanto tempo para ele voltar, e sai e o meu carro desapareceu. Os policiais acharam o carro uma semana depois, mas nunca a pegaram “.

PACIENTE 190618-69

” Sai com um cara que eu conheci no FACE,  e eu fiquei um pouco bêbada  em um bar. De repente, minha perna ficou molhada. Ele também estava tão bêbado e fez xixi em mim.  Deixei todos os meus aplicativos de namoro depois de um longo banho e jurei de nunca mais beber “.

PACIENTE 190618-71

Eu estava em um terceiro encontro com um cara que conheci no FACE. O encontro estava terminando e eu não estava realmente sentindo isso, e estava me preparando para ser  adulta e explicar-lhe que não estava interessada em vê-lo novamente e ele recebeu uma ligação. Sua avó morreu. Sentei-me no carro enquanto ele passou uma hora no telefone com sua mãe chorando.

PACIENTE 190618-74

” Eu me perguntei por que meu encontro parecia estar corrido, sendo tudo muito depressa, tudo durante o jantar. Depois de uma hora eu recebi minha resposta, quando apareceu o segundo encontro. Ele se organizou para conhecer outra menina do FACE para a sobremesa “.

PACIENTE 190618-75

“Sai com um cara para tomar café numa tarde. Escureceu e ainda estávamos conversando, rindo e tendo um ótimo momento e ele sugeriu que a gente caminhasse. Caminhamos pela rua principal e ela deu  em um parque. Eu disse que queria voltar em breve, mas ele simplesmente continuava dizendo: “Um pouco mais longe, apenas um pouco mais longe …” Me senti muito estranha, mas ainda continuei indo junto com ele, e entramos em uma floresta. Quando percebi o quão longe estávamos , sai correndo e o deixei para trás. Ele poderia ter tido intenções inocentes e simplesmente não percebeu, o ato assustador que ele estava fazendo … ou você sabe, a policia  poderia ter encontrado um cadáver na floresta no dia seguinte”.

PACIENTE 190618-77

Comecei a ver essa garoto de um aplicativo de namoro e as coisas pareciam estar indo bem, mas ele sempre fazia essas “piadas” sobre como ele queria me matar sempre que fazia algo que o incomodava. Normalmente, eu não ficaria incomodada, mas ele continuava fazendo isso: “OMG eu vou matar você, se você não fizer isso!” “Minha mãe me faz querer matá-la às vezes.” Ele então me disse que ele mantinha uma faca a mesa de cabeceira e uma espingarda no quarto. Eu terminei com ele e ele foi mentalmente aparecendo no meu trabalho, em minha casa, batendo nas janelas durante a noite. Eu realmente não acho que o assassinato  era uma piada “.

PACIENTE 190618-78

” Eu fui até a casa de uma garota para o que eu achava que seria um encontro. Acontece que ela queria que eu cuidasse de sua criança autista enquanto ela estava bêbado e jogando com XBox. Eu deveria ter ido embora, mas eu fiquei preocupado com o que aconteceria com a criança se eu tivesse ido “.

PACIENTE 190618-82

” O cara que eu conheci no FACE gastou todo o nosso encontro, levando-me a entender como os cérebros das mulheres eram menores do que os homens e como somos naturalmente inferiores. Mas isso estava certo de acordo com ele, porque é por isso que nos sentimos biologicamente atraídas pelos homens, então nós tínhamos alguém para cuidar de nós. Sim, tchau, garoto. Você está solteiro por algum motivo “.

PACIENTE 190618-86

” Acordar na casa de um homem estranho, de um encontro do FACE bêbado é muito ruim. Você sabe o que é pior? Pisar em uma seringa usada no seu caminho para o banheiro no meio da noite” .

PACIENTE 190618-87

” O cara nem conseguiu chegar em um encontro que suas primeiras palavras foram: “Parece que você tem uma vagina que precisa de uma boa lambida”. Bem, você parece um cara com quem nunca mais falarei “.

AS FOTOGRAFIAS RECEBIDAS ESTA SEMANA…

Eu lambi isso pensando em você Igor, então isso é seu…

Adivinha qual a batida eu estou tomando ?

Eu sonho em ter você para o meu café da manhã na cama Igor?

O que é comprido, duro e tem caldinho dentro? Pepino. Mas gosto da forma de como você pensa.

Desejo saboreá-lo com toda umidade que há em mim.

Não é que eu estou excitada o tempo todo. É que você Igor deve está sempre duro para escrever estas coisas…

Você ganhou o meu coração que tal provar um pouquinho do resto…

Igor Hunsaker, eu quero você da pior maneira, seu gosto, seu cheiro e sentir sua pele ao lado da minha. Dentro de mim. Quero tudo o que voce me faz pensar…

Eu quero ser beijada e chupada loucamente agora. Mas não quero ler quero sentir você fazer o que me escreve…

Tanto faz você for vir ou eu ir ai essa noite, contando que seja diferente do meu marido…

Wir können das tun… Wenn Sie wollen…

Estou tentando algo diferente me ajude Igor….

Можем да го направим, ако искаш…

Pare de escrever e venha me comer….

Bom dia, gostoso.

Igor você mexeu em minha mente e fez meu corpo arder em chamas…

Cada orgasmo que sai de mim arde por seus textos…

Choose one: With sounds or in the dark?

Tô louca para senti-lo dentro de mim….

Estou num hotel sozinha… O que acha de uma “garganta profunda” esta noite?

Essa noite eu tranzei com meu namorado pensando em voce… Gozei muito sonhando com você…

Estou te querendo, venha logo…

Will if you feel your tongue between my legs.

Olha, eu estava agora mesmo pensando em você, deitada na cama. Sabe o que eu estava fazendo?

Igor o babaca do meu namorado acha que é ele que me excita… Eu nunca tinha ficado tão quente com estou depois de ler seus textos e comentários…. Obrigado. Quem sabe um dia….

Que bom que você começou os textos desta semana… Já me masturbei três vezes hoje pensando em seus textos.

Mi piace sentire il tuo corpo con la mia bocca..

Isso, seus textos, me pega fogo, adoro quando você me faz isso.

Delícia, assim, muito bom, gostoso… Estou como você relatou num texto… Sonho com esta sena sendo minha todos os dias…

Igor, venha tomar banho comigo.

DIA DOS NAMORADOS E A TRAIÇÃO… É A VEZ DE VOCÊS ESCREVEREM…

Resultado de imagem para traição gifQuem aqui já traiu?

E quem nunca traiu?

Seriooooo!

To ficando muito assustado com isso, gente tá um traí traí, ninguém respeita mais ninguém, onde vamos parar?

Se quer pegar todo mundo porque não separa poxa?

NAMORADOS, imagine casados? 

Não estou aqui pra julgar ninguém… mas pra mim não tem justificativa a traição não ser levada a sério como uma TRAIÇÃO…

 Mas queria saber quem já traiu/traí e quem é fiel.

Não estou perguntando para julgar, só para saber a dimensão disso via site….

Sua resposta nos COMENTÁRIOS…

Que bom que vai responder!!

Só lembrando que estamos aqui para realmente AJUDAR outras pessoas, então pense nisso! Obrigada! 🙂

Igor Hunsaker.

Traí Meu Namorado, E Agora?

Resultado de imagem para traição gif

Infelizmente, por mais que se negue e tente andar na linha, a traição acontece e não dá para negar muito. Quando ela aparece há duas saídas: contar ou não contar. Cada uma envolve diversos pontos como ser descoberto e acabar com o namoro, por isso a posição deve ser pensada.

Por que você traiu?

Todo mundo pensa no que fez e como encobrir, mas você pensou no por que fez isso? Pode ser que não curta mais seu namorado e não sinta desejo por ele e goste de outro. Se for esse o caso, que tal deixar o gato curtir a vida dele e você segue na sua? É importante uma reflexão sobre o motivo de tal traição e talvez isso mude o quadro e seu posicionamento sobre o assunto.

Sua traição pode ser um sinal de que algo anda errado na relação e para isso só há dois posicionamentos: ou você muda tudo o que não lhe agrada ou parte para outra.

Trair, sempre é arriscado

Você pode esconder a sua traição para o resto da vida, mas corre o grande risco de ser descoberto. Você não imagina o quanto sua cidade é pequena até fazer algo de errado e neste momento é quando todos os amigos dele surgem em pontos que você pensava que eram remotos e não visitados.

O melhor mesmo é partir para a omissão dos fatos, e se foi um momento isolado, contar pode ser mais doloroso que a omissão porem a mentira a torna duplamente culpada…  

Pode (não aconselho) contar a verdade, mas não o culpe pelo seus atos…

O maior erro que uma mulher pode cometer (e os homens não escapam dessa não!) é contar a verdade ao namorado que o traiu, e pior alegar que foi por culpa dele. As justificativas são as mais diversas: ele não foi atencioso, ele não te amou, ele ‘abriu espaço para a concorrência’ ou ele deixou que acontecesse. Esta é uma ação sua e você teve a escolha de trair ou não. Se o fez, ao menos assuma o erro de forma justa.

Uma omissão pode ajudar ele a perdoar na duvida . Como o erro é real, já que uma traição é sempre uma traição, espere uma reação impulsiva. os homens tem o sentimento de posse, e este sentimento no mínimo dura muitos longos meses de dor de confiança.

Mas gostei muito…

PACIENTE 120618-94

Numa sexta feira a noite meu namorado foi pra casa da mãe dele, pois eles iriam viajar no dia seguinte.

Enfim, as horas se passaram, recebi uma visita da minha avó que pediu pra que eu fosse passar o final de semana na casa dela junto com as minhas primas.

Enfim, sábado de manhã eu e minha prima mais velha acordamos, arrumamos a casa da minha avó, como um costume que minha prima já tinha e fomos pra rua. Ficamos lá por horas, fiz amigos novos e ficamos zoando na rua..

Quando eu e minha prima resolvemos ir embora, um carro com um menino parou em frente a nós. A minha prima já conhecia ele.. ele mentiu, dizendo se nós conhecíamos alguma menina chamada Larissa só para puxar papo comigo.

O Tempo passou, aonde minha avó mora quase nem tem rede…

Então nesse tempo falei muito pouco com meu namorado… e continuei na rua com a minha prima…

Ela passou meu numero de telefone para ele, que logo me ligou e disse pra eu e minha prima irmos até a casa de outra amiga em comum para ficarmos conversando.

Nós fomos, mas ficamos com fome e resolvemos comprar algo para comer. Fui junto com o menino.. mas estava tudo fechado, na volta ele me agarrou, me deu um beijão na boca.

Mesmo eu dizendo para ele parar pois eu tinha namorado, aquilo tomou conta de mim.

Ele era muito cheiroso e eu não resisti.

Eu gostei muito dele, de verdade quero trair meu namorado de novo mas ele não merece.

Mas gostei muito… ele me tocou como ninguém, me agarrou de um jeito que eu jamais vou esquecer… não tenho coragem de dizer a verdade ao meu namorado.. não sei mais o que fazer…. Por um lado gostei, por outro estou super arrependida.. :(.

…descobri que meu marido saia com um cara…

PACIENTE 120618-68

A  alguns anos atrais eu descobri que meu marido saia com um cara.

Sem o meu consentimento na época fiquei puta mas perdoei porque eu gosto desse tipo de brincadeira.

Pedi a ele que ficasse com ele novamente pra mim assistir.

Mas ele se recusa e não quer saber, só que ele aceita com outros cara se eu tiver junto.

Você acha que ele ainda sai com esse cara que ele ficou?

Ou ainda gosta dele?

O trai e agora sei como ele se sentiu, dói muito…

PACIENTE 120618-45

“Estou casada há 11 anos e em um momento da minha vida fiz uma besteira e trai meu marido e antes que perguntem sim, rolou sexo . Ele descobriu e foi uma época (recente) muito difícil. Da maneira como foi, ele se sentiu humilhado, despedaçado, diminuído e chegamos a ficar uma semana sem nos ver. Como 11 anos não são 11 dias, passamos por muitas coisas juntos voltamos e decidimos recomeçar. O fato de ter o traído não quer dizer que não o ame pois o amo muito não imagino a vida sem ele este homem fez muito por mim. Mas ta difícil, ele mudou muito, me olha com desprezo e esta muito abalado e triste. O problema é q descobri recentemente q ele está tendo um caso com uma mulher do trabalho dele. Vi uma conversa dele no privado do facebook com um amigo q ele diz q sempre foi fiel a mim, mas q agora ele irá transar e ter caso com a mulher q der mole. Sei q estou pagando na mesma moeda, mas estou arrasada e me sentindo mal por saber q ele transa com outra mulher. O trai e agora sei como ele se sentiu, dói muito. Não sei o q faço, só choro e me sinto mal. Será q devo aceitar ele ter as puladas de cerca dele até a gente poder conversar e ele acabar com isso?  Devo fingir q não sei de nada? Sò quero resgatar nosso casamento e que ele seja fiel a mim, voltando a ser o homem q ele sempre foi. O amo muito e estou desesperada sem saber o que fazer disposta a reconquista-lo. Temos uma família e quero que tudo volte ao normal ou pelo menos que ele volte a me respeitar, confiar em mim e a me amar.”

