Mês: janeiro 2019

O tesão me subiu à cabeça!

PACIENTE 31119-1

Era já outono, o tempo estava esfriando, mas a previsão do tempo era de sol. Para aproveitar o fim de semana, eu e meu marido resolvemos convidar minha irmã e meu cunhado para irmos para a praia e ficar num apartamento que temos no Guarujá-SP.

Combinamos de sair na sexta-feira à noite, depois de vinte horas. Para nossa surpresa, minha irmã, por volta de dezenove e trinta me chama no WhatsApp, perguntando se poderia levar uma amiga. Como o apê tem três dormitórios, concordei. Na hora combinada, ela chegou na frente do prédio em que moro e interfonou.Sugeri que ela subisse com o marido e a amiga. . . tínhamos preparado um breve jantar – pizza e vinho. Quando tocaram a campainha, meu marido se adiantou para abrir-lhes a porta enquanto eu terminava de arrumar a mesa. Ao me deparar com a amiga convidada, tive um arrepio . . . uma mulata jambo, com altura de aproximadamente um metro e oitenta, corpo esguio, falsa magra, seios médios,usando legging branco e camiseta colada, na cor verde-água. Uma escultura de ébano!

Ela me confessaria no domingo que sentiu meus olhos brilharem intensamente quando fomos apresentadas. A recíproca também era verdadeira. O sábado passou sem nenhum fato a ser destacado – café da manhã por volta de dez horas, praia,volta da praia perto de dezesseis horas, preparação do almoço, os homens preparando batidas de carambola com vodca, enquanto que nós, mulheres, fomos ajeitando o cardápio para o almoço/jantar. Contudo, o desejo de saber mais e-mais sobre Neila, a amiga de minha irmã, ia aumentando com o passar do tempo e da proximidade.
Neila, sempre perto de mim, me ajudando no que era necessário.

Essa proximidade começou a me deixar excitada! Sentia-me molhadinha. E nunca antes tinha sentido qualquer atração por uma mulher! Acabamos de comer perto de dezoito horas. Por volta de vinte horas, começamos a jogar baralho; no primeiro momento, fiz dupla com meu marido, mas na segunda partida, passei a fazer dupla com a Neila e começamos a trocar mensagens com os pés, por debaixo da mesa. O tesão me subiu à cabeça! Enlouqueci com os toques que ela me dava com os dedos dos pés, nas minhas pernas, tendo chegado a tocar minha xana! Nossos olhares nos denunciavam! Conversávamos com os olhos!

Jogamos até quase uma hora da manhã. Fui para a cama com a xana completamente encharcada. Meu marido me tocou e me perguntou o que estava havendo. Disse-lhe que as batidas e o vinho do jantar haviam mexido com minha libido. Trepei muito com ele! Contudo, metia pensando sempre nela! No domingo, encurtamos o tempo de praia visto que o tempo ficou nublado perto do meio-dia. O almoço estava já adiantado e rapidamente estava na mesa. Naturalmente, os homens voltaram a preparar batidas, desta vez de abacaxi (que adoro!). Falei que iria dar uma cochilada, eles queriam jogar boliche.
Neila disse a eles que não curtia aquilo e que ficaria em casa. Ela também tinha um plano a ser consumado. Quando percebi que eles saíram, logo me levantei e fui para a sala, perguntando-lhe:- Você trancou a porta? Ela balançou a cabeça negativamente e, ato contínuo, passou a chave. Como havia esfriado, sugeriu-me que ficássemos de pijama a fim de, sob um edredom, ver um vídeo que ela tinha na mala. Fechei a cortina e liguei a TV. O filme que ela havia trazido tinha um título que me deixou intrigada – Berlin Affair, ou seja,Um Caso em Berlim. Que caso? – cogitei . . .

Iniciado o vídeo, logo me dei conta de que o enredo era altamente erótico. De repente,senti a mão direita de Neila procurar minhas mãos . . . estremeci! Começou por acariciá-las . . . Como não refutei a investida, ela tocou meu seio esquerdo,bicos endurecidos, comecei a ficar molhada. Molhada e trêmula! O desenrolar do vídeo conduzia-nos para aumentar ainda mais os nossos tesões. Fui,passivamente, deixando que ela tomasse o comando. Já tocava meus seios com um carinho e delicadeza extremos. Foi ao meu umbigo, circundando-o com os dedos.Mais alguns segundos, meu tesão foi a mil quando ela enfiou a mão sob a minha tanguinha . . . chegou ao meu Monte de Vênus, acariciando meus pelos pubianos(tenho só uma trilha vertical; meu marido me depila semanalmente). Passei-lhe amão pelo pescoço e trouxe sua cabeça para junto de mim, oferecendo-lhe meus seios a serem chupados, o que ela fez com muitos beijos e muita delicadeza . .. Gemi de tesão . . .Gozei porque ela demorou-se em ambos os seios . . . Tenho muito tesão quando sou tocada ou tenho os seios chupados (uma vez, no metrô, um homem maduro tocou nos meus seios e gozei!). Porque não aguentava mais de tesão– minha xana por inteiro e meu grelo pulsavam, supliquei-lhe que me masturbasse. Ela tocou-me já com dois dedos, pois sabia que eu deveria estar absolutamente molhada.
Nunca tinha imaginado sentir tanto tesão com uma mulher! Já não assistíamos mais ao vídeo, nós éramos o vídeo! Com um dedo, ela massageava meu clitóris;com outro, penetrou-me, buscando meu ponto G. Que delírio! Gemia descontroladamente, com orgasmos contínuos! Supliquei-lhe que me chupasse! Mas ela retardava esse desfecho. Continuou a me masturbar, chupando meus seios e me beijando loucamente. Virou-me de bruços e, deitada sobre mim, passou a lamber meu pescoço, costas, beijando, beijando, mordiscando . . . descendo . . .descendo . . . mordeu levemente minha bunda, foi para minhas coxas . . . pernas. . . pés . . . Ai! Meu Deus!
Fui ao céu quando ela lambeu meus pés e mordeu de leve o peito do pé esquerdo!Gozei!

Neila descobriu um ponto erógeno que eu agora, aos quarenta e quatro anos, desconhecia!Foi ao pé direito e repetiu a dose! Virei-me e ficamos frente a frente, ela por cima, olhando-nos fixamente, seus olhos eram um vulcão de tesão e desejo insaciáveis! Não falava nada! Só agia! Beijou-me com volúpia e, finalmente,falou:- Quero você pra mim! Quero chupar sua buceta! Foi a “ela” e iniciou a maior, mais longa e melhor chupada que já “sofri” (se é que isso se constituem um sofrimento!), gozando continuamente, gritava de tesão! Ela não parava! Não sei o tempo que durou! O que sei (se é que sei!) é que gozei tanto que, a certa altura, pedi-lhe que parasse tanta era a dor que sentia no meu grelo . . .duro! Duro! Duro! Ela ainda continuou me chupando levemente, me desligando pausadamente daqueles orgasmos infinitamente deliciosos . . .Abraçamo-nos e, com muitos beijos, disse-lhe:

– Quero ser sua pra sempre!

Acabei gozando gostoso…

PACIENTE 30119-1


Cíntia tenho 39 anos, magrinha com uma bundinha arrebitada, morena e com seios pequenos.

Bom meu nome é Cíntia tenho 39 anos, magrinha com uma bundinha arrebitada, morena e com seios pequenos, essa historia aconteceu a algum tempo comigo e um tal que eu namorava e foi muito gostoso.

Nós fomos para um motel e lá fomos experimentar a banheira e já lá dentro começamos a nos esfregar enquanto passava a espuma no meu corpo
com o corpo reclinado sobre o meu roçava a piroca na minha perna nesse movimento foi abrindo as minhas pernas com o corpo e sem eu esperar puxou o meu corpo para baixo de modo que facilitasse me penetrar a piroca na xota transamos ali durante algum tempo mais estava excitante então pra não gozar rápido.

Saímos tiramos o excesso do sabão e fomos pra sauna lá estava o oposto do quarto, quente e envolvente por causa da fumaça ali nos recostamos na bancada que servia de assento e retomamos a transa ele então reclinou seu corpo sobre o meu e enfiou a piroca e tirou por várias vezes na minha xota por depois me puxou e sentou-me colocando no seu colo de costas de modo que eu sentasse na piroca dele com as mãos me forçava pra frente e pra traz de vez enquanto me levantando pra que eu sentasse e rebolasse na sua piroca repeti isso várias vezes até que ele me colocou de quatro no chão e com o corpo apoiado na bancada fudeu a minha xota com vontade fazendo com que eu me excitasse bastante e quando viu que eu me excitava batia na minha bunda enquanto me empurrava a piroca nesse movimento acabei gozando gostoso na piroca dele me socava freneticamente depois me pediu que ficasse de joelhos e enfiou a piroca na minha boca se masturbando com as próprias mãos e enfiando a piroca na minha boca primeiro eu chupei depois fiquei só com a boca aberta observando o quanto ele estava excitado em fazer aquilo ele gemia de prazer até que gozou na minha boca enquanto segurava a minha  cabeça e seu corpo tremia de tanto prazer.


O sexismo enraizado…

Se um homem disser…

Resultado de imagem para mulher sensual

A uma mulher que ela não é bonita, logo cada uma procurará querer provar-lhe o contrário. Comprometendo-se nesta luta a golpes de provas irrefutáveis: fotos de mulheres de 50 anos em minissaia, de calções, de biquíni, de topless, até mesmo nuas. Mulheres ao físico impecável que têm todas por ponto comum de fazer quase metade da sua idade. Porque, justamente, o que o sexismo tem enraizado em vossas mentes, é que a beleza só existe se for ligada à juventude. Para que uma mulher seja bonita, tem que ser jovem ou que se faça passar por jovem. Aliás,se ela disser a sua idade , isso será considerado um incumprimento grave à regra. O menor cabelo branco aparente é vivido como uma negligência. O que dizem quando uma mulher não tem o cabelo pintado: ” Ela se negligencia.” o que não vos viria à mente ao ver um homem com cabelo cinzento.
A outra coisa que o sexismo vos ensinou, apesar de vós, é que as mulheres não podem ser de outra forma que não seja lindas. Este é o único roteiro, o seu único horizonte. Vocês acham que estão condenadas beleza, sob pena de exclusão.