Será que ele me traí ???

PACIENTE 120618-34

IGOR…
Comecei a namorar há um mês , no início ele era mais presente , cv’s comigo até no serviço , de um tempo pra cá ele deu uma afastada , nos ainda cv’s todos os dias no Whats , sempre fui uma pessoa muito ciumenta em todos os relacionamentos , peguei o Whats de uma amiga , testei ele , ele caiu direitinho , falando que ainda está conhecendo uma pessoa , falou que poderia até conhecê-la pessoalmente , mas que eles não poderiam ficar , porque seria uma sacanagem comigo e com ela pelo menos não agora , mas comigo ele sempre me deixou ter acesso ao celular dele , me passou até a senha , ele anda sumido do Whats , demora umas 1 hr para me responder , estou quieta o insta gram dele e ele curte foto de mulheres , será que ele me traí ?

Além disso, ele vem broxando (5 vezes no último mês)…

PACIENTE 120618-29

Não vou estender a situação demais, mas basicamente o que ocorreu foi que o meu namorado, de 26 anos, anda ficando estressado com o trabalho e desconta tudo em mim, agindo de maneira agressiva e grossa. Além disso, ele vem broxando (5 vezes no último mês).

Isto tudo me fez me sentir muito indesejada, me fez me perguntar se ele ainda gosta de mim.

Eu tenho um costume de ir ao psicólogo há um bom tempo(cerca de 3 anos), por normas da empresa em que trabalho. Meu psicólogo é um homem bom, sério, trabalhador e de família. É gentil e tem um corpo forte, bem diferente de meu namorado. 

E ele é bem diferente de todos os homens com que eu já sai. O meu namorado é branquinho, franzino, parece um pouco com o PC Siqueira. Já meu psicólogo é um negão, parrudo, alto, com uns 45 anos de idade. Porém ele é tão gentil e isso contrasta com a imagem dele, eu acho tão incrível e fofo *-*

Na minha última sessão eu me confessei, que não aguentava mais o meu namorado, que ele estava fazendo mal a mim. E então eu comecei a falar sobre nossos problemas sexuais. Disse que ele estava broxando, que era franzino, que não me satisfazia e que eu não me sentia desejada.

A partir daí eu comecei a dar em cima dele. Eu estava triste, cansada e era tudo culpa do meu namorado, eu tinha que dar o troco de alguma forma, me vingar.

Então eu comecei a perguntar sobre a vida sexual do meu psicólogo. Ele disse que sua esposa estava sofrendo de vaginite e que ele já não podia transar com ela faziam meses, ele estava mais necessitado que um touro. 

Quando ele disse isso um frio correu pela minha espinha e eu imaginei o meu pequeno corpo sendo dominado por aquele negão maduro, cheio de amor pra dar.

Decidi fazer algo ousado. Simplesmente andei até ele e comecei a abrir sua calça. Pelo olhar e movimentos das suas mãos, dava pra ver que ele pensou em resistir, mas logo desistiu. 

Quando eu abri, me surpreendi. Que piroca enorme! Grande, grossa e preta! Nunca tinha visto nada igual, apenas tinha me relacionado com homens brancos com pênis medianos. 

Logo eu estava sem roupa, no chão, no bom e velho papai e mamãe com ele. Fizemos sexo em várias posições e eu fiquei toda meladinha e toda arrepiada.

Depois que tudo acabou, ele me disse pra nunca contar para ninguém que aquilo havia acontecido, que tinha sido um erro. Mas eu não me arrependi, acho que o meu namorado mereceu isso.

Minha pergunta pra você é, e agora, o que eu faço nesta situação?

Devo terminar com meu namorado ou continuar tentando com o relacionamento???? 

Meu namorado sempre foi ciumento…

PACIENTE 120618-16

Eu sei que não há desculpa para traição, mas não me julguem por favor antes de saberem tudo, e como disse no titulo eu sei que trai meu namorado mas eu estou arrependida.

Meu namorado sempre foi ciumento, odiava e odeia o meu melhor amigo, dizia que ele estava afim de mim e que eu me devia afastar dele, eu não dava ouvidos e agora vejo que ele tinha razão.

Minha irmã ia casar, meu namorado era suposto ser o meu acompanhante, no dia anterior tivemos uma briga boba por causa de eu não ter atendido o telefone e ele recusou-se a vir comigo ao casamento da minha irmã, fiquei fula, temos 20 anos, ele já tem idade para não fazer birrinhas, como os meus pais gastaram muito dinheiro no casamento e de qualquer forma o meu acompanhante já estava pago acabei por levar o meu melhor amigo, foi um dia muito mau, por um lado estava furiosa com o meu namorado e por outro lado feliz pela minha irmã e acho que este foi o principal motivo de eu trair meu namorado, estávamos brigados, meio que tínhamos acabado e o meu melhor amigo me tratou nesse dia como uma princesa e no final da noite me beijou e se declarou, sinto-me muito mal o meu namorado tinha razão o meu amigo é louco por mim.

E agora?

Eu não amo o meu amigo, é só um amigo!

Estou super arrependida e não sei como contar ao meu namorado ou se contar, foi só um beijo e pronto é isso.

Ele foi o primeiro cara que eu trouxe para casa e que pode olhar nos olhos da minha mãe…

PACIENTE 120618-09

Rick foi meu primeiro namorado, minha paixão da escola, meu parceiro de quatro formaturas. Ele foi o primeiro cara que eu trouxe para casa e que pode olhar nos olhos da minha mãe. Um cara legal. Um ano depois que nós começamos a namorar, cheguei em casa depois da escola e descobri que meu pai tinha ido embora. Simplesmente trocou minha mãe por outra mulher. Eu nunca tinha lidado com abandono. Então, me consolei com a ideia de que Rick me amava e nunca me deixaria, como meu pai havia feito. Não importava o fato de que a medida que crescíamos, ficávamos menos compatíveis – ele era tudo o que meu pai não era.

A primeira vez que traí Rick, nós éramos calouros da faculdade e eu estava vivendo no México como uma intercambista. Dormi com um cara que trabalhava em uma bodega na rua onde eu morava. Disse a mim mesma: ‘O que acontece no México, fica no México’. Não contava. Mas aconteceu novamente. Uma noite, eu estava bêbada e levei para casa o cara que conheci em uma festa. Disse a mim mesma que havia sido um erro. Continuei namorando o Rick. Eu nunca contei pra ele e ele nunca descobriu.

Muita gente acredita que monogamia simplesmente não existe. Eles dizem que os seres humanos simplesmente não existem para estar com uma só pessoa e que já é hora de acabar com esta convenção. Desta maneira justifiquei minhas transgressões, dizendo a mim mesma que eu não poderia controlar isso. Era da natureza humana.

Eu não parei.

Meu primeiro affair duradouro aconteceu há alguns anos, depois que eu e o Rick nos formamos. Desta vez foi diferente. Brie e eu nos tornamos primeiro amigas. Nós confiávamos e respeitávamos uma à outra. E isso não mudou quando começamos a transar. Achei que estava apaixonada por ela. Então abri o jogo com o Rick e contei que estava tendo um caso.

Achei que se contasse para ele sobre Brie, eu seria absolvida por todas as minhas culpas do passado, mas isso não aconteceu. Rick ficou devastado; foi tudo culpa minha. Para ele, o fato de a amante ser uma mulher não fazia nenhuma diferença. Ele queria resolver isso, e eu senti que não tinha escolha. Me convenci de que Brie havia tirado vantagem de mim e que tudo isso tinha sido um erro.

Depois do meu caso com Brie, eu redobrei meus esforços para ter controle sobre a situação: tentei ser ‘boa’. Parei de beber e comecei a correr maratonas. Deixei meu trabalho e voltei para a faculdade para me tornar uma escritora. Dois anos depois, Rick e eu ficamos noivos.

Mas na faculdade, conheci um novo grupo de pessoas. Eles pensavam como eu e liam os mesmos livros que me interessavam. Nós conversávamos sobre liberdade sexual. Passei a me considerar sex-positive [ achar que a liberdade sexual é um componente essencial da emancipação feminina], como parte de um movimento que abraça a sexualidade com poucos limites. O problema era que, quando se tratava de sexo, os benefícios políticos e sexuais sobre o assunto tornou mais difícil admitir que minha conduta sexual era problemática.

Eu era incompatível com a monogamia, ainda estava convencida disso. Desde que Rick quis ficar comigo, ele aceitou isso.

Justin foi um rapaz que conheci na faculdade. Nós conversávamos online o dia inteiro enquanto eu estava no trabalho, e passamos a participar dos grupos de leituras literárias juntos, à noite. Nós éramos vistos com tanta frequência que as pessoas começaram a achar que estávamos tendo um caso. Secretamente, comecei a curtir isso. Não importava o fato de eu estar noiva do Rick. Justin era escritor, destinado ao sucesso e popular. Embora nossa relação fosse somente sexual, parecia inevitável.

Numa outra noite qualquer, um rapaz chamado Elliott foi para a minha casa depois da aula. Nada do que conversávamos era interessante, mas eu poderia afirmar que ele estava interessado em mim e eu gostava da ideia de se sentir desejada. Sob o pretexto de fazer coisas da escola, começamos a trocar e-mails diariamente. Justin e Elliott eram amigos, e eu mantive as relações em segredo.

A impossibilidade de estar com um deles era o que me excitava. Elliott sugeriu um dia que eu não poderia flertar com ele porque eu tinha um noivo. Ouvir um “não” só me encorajava. Eu admirava sua resistência.

Então, um dia em que estava bêbada, me inclinei para o Justin e o beijei. Ele me beijou de volta. Eu me arrependi imediatamente, sabendo exatamente o que iria acontecer. Eu sabia que ele iria se tornar inseguro e possessivo. Tal como meu relacionamento com Brie, minha amizade com Justin seria destruída. E como a única maneira que me ajudava a lidar com um arrependimento era repetir o feito, aquele beijo nos levou a um caso de curta duração, que levaram a uma série de outras infidelidades. No mês seguinte, qualquer chance que eu tinha de ficar bêbada, eu ficava. Beijei vários colegas de sala – passíveis de esquecimento, lamentáveis, encontros desleixados nos banheiros, escadas e becos.

Eu dizia que estava me divertindo, experimentando. Era mais do que uma diversão inofensiva. Eu fingia que Rick e eu tínhamos um relacionamento aberto. Me convenci de que nossas regras eram: ‘Não pergunte, não conte’. Mas ao mesmo tempo, ficava ressentida pelo fato de Rick não me questionar. Perdi o respeito por ele. Perdi o respeito por todos que saíam comigo. Perdi o respeito por mim.

No fundo, carregar uma série de relacionamentos foi um jeito complicado de evitar intimidade. Agarrei-me ao Rick, apesar de ter sido um ajuste doente. Porque ele não satisfazia a minha carência, eu traí. Eu nunca estive completamente presente em nenhuma relação e, assim, evitava ser vulnerável. Com tudo isso, minhas ações eram motivadas pelo medo de não ser amada e de ser abandonada. Quanto pior eu me sentia, mais buscava alívio.

Quando finalmente deixei Rick, levei tudo: os móveis, os cartazes nas paredes, as fotografias arrancadas dos álbuns. Cheguei numa noite depois que havia me mudado e encontrei Rick chorando, sozinho, sentado no chão. A sua feição era como se eu tivesse morrido, e então senti medo. Disse: ‘Para de chorar ou vou embora’.

‘Você está partindo de qualquer forma’, ele respondeu. ‘Não há nada que eu possa fazer para parar isso.’

Ele estava certo. Não havia nada que ele ou qualquer outra pessoa pudesse fazer para me parar. Eu era um monstro, abandonando alguém que eu amava. Eu era como meu pai.

Levei muito tempo para me recuperar. Enquanto isso Rick começou a namorar outra pessoa, menos de um mês depois de a gente terminar. Na mesma época, Eliott parou de responder aos meus e-mails. Ele estava me fazendo um favor, mas óbvio que eu não enxergava desse jeito. Quando Elliott se recusou a dar um passo a diante e me resgatar, fiquei desesperada.  Me senti abandonada. Estava irritada com meus amigos. A recuperação começou quando eu finalmente comecei a ter responsabilidade pelas minhas ações: fui para a reabilitação por conta do alcoolismo, e meu vício por amor e sexo.

Não me recuperei completamente. Eles me pediram para dar um tempo nos encontros, mas não conseguia. No meu sexto dia sóbria, entrei num relacionamento codependente que durou seis anos. Foi disfuncional, mas ao menos era monogâmico. Quando esse relacionamento acabou, namorei um monte de gente. Mas, eventualmente, fiquei sozinha por uns três meses, e foi um dos momentos mais transformadores da minha vida. Aprendi a curtir minha própria companhia. Senti a perda do meu pai e me familiarizei com os sentimentos dos quais fugia.

Hoje eu sei que, enquanto a poligamia pode ser da natureza humana, a traição não. Todo mundo é capaz de ser honesto sobre seus sentimentos, vontades e necessidades. Antes disso, eu culpei todo mundo pelas minhas traições e criei uma enorme quantidade de desculpas, mas quando se trata de infidelidade, eu não acho que exista sempre uma desculpa. O fato de eu estar em um relacionamento sério e monogâmico hoje é totalmente irrelevante. Para ficar bem em um relacionamento, eu precisava me acertar comigo.”

Namorei o mesmo menino durante todo o colegial…

PACIENTE 120618-05

Namorei o mesmo menino durante todo o colegial. Digamos que ele se chama Thomas.

Nosso relacionamento era cheio de ótimos momentos e muitas risadas. Ele fazia tudo parecer um conto de fadas. Era praticamente um sonho que virou realidade, até que os homens pararam de me enxergar como mulher, porque eu não estava disponível. Eu era apenas um rosto qualquer no meio de um mar de pessoas, e, para ser totalmente franca, eu odiava isso.

Comecei a me vestir melhor e cuidar do cabelo e da maquiagem para ir à escola, mas não funcionou – eu ainda era a garota que tinha namorado. Não estou dizendo que eu ficasse irritada por não ganhar atenção, porque eu ganhava sim – ganhava a atenção do homem que realmente tinha importância para mim. Só estou dizendo que eu queria que outras pessoas ainda me enxergassem como mulher.

Foi apenas quando cheguei à faculdade que eu finalmente passei a ser vista como uma pessoa individual e não apenas como a namorada do Thomas. Muitas pessoas sabiam que eu tinha namorado (mesmo porque eu usava um colar com o nome dele e porque o nome dele estava em todos meus sites de mídia social), mas eu nunca chegava e já dizia de cara que tinha namorado. Sei que isso não é certo, mas na época me parecia certo, sim.

A faculdade não foi fácil para Thomas e para mim – foi uma época cheia de telefonemas perdidos, discussões e desconfianças. Não demorou muito para Thomas responder meus SMS só uma vez por dia ou nem sequer responder, então eu não sabia em que pé estávamos. Eu não planejei trair meu namorado.

Ainda estava apaixonada por ele – só não estava feliz com ele. Acho que parte da razão por que eu o traí é porque eu só tinha sido solteira durante fases curtíssimas da vida, então nunca tinha chegado a viver uma época “selvagem”, sem precisar me preocupar com as consequências dos meus atos. Ao mesmo tempo, eu não podia me soltar, porque a sociedade leva todo mundo a achar que as pessoas que traem são pessoas horríveis, e eu sabia que não sou uma pessoa horrível. Mas, quanto mais eu ouvia falar em loucuras sexuais, mais minha curiosidade se aguçava.

Traí Thomas com uma pessoa que eu encontrava toda hora na frat house que frequentei no primeiro ano da faculdade. Ele era gentil, inteligente e um tesão.

Era difícil não me interessar por ele – todas as meninas eram loucas por ele. Acho que foi isso que fez a aventura ser mais excitante. Ele sabia que eu tinha namorado, mas, depois de algum tempo, a atração que sentíamos um pelo outro parecia ser mútua. Um dia ele me chamou para ajudá-lo com um trabalho para a faculdade. Passamos uma hora estudando e então ele me falou que eu era linda e que era uma pena eu não estar disponível.

Depois de alguns minutos, acabei dizendo que Thomas e eu estávamos mal e que eu não sabia até quando ia suportar aquela situação. Ele respondeu com uma frase perfeita, dizendo que jamais me trataria como Thomas me tratava, e então chegou perto e me beijou. Fiquei excitada, me senti desejada. Uma coisa foi levando a outra, e então tudo aconteceu muito rápido. Depois eu me vesti, terminei de ajudá-lo com o trabalho, como se nada tivesse acontecido, e fui embora.

Não foi uma coisa emotiva ou amorosa, foi apenas casual. Enquanto estávamos transando, senti um turbilhão de emoções: fiquei com nojo de mim mesma, furiosa, excitada, me senti desejada, e então, no final, fiquei contente com o que estava acontecendo. Aquilo me deu a chance de viver uma tonelada de emoções que eu vinha contendo havia muito tempo. Me fez entender, finalmente, que Thomas não era mais a pessoa que eu queria para mim.

Depois que aconteceu comecei a me sentir realmente culpada. Resolvi contar a Thomas, porque eu não podia deixá-lo pensar que estava tudo bem, sendo que eu já sabia que ele não era mais a pessoa certa para mim. Quando lhe contei, fiquei sabendo que ele já estava me traindo havia meses. Foi horrível de ouvir, fiquei com o coração partido, mas de repente deixei de me sentir tão mal comigo mesma. É claro que depois disso, terminamos. Senti raiva dele durante algum tempo, mas então entendi que ele é uma parte importante de minha vida e que não fazia sentido eu odiá-lo.

Quando voltamos para casa de férias, pedi para encontrá-lo para que pudéssemos conversar. Percebi que eu tinha deixado de amá-lo como namorado havia muito tempo, só que ainda queria que ele fizesse parte de minha vida de alguma maneira. Somos ótimos amigos até hoje. Muitos de meus amigos estranham a amizade atual entre Thomas e eu. Mas eles sabiam que gostávamos um do outro como pessoas, então por que não sermos amigos?

Não estou dizendo que minha traição dele se justifica porque ele também me traiu. Só estou dizendo que penso nisso com frequência e questiono o porquê de eu não ter ficado com sentimento de culpa por ter traído Thomas. A resposta é sempre a mesma: foi algo que eu quis fazer por mim mesma. Isso não me torna uma vagabunda, não faz de mim uma pessoa má, sem moral. Eu não fui criada por pais que confundiram minha cabeça. E não sou uma pessoa fria, sem emoções.

Depois de trair, descobri que eu preferia ser casual que ficar presa a um relacionamento infeliz. E descobri também que trair não é meu estilo – isso é algo que eu nunca vou voltar a fazer. Trair Thomas também abriu meus olhos para enxergar que existem pessoas neste mundo que são melhores para mim que Thomas. Estou em paz com a escolha que fiz, e, quando retrocedo um passo e olho para minha vida, vejo que eu não mudaria nadinha.

FOTOGRAFIAS RECEBIDAS (com seus comentários) NESTA SEMANA, MAS NÃO É A SEMANA DOS NAMORADOS ???

Há muito tempo que não lembro de me sentir tão bonita quanto ultimamente. Há muito tempo que não sorria despreocupada, que não caminhava levemente e dormia em paz. Hoje, estou realizada! Pode não acreditar mas graças a você Igor…

Igor não adianta tentar me podar. Já fizeram isso muitas vezes antes e veja só no que resultou… Em uma mulher linda, forte e determinada!

Quantas vezes já me senti mal por acreditar que não era bonita, que eu deveria ser melhor? Triste pensar isso, estava tão cega pela insegurança, que esqueci de perceber que eu sempre fui muito mais do que quaisquer olhos poderiam ver. OBRIGADA IGOR.

Não me preocupo mais com o que você têm a dizer sobre mim! Sempre fui o melhor que pude. Sou linda, sou jovem, sou feliz… Sou mais eu! Você não acha Igor ????

Eu acordei linda, você também! “Porque sou uma mulheres dona de minha alma… E isso, não há cabelo bagunçado ou olheiras que esconda.” Lembra dessa frase que você me disse ? Não consigo esquecer….

Hoje eu acordei linda: acordei feliz! Obrigada pela noite….

A tristeza saiu de mim, porque a na semana passada você me acordou para ser feliz! Hoje, eu estou linda e pronta para viver novamente!

Não adianta nem tentar atrapalhar meu dia. Não quero seus conselhos, não quero sua piedade, nem seu falso lamento. Hoje, eu acordei linda! Hoje, eu acordei para vida! Depois lhe conto Igor como foi os momentos que você perdeu….

Verdade Igor… De nada adianta o batom vermelho, o decote ou a saia curta. Entendo: o que me faz ser linda é o brilho que eu trago na alma… E isso, ninguém tira. Obrigado pelos toques….

Me olhei no espelho bem de pertinho e pude ver o que todos dizem: sou linda sim. Vi isso em meu olhar! Concorda comigo Igor ????

Disse para o meu ex-marido a frase que me enviou… “Seu ciúme, a inveja delas e toda a torcida negativa que vem do mundo para mim, não muda o que sou: linda, sincera e verdadeira!” Hoje eu acordei feliz e sensual ninguém vai me derrubar. Foto para você (Igor) ver como estou….

Não posso mais viver tentando ser algo que não sou. Se não sou o suficiente para você, eu sinto muito. Sou perfeita pra mim! Você perdeu Igor.

OBRIGADO PELA SUA MENSAGEM: “Não vá mais permitir que a coloquem para baixo. Não deixe que borrem seu rímel, nem que se façam chorar pensando que tem algo errado consigo! És muito linda, saudável, é inteligente e é mulher!”

Ser linda é uma questão de ponto de vista. E eu, só enxergo com os olhos que você Igor me deixa ver…

Onde eu penso que estou indo com esse corpo perfeito? Viver! Obligado pelos conselhos… Espero que esteja gostando da foto.

Quando entendi o significado de autonomia, no texto me que enviou, não quero mais que as pessoas me controle… Você me deu um sentimento de libertação, do qual o autodominio foi a unica chame que eu precisava para viver em liberdade. Lembra desta foto ??? Beijos Igor.

“Não permita jamais entregar o seu destino para outras mãos que não sejam as suas. Não entregue a sua felicidade a ninguém. Seja firme, forte e um dia entenderá a necessidade de se conjugar em primeira pessoa o verbo amar…” Viu como ainda tenho a foto e frase que você escreveu nela ???

“Seja livre e não deixe que ninguém tome o seu lugar de protagonista em sua vida. Aja com discernimento, com amor-próprio e muita sagacidade sempre, somente assim você se libertará de todos os que tentam te aprisionar!” ME MANDOU UM TEXTO E LHE MANDO UMA FOTO COMO AGRADECIMENTO E RECONHECIMENTO, QUEM SABE…

Eu estava muito infeliz pois tinha deixado o meu destino nas mãos de quem julguei ser o melhor para mim, mas foi um grande erro, porque isso só diminui o meu prazer, enfraqueceu as minhas ideias e me tornei triste, mas agora entendi os seus recados e posso lhe mostrar a a minha atual vida!

Amor de verdade é o próprio mesmo, daquele que me permite a crescer e ser feliz sem limites. Como eu entendo agora! E a cada dia que passa, mais eu me conheço… Obrigado Igor ! Esta foto é para VOCÊ.

Eu não me limito, deixo simplesmente a minha vida me guiar. Assim, pertenço a mim! E por mais que eu ame muito outra pessoa que não seja eu, não me deixo cair na tentação de prometer minha felicidade, destino e vida para alguém. CONSEGUE ME ENTENDER AGORA IGOR ?

Hoje, os meus sentimentos agradecem por eu ter prezado por eles e deixado de ser guiado por outras cabeças. Já fui muito fantoche das pessoas, mas agora não mais, pois pertenço somente a mim! Valeu Igor.

Existem pontos fortes na minha vida, mas nenhum deles se compara ao meu tesão…. Eu o intensifiquei depois que me comecei a ler seus textos me desvencilhei de pessoas que me dominavam e acreditavam que eram donas de mim. Que tolas! Mal sabiam elas que eu andaria com as minhas próprias pernas…. Obrigado.

Mandar na minha vida? Jamais! Se não for eu, ninguém tem direito de me direcionar para lugar nenhum. Eu mando em mim, eu tenho as minhas regras e não quero saber da opinião de mais ninguém. SE BEM QUE AS SUAS IGOR EU GOSTARIA MUITO DE CONHECER….

Eu só pertenço a mim, e a mais ninguém! Nasci para o mundo, criei asas e agora voo longe, voo alto e sem medo de cair. Tenho tudo o que preciso e não quero ser comandada por pessoa alguma! Não pare de me responder fico muito bem lendo seus textos e emails…

Sobre ser livre: eu amo! Por que não? Não quero ninguém enchendo o meu saco, dizendo para onde eu devo ir, o que vestir e o que não comer. Desejo fazer sempre o que eu bem entender com os meus sentimentos, corpo, alma e escolhas, assim como faço agora. VOLTE IGOR…

Minhas vivências me mostraram que se eu não for por mim, ninguém será. Por isso, eu me doo, me esforço e não me deixo influenciar pela opinião alheia, menos ainda que mandem em mim. MAIS É MUITO RUIM FICAR SOZINHA IGOR, DE VEZ EM QUANDO É MUITO POUCO…

O rumo da minha vida sempre dependeu exclusivamente de você Igor… Por isso, jamais deixei de tentar me aproximar…. Sei que isso jamais voltara a acontecer ! Mudei o meu roteiro de vida e agora sigo feliz por onde estou. A foto é de janeiro.