Agora reencontrei com o prazer…

PACIENTE 25119-1

Da minha nefasta vida sexual, com exceção das tardes da minha adolescência, passadas à margem da piscina de F, agora no meu terceiro relacionamento heterossexual é que eu reencontrei com o prazer. Desde os meus 15 anos e a minha primeira experiência heterossexual, que deixei adormecer em mim, as deliciosas recordações deixadas por aquelas meninas… Hoje,passado algum tempo, tenho em meu parceiro o amante perfeito… Tesão de carioca!  O Lê é gostoso e tem um corpo bem esculpido nas academias do Rio de Janeiro.Lembro-me que desejei trepar com ele já no primeiro dia que nos conhecemos e o vi sem camisa. Louro, 1,85 m de altura, malhado e com aquele sotaque arras tadinho – sem dizer que o timbre da sua voz é muito sexy. O Lê tem um peitoral que eu adoro, ombros largos, aliás, todo o corpo dele é delicioso… Bundinha musculosa e firme,coxas grossas com os músculos definidos, um bíceps que é a delícia dos meus dentes – sem falar no principal de tudo: aquele cacete maravilhoso… A pica do Lê tem mais de 20 cm e um diâmetro por volta de uns 10 cm… quando o seguro com as mãos, meus dedos não conseguem tocar-se. Ele tem um membro anatômico, cujas veias e nervos compõem um excitante instrumento do meu prazer.E a cabeça daquele pau… sempre rosada e brilhando para mim. Enlouqueço quando ele faz sua piroca dura pulsar diante dos meus olhos. Caio de boca e devoro cada centímetro daquele mastro tesudo. Engulo aquele pau até o talo, adoro chupar aquelas bolas e, sacanamente, passo a língua naquele cu. Para nós, sexo é uma coisa visceral, de pele… E não temos pudores ou tabus. Vale tudo quando se busca dar prazer ao outro. Com ele, sinto-me uma profissional do sexo, uma vagabunda, uma putinha de beira de estrada. Sou sua cadelinha no cio, a potranca que aquele garanhão fode segurando pela crina… Gozo muito com ele, tenho múltiplos orgasmos ininterruptos e já cheguei a desmaiar uma vez, tamanho o espasmo que se apossou do meu corpo durante o clímax. O Lê é uma máquina de sexo – proporcional ao apetite insaciável que eu tenho. Digo que o que um dá é a medida exata do que o outro espera. Trepamos muito e agora estamos dando asas às nossas fantasias mais insanas e mundanas e que não são poucas! Porém,apesar da minha vida sexual ser das melhores, ainda penso com saudade naquelas tardes… Acontece que cada qual tomou um rumo diferente na vida: MF é casada e mãe de um filho, W mudou-se e nunca mais soubemos dela, restando apenas eu e F, que hoje é proprietária de um renomado salão de beleza da nossa pequena cidade. Recentemente fui ao seu salão para fazer uma hidratação e cortar as pontas dos meus cabelos,quando nos reencontramos… Ela trabalhava com um guarda-pó amarelinho, que destacava ainda mais o tom da sua pele morena-jambo. Uniforme que era feito de um tecido muito fino e delicado, deixando-se perceber, mesmo que com pouca nitidez, a lingerie que ela usava. E através do tecido que a cobria,percebia-se as formas de seu corpo de mulher. Eu olhava o vai e vem dela entre as clientes do salão e a achava deliciosa. Hipnotizada por aquela Vênus que desfilava diante de mim, sacanamente me recordava das nossas tardes à beira da piscina, do sol brilhando sobre nossos corpos molhados e nus, do toque daquela pele que fazia a minha ferver, daquela boca miúda que me fazia derreter,vertendo em espasmos de tesão o meu mel, que era imediatamente sugado, até a última gota por ela. Lembrei-me daquela xaninha peluda e daquela bundinha que se insinuavam, pedindo serem fodidas pelos nossos dedos e brinquedinhos. Voltei ao tempo e me percebi molhadinha de tanto tesão que estava sentindo e cheia de desejo de reviver aquelas loucuras adolescentes. Tentei comportar-me como uma mulher normal, mas cada vez que ela tocava meus cabelos,um arrepio de tesão me percorria o corpo, enchendo-me de desejo… Rimos e falamos sobre frugalidades, F perguntava sobre a minha vida, já que eu não moro mais na cidade e só retorno uma vez por mês, para visitar meus pais, falou de si, das pessoas que nos eram queridas, dos nossos desafetos… Pouco a pouco as clientes foram embora, restando apenas nós duas… O papo corria bem até que F tocou no maior tabu das nossas vidas: as tardes abeira da piscina… A princípio, não soube como agir, visto que jamais toquei no assunto com quem quer que fosse, no entanto, ela naturalmente confessou-me que sentia saudades daquilo. Fiz de desentendida, balbuciei alguma coisa e tratei imediatamente de fugir do assunto. Na minha mente, as recordações “gemia, me contorcendo enquanto as outras revessavam nas posições. Eu passivamente, só fazia enlouquecer de tanto tesão!”, faziam com que eu desejasse reviver aquilo: “nos arranhamos e sugamos umas às outras,num espasmo que nos consumiu todas as forças, arrebatando-nos. Pouco depois,jaziam as quatro, jogadas no piso à margem da piscina… nuas, exaustas…Contudo, sorridentes de satisfação”. Admito que tal confissão me deixou transtornada, tanto que gozei com a simples massagem que ela me aplicou nos cabelos. Fui embora com o corpo fervilhando de tesão e a cabeça com os mais obscenos pensamentos. E tinha a certeza de que ela havia percebido o quanto aquilo havia me alucinado. Acontece que uma das maiores fantasias do meu parceiro é a de me assistir numa transa homossexual, caindo de boca numa xota, trepando gostoso com outra mulher. Confessei recentemente a ele a história da minha adolescência pregressa e ele ficou alucinado por descobrir em mim, uma fêmea cujos desejos e taras eram tão mais obscenas quanto as que ele próprio possuía. Passadas duas semanas, voltei ao salão de F, para mais uma hidratação e confessei-lhe os pormenores do meu relacionamento, inclusive a fantasia do meu parceiro e o meu desejo de realiza-la. Qual foi a minha surpresa quando ela me virou para si e me deu um longo e tesudo beijo na boca… F fechou as portas do salão e tirou o jaleco, cada botão que ela abria mostrava para mim um corpo delicioso de mulher… Eu não me continha! Diante de mim,restava ela, vestindo apenas uma calcinha: aquela morena deliciosa, cujos seios continuavam firmes e com os biquinhos apontando para cima, suas formas estavam mais esculturais. Toquei-lhe e a vi toda arrepiada, que de imediato, me despiu… Rolamos gostoso pelo piso do salão… A energia que penetrava nossos corpos fazia-nos ferver de tesão. Eu me arrepiava ao sentir os bicos daqueles peitos roçarem minha pele, enlouquecia com aquela boquinha beijando e lambendo meu corpo todo. F lambeu cada centímetro do meu corpo,mordeu-me e sugou-me deliciosamente. F me mordia, me arranhava, me dizia obscenidades… Ela sabia e não havia se esquecido do que eu gostava na hora do prazer. “vou te foder, minha cadela”, ela metia seus dedos dentro da minha xana, dentro do meu rabo… fazia uma DP gostosa em mim. Eu enlouquecia e prontamente retribui. Fizemos um 69 gostoso e cheio de tesão, gozamos feito duas cadelas no cio, tremendo e gemendo – como nos velhos tempos! Sentimos o néctar encharcar nossos sexos, que foram sugados até a última gota, até o último gemido… Na quela tarde, F não me cobrou o tratamento…   E brevemente voltarei, agora para levar meu namorado para “cortar os cabelos” e realizar sua fantasia. Mais uma vez com as portas do salão fechadas.

NÃO TENHO O QUE COMENTAR….

IGOR

Temos uma relação muito gostosa…

PACIENTE 24119-1

Meu nome Bruna tenho 29 anos, sou clara bronzeada do sol tenho 1.75 de altura peitos grandes redondos e macios, cabelos grandes. 

Sou vaidosa sempre de unhas pintadas de preferência vermelhas.  Sou casada há 10 anos meu marido Pedro tem 32 anos, alto tem 1.90 de altura, branco com pele bronzeada e olhos castanhos quase verdes e tem uma, rola (aiiiii), grossa e gostosa. Só de pensar na rola dele fico doida de tesão, minha buce tinha está molhadinha e sentindo arrepios de tesão pelo corpo só em pensar em nós. Temos uma relação muito gostosa, somos muito safados. Deu vontade, a gente trepa em qualquer lugar.
Comecei a ter curiosidades em relação anal, pois tenho um grupo de meninas e falamos muitas putarias e isso me deixa mais excitada ainda.
Fiquei o dia todo lhe mandando mensagem de putaria e fotos minhas peladas, seio quanto ele fica excitado com isso. Quando ele chegou coloquei-o no carro,vendei seus olhos e levei-o para um Motel. Quando chegamos ele ficou louco de excitação com a surpresa, já chegou de pau duro,aquela rola explodindo pelo short sem sunga estava me deixando louca.
Começamos com uns drinks, queria deixa ele altinho pois queria dar meu cu, ele nunca tinha comido um e nem eu tinha dado. Coloquei-o na cama de bruços com uma música bem excitante e comecei fazer uma massagem com um óleo de massagem.Cheguei baixinho no seu ouvido e lhe disse: “Sua mulher me pagou para eu foder com você, ela me pediu uma puta casada, pois você adora comer mulher casada”,nesse momento ele se arrepiou todo de tesão e a piroca dele linda e grossa me chamando. Comecei a massagem com leves toques, como ele estava de bruços beijei toda a sua budinha, linda por sinal, e cheguei nas suas bolas. Comecei a chupar e com amão fui acariciando seu pênis fazendo movimentos circulares, depois de vai evem passava a língua atrás das bolas deixando-o louco, cai de boca no seu pau,chupei tanto, mais tanto. Ele gozou, engoli tudo, sabia que isso o deixaria louco. Que piroca gostosa!!!! Ele se virou me pegou pelo cabelo e falou: sua puta agora é a minha vez! Começou ame beijar toda, falava no meu ouvido o quanto me desejava o quanto seu pau estava latejando que eu era a sua puta preferida que ele iria me foder com força. Eu gemia, gritava de tanto prazer, buceta extremamente encharcada.
Ele foi descendo com a sua boca e começou a passar a língua pelo meu corpo ai começou a passar sua mão bem delicada na minha bucetinha ainda de calcinha,passando os dedos bem de leve colocou a minha calcinha para o lado e começou a passar a língua na minha virilha bem suave, meu corpo estremecia de tanto prazer. Ele me olhou com uma cara de safado e falou: “agora vou chupar seu grelo e você vai gozar na minha língua.” Colocou seu dedo bem suave e ao mesmo tempo firme na minha vagina e com a língua me chupando. Que boca macia. PUTA QUE PARIU. GOZEI, GOZEI MUITO!!! Jogo ele na cama e começo a cavalgar deixando-o louco de tesão, ele fala no meu ouvido para eu ficar de quatro que ele vai fuder toda a minha bucetinha. Ele sabe que amo fuder de quatro. Ele colocou o dedinho no meu cu e começou a colocar de leve, e eu ficando mais excitada, a sua piroca latejando na minha buceta e ele fazendo isso foi quando eu pedi come meu cu, já sabia que ele estava louco de tesão e eu já tinha falado com ele que estava tendo vontades de dar meu cu para ele. Ele me olhou e colocou bem devagarzinho e fomos aumentando a velocidade, que sensação gostosa de prazer. Ele gozou com tanta vontade que escorreu porra do meu cu.
Abraçamo-nos ainda bem suados, aquele cheiro gostoso do sexo ainda no quarto e rimos de prazer. Foi uma das melhores fodas das nossas vidas. Depois disso ele vive pedindo meu cuzinho. 

Se para alguns o sexo anal é uma forma de apimentar a relação, outros nem cogitam a possibilidade de fazê-lo, seja porque não gostam ou porque acreditam que é perigoso, sujo, faz mal ou simplesmente porque dói. Mas,  os muitos tabus que cercam esse tipo de sexo o tornam um prato cheio para inverdades.  Só que, assim como qualquer outra prática íntima, o sexo anal requer certos cuidados com a saúde, preparo psicológico, respeito e delicadeza. De maneira geral, não costuma trazer complicações – desde que seja consensual.

QUANTO A NÓS…

Imagem relacionada

Já…

Saboreou meu mel
Senti suas essências
Bebi seus fluidos
Desvendei seus segredos
Nossas peles combinaram
Nossos cheiros contaminam
Nossas sensações se envolveram
Nossas emoções se fundiram
Nossos gemidos ressoaram
Nossos orgasmos explodiram
Nossas lavas se fundiram
Em penetrações, em beijos
Em toques, em caricias
Em evoluções ritmadas dos desejos
Ondas de anseios
Palpitações, tesão
Realização dos sonhos do coração
saciando corpo e alma
Contaminando, viciando
Do amar com amor realizado
Insaciável tesão
Dependente coração.

À TI SANTAS…

EU…

Estou no teu sorriso e na tua lágrima, no teu sonho realizado e na amargura do teu fracasso. Sou companheiro de todos os voos da tua alma. Vivo no silêncio secreto da tua intimidade e conheço todos os teus gemidos mais íntimos. Para mim sempre foste de cristal…
Já ouvi várias vezes a tua história, pois foste tu mesmo que a contaste. Sempre estive mais disposto a ouvir do que a falar.
Sou o teu confessionário secreto e, portanto, o mais fiel das testemunhas de quem realmente és por trás da máscara da personalidade e do teatro do mundo. De mim não precisas esconder nada, pois sei tudo.
Sou dono de teus mais caros segredos, mas os respeito com a dignidade de um confidente silencioso. Afinal, existe mais sabedoria no silêncio do que nas palavras…

Celso vai até a cozinha também e começa a falar comigo…

PACIENTE 17119-3

Olá meu nome é Camila mas minas amigas me chamam de lia tenho 28 anos sou loira 1.72m 64 kg bronzeada estilo mulherão.