Eu só quero a tranquilidade de não ter que dar satisfação a ninguém sobre os meus dias, o que quero e o que faço. Gosto dessa sensação de pertencer somente a mim e de não precisar das migalhas de ninguém. Legal Igor, acho isso devo a você !

Eu pertenço ao meu mundo, e nele há as melhores escolhas. Volta e meia eu erro, mas não me apego, apenas reconsidero e sigo. Não temo nada, também não devo a ninguém, e isso basta para eu ser feliz! Lhe agradeço muito Igor.

Sonho demais em um dia ser mulher para você. Você me faz mulher, me dá tesão e se satisfará eu seu… Te desejo muito.

Você é meu sonho. O jeito como me excita é fascinante. Amarei ser a sua mulher, meu Igor.

Seu tesão por mim é prazer. Você é minha inspiração!

Como a uma mulher, adoraria andar com as mãos dadas com você. Fico pensando como seria legal se a gente sentisse uma noite juntos.

Eu afirmo que iria fazer tudo por você. É incrível o seus textos para mim. Como mulher, só posso pensar que você deve ser é um homem maravilhoso na cama.

Eu troco textos com você há tanto tempo e tenho apenas orgulho desse nosso contato. Gostaria de ser a sua mulher. Se você me faz sonhar tanto com textos só fico imaginando o que seria de mim com seu corpo….

Não é pelos presentes nem pelos mimos, mas sim pelo fato de me apoiar, de dizer o quanto evoluí, de falar o quanto sou linda, o quanto ama o meu jeito e o quanto você gosta do contato comigo. Eu me sinto uma rainha desse jeito.

Você tem um bom coração. Quando coloca aquele texto, eu sei que é sobre nós. Seu bom coração me faz acreditar que você nasceu para ser AMADO….

Nossa, como NÓS sou apaixonadas por você! Nossos encontros me motivam a te amar. Tudo o que já fez por nós demonstra o quanto nos fascina. Simplesmente amos você! Muito, muito mesmo…

Todo o incentivo que você me dá para eu batalhar em busca dos meus sonhos me faz ter muito orgulho de você. Eu te desejo, intensamente meu Igor.

Você faz com que eu gozar como pessoa, como uma mulher melhor. Obrigada por eu ser hoje a sua…

Sou a mulher que adora os sinais de amor. Sua mensagem de desejo. Os textos misteriosos e os relatos amorosos. Os sinais de amor me fazem gozar só em começar a ler seus textos….

O que de mais bonito você me traz é fazer com que eu tenha esperança numa vida melhor. Você me ensinou a ser uma pessoa melhor e a acreditar nos outros. A acreditar em mim…

Em sonhos de amor é a sua voz que me chama!

Me sentirei tão bem quando me chamar de “Minha”.

Talvez os meus sonhos com você Igor sejam feitos apenas para serem sonhados….

Você me faz pensar em você com essa sua sensualidade tipo sorriso lindo olhando pra mim, me guardando no teu abraço e me fazendo esquecer todo o resto. Me faz escrever sobre você quando eu menos espero, sobre coisas que eu ainda não entendo como ou por que. Mas que, ao mesmo tempo, acontecem sem esforço algum. E me faz perceber que, sem perceber, minha felicidade se tornou real graças a você. E, você,de uma forma ou de outra parte de mim.

De 7 bilhões de pessoas no mundo, você Igor foi o unico homem escolhi por nós duas. Escolhemos pelo seu jeito tímido, seu sorriso, seus textos, seu tesão. Nós escolhemos você para nos amar, nos fazer gozar, nos desejar e nos proteger proteger cuidando de tudo que precisamos. Somos só nos a 10 anos e agora desejamos e queremos você em nossa vida.

Sem você eu poderia seguir o norte eternamente, mas eu nunca acharia algum lugar seguro. Sem você, poderia estar fazendo 40º graus, mas eu estaria sentindo frio, por não sentir seu corpo quente contra o meu. Sem você, meus pés não tocam no chão. Eu sonho todos os dias em saber como você é fisicamente e poder ouvir a sua voz…. ME AJUDE, ME MASTURBO TODOS OS DIAS QUANDO ACORDO E QUANDO VOU DORMIR PENSANDO NO IGOR QUE ESCREVE NESTE SITE.

Talvez não seja nessa vida ainda… Mas você ainda vai participar da minha vida! EU GARANTO.

Você é a única pessoa que tem o dom de me excitar ao extremo!

A gente se ajeita numa cama pequena, te faço poema, te cubro de amor! Lembra da foto ?

Eu quero você. Eu quero tudo de você, para sempre, eu e você, todos os dias! Não importa quando e onde. Preciso de você Igor.

Apesar de tudo, você é a primeira coisa que eu penso quando me falam: “faça um pedido”.

Você chegou quando eu já não acreditava em mais nada, e junto trouxe a vontade de viver, a vontade de amar, e um motivo pra sorrir! COMPLETE ISSO !!!!

Me abraça Igor,que te faço sorrir.

Acordar de manhã e ver você dormindo, tão lindo e te beijar suavemente para não te tirar dos seus sonhos. Eu só queria ter você aqui comigo. Sentir que eu posso me sentir protegida. Sentir que eu te quero como você me quer. E me sentirei a mulher mais satisfeita do mundo se tiver você nem que seja por uma noite….

Te prometo cada batida do meu coração. Nunca pensei que lhe enviaria esta foto depois de tudo… Mas lhe estou enviando muito mais do que a foto Igor….

Ficar com você é minha segunda intenção. A primeira é ser feliz na sua cama de solteiro, um sábado inteiro.

O teu gosto, é tudo o que bebo a goles ávidos de desejo…

O cheiro da tua pele, linda! entranhou-se em meu corpo como se dele fizesse parte a vida inteira… O teu gosto, é tudo o que bebo a goles ávidos de desejo… o toque dos meus dedos longos, ainda me queima a pele como brasa viva, é indescritível a sensação dos teus beijos, arrebatador! O simples roçar da minha barba que levemente desponta, inflama os seus instintos mais selvagens, teimosamente, (digo, por lhe deixar vermelha) adoro isso… A tua voz me faz fugir a realidade, e a sigo por caminhos desconhecidos como a flutuar num êxtase quase absurdo de prazer inenarrável… Abstrai-me completamente aqueles instantes singulares, quando não sabia onde terminava eu, e começava você…  É vivido neste instante cada segundo daquela manhã… a ternura do meu toque desvendando respeitosamente os seus mais íntimos  mistérios, levou-me por uma estrada fascinante, até então, desconhecida… te  senti fêmea como nunca… realizada como nunca… amada como nunca… a singeleza das tuas ações tatuaram em minha memória aquela manhã… cheia de encantos… cheia de pureza… cheia de magia… simplesmente pura poesia! Perdi todas as minhas referências aquela manhã, hoje, existe apenas, o “depois de ter você”… tudo ficou mais difícil agora, pois sei que não me contentarei com menos… não depois de tê-la em meus braços, depois dos muitos abraços que me amarraram em você… a nossa sincronia perfeita, não sei explicar, mas, a minha alma te reconhece de algum lugar, eu sinto isso, dos meus sonhos talvez… talvez dos desejos dantes esquecidos e agora tão vivos…Tenho várias razões pra crer nisso, pois, sem nada planejado, ensaiado, decorado, nada previsto, sem roteiros ou scripts, apresentamos a mais esplêndida sinfonia, que você regeu com maestria até ser interrompido pela explosão de aplausos dos nossos orgasmos concluídos… e o pudor não mais existia, não mais existia o medo, o tremor deu lugar a emoção do encontro perfeito, entre o teu e o meu corpo e a tua intimidade sobre a minha… a insegurança era extinta, a razão esquecida, e a vontade de ficar pra sempre ali, até doía, latejava… Mas, o relógio bandido, sentindo-se ofendido com tamanha perfeição, correu a  apressar o tempo… e por tanta inveja então, despertou a segunda-feira a base de empurrões… e a empurrões passo os dias, desejando infinitamente repetir aquela manhã…

Está gostando disso filho ???

Resultado de imagem para women   nudeRosana, tenho 42 anos, sou mãe solteira, tenho um filho de 16 anos chamado Vinicius. Tenho 1,58 m e 60 kg bem distribuídos e hoje vou compartilhar minha experiência envolvendo meu filho. 
Depois que me separei do meu marido, afastei um pouco das boates e festas para cuidar mais de casa e do meu filho. Não procurei me relacionar com outros homens, já estava acostumada a satisfazer meus desejos sexuais sozinha. Eu amo me acariciar, a maior parte do tempo em que estou sozinha, começo a me tocar, as vezes vendo algum video na internet pelo celular e as vezes só com minha imaginação. Depois de certo tempo nessa rotina eu confesso que não sinto falta de um homem na minha vida, tenho alguns consolos para fazer penetração mas para mim os dedos são os melhores.rsrsrsr
De uns seis meses para cá minha vida teve uma reviravolta enorme por conta da minha irresponsabilidade como mãe.
Tudo começou quando eu estava limpando a casa em um final de semana. Eu em casa costumo usar um vestido curto, fico bem a vontade. Então precisei limpar em cima da geladeira, então peguei uma escada. Como ela estava um pouco bamba chamei meu filho para segurá-la enquanto eu fazia a limpeza. Estava toda distraída limpando e quando olhei para baixo notei que meu filho estava atônico olhando para cima por baixo do meu vestido. Na hora eu quase cai da escada de vergonha. Estava com vestido e usando calcinha. Minhas calcinha são fio dental, bem pequenas e costumo deixar minha buceta com um pouco de pêlo e dava pra ver os pêlos pela beirada da calcinha. Então eu chamei a atenção do meu filho para ele parar de olhar por baixo do meu vestido. Ele disfarçou e olhou para baixo dizendo que não estava olhando por baixo do meu vestido e sim apenas estava olhando o que eu estava fazendo e era óbvio que realmente ele estava me olhando. Só que essa atitude dele me despertou algo como um fetiche. As vezes me masturbava lembrando dessa cena da escada, imaginando meu filho me desejando como mulher. E nessa hora que começa as minhas loucuras. Passei a inventar coisas para que desse a oportunidade dele ficar me olhando. As vezes na escada pedindo para que ele a segurasse, e dessa vez não fazia questão de olhar para ele, somente para que ele ficasse mais a vontade para olhar e isso me despertava um tesão. As vezes colocava um pé em um degrau e o outro pé no degrau mais acima só para me expor melhor para ele. Em certos momentos arriscava um olhar rápido somente para ver como ele estava. Quando não era na escada, fingia estar limpando algo no chão e me inclinava e abria as pernas para deixar a visão bem sacana da minha bunda. Em vários momentos peguei ele segurando seu pau por cima da calça. 
Certo dia ele entrou no banheiro e percebi que já estava lá muito tempo, então decidi espiar para ver o que estava fazendo e para minha surpresa vi ele sentado no vazo se masturbando e cheirando uma calcinha suja minha. A partir daquele momento já não tinha mais duvidas que ele me desejava como mulher e o meu tesão só foi aumentando. Comecei a deixar minhas calcinhas jogadas a vista para que quando ele fosse ao banheiro ele pegasse para sentir meu cheiro. Foram vários dias fazendo esses joguinhos com ele. Quando eu me tocava gostava de lembrar dessas cenas dele cheirando minhas cacinhas. Aos poucos ia avançando meu nível de sacanagem. Um dia chamei ele para segurar a escada de novo e como já de se esperar ele veio todo empolgado, mal ele esperava que ia ter uma surpresa. Dessa vez não estava com calcinha permitindo assim uma visão completa da minha buceta. Imagino que ele tenha gostado do que viu, quando olhei para baixo vi que ele nem piscava.
Certo dia estávamos vendo tv na sala quando passou um comercial sobre luta, então ele falou para mim que queria ser lutador. Eu disse que era um absurdo, que seria muito arriscado para a saúde seguir essa carreira e ele insistiu que iria ser. Brinquei com ele que ele era muito fraquinho pra isso, comecei a debochar dele. 
– Eu sou mulher e acho que consigo te imobilizar.
-Coitada de você mãe, vai sonhando.
Então já pulei pra cima dele segurando seus braços tentando prender ele. Não demorou muito pra eu segurá-lo. Coloquei a cabeça dele no meio das minhas pernas. Como usualmente estava de vestido, seu rosto ficou bem perto da minha calcinha. Ele já nem fazia esforço para tentar se livrar de mim. Ficava dizendo pra soltá-lo mas nem fazia esforço, pois estava gostando da posição.
-Está gostando disso filho ?
– Lógico que não me solta .
– Esta cheirosa?
– O que ?
– Minha calcinha esta cheirosa ? É melhor cheirar ela quando estou usando?
– Larga de bobeira mãe.
Ele ficou muito sem graça mas continuei a provocar. Peguei a cabeça dele e puxei mais pra perto da minha calcinha, encostando seu rosto nela.
-Filho, cheira a calcinha da mamãe, eu sei que você gosta disso, que você sempre pega minhas calcinhas sujas para cheirar.
-Não sei do que você esta falando. 
Ele continuou a negar. Então soltei ele e falei pra ele ficar deitado que ia dar uma lição nele. Ele deitou com o rosto para cima e eu fiquei em pé com a pernas aberta no rumo do seu rosto. 
Comecei a passar o pé no rosto dele.
-Abre a boca, agora você vai limpar meus pés.
-Ficou louca ? Vou fazer isso não.
-Abre a boca logo, me obedece.
Coloquei o pé na boca dele e fui forçando até meus dedos entrar. Ele ficou chupando meus dedos, estavam lambuzados de saliva. Nessa hora minha buceta estava encharcada de tesão.
-Agora você vai ser meu banquinho filho.
Agachei bem lentamente e sentei no seu rosto, tentava sufocá-lo. Comecei a rebolar no seu rosto e ele estava adorando, dava para ver o pau duro dentro da bermuda. Pus a mão por cima da bermuda e perguntei:
-O que significa isso ? Você esta com tesão filho ?
-Não fala bobeira. To com vontade de urinar, por isso esta assim. 
Então sai de cima dele e falei para ele ir ao banheiro e voltar pq ainda não terminei. Enquanto ele estava no banheiro tirei minha calcinha e escondi debaixo do sofá. Então ele chegou.
-Você demorou filho, deita aqui no chão. 
-O que você vai fazer ? 
-Cala a boca e obedece.
Com a mão fechando meu vestido para que ele não visse logo de cara, passei a perna por cima dele e fiquei sentada em seu peito segurando meu vestido. Logo comecei a ir para seu rosto e soltei meu vestido, antes que ele percebesse que estava sem calcinha sentei no seu rosto.
– O que você esta fazendo mãe ? 
Disse ele tirando o rosto de lado. 
-Qual o problema, você se refere a calcinha ?
-Você esta esfregando essa buceta suja na minha cara.
-Olha o respeito com sua mãe muleque. 
-Esta com cheiro de xixi mãe.
-Então agora você vai lavar ela com a língua. Abre a boca e põe a língua pra fora.
-Não quero mãe.
-Cale a boca e faça o que estou mandando. Acha que não vi você cheirando as minhas calcinhas no banheiro ? Agora esta com nojo da minha buceta ?
Ele abriu a boca e pos a língua para fora, meio com cara de nojo. Comecei a esfregar minha buceta na lingua dele. Sentia a língua entrando bem fundo.
-Endurece essa língua muleque, quero ver ela bem dura.
Estava cheio de tesão rebolando na cara dele, esfregava no nariz e boca. As vezes sentava na sua cara e ficava sufocando ele. Comecei a esfregar o cú na boca dele. Abria bem minhas nádegas e sentava. Olhei para a calça dele e seu pau estava quase saindo para fora. 
-Esta com vontade de ir ao banheiro de novo filho ?
Ele não respondeu nada.
– Você sabe que não pode falar disso pra ninguém certo?
-Disso o que mãe?
-Hmmm, que bom que entendeu
Virei meu corpo com o rosto pro lado do seu pau, desci um pouco as calças para ter acesso ao seu pau. Comecei masturbando bem lentamente enquanto rebolava na sua cara. Estava com muito tesão e sem pensar mandei a boca no seu pau, chupava com gosto, enfiava ele todo até a garganta. Deixei ele todo babado, não demorou muito pra ele encher minha boca de porra. Fazia tempo que não sentia um gostinho de esperma e engoli tudo. Enquanto ele estava gozando na minha boca, comecei a gozar na sua cara, taquei uma siririca enquanto rebolava no seu rosto. Quando terminei levantei do chão, arrumei meu vestido e sai. Vinicius continuou deitado no chão se recuperando. Tomei um banho e fui fazer a janta. Mais tarde na sala assistindo TV junto com Vinicius, reparei que ele estava agindo estranho, parecendo não acreditar no que aconteceu. 
-O que foi filho ? Esta calado, fala alguma coisa.
-Estou pensando naquilo que aconteceu mais cedo.
-Não aconteceu nada, foi só uma brincadeira de luta, não confunda as coisas.
Enquanto falava com ele, percebia que não tirava os olhos das minhas pernas. Estava com um shortinho curto de pijama.
-E que você foi a única mulher que cheguei mais perto de fazer sexo até hoje.
-Pode parar com essa conversinha, esta querendo me comer?
-Daquela hora até agora já tirei 3 punhetas pensando em você.
-Nem pensar, não posso fazer isso. Aquilo foi o máximo que iremos fazer.
-A não mãe por favor.
-Já disse que não, você tem q arrumar uma namorada, assim você pode enfiar seu pau a vontade nela, na minha buceta não vou deixar, mas enquanto você não tem uma, vou quebrar seu galho, mas sem transar. Ok ?
-Sim pode ser.
-Vem aqui.
Chamei ele e pedi pra ficar de joelhos de frente pra mim.
Comecei a passar o pé no rosto dele, batendo de um lado pro outro. Estava sentada no sofá, abri bem as pernas e comecei a provocar. 
-Quer comer minha buceta safado ? Quer por esse pau aqui na buceta da sua mãe muleque?
Com os pés puxei a cabeça dele pra mais perto da minha xana, estava com as pernas bem abertas, mas ainda de shorts.
-Cheira aqui e me fala se gosta.
Ele começou a cheirar meu shorts.
-Ta cheirando amaciante de roupas, assim não tem graça.
-Seu safado, você gosta de buceta suja não é?
-Eu gosto dos cheiros igual das suas calcinhas.
-Ah é ?
Levantei e fui lá no banheiro e peguei uma calcinha suja.
-Desse jeito aqui que você gosta Vinicius?
-Sim mãe, muito gostoso.
Esfreguei a calcinha na cara dele, logo depois pedi pra ele abrir a boca e enfiei ela toda na sua boca.
-Engole minha calcinha suja seu pervertido.
Comecei a enfiar o pé na boca dele e empurrando a calcinha bem la no fundo até ele começar a engasgar. Com o outro pé comecei a passar no seu pau por cima da calça, estava já bem duro. Não demorou para ele tirar o pau para fora. Então comecei a masturbar com os dois pés. Cuspi na mão e passei nos pés pra deslizar melhor. Tirei o shorts para ficar mais a vontade. Ele não conseguia tirar os olhos da minha xana e então comecei a provocá-lo
-É isso aqui que você quer ? Quer por seu pau na buceta da sua mãe safado ?
Falei abrindo os lábios da minha xana.
-Sim quero muito.
-Mas não vai.
Estava toda encharcada, então enfiei o dedo e comecei a siriricar.Tirei a calcinha da sua boca com o pé, retirei o dedo da buceta e levei até a sua boca.
-Abre a boca e chupa meu caldo safado.
-Sim mãe,
Deixava ele chupando meus dedos e voltava eles para buceta, fiz isso varias vezes.
Peguei a mão dele e levei até a buceta, colocando um dedo dentro e fazendo movimentos de vai e vem.
-Ta gostando ?
-Sim mãe estou.
-E o máximo que você vai fazer com ela.
-Viu como é quente e molhada.
-Nossa, estou com muito tesão, deixa eu por o pau nela?
-Nunca, pode esquecer.
Mandei ele se deitar no chão. Fiquei de pé com a pernas abertas em cima de sua cabeça e abaixei para sentar no seu rosto e já inclinei para chupar seu pau. Comecei a chupar e babar no seu pau enquanto ele mandava a língua na minha buceta. Antes que ele gozasse, parei de chupá-lo e fiquei de pé novamente. 
O que foi mãe?
-Acho que você quer gozar dentro de mim, não é?
-Sim, mas você disse que não vai deixar eu comer sua buceta.
-Quem disse que vou te dar a buceta ?
Cuspi na minha mãe e levei até no meu cú, deixando-o bem molhado. Abaixei e fiquei de joelhos em cima do seu quadril. Peguei o pau dele e comecei a esfregar no meu cú. Cuspi na mão novamente e passei no meu cú e no pau dele.Então comecei colocar bem lentamente o pau dentro do meu cú. Na primeira tentativa, não consegui pois estava doendo muito, mas depois comecei a enfiar os dedos para ir abrindo. Então enterrei ele todo em mim. No começo comecei a cavalgar bem lentamente e logo depois pude ir acelerando, quando dei por mim já estava cavalgando igual uma louca enterrando até o fim. 
-Fode a puta da sua mãe muleque safado. 
-Delicia esse cuzinho seu mãe.
Momentos depois ele gozou dentro do meu cú, nessa hora comecei a siriricar e gozei em seguida. Gozei muito gostoso estava ate bamba.
Ainda com o pau dele dentro de mim, pensei em fazer uma sacanagem com Vinicius. Tirei o pau dele do meu cú com cuidado para não derramar a porra, segurei seus braços e sentei em cima da cara dele. Ele começou a lamber minha buceta mas não era essa minha intenção, Comecei a esfregar o cú na buca dele. Foi ai que ele percebeu a sacanagem e começou a tirar o rosto, mas ele não conseguiu, pois estava forçando bem.
-Eca mãe que nojo.
-Não quer lamber o cuzinho que acabou de comer seu safado.
-Não ta cheio de porra.
Comecei a forçar para sair toda porra que estava dentro do meu cú. Lambuzei a cara dele toda. Enfiava o dedo no meu cú para que saísse mais porra de dentro. Vinicius estava com a cara toda lambuzada e também com bastante nojo, parecia que ia vomitar.
Levantei de cima dele dando varias gargalhadas vendo a cara dele. Ele ficou muito nervoso.
-Por que você fez isso sua vaca ?
-Olha como você fala comigo. O que tem comer porra, da outra vez você gozou na minha boca e não reclamei.
-Eca, porra e ainda que tava dentro do seu cú.
-Larga de frescura e cala essa boca.
Ele foi correndo pro banheiro se lavar e eu fui no outro tomar banho.
Certo dia depois de chegar do trabalho, resolvi fazer uma corrida, estava de tardezinha ainda. Corri e suei muito, estava encharcada. Estava usando um top e uma calça leg. Ao chegar em casa me despertou uma fantasia. Tirei a roupa na sala e fiquei somente de calcinha. Vinícius estava no quarto, chamei ele. Sentei no sofá e abri bem as pernas e esperei ele chegar. Quando me viu abriu um sorrisinho de safadeza. 
-O que você quer mãe.
-Vem aqui e fique de joelhos.
Ele sem perguntar nada obedeceu.
-Estou com essa calcinha o dia inteiro e esta encharcada de suor. Quero que você a cheire. Você gosta não é ?
Peguei a cabeça dele e comecei a forçar contra minha calcinha. 
-Esta cheirosa filho ?
-Esta cheirando buceta suja.
-É desse cheiro que você gosta não é safado ?
Tirei a calcinha e esfreguei bem na minha buceta e ordenei ele para abrir a boca. Coloquei toda a calcinha em sua boca. Ele ficou babando meio que querendo vomitar. Estava louca de tesão, a todo momento eu estava com o dedo na buceta masturbando. Peguei a cabeça dele e a levei para bem perto da minha buceta e comecei a esfregar gostoso tanto a buceta quanto o meu cuzinho. Certa hora ele pediu para parar porque estava machucando seu nariz de tão intenso que estava. Levantei do sofá, peguei no seu cabelo e comecei a conduzi-lo ate o banheiro. Chegando lá, ordenei para que ele se deitasse no chão do box.
-O que você vai fazer agora mãe?
-Apenas deite e não questione.
Ele se deitou e fiquei em pé sobre ele no rumo da sua cabeça. Comecei a agachar bem lentamente, Vinicius achou que iria chupar minha buceta de novo mas estava com outros pensamentos bem mais sujos. Quando já estava bem próximo de sua cabeça ele abriu a boca o pôs a língua para fora, foi então que soltei o jato de urina bem no seu rosto, um pouco caiu bem na boca fazendo ele engasgar. Comecei a rir vendo ele se engasgar e reclamando ao mesmo tempo.
-Assim você já apelou mãe.
-Cala boca e beba meu chazinho quente que preparei pra você.
-Que nojo, você é muito pervertida.
Antes que ele tentasse se levantar, segurei ele novamente pedi para ele fechar o olhos pois não tinha terminado de fazer xixi. Comecei a urinar no seu rosto foi quando ele abriu a boca sem eu pedir.
-Hmmm to vendo que você gostou do meu chá. Ta gostoso ou ta com sede ? rsrsr
-Vou ter que me acostumar com suas idéias nojentas, não tem outro jeito né ?
– Que bom que você aprendeu rápido. Agora pode me chupar que quero gozar.
Virei na posição de 69, enquanto ele me chupava eu guardava sua benga na minha boca.
Ficamos ali por alguns minutos até que ele começou a gozar e no impulso também gozei junto, levantamos, tomamos banho e voltei para minha tarefa de dona de casa. 
Minha relação com Vinicius em termos sexuais passou a virar corriqueiro, fazemos essas brincadeiras pelo menos umas duas vezes por semana, as vezes tenho que controlá-lo pois já sabem como é o entusiasmo de um adolescente.
Certo dia ele chegou com uma moça em casa dizendo que era colega de aula dele, mas pelo jeito dos dois pareciam ter algo mais. Confesso que fiquei um pouco enciumada imaginando ele com uma namorada. Esperei ela ir embora e coloquei ele contra a parede. 
– Quanto tempo esta ficando com essa menina ?
-Ficou louca ela é minha colega de aula.
-Antes de você nem existir eu já estava sentando em um pau, não tente me enrolar.
-Tá bom três meses mais ou menos.
-Bem que reparei que você ultimamente não queria brincar mais comigo. Está usando camisinha pelo menos ? Não quero surpresas aqui em casa.
-Sim claro.
-Por que não me contou antes ?
-Fiquei com medo de você brava.
-Larga de bobeira, apesar de nossas brincadeira ainda sou sua mãe, eu não posso te coibir a ter relações sexuais, pelo menos você agora esta comendo uma bucetinha, não é mesmo ?
-Sim, eu gosto dela também.
-E você esta gostando de meter numa buceta ?
-É muito gostoso, só que as vezes tenho vontade de fazer com ela aquilo que fazemos eu e você. 
-Calma menino , vai devagar senão vai acabar assustando ela. Quando sentir falta das brincadeiras pode vir fazer comigo.
-Agora pode ser ?
-Não pois estou mestruada, a não ser que você não importe.
-Eca, de jeito nenhum , não mesmo.
-Hahaha, já imaginava, até eu acho nojento também. Rsrsrsr
Com o passar do tempo fui me acostumando a aceitar a nova namorada de meu filho, até os incentivei para que viessem mais na minha casa e usassem o quarto para ter relações, gostei do jeito da garota, ela é bem legal. Recebi até um elogio dela sobre meu corpo. Rsrsr. Quem sabe com o tempo não possamos fazer um ménage, seria minha primeira experiência com outra mulher. rsrsrsr. As vezes combino com Vinicius de mentir para ela que não estou em casa e deixar a porta do quarto aberta para eu poder olhar os dois transando. Fico olhando e escutando os gemidos dela já com meus dedos na buceta para gozar com eles. Adoro fazer isso. Falei com Vinicius ir com calma sobre a ideia do ménage. A problema nem é por questão de aceitar ou não e sim sobre ela digerir o fato que ele faz esse tipo de brincadeira com sua própria mãe, portanto poderá ter uma repercussão negativa sobre mim…