Pois bem o que aconteceu comigo foi dias atrás, Laura uma amiga minha da faculdade me convidou para jantar e dormir em seu apartamento, pois fazia tempo que não nos víamos por estar mora em outra cidade e como veio visitar seus pais e me convidou na hora aceitei cheguei lá por volta das 19 horas estava ela seus pais e seu avô, que morava sozinho próximo dali pois já era viúvo. Bom colocamos o papo em dia o jantar foi muito bom, só que seu avô não tirava os olhos de mim, um minuto no começo não dei bola só que como sou safadinha, comecei a gostar daquilo e corresponder com um sorrisinhos pra ele, passado um tempo os pais de Laura falaram que iriam dormir pois estavam cansados e que celso que era o avô dela iria dormir ali, pois já estava tarde pra ele ir embora sozinho. Nos deram boa noite e foram para o quarto e Laura disse que também iria dormir pois estava cansada da viajem e que no dia seguinte conversaríamos mais , ai então já que todos iriam dormir eu também iria, só iria até a cozinha beber água e já iria pro quarto, nisso seu Celso vai até a cozinha também e começa a falar comigo pergunto se eu tinha namorado, eu disse que não daí ele disse que eu era linda e que se tivesse medo de dormir sozinha, podia chamar ele, eu dei sorrisinho e fiquei quieta, ai depois que tomei água me dirigi ao quarto e ele para o dele que era no mesmo corredor mas pra outro lado e no corredor tornou a dizer que se eu quisesse companhia era chamar, ai criei coragem e disse que sim que aceitava e ele disse: serio que vc quer? e eu disse que sim, mas que ninguém poderia saber, e que não poderia ser a noite toda ai ele que tudo bem, que eu fosse para o quarto que ele iria no dele pegar a chave para trancar por fora, fui pois o meu era no fundo do corredor longe dos outros, ai ele voltou e entrou rápido trancamos a porta ligamos somente os abajur e começamos a nos beijar, ele disse que percebeu que eu estava afim dele e que ele me queria desde o começo e eu disse agora sou toda sua fomos tirando a roupa ele babou quando tirei a minha e quando tirou a dele, nossa apesar da idade de 72 anos tinha uma rola imensa deveria uns 21 cm grossa ele tinha um corpo legal era magro me ajoelhei, mamei gostoso naquela rola gostosa por um tempo que já estava a ponto de gozar e eu com muito terão que velho gostoso fui para cama ele me beijou foi até meios chapa-los que são grandinhos beijou minha barriguinha depois até minha bucetinha melada cheirosinha com um risquinho loiro chupou muito, que me fez gozar ai ele veio por cima de mim e começou a meter aquela rola gostosa falando que me comer todinha, que eu será mulherzinha dele, que ele me queria só pra ele depois mudamos de posição fui por cima dele, cavalguei gostoso com ele chupando meus seios, depois de um tempo ele colocou de bruços na cama disse que queria meter no cuzinho, eu disse que não aguentaria aquela rola enorme mas disse que colocaria devagar, ai aceitei ele chupou meu cuzinho depois começou a colocar nossa que dor meteu por pouco tempo mas adorei, ai ele me virou de frente meteu de novo na bucetinha até gozar, como um cavalo ficou um tempo ainda com a rola dura lá dentro me beijando depois que amoleceu, ele tirou ficou um tempinho do meu lado dizendo que a melhor transa da vida dele, e eu disse que foi a minha também, nossa que homem ai ele levantou prase vestir e ir para o quarto dele ai eu me levantei e o agarrei e o beijei muito acho durou quase 5 minutos o beijo e disse a ele que queria velo de novo em breve pra repetir e quem sabe até continuar juntinhos ? Bom algo inesperado aconteceu, minha avia me convidado pra ir à casa dela a um tempo atrás pra nos vermos como ela mora em outra cidade nos vimos somente quando ela vem pra cá, bom fui conversamos bastante e pra variar o avô dela estava mas na presença dela e da família dela quase não nos falávamos então ninguém imaginava nada, pois bem era um sábado atarde e por volta das 4 horas da tarde os pais da minha amiga saíram pra ir ao mercado e minha amiga foi tomar um banho, então ficamos só eu e o avô dela pra nossa sorte o tesão na hora subiu fomos para o quarto que transamos quando nos conhecemos imaginamos que ia dar tempo de transarmos, pq minha amiga geralmente demora no banho então passado cerca de 20 minutos enquanto transávamos loucamente minha aparece no quarto e nos flagra no ato foi o maior susto na hora ela ficou muito brava, e acabou contando aos pais dela e deixou de ser minha amiga .

PACIENTE 17119-2

Meu nome é Cris. Tenho 32 anos, 1,73cm, cabelos e olhos castanhos. O que vou contar a vocês aconteceu a mais ou menos 2meses e foi a melhor experiência da minha vida. 

Desci para o litoral para fazer companhia para meu afilhado que estava com alguns amigos em uma casa de praia dos pais de um deles. Fui com meu marido, mas ele, teve que ficar em Friburgo para terminar alguns negócios, então tive que descer a serra sozinha. Fui na sexta-feira e quando cheguei à noite, vi que meu afilhado não estava na casa. Descobri que ele só iria chegar no sábado, mas todos seus amigos, uns 6 jovens entre 21 e 25 anos já estavam lá. Perguntei dos seus pais e namoradas, mas eles disseram que os pais só viriam no sábado e deixaram as namoradas em casa para poderem curtir o final de semana sossegados. Estava muito calor e os meninos estavam somente de bermuda e sem camisa. Vou te falar uma coisa, todos eles tinham um físico invejável. Apesar de estar a noite, o calor era insuportável e eles me convidaram para tomar uma cerveja. Mais tarde, percebi que eles me olhavam com cobiça… não tiravam os olhos das minhas pernas e do meu decote. 
Um deles perguntou se eu conhecia as praias ali perto, e eu disse que não, que era a primeira vez que estava por ali. 
– Coloca um biquíni e vamos conhecer uma praia aqui pertinho, disse um deles. 
Era obvio que eles queriam ver mais que o meu decote, mas aquilo me excitava e deixei me levar pelo tesão da aventura. Fui até um dos quartos, coloquei um biquíni, uma camiseta regata e uma bermuda bem curta. Quando voltei, percebi que estavam cochichando e de repente soltaram um sorriso malicioso para meu lado. Sabiam oque queriam e eu também. Dois deles se ofereceram para me levar a praia, foi quando surpreendi a todos. 
– Por que não vamos todos. afinal ninguém vai querer ficar sozinho aqui. 
Foi aí que todos eles se excitaram. Pude perceber os paus deles duros fazendo volume nas bermudas e sungas. Trancaram a casa e fomos nos 7 (eu e meus 6 meninos) para uma praia deserta ali perto. Sempre tive tesão de transar em lugares públicos, mas nunca tinha sido na praia e isso me deixava louca de tesão. Caminhamos pela praia por uns 30 minutos quando um deles perguntou se eu não queria tirar as roupas e ficar de biquíni já que estava muito calor. 
– Só se vocês tirarem a roupa primeiro, disse a eles com um sorriso malicioso. 
Aqueles meninos estavam loucos de tesão. Imagina que imediatamente, eles tiraram as bermudas e sungas e ficaram os 6 completamente nus na minha frente; todos eles estavam com os cacetes eretos louquinhos para me deflorar. 
– Agora é sua vez,disse um deles. 
Tirei e regata e depois a bermuda, fiquei só de biquíni na frente daqueles machos. Eles então vieram e me cercaram, me deixando nos meios daqueles 6 machos. Pude sentir o cacete deles passando pelas minhas coxas e bunda. Um deles, meu deu um beijo na boca,e foi o final para os outros avançassem para cima de mim. Pude sentir as mãos deles, passando pelo meu corpo, arrancando a parte de cima do biquíni e depois de tanga, me deixando nua. Apertavam meus seios, chupavam os bicos, enfiavam os dedos na minha xaninha. 
– Que gata gostosa…. vamos fuder ela gostosa galera…. disse rindo o que me beijava. 
Nisso, de brincadeira, empurrei ele e sai correndo deles…. 
– Vamos ver quem me pega, disse excitada. 
Sai correndo nua e eles vieram atrás também nus. Corri no máximo uns 10 metros, quando um deles me agarrou pela cintura e me derrubou na areia. Aí eles juntaram em cima de mim. Dois deles seguraram meus braços, outros dois abriram minhas pernas, me preparando para o primeiro cacete da noite; 
– Vai aprender anão fugir dos seus machos, vadia. 
Ele deitou em cima de mim e me penetrou com força… de uma vez só, o cacete dele entrou com tudo na minha buceta. Ele começou um vai e vem violento, apesar de estar doendo um pouco, morria de tesão sendo penetrada daquele jeito. Gemia muito…. e os meninos riam. 
– Agora é minha vez, mané, vaza. disse um negro de 24 anos. 
O cacete dele era enorme, vi até uma veia saltando daquele pênis enorme. Na hora que vi aquela cabeça vermelha na entrada da minha xaninha, tive que certeza que iria gozar.Numa estocada fenomenal, ele enfiou até as bolas…. soltei um grito de dor e gozei descompassadamente. Me segurou pela cintura e começou a estocar com força… Uma, duas, três estocadas, me faziam ver estrelas…. pude sentir a porra quente dele jorrando dentro de mim. 
Estava exausta como sexo com aquele negro e perdi as forças de tentar me libertar dos que me seguravam. Mas alguns eles não tinham se aproveitado de mim ainda, então um deles me colocou de 4, e enfiou o cacete na minha xaninha, outro se colocou na minha frente e enterrou o pau na minha boca. Ele segurava minha cabeça e ia enterrando o pau dele cada vez mais fundo na minha garganta até eu engasgar e tossir pra valer, para o delírio dos meninos. 
– Eu quero o cuzinho dela, disse maliciosamente o mais marombado deles. 
Me levantaram e me seguraram pelos braços, forçando-os para baixo, para eu ficar de pé, mas de quatro. O marombado, me segurou pela cintura, deu um cuspida no meu cuzinho e enterrou o dedo fundo…. soltei um grito de dor. 
– Calma querida. oque vem depois é bem maior que meu dedo, ria; 
Senti a cabeça do pau dele forçando os meus anus, mas como era grosso não estava entrando; nisso ele enfiou dois dedos no meu cu… gemi com aquela dor dilacerante. Depois três dedos…. quando ele percebeu que eu estava pronta para o “prato principal”. A cabeça foi entrando com dificuldade, mas quando passou pela porta dos anus, ele não se importou em ir devagar. Enfiou de uma vez e foi estocando com força, para eu sentir as bolas dele batendo na minha bundinha…Tive vontade de cair na areia, mas os outros dois me seguraram pelos braços, me deixando na posição preferida deles. Estava ensopada de suor e de tesão….quando senti o liquido quente vazando dentro de mim. Mas não acabou aí, outro veio, e me penetrou novamente… minhas pernas estavam bambas de tanto ficar naquela posição, quando cai ajoelhada na areia. Nisso um deles me empurrou de bruços na areia e me penetrou ali mesmo, não vai e vem descompassado. Não demorou para eles gozar dentro de mim. Outros dois me penetraram a bucetinha e fizeram questão de gozar na minha cara; 
Quando voltamos para a casa de praia, pedi para eles não comentarem o ocorrido, e eles disseram que era um segredo nosso, e que eu sempre seria convidada para as festinhas deles. Eu prontamente, disse que não iria perder nenhuma. Fui tomar um banho para tirar a areia do corpo e cabelos, mas o negro e o marombado, invadiram o banheiro com os paus duros e nos três fodemos gostoso embaixo do chuveiro… no sábado, meu afilhado e os pais de meninos chegaram e curtimos bem o final de semana. No domingo à noite, todos foram embora, fiquei somente eu e o rapaz dono da casa… o que fez questão de gozar na minha cara. Fomos correndo para a mesma praia e ele comeu meu cuzinho e me pediu que eu engolisse toda a sua porra. Apesar de não gostar, engoli cada gota caindo na minha garganta, como agradecimento pelo final de semana maravilhoso.


Segundo o relato, ela está sendo tocada por outros sujeitos em seu órgão genital, enquanto estes riem e falam bobagens, para “tirar onda” com a situação. Ainda segundo o relato, ela não tem reação, estando visivelmente em desvantagem. Isso, por si só, configura o estupro. Mulheres não podem ser tocadas quando não têm condições de reagir. No entanto, surgiram algumas revelações: ela não negou em nenhum momento. Olhando assim, parece ser definitivo: ela é culpada e não há vítima na história. Mas a vida real é um pouco diferente disso. Ela não tinha como lutar. E estava sem condições de se defender naquele momento. Isso, por si só, transforma em selvagens aqueles sujeitos, de todas as idades, que se aproveitaram da situação. Isso é estupro. E quando o Código Penal fala em estupro, ele não fala em momentos pregressos da vítima, não fala em exceções por continuado, ter má fama ou ser prostituta.

COMO UMA HISTORIA PODE TER DIVERSAS INTERPRETAÇÕES….

…disse que me viu nua de bruços na cama com meu marido atrás de mim.

PACIENTE 17119-1

Sou casada a 20 anos tenho 43 anos e um filho único de 16 anos a muito tempo venho percebendo seus olhares pro meu lado principalmente minha bunda e eu comecei a provocá-lo andando com mini saias e deitando de bruços no sofá .