Mas numa época de crise em que as empresas estavam demitindo…

Resultado de imagem para morena photografy xhamsterEu Márcia e meu marido Paulo somos casados a cinco anos, tenho vinte e quatro anos e Paulo vinte e sete, nos conhecemos quando comecei a trabalhar numa indústria de calçados em Franca SP, ele trabalhava na mesma empresa. Mas numa época de crise em que as empresas estavam demitindo, acabamos por perder nosso emprego, e ficamos vários meses desempregados, não conseguíamos outra colocação no mercado de trabalho de jeito nenhum, a situação estava difícil e as contas só acumulando, cobranças todo santo dia, já estávamos ficando desesperados e não víamos nenhuma saída a curto prazo. Conversa vai- conversa vem, fiquei sabendo de um senhor viúvo que estava precisando de uma diarista que pudesse fazer uma faxina em seu apartamento pelo menos três vezes por semana, “ufa” até que em fim uma oportunidade, não perdi tempo e fui atrás do tal senhor. No prédio o porteiro me informou que ele só chegava depois das dezoito horas, fiquei aguardando até o tal senhor chegar. Depois de falar com ele sobre a possibilidade de ser a diarista que ele estava precisando, ele me convidou a subir pra conhecer o apartamento e me enterrar do que ele precisava que fosse feito. Sr Rogerio era um senhor bem afeiçoado, deveria ter uns sessenta anos, depois de mostrar o apartamento que não era muito grande, me disse o que precisava, que eu limpasse seu apartamento, ou seja limpar o pó, já que estava tudo bem arrumado e como ele morava sozinho não tinha nenhuma bagunça, pediu-me pra fazer um almoço durantes esses dias pois já estava cansado da comida da empresa e só, coisa que certamente eu tiraria de letra, combinamos os três dias da semana, o pagamento que não era muito, cinquenta reais por faxina, o que dava cento e cinquenta reais na semana, mas pra quem estava sem nada já era alguma coisa, e que eu deveria pegar a chave na portaria do prédio Passei a limpar o apartamento do Sr Rogerio toda segunda, quarta e sexta, e ele combinou que nesses dias ele viria almoçar em casa. Comecei a trabalhar normalmente chegava de manhã cedo limpava o apartamento arrumava tudo, depois fazia um almoço “simples” ele chegava, almoçava e ia embora, rapidamente eu lavava seu prato guardava a comida na geladeira, pronto, missão cumprida, e por volta das 13:00hs ia embora. Depois de uns três meses trabalhando no apartamento dele me senti mais a vontade, e com mais liberdade pra falar com ele sobre meus problemas, e acabei comentando que meu marido estava sem emprego e que a situação estava muito difícil, que só estávamos comendo porque eu estava fazendo limpeza em seu apartamento. Ele disse: mas o que eu pago não é suficiente pra isso, numa casa tem outras prioridades, agua, luz, gás, telefone, e outras contas que certamente eu tinha. Respondi: O senhor ta certo, mas eu só tenho essa faxina pra fazer, é com o que ganho aqui que estamos nos virando. Durante esses três meses o Sr Rogerio se mostrou um senhor educado gentil e muito respeitador, sempre me convidava pra almoçar com ele, claro que não rejeitei pois almoçar com ele significava um gasto a menos pra mim, e pra quem tem dinheiro curto sabe bem o que é isso 3 dias por semana. Alguns dias depois quando ele chegou, e depois de almoçarmos, Sr Rogerio perguntou se eu tinha muitas contas a pagar, eu disse que sim, que chegava cobrança todo dia, e que minha agua e luz estavam pra serem cortadas a qualquer momento, ele perguntou se eu queria que ele pagasse todas as minhas conta, pra eu não ficar devendo pra mais ninguém, respondi: Claro que quero, “aí pensei comigo, elevai pagar minhas contas e vai descontando na faxina que estou fazendo, vou ter que trabalhar um bom tempo pra ele até pagar tudo que devo”. Ai veio a surpresa, ele colocou sua mão sobre a minha e falou que eu era uma mulher linda, que certamente era desejado por muitos homens, Gelei na hora, puxei minha mão, meu coração disparou e um calor imenso tomou conta do meu corpo e eu fiquei vermelha como um pimentão maduro. Ele disse: eu pago tudo que você deve, mas tem um preço, ai veio a tremedeira, eu tremia como vara verde mesmo antes dele falar qual era o preço, mas eu já imaginava qual seria. “Eu vou te fazer uma proposta indecente, não precisa me responder agora, pensa se vale a pena pra não se arrepender depois, se você aceitar ótimo, se não, você pode continuar fazendo sua faxina normalmente, não falo mais no assunto e nem te importuno, quando você tiver uma resposta é só dizer, “aceito, ou não aceito” A proposta é: Eu quero chupar sua buceta e lamber seu cuzinho, depois ele se levantou foi escovar os dentes e se foi. A situação em casa não havia mudado muito, continuava difícil, meu marido continuava sem emprego e as contas sempre chegando, o dinheiro nunca dava!!! Aquele proposta do Sr Rogerio no principio me deixou nervosa, com raiva, me sentindo uma puta, engoli em seco pra não fazer uma besteira, pois era o único emprego que consegui e não queria perde-lo. Passei o fim de semana cabisbaixa, pensando,, apesar de indecente como ele mesmo disse era uma proposta tentadora, e como ele tinha já seus sessenta anos chupar uma buceta e lamber um cuzinho deveria ser o máximo que ele conseguiria fazer, aquele pau já não deve levantar mais, pensei eu, e só quem tem muitas contas a pagar e só vê cobrança chegando, e nada de dinheiro entrando, sabe como essa situação é sufocante. Meu marido me vendo daquele jeito acabou desconfiando de que algo não estava bem e me perguntou o porque da minha tristeza, enrolei, enrolei, enrolei, pois não sabia qual seria a reação dele, mas acabei contando, pois eu nunca escondi nada dele e não queria que ele pensasse que eu estava lhe traindo. Falei da proposta do Sr Rogerio, da quantidade de contas que tínhamos, e ficamos conversando por um bom tempo, eu tentando convencer ele de que no momento não tinha outra saída, mesmo eu não querendo a situação estava complicada e precisávamos nos livrar das contas. É só umas chupadas e umas lambidas na buceta e no cu, dizia eu tentando convence-lo, e nada dele aceitar. Ficou com raiva e me disse pra sair do emprego, que aquele velho era muito folgado, que isso não era proposta pra se fazer a uma mulher casada, e ficou falando um monte na minha cabeça. Fui trabalhar na segunda, e estava esperando a hora do almoço pra dizer pro Sr Rogerio que não aceitaria sua proposta, e que iria sair do serviço, não faria mais faxina no seu apartamento, mas lá pelas dez horas meu marido me ligou, dizendo que nossa luz fora cortada, e nossa agua também, fiquei muda, pois não tinha mais argumento pra convence-lo, de que a proposta do Sr Rogerio apesar de indecente era a única possível de nos torar do sufoco. E agora, o que vamos fazer? Ele ficou mudo por alguns instantes e depois respondeu: Vou ai, tô levando todos os carnês, boletos, contas e faturas dos cartões pra você. Aquele era o sinal verde pra que eu pudesse aceitar a proposta do meu patrão. Ele chegou e me entregou um envelope grande com tudo dentro, perguntei olhando pra ele, tá tudo bem? Ele respondeu com lágrimas nos olhos, tá, mas e se ele quiser mais que isso? Respondi: Terá que pagar muito mais, você concorda? Ele me deu um beijo, tudo bem, e foi embora, entrei e joguei o envelope sobre a mesa com as contas a pagar, cerca de (dois mil e oitocentos reais) quando Sr Rogerio chegou abriu o envelope e vendo as contas deu um leve sorriso de satisfação e a certeza de que conseguira o que queria, levou o envelope pro seu quarto, e depois de um tempo voltou e me entregou, cada conta tinha uma quantidade em dinheiro grampeado nelas, referente ao seu valor, e mais cerca de duzentos reais, que só vi na hora de pagar as contas, almoçou e disse: Quando você for embora passa numa lotérica e paga, eu sou um homem de palavra, na quarta eu dou um trato em você, quero lamber esse cuzinho e chupar essa buceta até você gozar em minha boca, mas se você não vier na quarta e vou entender que você se arrependeu, não vou lhe cobrar mais nada, nem mesmo o valor das contas. Ele almoçou sozinho, não tive coragem de sentar à mesa com ele, depois voltou pra empresa onde trabalhava. Logo em seguida sai também e fui a lotérica, paguei as contas, fui mandar religar minha agua e luz e fui pra casa! Quando meu marido chegou, viu sobre a mesa o dinheiro que eu havia deixado la, eram cerca de duzentos reais, sobra do dinheiro que o Sr Rogerio havia me dado e já imaginando que minha buceta tinha sido chupada por outro homem perguntou: Tudo consumado? Não, respondi, ele ainda me deu até amanha pra eu pensar se não iria me arrepender. E esse dinheiro? Perguntou ele: Ele pagou todas as contas como havia prometido, isso é o que sobrou. E você, vai se arrepender? Fiquei calada pois ainda não sabia o que fazer, mesmo eu tendo dado as contas pra ele pagar numa demonstração clara de que teria aceito sua proposta. Meu marido disse: Mesmo não gostando tenho que admitir que ele honrou a palavra dada, e você deve fazer o mesmo, cumpra a sua parte e estarão kits um com o outro. Amor, eu vou cumprir, mas quero que você saiba que nunca te traí,, ele me deu om beijo e disse: Não é traição, a partir do momento que você me contou e eu concordei, você não está me traindo, “lembra quando eu perguntei:, e se ele quiser mais? Você disse, vai ter que pagar mais caro” Então, se ele quiser mais pode cobrar caro, já que vou ser corno mesmo, tem que valer a pena, meu coração disparou, eu gelei meu marido estava me liberando pra fazer mais o que eu quisesse, ou o que o Sr Rogerio quisesse fazer comigo. Fiquei feliz com o que ele disse, e aquilo começou a me encher de tesão, com cinco anos de casada meu marido tinha sido o único homem que havia possuído meu corpo, agora o Sr Rogerio poderia ser o próximo. Na quarta feira quando voltei pro apartamento fiz tudo que havia pra fazer, inclusive o almoço, e fiquei aguardando a chegada dele, e quando ele chegou e me viu disse: pensei que não te encontraria aqui hoje. Respondi: Eu também sou uma mulher de palavra, ele me pegou pela mão e me conduziu até seu quarto, me pediu pra tirar a roupa, o que fiz muito envergonhada por estar me despindo na frente de outro homem , mas tranquila por não estar fazendo nada as escondidas. Sr Rogerio se deitou e me chamou: vem, põe sua buceta na minha boca, segurei na cabeceira da cama e ajoelhei entre sua cabeça e fui arriando meu corpo ate sentir sua língua quente a me invadir a gruta, ele vasculhava o interior da minha racha, mordia meu grelo, lambia meu cuzinho enquanto eu gemia baixinho, estava quase em transe, e dizia: Aiii que tesão. De olhos fechados, eu me contorcia esfregando minha buceta em sua cara acariciando meus seios: Aiiiii, isso, aiiii, delícia.
Que gostoso ouvir ele gemendo, sua cara lambuzada pela minha buceta molhada, lisinha, podia sentir o cheiro dela sumindo ate minhas narinas, cheiro delicioso , cheiro de buceta, cheiro de fêmea no cio. Continuava rebolando, seus movimentos, de língua e seus dedos, na minha racha, eu gemia, queria gozar. Ele ia a loucura e eu também, aumentei a velocidade, rebolando e me esfregando em seu rosto, comecei a gemer mais alto, minha bucetinha babava ainda mais com ele afundando seu dedo e acariciando minha buceta, eu suava de tanto tesão, meus seios pareciam maiores, os mamilos pareciam pedra, começou a tremer, me contorcer meu corpo retezar Aiiiiii, aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, aiiiiiiinosssaaaaaaa. Que delícia. Gozei na sua cara e boca, deixando ele todo melado e quase afogado no meu melzinho, e ele com o pau duro, coisa que eu duvidava que pudesse acontecer, soltou um jato de porra que atingiu minhas costas. Sai de cima dele em um ato talvez de carinho me virei e chupei seu pau ainda duro e pude contemplar seu tamanho e rigidez. Naquela quarta ele nem almoçou, se sustentou apenas com o melzinho da minha buceta que ele chupou durante seu horário de almoço, mas antes de voltar pro trabalho pegou um maço de dinheiro e me mostrou, depois colocou em cima da mesa e disse: Na sexta quero comer seu cu!!! Se eu chegar a tarde e o dinheiro não tiver mais aqui é porque você aceitou essa nova proposta. Logo que ele saiu peguei aquele maço de dinheiro e coloquei na bolsa e voltei pra casa louca pra chegar logo a sexta feira. Eu nem sabia quanto de grana estava ali, eu queria mesmo era dar meu cuzinho praquele homem, experiente carinhoso e sentir aquela pica entrando em mim, experimentar algo novo, pois só meu marido tinha comido meu cuzinho e minha buceta e quando chupei a pica do Sr Rogerio e ele falou de comer meu cuzinho aquilo me deixou cheia de tesão. Cheguei em casa contei ao meu marido como tinha sido ser chupada pelos Rogerio, e da nova proposta, falei que ele já tinha até pago adiantado, ele contou o dinheiro, dois mil e quinhentos reais!!! Fiu fiu, que cuzinho caro? Pergunta se ele não quer comer o meu, talvez saia mais barato?, Olha que pergunto, hem, kkkkk, rimos. Se ele quer comer o cu vai querer também a buceta? Bem, se ele comer meu cu direitinho e eu gostar, a buceta pode até sair de graça pra ele!!! Velho felizardo, Respondeu meu marido Rsrsrs. Agora mais relaxado, ele já estava conformado com a situação, de ser eu, “puta do seu Rogerio”, e acho que até já estava gostando
Aquele dia dormi feliz da vida depois de uma trepada magistral com meu marido que me fodeu umas três vezes lembrando do velho Sr Rogério. Na sexta já de manha fiz todo o serviço a também o almoço, estava ansiosa para dar meu cuzinho pro Sr Rogerio, tão logo ele chegou me levou pro quarto, tiramos nossas roupas e logo ele caiu de boca na minha bucetinha que já estava melada pelo tesão que eu estava sentindo, me pôs de quatro e passou a dar um trato na minha bunda, enfiava a língua no meu cuzinho e foi me lavando a loucura, abriu a gaveta junto a cabeceira da cama e pegou um potinho de creme, untou meu buraquinho depois meteu um dedinho e logo dois dedos, e passou a foder meu cu com movimentos circulares lubrificando bem e laceando meu anelzinho e depois num vai e vem com muita rapidez, aquilo estava delicioso, depois de untar também seu pau colocou na entradinha e foi pressionando fazendo a cabeça passar pelo meu esfíncter, ardeu muito, mas nada que eu não pudesse aguentar, depois de uma pausa pra eu me acostumar com aquele trabuco no meu rabo ele disse que agora meu rabo teria o que ele merece, um pau de verdade, deitou-se sobre mim e foi empurrando sua rola pra dentro do meu cu, aquilo ia fazendo pressão e alargando meu reto ate estar tudo dentro, deu umas três bombadas e tirou tudo de dentro, untou novamente meu cu e seu pau e enterrou tudo de novo, como era gostoso sentir meu corpo balançar a cada estocada que ele dava, como aquele homem sabia comer um cu de uma maneira tão gostosa, começou uma saraivada de rola no meu cu e depois que senti ele engrossar e alargar meu anel ele disse: agora vou gozar dentro desse cuzinho maravilhoso, me segurou forte pressionando sua rola bem fundo e soltou vários jatos de porra lá dentro, urrando encheu meu cu de porra. Ficou em cima de mim, me elogiando, falando frases picantes ao meu ouvido e me enchendo de tesão, seu pau continuava dentro do meu cu, pulsando e sem amolecer, parecia um garoto fodendo um cu pela primeira vez, de repente começou a bombar de novo devagarinho, eu contraia meus músculos anais apertando e soltando sua rola , era muito gostoso e acabei gozando, ele foi acelerando o rítmo bombando com força e gozou de novo no meu cu, deu duas sem tirar de dentro. Depois de descansarmos bastante ele pediu mais uma vez, eu não neguei, afinal ele pagou bem pelo meu cuzinho, untou de novo seu pau e meu buraco já bem aberto e foi metendo sua rola que agora deslizava pra dentro sem nenhuma dificuldade eu estava levando no rabo pela terceira vez naquela tarde mas estava uma delícia, depois de várias estocadas comecei a gemer e a gozar e mais uma vez Sr Rogerio gozou dentro do meu cu, que já não tinha espaço pra armazenar mais porra, me levantei tapando meu anelzinho e corri pro banheiro pra me aliviar e tomar um banho, depois fui pra casa dolorida e cansada, e ele faltou ao serviço na parte da tarde. Sábado e domingo descansei e na segunda cedinho estava eu no apartamento do Sr Rogério, fiz todo o serviço, o almoço e fiquei naquela ansiedade louca pra ele chegar logo e meter no meu cuzinho, assim que ele chegou já fui pedindo pra ele, come meu cu de novo, estou louca pra dar e sentir esse caralho me arrombando. Falei que você iria ficar louca pra dar o cu de novo, que não ia esquecer da minha pica, agora vai ficar viciada e eu vou comer seu cu sempre. Vem, mete logo, arromba meu cu, ele me levou pro quarto, me pôs de quatro apoiada na cama, baixou meu shorts, pegou o creme lambusou meu cuzinho com dois dedos, passou também na sua pica já dura e encostou no meu buraquinho e meteu a rola no meu cu de uma só vez, entrou rasgando, me fodendo com força e rapidez dizendo: Eu sabia que você era puta, sua vagabunda e que eu iria comer você mais cedo ou mais tarde, era só questão de tempo e que você iria gostar e pedir mais!!! O velho parecia tarado, me segurou pelo quadril e me puxava contra ele enquanto socava sua rola no meu cu até não aguentar e gozar dentro me enchendo com sua porra quentinha e grossa eu com minhas pernas bambas e tremendo também palas suas estocadas e pelo meu gozo, arriamos nossos corpos sobre a cama e ele ficou grudado em mim sem tirar seu mastro de dentro depois almoçou e foi embora me deixando deitada e com meu cuzinho ardendo pela grossura do seu tronco. Na quarta feira quando Sr Rogerio chegou pra almoçar eu já estava completamente nua na cama a sua espera, mal ele entrou falei: hoje eu quero na buceta, ele soltou um largo sorriso e aguentei aquele caralho na buceta que eu dei com o maior prazer, virei amante fixa do Sr Rogerio, que arrumou emprego pro meu marido e continuou pagando nossas contas, não nos deixando faltar nada. Toda vez que chego em casa mostro pro meu marido o estrago no meu cu ou na minha buceta e minha calcinha encharcada com a porra do velho, ele sabe que fiquei viciada naquela pica e depois me come com a maior vontade gozando na minha buceta e no meu cuzinho já arrombados, depois que virou corno nossas transa melhoraram e muito, e nossa vida também, ele cuida de mim com muito zelo, carinho e sou muito paparicada, sempre faz as minhas vontades, e diz que eu carrego um tesouro entre as pernas e que o Sr Rogerio o ajudou a descobrir o quanto esse tesouro é valioso.

Lembro que em uma quinta-feira…

Resultado de imagem para lesbian photografy xhamsterEu e minha coordenadora ficamos bem íntimas, depois da primeira vez que ficamos não conseguimos mais ficar sem se falar, se tocar e se beijar. Todos os dias esperamos uma oportunidade pra dar prazer uma a outra.

Lembro que em uma quinta-feira Silvia chegou dizendo que estava difícil segurar a vontade, que precisava dos meus carinhos, eu então disse que podíamos arriscar ir pra algum lugar depois do trabalho (em casa era sem chance pois nossos maridos estariam por lá), então ela lembrou que tinha uma tia viajando e que havia deixado a chave da casa com a mãe dela, para cuidar das coisas. Ela então ligou e disse pra sua mãe que pegaria a chave para olhar a casa da tia, já que sairia mais cedo do trabalho.

E assim fizemos, saímos do trabalho, Silvia me deixou no carro e foi buscar a chave, depois fomos para a casa da tia dela, uma casa simples, mas eu nem estava preocupada com isso. Da última vez que ficamos somente eu havia gozado e tinha tanta coisa que eu queria experimentar que precisávamos daquele momento.

Logo entramos na casa e começamos a nos beijar, ela disse que tinha um quarto do primo que se mudou do país e seguimos nos beijando até lá,chegando no quarto deixei minha bolsa, ela foi logo tirando a sandália, me abraçando e me tocando carinhosamente. Eu estava amando sentir aqueles carinhos novamente.

Silvia sempre toma a frente e me puxou pra cama, tirou minha roupa e começou a se despir também, ficamos um tempo nos olhando, trocando toques, sentindo o gosto uma da outra, até que resolvi experimentar a buceta dela, ela tinha uma buceta com lábios grandes e bonitos, estava depilada e bem rosinha. Fui logo colocando a boca, dava beijos de língua naquela buceta grande, ouvia ela suspirar, me puxava pelo cabelo e forçava minha boca contra a buceta dela. 

Era intenso, como da primeira vez, ela se contorcia muito, chamava meu nome, pedia pra eu chupar mais, eu atendia com rapidez. Naquele momento eu estava satisfeita com o prazer daquela mulher maravilhosa. Nos viramos na cama e eu fiquei por cima, posicionando minha buceta na boca dela e ela na minha, um maravilhoso 69. Além de me chupar e lamber os carinhos dela era um detalhe que não passava despercebido, cada toque, cada aperto na bunda e nas coxas me fazia ficar com mais vontade.

O tempo estava correndo rápido e mal percebemos o cair da noite, não teríamos a noite toda, mas uma boa parte dela. Silvia me puxou, me deitou de frente e se colocou entre minhas pernas. Agora a buceta dela tocava a minha em uma troca de prazer maravilhosa, ela esfregava e quanto mais ela fazia mais molhadas a gente ficava. A buceta dela deslizava sobre a minha e eu melava ela a cada segundo. 

Ela levantou minha perna, posicionou o grelinho dela juntinho ao meu e começou a intensificar os movimentos, aquilo foi me tirando o fôlego e eu em pouco tempo gozei, jorrando meu líquido naquela buceta grande e lisa da Silvia.