Então vi que estava na hora de agir e fui ter uma conversa com ele sobre sexo e ele me confessou que já não gera mais virgem e que já viu eu e seu pai transando e que ficou com tesão quando viu.
Perguntei-lhe o que ele viu e ele sem jeito disse que me viu nua de bruços na cama com meu marido atrás de mim e eu com as duas mãos abrindo a bunda pro meu marido ver meu cu e que tbm ouviu meu marido dizer que eu tinha um cu lindo ele continuou dizendo que se esforçou pra tbm ver mas que na posição que estava ele não conseguiu ver e que daquele dia em diante passou a imaginar e sonhar em um dia ver minha bunda aberta e matar essa vontade que o fazia ficar louco.
Perguntei a ele se ele já tinha visto o cuzinho de alguém que ele ficava ele disse que as meninas tinham vergonha de mostrar apenas pela internet porém queria ver um ao vivo e queria que eu fosse a primeira a lhe mostrar pois queria saber se meu cu era tão lindo como ele imaginava que fosse, me pediu desculpa e virou pro lado , confesso que fiquei feliz em saber que meu filho queria ver minha autoestima ficou lá em cima e decidi que ia sim mostrar o que ele queria ver mas tinha que ser um momento especial e como o seu aniversário estava chegando resolvi que esse seria o meu presente pra ele. Dei-lhe um beijo e fui pra meu quarto deitar e passei a noite pensando o que meu cu tinha de especial até que não aguentei e me levantei e fui em frente do espelho virei-mede costas me inclinei pra frente e com as duas mãos abri minha bunda pra eu ver meu cuzinho e pela primeira vez reparei que meu cuzinho era rosa e bem desenhado notei que tinha alguns pelos e decidi depilar.
No outro dia eu e meu filho nos falamos bem pouco notei que ele estava ainda sem jeito pela nossa
conversa que tivemos. Chegando o dia de seu aniversário tive a ideia de tirar algumas fotografias do meu cuzinho para dar-lhe de presente então chamei uma amiga para me ajudar e expliquei a situação a ela.
Ela me chamou de maluca e pervertida mas disse que me ajudaria logo fiquei nua e me pus de quatro na cama e com as duas mãos abri bem minha bunda e ela foi logo tirando várias fotografias em diversas
posições e ainda me elogiou dizendo que meu filho iria adorar e me perguntou pq eu não mostrava ao vivo disse a ela que eu tinha vergonha pois tinha medo que meu filho pedisse para tocar e ela foi mais longe dizendo que eu deveria ser a primeira a dar o cuzinho pra ele.
Fiquei pasma pois mostrar o cu a meu filho até ia mas deixar ele meter ainda não tinha me passado pela cabeça.
Fiquei calada e pedi a ela me ajudar a escolher uma foto que essa do conto acreditem esse cuzinho é o meu e é a foto que dei? Ao meu filho para imprimir e decidimos por uma onde estou de quatro e meu cu aparece bem nítido porém meu rosto não aparece e assim foi.
Chegado o dia de seu aniversário preparei tudo durante o dia pois a festa seria a noite eu tinha comprado um tênis que ele tanto queria e dentro da caixa pus a foto em cima para que assim que ele abrisse seria a primeira coisa a ver.
Tico pronto seus amigos e parentes chegando e meu presente guardado pois daria no final quando todos tivessem ido embora.
A noite transcorreu normalmente e os convidados começaram a ir embora meu marido junto com os
convidados beberam todas e ficou bêbado perdendo a noção de tudo eu apreensiva com receio de dar meu presente pensando um monte de coisas e ver meu marido embriagado e dormindo como uma pedra me enchi de coragem e chamei meu filho até a sala e com o presente na mão dei-lhe os parabéns dei-lhe um beijo e falei aqui meu presente ele pegou me agradeceu e me disse que queria outra coisa minha e eu sabia o que era lógico que eu sabia quando ele foi abrir disse que era pra ele abrir no quarto e que eram dois presentes.
Ele foi e eu fui tomar meu banho meu coração parecia que ia sair pela boca.
Se passaram uns 20 minutos e quando eu sai do banheiro pus um fio dental e uma camisola bem fina e fui até a cozinha pegar uma bebida ao voltar resolvi ir no quarto do meu filho com a desculpa de dar boa noite e vi que a luz estava acesa quando entrei vi meu filho sentado na cama com a foto na mão entrei fechei a porta e fui logo perguntando.
Então filho gostou da foto?
Ele ficou em silêncio por alguns segundos e foi dizendo assim.
Mãe não é a senhora nessa foto pq está fazendo isso me torturar dessa maneira falei que era eu sim na foto ele disse que meu cu não poderia ser perfeito e lindo daquele jeito e que só acreditaria se visse ao vivo caso contrário jamais aquela foto iria representar o cu que ele sempre sonhou em ver.
Fiz de tudo pra ele acreditar que o cuzinho que ele via na foto era o meu mas não teve jeito fiquei nervosa e fui pra sala peguei outro drink e me sentei no sofá pensando como convencê-lo a acreditar então disse pra mim já que meu filho quer ver meu cu vou mostra-lhe ao vivo e que seria hoje ainda e tirei a camisola e fiquei apenas de fio e bem atolado fui até o quarto do meu filho que estava com a luz apagada e falei no seu ouvido pra ele vir até na sala sai cheguei na sala apaguei a luz fiquei de quatro no sofá e com as mãos abri bem abunda deixando apenas o fio cobrindo meu cuzinho logo ele chegou e eu disse acende a luz filho assim que ele acendeu e me viu com a bunda aberta na sua direção ficou em transe mandei-lhe chegar mais perto e fui dizendo vc não queria ver meu cu agora veja porém meu cuzinho ainda estava um pouco escondido pelo fio perguntei-lhe o que ele estava achando do primeiro cuzinho que estava vendo e
me disse que quase não dava pra ver e se eu poderia tirar o fio logo disse a ele.
Não é vc que quer ver então tira vc tirei as mãos da bunda e ele foi logo tirando se afastou-se e me mandou abrir a bunda e assim eu fiz olhei para trás e vi meu filho hipnotizado quando de repente ele disse mãe fica assim e correu pro quarto e voltou com a foto na mão e começou a comparar o cu da foto com o cu que estava vendo e disse-lhe então se convenceu e foi me agradecendo por eu ter mostrado o cuzinho a ele e que queria agradecer com um beijo no meu cuzinho disse que sim e ele foi chegando perto e eu arregacei a bunda o máximo e sentia língua do meu filho tocando meu cuzinho ficou uns cinco minutos beijando meu cuzinho e eu com o cu pagando fogo até que eu disse chega por hoje e me levantei e ele me disse que outro dia queria ver de novo e talvez um dia poder comer meu cu não disse nada mandei ele voltar para seu quarto e ele foi entrou e apagou a luz e eu fui ao banheiro pois estava com o cuzinho babado quando sai fui até o quarto do meu filho dar-lhe boa noite e vi que ele estava com a luz do celular vendo meu cuna foto perguntei-lhe se ele não cansou de ver disse que nunca cansaria de ver um cuzinho como o meu dei-lhe um beijo e quando cheguei na porta tive uma ideia abaixei o fio me inclinei pra frente abri a bunda e acendi a luz e disse olha filho o cuzinho da tua mãe e fiquei ali uns dois minutos apaguei a luz e sai.

A americana Monica Mares, de 36 anos, e o filho dela, Caleb Peterson, de 19, foram condenados pelo crime de incesto por um júri da cidade de Clovis, no Novo México, nos Estados Unidos. O casal, que foi assunto na imprensa internacional quando os dois assumiram o relacionamento, terá agora que se separar e ficar sem contato.

IGOR.

HOJE NÃO SE LÊ MAIS…

Resultado de imagem para ESCREVER GIF

É preciso escrever um livro branco, no sentido em que não existe nada para nele escrever; o barulho das páginas folheadas nos daria o desejo de partir em demanda. Hoje o livro não é mais do que um produto. Obstrui-se a criação, perturbando o espírito das pessoas. Mais do que nunca, convém calar, guardar segredo. É uma maneira de fazer resistência.

SOU OBCECADA POR HOMENS RUDES….

PACIENTE 16119-3

Sou engenheira de 42 anos, tipo gostosa, solteira e com tara em homens rudes.

Terminei minhas férias…
Dei um giro por Portugal e Espanha. Na Espanha tomando um cafezinho num Bar peguei um rapazinho refugiado. Ele sem banho mas com uma rola grossa que me encheu a xota de gozo. Em Portugal numa praça mirei num homem de gestos europeu e conversamos e fomos num lugar discreto e ele me comeu na xota e no cuzinho. Delícia. Sou engenheira de 42 anos, tipo gostosa, solteira e com tara em homens rudes. Tenho um caso com dois peões da Empresa que trabalho. Voltei das férias com a xota em brasa doida para dar a eles. Fui fazer visita a obra e os vi. Pedi para me acompanharem até o 8° andar. Subimos pelo elevador de cargas. Chegando, entramos em um dos aptos.
Colei no mulato e o beijei com ímpeto. Um homem de 25 anos másculo, alto e com cheiro de suor de exercício que me enlouquece. Me aninho nos seus braços e ele abre minha blusa e me livra do soutean. Imediatamente chupa meus peitões…todo durinho doidos por chupadas… ele chupa um e aperta o outro no bico…vai mordicando e eu delirando… chupa forte… dói e gozo. O negro de 28 anos bem alto, másculo, mais forte, olhar que fumina, cabeça raspada e cheirando a suor forte de trabalho. Ele chega por trás e eu me viro, as mãos calejadas acaricia minhas mamas que tem efeito de desejo.
Me chupa com a bocara de lábios grossos urru… 
chupa… lambe… morde os bicos… ficam vermelhos ardidos… não solta… mama com fúria e gozo. Se afastam e tiram minha saia e a calcinha. Estou nua arrepiada nas mãos desses dois “deuses de ébano”.
Se acocoram e em pé me coloco entre os dois de pernas abertas. Chupam minha xota com gosto seus lábios as vezes se encontram e fazem pressão dupla na xota…gozo e cada um vai para um lugar. Um fica na xota e o outro vai para o cu e eu me escancaro e chupam… lambem…mordica e urro gozando. Me abaixo e eles vestidos, tiram as rolas duras, latejantes, apontadas para minha boca, uma amarronzada e outra preta azulada, gosto, são homens viris e novos, logo estão acessos. Chupo chupo um e outro… abocanhou abocanho um e outro… lambo lambo… querem gozar. O mulato se deita me cima de pilhas de saco de cimento, me coloca em cima do seu corpo e enfia a rola… cavalgo atora da rola preenche minha xana e … sinto um prazer imenso…dá estoca das fortes…urro e gozo…ele continua. O negro vem e se acomoda nas minhas costas e arrebito a bundona e o cuzão e…. introduz a pica no cu… recinto…os hormônios estão alterados…ele cadência e o mulato também… cavalgamos eu com duas picas me comendo e arrebentando… urro… suo… gemo… gozo…continuam… o mulato goza junto comigo … a cavalgada continua a torona no cu… e …vai… vai e eu gozo e ele goza depois. Tiro da pasta lenços de papéis e me limpo. Me visto e descemos e alguns peões nos olham, com leve sorrisos. Pego a assinatura deles e vou embora. A profissão me dá oportunidades de ter oportunidade desde encontrar bons parceiros, para bons momentos. Vamos começar uma nova construção, seleciono intimamente os possíveis parceiros. Vejo uns quatros que me encantam.Dois deles não moram na cidade e ficam no alojamento da própria construção, um barracão rude. Estou doida por eles, durante as fundações, pergunto quem fica no final de semana pois preciso passar para ver alguns detalhes, dois se apresentam um mulato e um negro.
Altos, com cheiro de homens rudes, de suor, de corpo malhado da construção e novinhos como gosto. No sábado à tarde foi a construção, os encontros ainda sujos, descansando em cima das camas rudes.
Visto um shot curto e uma camiseta decorada sem soutien, de salto e toda fresca com o cabelo molhado e perfumada, quero que saibam porque vim. 
Entro e o mulato pergunta:
–    Pois não Dra. estamos às ordens.
Digo:
–    Quero algo diferente.
Deixo a alça da camiseta cair quase mostrando o seio. Eles entendem e se olham,mas ainda não se aproximam, coçam as rolas. 
Me estico e passo a língua na boca, se aproximam e tocam minha pele fecho os olhos, eles vão para o decote e ambos com sincronia chupam… tenho sobressalto e chupam mordendo com fome. Balbuciando digo:
–    Isso chupem estou entregue quero ser comida pelos machos com gosto.
Agora já sabem o que quero é o sabem fazer. Puxam a camiseta cintura a baixo rasgando um pouco, mas desce e cada um se apodera de cada peitão e mamam com tanta fúria que fico molhadinha.
Mulato:
–    Puta coroa gostosa e safada.
Negro:
–    Putona de primeira.
Digo:
–    Sim sim, mas quero tudo.
Tomam contam e mordem com força cada bicão as marcas dos dentes marcam apele… abocanham tudo e gozo me segurando neles, com gosto. 
O negro desabotoa meu shot e o mulato leva-o ao chão. Minha calcinha cada um puxa dos lados e rasgam me resta abrir as pernas e ela cair. 
Eles se admiram com meu corpão bem gostoso, de carne durinha, bumbum imenso e com uma protuberância convidativa.
Se posicionam no chão, um na frente o outro atrás. Um encontra meu bumbum no seu rosto me escancarando o outro me chupa me sacolejo e ele chupa com força e lambe meu mel, trocam de posição e o negro agora me invade a xota toda e tenho delírios.
Mas eles estão com as “toras de rolas” loucas por chupadas. Se levantam e me abaixo.
Mulato:
–    Hora de mamar na mamota.
Negro:
–    Tomar leitinho de porra de potrão.
Balanço que sim. E vou mamando os dois e punhetando com maestria, “elas” são grossas e grandes coisa de raça… chupo preenchendo a garganta e me engasgo… continuo e as cabeças soltam “visgo” e eles se contorcendo com o prazer, “elas” cheiram a macho com suor e gosto de sexo.
Eles me levam, juntam as camas e me escancaro de quatro e o mulato se deita e encaixa a rola… estremeço com o tamanho e grito e o negro vem por trás   e penetra no cuzinho.
Cavalgamos “cavaleando” ” montando” “encaixando”no cuzinho e na xoxotinha… me falta as forças e eles me seguram… tenho convulsão de prazer e sinto o gozo chegar com fúria.
Eles aceleram a cavalgada e sinto o desejo brotando, um tesão fora do comum o mulato urra e goza e o negro continua… rola dura metendo e tirando enquanto o mulato chupa meus peitões me deixando louca… o negro vem e goza soltando urrados alto.
Nos soltamos e minhas pernas escorrem os espermas de ambos.
Eles me levam para o banheiro fora do quarto. Tomo um banho rápido e volto ainda nua e eles estão…

Apetite sexual excessivo, hipersexualidade, Desejo Sexual Hiperativo (DSH), ou Ninfomania (em mulheres) e Satiríase (em homens) é um transtorno sexual caracterizado por um nível elevado de desejo e atividade sexual a ponto de causar prejuízos na vida do indivíduo. Trata-se de um tipo de vício com sintomas compulsivos, obsessivos e impulsivos, e seu tratamento é similar ao de outros tipos de dependências. A prevalência está em torno de 5%, sendo mais comum em homens, porém a dificuldade dos participantes em assumirem o problema por questões morais e sociais indicam que a frequência deve ser maior.