Nos abraçamos e ela sorriu, eu então percebi que ela ainda não havia gozado, rapidamente dei meu jeito, fui pra fora da cama, puxei ela pra se sentar, e coloquei minha cabeça entre as pernas dela, eu chupava com força e isso deixava ela suada, passados alguns minutos ela gritou muito e me surpreendeu com um jato quentinho saindo da sua buceta, eu não pensei duas vezes e tomei tudo que consegui daquele mel de prazer.

Respiramos, nos deitamos e ficamos nos beijando, ainda eram 19h e ainda podíamos desfrutar um pouco mais da nossa noite, Silvia disse que queria me ver me tocando, e foi o que fiz, me levantei, coloquei um dos pés sobre a cama, levantando a perna e comecei esfregar meu dedo na minha buceta, ela olhava concentrada, e começou a se tocar também, não resisti, fui logo pra cama e comecei a chupar aqueles seios, por serem médios eu conseguia colocar boa parte na boca, babei e chupei muito até praticamente acabar minha saliva.

Ficamos nos esfregando, seios com seios, mão nas coxas, no bumbum. Até que ela me virou de bruços e começou a beijar minhas costas, fazia quase uma massagem em mim, alternando entre mãos e língua, em um momento de loucura eu abri meu bumbum e coloquei um dos dedos no meu cuzinho, ela suspirou e falou no meu ouvido;
Sua vadia!

Somente sorri, ela então me poupou o trabalho e coloquei seu dedo no meu buraquinho, me excitei mais quando ela tirou do dedo do meu cu e chupou, depois disso foi com a língua molhada pro meu cuzinho, nesse momento ele já pulsava querendo ser penetrado, ela então começou a lamber, entre cuspes e lambidas ela as vezes colocava um ou dois dedos. Ela parecia estar adorando aquilo, babava, chupava, lambia e se tocava. 

Ela então pediu pra eu ir por cima, se deitou e me guiou com o cuzinho na sua boca, aquela posição seria bem melhor pois ela ainda podia tocar meu grelinho enquanto chupava meu cu. Alí ficamos alguns minutos, notei e que ela estava muito inquieta, as vezes tirava a mão da minha buceta e passava em suas coxas, no seu bumbum. Deduzi que ela também queria ser chupada e foi o que fiz.

Me ajoelhei na cama, pedi que ela ficasse de quatro, ela prontamente abriu o cuzinho pra mim e comecei aquele ritual delicioso, minha língua ia mais fundo que a dela em mim, acho que isso estava matando ela de tesão. Me entreguei de verdade e resolvi arriscar, abri a bunda dela com as duas mãos e fiquei alí chupando aquele cu, quando escorria pelas pernas eu fazia questão de sugar aquele líquido, era uma mistura de nojo e prazer, depois de algum tempo nem senti mais o gosto estranho, parece que o cuzinho dela estava tomado pela minha saliva.
O corpo dela começou a se contrair, consequentemente o cuzinho ficou mais apertadinho com minha língua quase que toda lá dentro, aquilo foi muito bom, Silvia me ajudou a abrir o bumbum e com uma das mãos toquei o grelinho dela, ela deu um suspiro forte e começou a gemer alto, foi então que senti aquele jato delicioso em minha mão, ela rapidamente puxou minha mão e quis provar do seu próprio mel. 

Chupei o cu dela por mais alguns minutos até a posição começar a ficar incômoda, depois nos deitamos, ela tocava meus seios e sorria, dizia que eu era maravilhosa, que estava amando tudo aquilo. Eu disse que estava sendo um dos melhores momentos sexuais da minha vida. Em meio a conversa eu comecei a tocá-la novamente, ela se entregou, relaxou, deixou os braços abertos na cama e somente me sentia, fui pra cima dela, posicionando minha buceta encostada na dela, entrelaçamos novamente as pernas e ficamos nos alisando, esfregando lentamente, grelinho com grelinho.

Silvia estava cansada e demonstrava isso nitidamente com sua respiração, ela começou a suar muito, soltar gemidos altos e apertar meu corpo, foi então que ela gozou novamente, ela rapidamente me deitou abriu minhas pernas e começou a me chupar, ela queria tomar meu melzinho e eu dei a ela depois de alguns minutos.

Estava satisfeita, ela havia gozado bastante e eu também, eu estava adorando ter uma amante daquelas, era um filme da vida real. Nosso filme era louco, com cenas quentes e demorava muito a terminar.

Saímos de lá por volta de 22 horas, ela me levou em casa de carro e chegando em casa me mandou mensagem dizendo que a calcinha dela estava encharcada só de pensar e mim, ficamos trocando mensagens mais safadas até que resolvi me tocar, meu marido já estava dormindo, fiquei alí quietinha, somente movimentando os dedinhos, até gozar. 

Aquela noite tinha sido maravilhosa a ponto de eu me excitar só de lembrar, eu fechei com chave de ouro, me masturbando até meu último gozo da noite, dormi feito um anjo rsrs

No dia seguinte no trabalho Silvia estava exausta, mas ainda trocamos algumas carícias e beijos.

Foi assim que me entreguei de verdade pra minha amante.

AS FOTOS RECEBIDAS ONTEM E SEUS TEXTOS…

Me esquece se eu estiver errada, mas você não gostaria de me comer???

Busty brown hair amateur blows a cock

Oi, eu tenho os olhos lindos. Posso ficar lendo seus textos pro resto de minha vida, pois gozo com cada um deles…

Eu tive um péssimo dia e ver seus textos sempre me faz melhorar. Então, você pode escrever para mim hoje? Ou me mande uma foto nua sua…

O QUE ACHA????

Igor você é igual a um trevo de quatro folhas, difícil de achar, mas sorte de quem tem! Mas eu também quero experimentar você.

Igor… Vi seu nome numa embalagem de margarina. Como é mesmo que estava escrito? Ah, lembrei! Delícia! Passo ela todinha no meu corpo venha experimentar….

Se deus fosse realizar dois desejos para mim, eu não me preocuparia com o segundo, sendo que o primeiro fosse você Igor. Realize minha fantasia….

 

Mãe, desmarca o oftalmologista que eu já achei o colírio pros meus olhos o nome dele é Igor!

Igor me perdoe, mas qual é a cantada que funciona melhor com você?

OI Igor…. Eu só quero sentir o gosto do seu membro e sei que vou enlouquecer…

IGOR SAI DO PLANTÃO…. Você prefere morango ou cereja? É pra saber o que você vai querer comer de manhã no meu corpo.

 

Igor… você não é droga, mas estou viciado em você. E ainda nem provei…

E AGORA ???? O mundo tem defeitos, você não. ME COME LOGO !!!

Me empresta seu celular? Igor quero ligar para a tua mãe e agradecê-lá.

Você nós não sabemos se é muito bonito, viu… Mas se não for fazer nada a noite, aparece lá em casa e nós transaremos o tempo todo…

Do que adianta ficar com muitos homens, se eu não consigo esquecer seu jeito Igor.

Eu sei que você gosta de saber que me excito pra você só de olhar o seu site.

OLA IGOR…. Estou fazendo uma campanha de doação de órgãos! Escolha uma parte qualquer do meu corpo e te dou inteirinha…

OI… Baixei aquele filme que você disse que era bom e vi que nada é tão bom quanto você escreve nos seus textos….

Que horas você esta recebendo minha foto? Achei que você tinha um tempinho para me ver e sentir o tesão de sua vida!

 

 

 

Em uma certa semana meu filho trouxe um amigo que eu nunca tinha visto…

Resultado de imagem para nude selfies 42Meu nome é Amanda, tenho 42 e sou viúva a 5 anos, tenho um filho de 17 é uma filha de 15!
Sempre me preocupo em ficar bem cuidada, perfumada e bem produzida, tenho seios grandes, bunda grande, mas não sou gorda, apenas avantajada rsrs.
Moramos afastado do centro em uma cidade do interior, e sempre meu filho trás os amigos pra passar o final de semana aqui, e vive implicando comigo pelas roupas que eu uso, gosto de uns shortinhos curtos e camiseta grande em casa.
Em uma certa semana meu filho trouxe um amigo que eu nunca tinha visto, e logo de cara percebi os olhares dele, mas fiz de conta que não acontecia nada,
O rapaz não tirava os olhos, e eu acabei gostando disso.
De repente eu estava na cozinha e chega esse rapaz, me dá uma olhada de corpo inteiro e pede um copo de água, peguei o copo pra ele, e ele falou que eu era muito bonita.
Agradeci e sai dali.
Não sei por que , fiquei com desejo daquele rapaz, ele era magro, não muito bonito, mas tinha um olhar malicioso.
Resolvi provocar, ele e meu filho estavam no sofá assistindo tv, passei na frente deles com um shorts bem curto, deixei o controle da tv cair e abaixei para catar, deixei minha enorme bunda virada pra ele, sai sem falar nada.
Mais tarde meu filho disse que ele ia dormir na nossa casa, pensei várias coisas já kkkk,
Deu a hora de dormir, meu filho foi pro quarto, e eu arrumei um quarto do lado do meu para o rapaz, longe do quarto do meu filho.
Não sabia o que fazer pra pegar aquele rapaz, então tive uma ideia, coloquei apenas uma calcinha bem atoladinha no meu bumbum, e deitei de bruços na minha cama, deixei a porta semi aberta, eu sabia que ele ia me ver a hora que ele fosse no banheiro.
Deitei e acabei dormindo, de repente acordei com o barulho da descarga do banheiro, mas continue imóvel, deitada de bruços.
Percebi que ele parou na porta do quarto me olhando, e depois ouvi barulho dele ao meu lado, fingi que dormia, acho que ele estava se tocando, resolvi me virar pra eu poder ver ele melhor, mas nessa hora ele assustou e saiu. Fiquei deitada de costas, e em menos de dois minutos ele estava na porta do quarto de novo, fiquei espiando ele com os olhos quase fechados pra parecer que estava dormindo.
Ele se aproximou e ficou olhando emissão peitos, e olhava também na reta da minha bucetinha, que fica sempre marcada com a calcinha.
Pra minha surpresa ele colocou sua mão por dentro do shorte, e ficou massageando seu pau e me olhando, de depende ele arrancou o pau pra fora, nessa hora eu assustei, meus com os olhos quase fechados, eu vi aquele pau monstruoso, algo anormal.
Parecia ter uns 20 cm, mas era muito grosso, muito mesmo.
Ele ficou se tocando e me olhando, ele foi perdendo o medo de me acordar e foi chegando perto, de repente ele tocou meus peitos, ficou passando a mão nos biquinhos, eu arrepiei toda, com uma mão ele se punhetava, e com a outra ele acariciava meus seios.
Fui ficando excitada, toda arrepiada, e fui ficando molhada, ele se aproximou daminha buceta, e deu uma cheirada, depois ele puxou a calcinha de lado, e passou o dedinho nela, ela estava encharcada já.
Eu dei uma revirada no dedo dele, e me deitei de lado pra disfarçar.
Nessa hora ele avisou de vez, vejo com aquele mastro na direção da minha boca, e ficou passando aquela cabecona nos meus lábios.
Não resisti, abri minha boca e passei a língua naquele pau, e abri meus olhos também, e vi ele se contorcendo de prazer.
Nessa hora eu chupei pra valer, colocava a cabeça do pau dele na boca e sugava pra valer, só cabia a cabeça .
E ficou louco, e já foi arrancando minha calcinha, minha buceta já até escorria, ele chupou bem gostoso me enlouquecendo, depois ele subiu no meio da minhas pernas e direcionou aquele pau na minha fenda, nessa hora eu gelei de medo, ele forçou a entrada, mas não ia.
O pau era muito grosso, e não tinha como entrar, ele ficou forçando a entrada, eu queria sentir aquele pau, mas não entrava, então mudamos de posição, fiquei de 4 pra ele, e com as mãos eu abria minha bunda pra ficar bem exposta, ele veio por trás e foi colocando aquele pau, quase morri, ele me arrombava, sentia dor e prazer, parecia que ia me abrir, e segurou na minha cintura e foi socando, entrou pouco mais da metade, eu gemia e melava o pau dele, ele começou um vai e vem e eu fui gemendo, ele foi enfiando mais forte, a dor era grande, mas eu não aguentei e gozei loucamente, mas ele não parou e foi socando mais forte, ele fodia sem dó, gozei três vezes, e hora que eu quase não aguentava mais, ele gozou um jato forte me lambuzou toda.
Ele acabou de gozar e saiu do quarto, fiquei lá deitada, com abuceta toda aberta, gozada, ardida, tomei um banho, e vi o estrago que ele fez, minha buceta estava detonada, mas acabei ficando excitada de me ver e acabei me tocando antes de dormir.
Agora quase sempre esse amigo do meu filho vai dormir lá em casa, mas ninguém desconfia, tô apaixonada naquela rola enorme.