IGOR

Meu sobrinho veio morar comigo por um ano…

PACIENTE 16119-2

Tenho 41 anos, formada em Designer de Modas, mulata clara, gostosa, bunda grande, seios fartos, estatura média,pernas e coxas grossas e cabelos abaixo do ombro.

Sou comerciante do ramo de moda praia. 
Meu sobrinho passou para a Faculdade no Curso de Administração na Federal e minha irmã que mora em outro estado me pediu para que meu sobrinho vem morar comigo por um ano, no próximo ele iria para uma República. Me falou por telefone que as despesas dele ela mandaria. Aceitei sem muito entusiasmo. Moro só e não tenho costume de ter alguém comigo, ele iria mudar a minha rotina. Mas enfim! Ele chegou no domingo e fui busca-lo na Rodoviária. Me surpreendi, um rapaz de 26 anos, mulato claro como nossa família, alto, sorriso largo, calmo pouco malhado e resolvido com suas malas. Me beijou na face e fomos para o carro. Me contou as novidades da família e coisas do seu dia a dia. Me disse que sua mãe recomendou para trabalhar na loja quando estivesse de folga. Chegamos e o encaminhei para seu quarto. Minha casa e confortável fica numa Vila de casa e mais seguro. Tem três quarto e dependência completa onde coloco as mercadorias. Nós três primeiros dias, quase não nós encontramos , por conta da minha correria e da saídas dele para resolver a matrícula.Na quinta- feira por força do hábito,saí de toalha na sala, e o encontro, fiquei sem graça e ele me olhou me despindo. Senti vergonha e saí rápido, me troquei e voltei a sala. Ele estava tomando café, eu nem sentei e tomei um gole de café com leite e fui escovar os dentes, passar batom e perfume. Vim pelo caminho pensando que tenho quer ter mais cuidado. Não ofereci carona porque ele vista para outra região.Na sexta à tarde, cansada só queria casa e cama. Arrumei o estoque, fechei a loja e fui para casa. Quando cheguei,tive uma surpresa, ele arrumou a mesa e tinha feito um jantar. Fiquei muda.
Disse:
– Nossa que surpresa agradável, mas não precisava ter trabalho.
Ele:
– É para comemorar minha matrícula e me colocar a disposição da sua loja. Tenho aulas à tarde. Posso ajudar pela manhã e a noite.
Disse: 
– Você veio para estudar e fico satisfeita se cumprir com suas tarefas. Vou tomar banho.
Ele:
– Te espero. Tomei banho completo molhando o cabelo,passei sabonete e creme corporal. Vesti um short branco quase curto e sexy, uma blusa estampada e sandália dourada. Quando entrei me olhou, invadi o ambiente com o perfume floral.
Ele disse:
– Vai sair? Está tão linda!
Disse:
– Não, não.
Ele: 
–   Então sou sortudo. Me fiz de desentendida. Jantamos e lavei os prato e ele guardou. Reclamei do cansaço.
Ele falou:
– Se quiser posso fazer uma massagem.
Olhei para ele sem graça.
Ele justificou:
– Aprendi num curso e faço muito bem.
Disse:
– Está bem. Me deitei no sofá e ele massageou minhas costas. Movimentos suaves e relaxantes.
Ele falou:
– Se quiser posso fazer todos os dias.
Falei:
– Realmente, você tem mãos de fada, ou melhor de príncipe.
Ele retrucou:
– Sei encantar uma mulher. Dei um pulo do sofá e disse:
– Vamos dá uma volta?
Ele :
–   Se quiser vamos. Peguei a chave do carro e saímos. Fui mostrando algumas coisas interessantes. De repente colocou a mão na minha perna, tremi.
Falei:
– Diego sou sua tia esqueceu?
Ele:
– Tia é mas também uma linda mulher, que venho desejando a semana toda.
Parei o carro e ele me beijou. Fiquei sem ação e excitada, afinal estava sem ninguém.
Rua escura e ele afagou meus seios e gelei. Ele se curvou e baixou minha blusa que quase sai e chupou meus seios.
Dizendo:
– Too louco sem dormir por sua causa. E agora com esses bicos acessos parecem dois faróis.
Me desencilhou da blusa pois estava sem soutean, e segura os dois e chupava mordendo. Voltei a realidade e me arrumei e saímos. Chegamos em casa. Descemos e ele me segurou pela cintura e abraçou. Entramos.
Dentro me beijou, não resisti e me entreguei. Tirou minha blusa e se inclinou e chupou meus seios, “eles” adoraram aquela boca ávida… gemi…mordia e lambia… o tesão me invadiu a alma… gozei. Voltei a realidade e entrei no quarto.
Passei a noite pensando nele. Passei a noite pensando nele, uma “tora “de mulato… de lábios grosso…boca grande… másculo … alto… pernas grossas… bunda empinada… com uma pica enorme… mas não vi só sentiiii. Me levantei, tomei banho e vim para o café e ele já estava fazendo exercícios. Dei bom dia, ele respondeu e disse que o café estava pronto. Me sentei à mesa e veio. Conversei que não era certo que era sua tia, uma mulher mais velha e que se a família soubesse eu seria execrada. Ele disse todos sabem que ele sente atração por mulheres mais velhas e que já teve dois envolvimento os quais amou muito. Só não deu certo porque tinham filhos e ele queria fazer carreira acadêmica. Eu disse: 
– Então façamos o seguinte, temos uma semana pela frente, arranje uma ficante para namorar, para acalmar o fogo do sexo. E veremos como fica esse atração eque no próximo sábado voltaríamos a conversar. 
Ele concordou. A moça que faz a faxina chegou. O convidei para ir a praia, ele aceitou. Tirei um biquíni novo da coleção amarelo e coloquei, me olhei no espelho estava de matar e vesti a saída de praia e fomos. Chegando no local, tirei a saída e ele me olhava, amei seu desejo. Pedi para passar óleo de bronzear, ele passou e me estendia na toalha.
Ele disse:
– Vou caminhar e tomar um banho.
Eu apenas balancei a cabeça que sim.
Ele se foi. Mais ou menos duas horas depois ele voltou, vermelho… suado… lindo…
Disse com uma voz branda:
– A praia é linda e limpa. A água morna, mas linda mesmo é você e deve ser morna … quente… suave… apetitosa… uma delícia de “mergulhar”. Eu me desconcertei e estremeci.
Disse:
– Vamos? Ainda vou ao Salão.
Ele concordou.
Nos arrumamos, entramos no carro e vinhedos. Tomei banho, almocei rápido e fui ao Salão.Fiz depilação, as unhas, e escovei os cabelos. Voltei e ele estava dormindo,acho que o sol o enfadou. Quando acordou propus comer uma pizza num bar da praia. Ele aceitou na hora. Tomei banho, creme emoliente e perfume.Vesti uma calcinha branca minúscula com fecho nos lados, coloquei um vestido branco de costas nua e sandália salmo alta. Quando sai do quarto, ele quase caí de costas. Sorri no íntimo. Pegamos o carro e fomos. Ficamos num Bar de muitas garotas e mulherada lindas. Eu o olhava disfarçadamente e ele olhava as mais velhas, mas de forma geral. Comemos camarão com legumes e arroz. Eu bebi refrigerante e ele uma cerveja. Ficou animado, dividimos a conta.
No carro, ele segurou meu rosto e me beijou com uma certa força, correspondi e ele apertou meus seios. Me soltei e ele me olhou. Disse:
– Vai ficar me atiçando com esse corpão na minha frente, toda douradinha depeitão convidativo e bundão apetitoso, vai?
Puxou minha blusa e os peitões saem, cintilante com as marcas do bronzeado…duros… oferecidos… prontos…
Continuou:
– To com a porra da pica doendo de tesão em você, com fogo de comer esse porrada sua xoxota. Eu sentia a mesma coisa, um fogo naquele macho proibido… Deus de ébano.
E avançou nos seios, mordeu e chupou…gemi queria.
Eu disse:
– Melhor ir pra casa.
Ele:
– Vou procurar um lugar para morar senão enlouqueço, tó afim de você, não é só para comer, é também para viver um romance.
Gelei. Me aproximei dele e o beijei ele me puxou e tirou os peitões da blusa e chupou chupou… mordeu mordeu… mamou nos bicos… gemi. Puxou minha calcinha.
Falei no ouvido dele:
– Vamos pra casa fazer amor ?
Balançava a cabeça que sim.
Fomos e chegamos. Sinda no carro puxou o vestido.
Eu brincando disse.
– Me pegue lá fora.
Saímos do carro e ele me alcançou, tirou o vestido todo. Se afastou e me viu sensual ofegante e quase entregue, fechou os olhos e disse.
– Não vou deixar você pra nenhum homem, agora é minha. Avançou nos peitões… mamou mamou…sugou sugou… lambeu lambeu… eu berrava e urrava… ele mordia mordia os bicos… doía queria gemia… ele enlouquecido me segurava pela bundona. Me apertando na sua rola…chupava puxando…gozei Se desvincular dele e abri a porta, me alcançou. Puxou minha calcinha e passou a mão.
Disse:
– Sabia que era peladinha, macia. Nunca tive uma mulher assim. Quero-a na minha boca e na minha pica. Me senti orgulhosa… desejada…amada. Me enlacei nos seus braços e me beijando o conduzi para meu quarto…minha cama. 
Ele se camisa, me abaixei e tirei junto calça e cueca. Ela pulou amarronzada…dura… saltando… grande… grossa… uma tora. Ele murmurou:
– Quero “minha xoxota “na minha cara, sentir seu cheiro… gosto… e fude-la toda na língua… 
Estremeço. Ele se deitou, eu por cima e me escancarei na sua boca… na primeira respiração dele já estremeci… quente…cheira… lambe… gemo… me puxa e mete a língua… gozo… lambe… suga…grito…
Eu começo… chupando…lambendo… ele geme… abocanho toda toda… geme… chupo…cheirosa… pelada…e. Me puxa me colocando de quatro e enfiou, estremeci, um tesão a flor da pele… vai enfiando… vou gemendo…ele diz… gostosa… apertadinha… lubrificada… minha minha…cachorrinha… gemo…ele minha priquitinha… minha mulher de cama e mesa…grito… gozo. Ele continua… acelera…cadenciado…mulher de 400 talheres… madura… gostosa e mete mete…tira e enfiiia e acelera e goza.
Beijo sua boca… Trepamos o domingo quase todo, mas saímos para ir a praia e fazer as refeições.

 Na segunda-feira fomos para a loja,apresentei-o às duas moças e um rapaz que trabalham comigo. Elas ficaram zoando ele, mas ele não se incomodou.Na metade do expediente pela manhã,faço sinal e vamos para uma sala pequena de materiais. Entramos e fecho a porta colo nele. Me beija e tira minha blusa, me livra do soutean. E… mama… gozo de primeira… chupa meus peitões doloridos… abro sua calça e puxo para baixo com a cueca, ele ainda agarrado nos peitões.
Eu seguro a pica grossa e grande que me arromba, está dura.
Digo rosnando:
–   Mor, não quer comer a minha bucetinha, agora não? Estou doida pra dá.
Balança a cabeça que sim. Tiro minha calça e a calcinha e surgo toda bronzeada. Ele me olha e urra com minha sensualidade, segurando a pica, coloco um seio na sua boca dos lábios grossos para não fazer barulho. Ele chupa. Rápido me acocoro e chupo sua pica,lambo e engulo. Me levanto e de costas me empino toda me segurando no armário e com a perna no banquinho. Ele se aproxima, e enfia… me chamam… digo que já vou… enfia… me come… urro… com ela me arrebentando as entranhas da xota inchada … gozo… e ele goza. Nós arrumamos sem fazer a higiene, nãotem papel.
A tarde ele vai para a Faculdade e eu fico no trabalho. A noite em casa, já na cama no meio da trepada.
Digo:
– Mor quero dar o cuzinho, apertado agora.
Ele sorri pois ama meu cuzinho. Ele chupa a xoxota… lambe toda e me fode com a língua… a sensação é de uma pica menor, mas de pica… morde… eu gosto… gozo. Me coloco de quatro na beirada da cama em cima das almofadas e enfia no cuzinho… grito… ele me arroba com a marrada rolo na… mete mete… choramingo… tira… enfiiia e gozo… continua…cadenciado e goza.
Enxuga meu cu e fica acariciando para acalmar o estrago.
Dormimos. Todos os dias trepamos. Estamos namorando, e somos ciumentos.Alguns já descobriram e acham normal. Trepamos em casa… no trabalho… e nos Motéis.

O tabu do incesto é e tem sido um dos mais difundidos de todos os tabus culturais, tanto no presente e em muitas sociedades antigas. A maioria das sociedades modernas têm leis sobre incesto ou restrições sociais em casamentos estreitamente consanguíneos. Em sociedades onde é ilegal, o incesto adulto consensual é visto por alguns como um crime sem vítimas. Algumas culturas estendem o tabu do incesto a parentes sem consanguinidade, como irmãos de leite e irmãos adotivos. Parentes de terceiro grau (como meia-tia, meio-sobrinho, primo-irmão), em média, compartilham 12,5% de genes, e as relações sexuais entre eles são vistas de forma diferente em várias culturas, desde ser desencorajado a socialmente aceitável.

IGOR

Eu sinto falta, mas ele não parece se incomodar…

PACIENTE 16119-1

Tenho 48 anos e cabelos escovado.

Sou casada com um homem profissional liberal,quanto a mim sou administradora de empresas. Estamos casados há 21 anos e temos uma filha de 20 anos cursando Faculdade. 
Nossa vida sexual está muito apagada, sem uma apimentada de estímulo. Eu sinto falta, mas ele não parece se incomodar. 
Sou do tipo gostosona… seios fartos… bundão… pernão e bocarra… Quando ando pareço que estou prestes a gozar tamanho é o rebolado. 
Numa reunião de empresas sobre gestão de pessoas, vi um homem em torno de 45 a 50 anos bem cuidado. Nossos olhares se encontram, no intervalo do almoço passa por mim e me cumprimenta, esboço um sorriso. Ele vai até o banheiro, na volta senta do meu lado.
A reunião reinicia e sempre nos olhando. Ao termino me oferece carona,argumento que vou atrapalha-lo, diz que não. 
Vou ao banheiro e me arrumo, escovo os dentes e passo batom, desabotoou um pouco a blusa e tiro o blazer.
Me despeço de alguns colegas e saímos discretos.
No carro me pergunta se quer comer algo. Aceito e paramos num lugar bem reservado. Sentamos juntos, roça na minha perna e a mão sem querer. Ousada cola a mão na coxa e estremeço, retiro. Após o término saímos.
O carro está estacionado num local deserto, mas tem vigia. Quando entramos não liga o carro e diz.
– Você além de inteligente e competente me atrai com seu encanto, pena que é casada.
– Podemos nos ver mais vezes? Não quero te perde de vista.
Digo que sim. Se vira e me beija, deixo, há muito estou querendo algo que me leve a loucura. Ele comenta.
– Sua blusa me acaba querendo ver o que está dentro, e num gesto lento de ousadia abre o resto, cheira meu pescoço e desce, beija os seios por cima. Não oponho resistência e ousadamente desabotoa meu soutean afasta e mordica de leve meus seios… beija suave… chupa só os bicos… estremeço e volta a me beijar. Diz.
– Um pecado deixar uma mulher assim sem carinho. Enche os olhos de lágrimas. 
Volta para os seios… beija… mordica… suga estremeço no banco. Confessa.
– Dormiria mamando todo dia nesses seios durinho bom de chupar. Estou desconcertada.
Suspende minha saia e ver minha calcinha. Abre o zíper da própria calça e tirada cueca. Salta grosso agarro… suave… lateja… faço movimentos de masturbação…se agiganta e engulo minha saliva. Diz.
– Quero você agora. 
Volto a realidade e digo que já é tarde e que quero ir embora. Concorda e nos arrumamos, gravamos os números dos meus celulares e saímos.
Diz que quer me ver no dia seguinte e digo que me ligue para confirmar. Fico na esquina perto de casa.
Chego arrumo as coisas e tomo banho para dormir. Espero o marido para fazer amor,mas ele está cansado… Dormi e acordei algumas vezes pensando nele…
Acordei e fiz as coisas de rotina e fui me arrumar. No banho penso nele me tocando. Hummmm.
Ficamos de nos encontrar hoje, uma terça-feira, sondo em casa o clima vejo que é possível. Meu marido vai viajar ver uma encomenda em outra cidade e minha filha vai dormir na casa de uma colega, tem prova. 
Aviso que chegarei tarde, mas o celular vai estar ligado. Preparo uma bolsa com artigos de higiene, calcinha e langerie. 
Confirmo que posso no final da tarde. Mas peço ao chefe para sair às 15:00 ele libera. Ele consegue também uma meia folga.
Vou ao centro da cidade no calçadão e nos encontramos. Vamos para um m
Motel num bairro um pouco afastado. No caminho vai me beijando e apertando os seios e coxas. Fico nas nuvens. Quando chegamos peço para ir ao banheiro. Tomo um banho rápido, escovo os dentes e hidrato a pele. Coloco a camisola da foto que anexo e escolho uma calcinha curtíssima, brilho nos lábios e escovo o cabelo. 
Saio e sou puro pecado, fica sem fala e se aproxima. Me arrebata e diz.
– Quero casar com você. Sorrio e digo que já sou.
A mão corre solta e estremeço a cada toque. Aperta meus seios ainda na camisola e num gesto o desnuda e chupa… salto tamanha é a tesão. Murmura.
– Quem não tem competência de ter uma mulher assim perde fácil, fácil. 
Desata o laço da camisola e “eles” se apresentam… em pé… firme.Ele olha e chupa um e aperta o outro. Tenta tirar a camisola, mas não deixo.
Volta a me beijar e tira a calcinha até as coxas e bolina a xana… aperto aspernas, mas não é obstáculo força com a mão… abre os lábios e sente meu mel nas mãos e leva a boca. Deliro.
Me solta e tira a calçam, pois, a camisa já tinha tirado. Diz.
– Quero te amar, fazer amor, não sou bruto. Balanço a cabeça. 
– Por que te quero tanto desde que te vi? Acabo me apaixonando.
Me beija forte e desce para os peitos tenta tirar a camisola e consinto. Puxa a calcinha e escorrega. 
Me olha me rodando e me apalpa toda. Alisa meu bundão. Fala.
– Que colchão macio e durinho. Me orgulho. 
– Te quero para lhe fazer mulher e me saciar de desejo. 
– Aprecio uma mulher madura… plena… tem o viço do desejo…desabrochada… 
Me leva para a cama e abre minhas pernas, chupa o grelo duro, levando o bumbum de tesão e vai chupando e me mimando com palavras e gozo … lambe… enxuga com a boca meu mel. 
Se posiciona para um 69 e nos chupamos, uma rola cheirosa … macia…depilada… engulo toda e ele para de me chupar e urra. Volta a penetrar com a língua minha xana não vai a vem e gozo.
Ele está preparado, se posiciona e me penetra sem camisinha … vai fundo…diz palavras carinhosas e picantes. Acelera e diz que vai gozar e me espera e gozamos.
Passamos a tarde juntos…
Entre beijos e chamegos…
Mas a realidade nos espera e por último chupa meus seios e diz que é só dele. 
Quando nos despedimos diz que quer me ver muitas vezes. Estou realizada foi uma tarde de sonho.
Fui pra casa sem vontade, mas os deveres de esposa me aguardavam. Chegando não tinha minha família. Descansei e levei minha roupa. Fiz café, cortei um pedaço de torta e alguns biscoitos e comi. 
Liguei a TV e vi as notícias, quase tudo sobre crise financeira. Vou tomar banho, sinto cheiro dele e recordo. Passo a mão nos seios e sinto sua presença,sigo para a vulva e ela está inchada… excitada e com esperma. 
Entro no chuveiro, mas não molho o cabelo, deixo a água escorrer abundantemente.Penso no que fiz. Me ensaboou e volta ao banho. Saio e me enxugo, visto a camisola.
Me deito e pegou o celular e mando mensagens, ele retorna com mensagens românticas. 
Desligo e coloco para carregar. Assisto um pouco da programação dos programas fechados. Acabo dormindo.
Acordo no meio da noite e vejo meu marido dormindo. Olho para ele e sinto remorso.
No outro dia acordo cedo, cuido do café e me arrumo para ir trabalhar. Uso uma calcinha de bolinha branca que mal cabe meu rabão.
No trabalho, mando mensagens no WhatsApp e ele retorna. Marcamos para nos verno horário do almoço.
Nos vemos numa lanchonete perto do meu trabalho. Me seduz para irmos num mote lperto bem simples, diz que precisa me chupar, mamar quer leitinho, aceito.
Quando chegamos tira logo minha roupa e se farta nos meus peitões… suga e beija. Fico louca com tanto erotismo. Me diz.
– Quero todo dia tem de chupar… mamar nos seus seios que são só meus. As horas passam e me beija fico mole. Desce para minha xotota, primeiro beija…depois lambe e depois chupa, não aguento e gozo.
Tira a calça e me diz que temos de fazer amor, pois está com vontade de me dar o néctar, chupo um pouco e está pronto. 
– Não quero que seja de mais ninguém, você é minha.
Se posiciona e introduz o mastro rígido na buceta molhada. Vai metendo com delicadeza e dizendo.
– É minha essa gruta doce acre, apertadinha e molhadinha. Ninguém pode tocar.
Gemo, e concordo com ele, é forte a carga de emoção e gozamos. Deixa-a amolecer dentro, quero ficar com o suco do amor.
Nos vestimos sem banho, o esperma escorre pelas bucetas e chega na calcinha que troquei agora é branca e vai até as coxas o néctar. 
Vou para o trabalho mole e sem atitude para as providências da tarde.    Ah!!!
Estou literalmente apaixonada pelo meu amante.
Temos tórridos encontros que podem ser nas mornas manhãs ou nas quentes tarde sou ainda noites de labaredas.
Ele me leva nas nuvens, trocamos mensagens o dia todo com fotos ou áudio picantes.
O sexo e a paixão nos move sempre… mas tem carinho também. 
Teve um dia que resolvemos aplacar o desejo do sexo quase o dia todo. Com encontros curtos, mas de forte pegadas no sexo.
O plano era fazemos sexo desde cedo até a noite.
Foi assim.
Arrumei uma necessaire com calcinhas, sabonete, creme dental e soutense.
Sai de casa às 6:30 alegando que iria mais cedo pois talvez fosse necessário ir na matriz que fica na outra cidade.
Nos encontramos num parque da cidade e rumamos para um motel próximo. Ainda no caminho abro a blusa e desbotou o souseano e o tiro, jogando-o no seu colo. Ele pega e cheira eu amo-o quando ele faz isso.
Entramos no Motel e antes de entrar me exprime na porta do carro me beija na boca e cheira o pescoço e esmaga um dos seios gemo. Tira a blusa já aberta ecoloca no capuz do carro e … chupa meus peitões duros e … chupa, chupa,chupa e tenho um gozo suave…
Melhor entrar, lá dentro fazemos 69 pois o tempo é curto. 
Tiramos às roupas rapidamente.
Me coloca na cama e… sopra minha xoxota e fala bem perto.
– Minha gostosa e deliciosa buceta, meu doce café da manhã. 
Já estou molhadinha e me contraio, ele inicia a chupa… toma-a gulosamente e enfia a língua toda fazendo a” limpeza” do gozo, sou arrebatada e gemo, ele me leva a loucura… me arreganho mais e gemo e grito.
– Chupe tudo meu amor… te quero me amando todo… ele morde… urro… chupa puxando… e gozo.
Eu começo abrindo bem a boca e a coloco sua pica quase toda na boca e fecho rápido… ele tem um susto e chupo do jeito que ele gosta… vou babando e chupando… passando a língua… e chupando ele todo…
Aceleramos e gozamos juntos.
Nos arrumamos e saímos rápido para o trabalho. 
Durante o expediente vou ao banheiro e self na xana e mando pra ele, ele manda a rola dele.
No almoço, nos encontramos no centro da cidade e vamos para um Motel próximo de carro.
A minha fantasia é chegar quase nua no Motel, ele não sabe. Tiro o souseano e a calcinha e jogo no banco detrás. Passo a mão na xoxota e levo na sua boca ele lambe tudo. Tiro a rola da calça e cueca e chupo, ele pressiona minha cabeça e chupo… chupo todo… fica duro.
Chegamos.
Ainda na garagem, nos beijamos com fúria… e vou tirando a blusa e colo no carro.
Ele os olha, fica admirando e diz.
– Se pudesse ficaria com eles na boca toda hora.
E aperta os dois malvado, eles se atiçam e bolina os bicos querendo desmancha-los… dói… mas, não desmancha… chupa chupa chupa chupa e gemo digo.
– Morda meu cachorro, morda me deixe doída. 
Ele morde, morde e dou gritinhos e gozo.
Tiro a calcinha, estou completamente nua na garagem, ele se afasta e cintila de desejo. Se despe, nu.
Me abaixo e chupo, tomo-o como se fosse corneta e chupo a cabeça e lambo vou tirando a mão, ele está duro completamente brinco de não me encontrar e só engulo o pênis ereto. 
Ele me levanta e se curva pra frente, suspende minha perna e coloca na sua cintura … e… introduz… tenho sobressalto… soca, soca… grito… tira eme leva pra dentro. 
Me joga na cama de quatro e enfia a choro… mete, mete, mete…murmura.
– Minha cachorrinha deliciosa…
– Minha bucetinha apertada…
– Minha mulher…
E gozo…ele continua… estou em brasa … agora cadenciado… acelerado… e ele goza. 
Me segura e nos beijamos. 
Tomo banho rápido e comemos algo simples e vamos embora. 
Trabalhamos a tarde sem mensagens, afinal temos que produzir.
No final do expediente, manda mensagem.
– Meu jantar te espero na porta do shopping. 
Me pega e vamos para o mesmo Motel. No caminho não o provoco, quero tudo lá mesmo.
Entro no banheiro, lavo a vulva e visto uma camisola preta que mal cobre os seios e totalmente transparente.
Volto e ele fica doido, digo.
– Quero você pelado e duro.
Ele sorri e diz.
– Tarefa fácil. 
Assim o faz e se aproxima… tenta tirar a camisola e não deixo… tenta me chupar e não deixo.
– Quero que rasgue, mas sem tirar.
Ele sorri e me agarra e beija com fome e diz.
– Vou rasgar e ela e sua buceta gostosa já. Digo.
– Antes quero que mame nos peitões, você está magrinho precisa de leite. 
Ele rasga a parte dos seios e suga suga suga suga e grito.
– Bezerrinho esfomeado mame mame meu portão.
Chupa chupa… morde morde… suga suga… lambe lambe…gemo gozando.
Ele rasga o resto e fica quase nada da camisola no corpo e me derruba na cama e enfia com tudo e sinto dor por causa do meio dia. Digo
– Seja macho e coma… coma … coma com tudo estou em brasa com seus selfies dessa rola, quero ela me arrando o cabaço todinha.
Ele me como de uma posição e depois me coloca de quatro e come come come come gozo… tira e enfia a lâmina e me corta a xoxota toda doída e inchada… vai vaivai… urro… choramingo… ele penetra com força… gozo… ele cadencia e… mete … mete e goza.  – Quero você como minha mulher, resolva sua vida…   – Não posso.

E NOSSA HISTÓRIA ACABOU.

Cuidado, não tente trocar o que você tem pelo que você não conhece, um homem que se dispõe a deitar-se com você, sem conhecer a sua história ou a sua vida, é provável que ele vá se deitar com outras pelos mesmos motivos. Dar prazer é fácil, manter uma vida segura é muito, muito difícil.

IGOR .

MELHORES FOTOS RECEBIDAS ESTA SEMANA…

HUMMM…
EXCITANTE….
LINDA….
CONVIDATIVA….
PROVOCANTE….
BONITA….
CHARMOSA….
EXCITANTE….
BONITINHA…
INTERESSANTE….
EXÓTICA…..
BONITINHA….
ARTÍSTICA….
MUITO LINDA….
PROVOCANTE…..
BONITA….
LINDA….
CONVIDATIVA….
LINDA…
PROVOCANTE…
LINDA…
INTERESSANTE…
SUGESTIVA…
OUSADA….

O gênio feminino…

Imagem relacionada

Só uma cultura vital, na qual a ideia não tenha uma vida própria e independente da existência, poderá dar vivacidade às energias latentes da peculiaridade feminina. Só neste novo sistema de valores poderá expandir-se o gênio feminino, criando modalidades culturais que imprimam um novo rumo ao progresso.

NOVO SISTEMA DE VALORES…

Imagem relacionada

Perante o movimento acelerado e irrevogável da emancipação feminina, o homem que sempre concebeu a feminilidade projetivamente, de modo a satisfazer o seu ideal de completude, pergunto: Quem é realmente o ser que se emancipa…?

Costumo andar na beira mar…

PACIENTE 11119-3

Sou uma mulher madura de 56 anos, divorciada e aposentada. Tenho 1:61 de altura, 70 kilos bem distribuídos, 99 de busto siliconados, 89 de cintura bem marcada e 112 de quadril bem redondo. Pernas e coxas grosas. Cabelos bem tratados no ombro. 

 Tenho as marcas da idade, amenizo com cremes e hidratantes.Há dois anos me separei e não tive ninguém. Me cuido, com atividades e massagens. Não sou assediada pelo gênero masculino, pois uso roupas discretas, mas justas como um jens bem colado,transpiro sensualidade. Costumo andar na beira mar de uma avenida de praia, muitos os fazem. Uma noite vejo um homem entre 38 a 40 anos me secando, contínuo a caminhada, faço o retorno e ele me acompanha. Fala algumas coisas mas não levo em conta.
No outro dia ele está nas proximidades e me cumprimenta e acompanha, fala de assuntos interessantes como cinema e economia, me animo. Andamos e me despeço evou pra casa.
Passamos a semana nesses encontros, e crio expectativas.
No sábado vou a um aniversário e no domingo a praia. Gosto de marcas na pele,acho sensual. Na segunda, ele me pergunta porque não apareci, disse que viajei. Andamos e vou pra casa e assim aconteceu na terça a quarta. Mas confesso que ele me atrai, alto, meio atleta e um sorriso largo.
Na quinta me convida para uma água de coco, aceito e me toca no rosto, gosto mas disfarço. Andamos agora, devagar e me diz que o atraio, aviso que não quero aventuras. Confessa que procura um mulher madura e eu faço seu tipo.
Pergunta se pode me beijar. Penso e deixo. Me beija alertando meu corpo contra o seu, estremeço e ele sente. Procura minha cintura e escorrega pela minha bunda.Desce o rosto no colo e cheira meus seios. Fico ofegante. Combinamos de saira manhã, e vou embora. Ja estamos no jogo de quer ou não quer há um tempo.
Marcamos para sair hoje a noite , uma sexta feira. 
Me arrumei de calcinha com um fecho nos lados fácil de abrir e soutean amarelo com o fecho na frente. Visto uma blusa branca de alças e saia justa acima do joelho. Sandália de salto alto preta. Gosto de batom vermelho uso sempre o tom de hoje é cereja de longa duração, e marco os olhos com lápis preto. 
Na realidade quero deixa-lo doido, com tesão, sem sossego. Nos encontramos num Shopping próximo de casa.
Quando chego ele ja esta lá. Me olha fascinado, é a primeira vez que me ver de saia, vamos ao carro e rumamos para um lugar no centro da cidade que tem uma comida boa e caseira, é o lugar agradável. 
Durante o jantar me alisa os braços e as pernas levantando o vestido. As vezes deixo e em outras ameaço tirar. 
Terminamos e resolvemos ir numa praça próxima, com pouca gente mas com guarita policial. Andamos e ficamos num fundo de um box fechado. Me abraça, deixo afinal não sou adolescente ingênua. 
Agora beija com a linguá me comendo e apertando meu corpo no seu, apalpa abunda de 112 cm. Sente que é dura… coisa da raça. 
Desmancha um laço da blusa e tira um dos meu seios do bojo e chupa… ele mesmo geme… eu mordo os lábios…
– Estou doido pra lhe chupar toda minha princesa… Esta transtornado, vem alguém um casal. Me recompondo e saímos.
No carro meio escuro… volta a me seduzir. Levanta a saia e ver a calcinha… aperta os olhos e passa a mão. 
Tenho as marcas da idade mas a cor da pele e o bronze esconde. 
Volta para me beijar mordendo e machucando meus lábios, e desfazer os laços da blusa e abre o soutean na frente. 
Meus seios ou melhor meus peitões saltam … bronzeados… duros… em pé…rígidos …quentes e olha-os.
Curva-se e chupa um e outro “eles crescem” … querem serem esmagados pela boca dele. Ele é implacável e morde morde…gooozo… e vai sugando…chupando… gooozo e … puxando os bicos com os dentes … grito.
Ele está lívido leva minha mão ao pênis duro… quanto tempo sem um homem…sinto a carne latejando… 
Se ajeita e masturbu-o … mas esta pronto… solta um melzinho…mas não e gozo… somente um ensaio.
O chefe dele o chama pelo celular, e ele não pode recusar…
Voltamos a realidade e nos arrumamos … 
Nas sinaleiras chupa meus peitões e amo. Diz:
– Quero passar todas as noites mamando nesses peitões até me fartar. 
– Quero ser mimado com leitinho da vaca. Sorrio. 
– Quero chupa essa xoxota e te dar prazer como nunca. Estremeço. 
Até minha casa… beijos … apertos e chupadas.
Em casa tomo um banho morno para dormir, mas, mando self primeiro peitões ensaboados um ângulo sensual e depois da xoxota envolta na espuma também bem convidativa.
Manda voz de áudio falando sacanagem.
De madrugada acordo com uma self do pênis ereto e diz:
– Você é a razão do meu estado. 
– Amanhã te como toda …
Sorrio…

A vida é a arte dos encontros, mas quando a gente passa pelo primeiro encontro, o peso das dúvidas que surgem entre as várias borboletas inquietas no estômago. A ansiedade por trás disso tudo tem razões bastante simples: as expectativas que criamos e a vontade de agradar o homem e de ser aceita.

Igor

Era eu a locomotiva sossegada…

PACIENTE 11119-2

Hoje sei que sou gostosa como qualquer mulher.

 Uma mulher pode ficar sem sexo e ir levando, mas, se encontra um bom motivo em forma de homem se encanta.
Era eu a locomotiva sossegada, mas após os assédios de um belo exemplar do gênero masculino cai em tentação. 
Sou uma mulher apetitosa, de cintura marcada e um belo par de bunda insinuante, sem falar das tetas imponentes. Hoje sei que sou gostosa como qualquer mulher.
Estamos num namoro com envolvente sexual, mas ainda sem chegar as as vias de fato. 
Me liga cedo, pela manhã e diz que hoje não podemos sair, mas que amanhã será recompensado pois passaremos dois dias juntos.
Aproveito o dia para colocar as coisas em dia na área doméstica. 
Retoco a depilação na vulva e axilas eu mesma. Vou ao Salão fazer as unhas e escovar os cabelos. 
Para anima-lo mando self da xoxota depilada e do pé com unhas pintada de vermelho. Me responde.
– Me aguarde que vou recompensa-la. A noite arrumo uma maleta com coisas para seduzi-lo e roupa comum. Depois tomo banho e uso um óleo corporal bem cheiro só para deixar a pele macia. Vou pra cama. Tiro foto da camisola curta e insinuante e mando. Me responde com uma self do pênis ereto e com a frase,” Amanhã entro no seu brinquedo para arrochar” e segue as mensagens picantes.
Pela manhã logo cedo, tomo banho e visto uma bermuda jens colada e uma blusa branca de alças largas. Calço uma sandália dourada. Ele chega cedo e seguimos viagem. 
Na saída da cidade pelo litoral vemos o movimento nas praias, muita gente.Paramos para tomar café num local agradável. Vou ao banheiro fazer xixi e lavo a vagina. 
Mais vadiante no caminho entra numa estrada e encosta o carro num canto embaixo de uma árvore. Diz.
– To louco pra mamar, coloca as mãos por baixo da blusa e desabotoa meu soutean. Tira as alças pelos braços. Levanta a blusa e eles surgem. Pede.
– Coloque na minha boca esses peitões, quero mamar sou bebê. Atendo o pedido e aproximo um seio de sua boca… suga e agarra o outro. Sinto um prazer na hora.Pede para trocar o seio o faço e fecha os olhos mamando.Vem um carro e resolvemos continuar a viagem. Fico sem soutean. 
Chegamos num lugar de rio, de pessoas simples. Nós hospedamos num hotel bem rustico e simplório. 
No quarto, vou ao banheiro. Tomo banho e visto um vestido leve, branco. Ele vai depois. O aguardo sentada na beira da cama. Quando retorna se joga na cama e fica me beijando. Procura os peitos e bolina. Murmura no ouvido.
– To com fome quero leite. Abro os botões do vestido e coloca na boca. Me coloca em cima dele. Amo. 
Abre o resto do vestido e tira, fico de calcinha, me beija e morde de leve os lábios. Murmura no meu ouvido com a voz embargada. 
– Amor quer agora ser toda minha? Balanco a cabeça que sim.
Volta a mim beijar e vai para os seios.,. chupa… morde… suga. Fala no ouvido.
– Você me provocou então vai ter.
Desce para minha xoxota lambe, faz um gesto de como estivesse lambendo sorvete.Agora chupa e enfia a língua dentro do canal grito. A linguá me penetra e, é ,uma sensação indescritível e gozo. Puxo ele e quero chupa- lo também. 
Tiro sua cueca e seguro-o com as duas mãos… e abocanho vai se agigantando na minha boca e sinto ele gemendo, solta uma gosminha … lambo e engulo.
Me posiciona na cama na posição de quatro e abre as minhas pernas e pincela com a pica minha vulva. Diz.
– Princesa vamos consumar o desejo agora, se doer me diga. 
Vai colocando e empurrando e estremeço, Grito.
– Coloque na minha grutinha esse ferro, apague o fogo da minha grutinha meu amor. 
Ele estoca com mais força e tira causando atrito, me delicio. A doce reserva da gruta e invadida de meu gozo e em seguida ele goza.
Ficamos deitados.
Tomamos banho e vamos almoçar, minha vagina escorre o mel do néctar dele.
Voltamos a noite para o hotel. No banho fudemos em baixo do chuveiro. Ele se ajoelha e me posiciono no seu rosto chupando minha buceta e a água escorrendo,minha vez de chupar de baixo pra cima seu picão.
Paramos e vamos jantar e damos uma volta pela margem do rio. Me abraça e me chupa nos peitões, sai sem soutean, sabia da intenção dele. Perigoso e voltamos. 
No hotel fazemos amor sem reservas. 
Dormimos e na madrugada procura meu peito bota na boca e dorme.
No outro dia tomamos banho e vamos ver o artesanato. Resolvemos que voltaremos após o almoço.
Hummm hora de fazer algo especial. Tomo banho e visto uma langerie, com direito a meias e salto. Batom e laço na perna. Danço e ele gosta. Me insinuo e gosta.
No final me segura pela cintura e diz.
– Minha mulher sedutora, vou te comer todinha. Digo.
– Me coma com essa pica na xoxota meu cachorrinho.
Não se faz de rogado e desfaz o cadaço e chupa meus seios mordendo gemo baixinho e choramingo e ele segue quase com fúria. 
Procura a calcinha e puxa na frente e cola os quatros dedos no triângulo de xoxota. Fala.
– Quem mandou ser dançarina de cabaré? Agora vou realizar a fantasia.
Me derruba na cama e separa a calcinha de lado e mete rola. Uma delícia esse modo de me possuir. Me come tirando e botando com gosto e perguntar se vou gozar digo que sim e gozamos juntos. Almoçamos e voltamos.
Mas volto sem calcinha e soutean e ele sem cueca.
Hoje sei que uma mulher em qualquer idade pode ser uma locomotiva… Estamos juntos, mas cada um na sua casa…

Para que qualquer relacionamento afetivo dê certo são necessários alguns ingredientes. Morando junto ou cada um na sua casa, é preciso deixar claro quais são os combinados e o que cada membro do casal espera do outro. O mais importante é viver o sentimento em sua plenitude e ter satisfação dentro deste relacionamento.

Igor

Hoje a segunda feira, dia de fazer faxina no corpo…

PACIENTE 11119-1

Sou uma mulher madura, de pele quente e desejos aflorados,acho que é as o verão que traz essa libido de fogo.

 Muitas vezes o desejo de cadela brota, xoxota inchada, dolorida, quente por uma rola para aplacar o fogo. Hoje a segunda feira, dia de fazer faxina no corpo. Sei que sou uma periguete safada… ardente … cachorra, mesmo na faixa dos cinquenta o fulgor do sexo me persegue. Aproveitei e tomei sol pela manhã e fiz a depilação no início da tarde, enquanto fazia imaginava um homem me aplacando o desejo, ou melhor chupando a xoxota, hummmmm combinação ideal para trepar. Fui pra casa, tomei banho vesti uma calcinha de laços do lado e um soutean sem alças, mas de bojo, fico uma cachorra oferecida, visto um vestido de estampas alaranjada. Entro no carro e vou à praia andando bem devagar. No final vejo um homem pescando, está na faixa dos 40 aos 50 morenos amulatados de porte normal. Desci e caminho para a água, ele me olha e eu também. Se aproxima e me preparo. Pergunta se preciso de algo digo que sim. E espera, pergunto como posso acalmar o calor. Ele entende e diz eu sei como. Era o vagão para uma locomotiva acelerada. Me segura pela mão e me leva para sua caminhonete, abre aporta e me senta levanta meu vestido e vai na calcinha, puxa bruscamente ela sai arrancada, coloca a mão na xoxota e ver que está molhadinha, faz a cara de safado e diz precisa de óleo urro. Se abaixa e chupa a morde e diz estar pronta. Vai para a alça do vestido puxa e rasga e puxa o soutean. Exclama cachorra está preparada para a safadeza aceno que sim. Me beija a chupa os peitões depois morde e suga que chega a doer, diz uma potranca assim gosta de homem macho e macho não gosta de mimo. Tira o pau do calção e empurra minha cabeça pra chupar o pau já duro. Sente que vai ejacular e tira. Me prepara e socar com tanta força que dói,grito, mas gozo e ele debocha e diz, uma cadela não grita gente e me morde e morde os peitões que ficam vermelhos. Me esculacha e tenho outro gozo… a pica e escaldante… aplaca uma buceta fogosa e ele tem a cara de prazer e me come gritando piranha …safada…cachorrona…putona… e eu amando. Goza e eu tive vários…. Vou para meu carro… seguro o vestido meio rasgado e com a outra a calcinha que foi destruída e arrancada de um lado.
Entro no carro e saio logo para ir pra casa. O corpo satisfeito…, mas dolorido. Num dado momento percebo que ele me segue. Perto de casa me fecha e faz sinal para eu descer. 
Saio do carro e entro no dele. Retorna o caminho e me cheira no pescoço.Chegamos no mesmo lugar, sai e contorna o carro e abra minha porta. 
Puxa o vestido e meus peitões se ergue… eriçados…. pronto para a safadeza.Chupa e abocanha um e no outro aperta, murmuro alto. Solta-o e grita puta escandalosa, nada de grito gente calada.
Agora morde o outro com força e geme… abocanha e suga dói, dói… e a mão vai para a xota… arranca o resto da calcinha e bolina … aperta toda e me contraio… murmura com cara de escroto.
– Hummm quer pica, não é? Mas vai esperar.
Enfia o dedo com força e tenho sobressalto, ele reclama diz que nada de gozo.Morde os peitões doloridos e roxos… – Você não quer um macho? 
– Vai ter até me fartar, sua vadia… cachorra… puta sacana. Me ordena.
– Desce e me chupa vadia, hora da mamada.
Desço e me acocoro e chupo chupo, chupo um mastro descomunal, engulo quase todo, os pentelhos crescidos grudado de esperma, vou solvendo como manga. Ele cresce e o sacana goza me banhando de esperma. Espalho nos peitões. 
– Quem mandou se melar de leite?
– Va tomar banho. Vou. A água morna uma delícia. 
Me espera de longe, quando volto sou puro desejo com o vestido grudado no corpo, rasga o resto da roupa e joga no chão. 
Estou nua, os peitões pontudos … a xoxota peladinha… e o rabão exposto.
Subo no carro, abro as pernas, ele se encaixa, seu abdome gruda na buceta um tesão, mas volta a morder meus peitões um e outro. Com os dentes puxa o bico dos peitos e sinto doer muito. Urro e gemo murmurando :
– Vagabundo… filho da puta… delicioso… morde morde… arranca tudo… mas quero pica na buceta.
– Cachorra safada vou lhe rumar a pica e lhe comer toda agora vagabunda…piranha.
Me puxa do carro e me joga no chão, escancara minhas pernas e mete… mete…tira… soca… soca… grita.
As lágrimas vem nos olhos mas gozo… Ele continua tira e bota e urra gozando. 
Me ver com lagrimas, me levanta e me dá uma tolha de banho me enrolo. 
Enxuga minha vulva com papel higiênico e saímos.
Me deixa no meu carro e retorna e segue seu caminho. 
Vou pra casa Em casa, sigo direto para o banheiro, jogo a toalha na cama detalhes da orgia. 
Entro no banho, me apalpo toda resta areia da praia… passo a mão para tirar. 
Agora coloco sabonete líquido no corpo todo. Nos peitões sinto doídos…sensível…. vermelho perto dos bicos. Aperto o bico mais doído e dói… sigo para a vulva … em brasa… ardida …, mas cuido e lavo bem com água. Saio do box e me enxugo. Coloco creme nos grandes lábios da vagina. Vou na cozinha e pego compressos gelada. Depois uso hidratante no corpo todo e vaporizo um perfume suave.
Durmo…
Acordo com o corpo em chama… quente … ardente. 
Tomo café e com calma tomo um banho relaxante morno, uso hidratante. Coloco biquíni e saída de banho. 
Saio de casa e sigo para o local com expectativa de encontra-lo. Ele está lá,jogando com outros. 
Coloco o carro na sombra da árvore, desço e fico olhando. Passa um tempo e ele me ver. Pede para ser substituído e vem me encontrar. Encosto-me nele, e sinto cheiro de suor cheiro e murmuro.
– Quero minha xoxota com sua gala.
– Você é uma mulher de classe, está brincando com fogo. Falo mansa.
– Sou sua cachorrinha … no cio… me cobre como um potro numa égua. 
Me leva para a caminhonete e saímos. Reconheço esse vagão, antro de sexo, fico excitada.Chegamos num sitio e segue para o plantio de cajueiros, para e …
Me beija na boca e enfia a mão na saída de praia. Desata o soutean do biquíni e chupa meus peitões, suga forte, abocanha com vontade… sinto dores, ele é violento, segue mordendo os bicões… dói tanto, tanto, mas, gosto. 
Puxa a parte de baixo do biquíni e fico nua, apenas com a saída de praia curta e transparente. Se curva, me escancaro e chupa… grito… 
– Isso macho… chupe sua potranca deixe o pincelo sangraaaando e, grito porque ele morde. Fala.
– Cachorra viciada na minha pica? Balanço a cabeça que sim. Fala.
– Agora encontrou um macho pra dar cabo da sua buceta. 
– Cadelinha chupe minha rola como boa putinha … mame pois sei que quer leitinho. 
Me posiciono e chupo, sugo e melzinho da cabeça e abocanho todo, está duro.Passo a língua nela toda e engulo seu mastro envergado e ereto. Digo.
– Quero leitinho morno na boca. Fala.
– Então quer leitinho? Sua vagabunda… safada… cachorra… vadia… vai ter.
Goza na minha boca e vou engolindo tudo.
Descansamos e pergunta um pouco de mim, pergunta porque o procuro. Ele está de férias por isso está sempre na praia.
Me beija e logo chupa os peitões, mas gosta mesmo é de morder os bicos, diz.
– Cachorra das peitolas gostosa, durinha, pontuda, gosto assim de mulher de peito grande. Desce para minha vagina e chupa está em ponto de bala.
Me come com movimentos fortes, tudo dói, suporto a dor e choramingo que gosto.Ele se enfurece e soca fundo… gozo… me xinga.
– Puta coroa gostosa… vadia… rameira… puta de brega. Sorrio e gozo.
Mas ele está longe de gozar, tira da buceta e manda chupa-lo. Chupo com gosto da minha xoxota. Volta a meter na buceta me xinga e goza.
Recolho meu biquíni, visto e ele me traz até o carro, não tem ninguém do jogo.
Nos despedimos com um beijo ardente… Não quero mais procura-lo…

A Compulsão Sexual é caracterizada por fantasias  e comportamentos sexuais (por exemplo, masturbação excessiva, o uso excessivo de pornografia, múltiplos parceiros sexuais ocasionais) que aumentam de intensidade e frequência ao longo do tempo causando consequências adversas na vida, incluindo as aspirações pessoais , relações interpessoais, e atividades profissionais.

IGOR

BEBER…

Afinal, álcool faz mal à saúde?

afinal-alcool-faz-bem-pra-saude

Você já deve ter ouvido por aí que existe uma quantidade de álcool que você pode ingerir por dia sem que isso seja prejudicial para a sua saúde. E não é só porque você bebe todos os dias que isso significa que você é um alcoólatra, não é mesmo?

Para que você entenda um pouco mais sobre a diferença entre o uso de baixo risco do álcool, o uso nocivo e a dependência química. Continue lendo e confira.

Quantas doses de álcool posso consumir por dia, sem que se torne nocivo?

Beber não necessariamente faz mal a saúde. O álcool pode ser inclusive considerado benéfico quando ingerido em pequenas quantidades. De acordo com alguns especialistas, existe um “padrão” de consumo de álcool considerado de baixo risco, pouco tóxico e que pode trazer benefícios à sua saúde.

Segundo alguns médicos, um adulto sem nenhuma contraindicação pode beber até duas doses de vinho, dois copos de cerveja ou uma dose de destilado por dia.

Entretanto é válido ressaltar que, quanto maior for a dose, mais tóxico se torna o álcool no organismo, por isso é preciso se auto controlar e não ultrapassar as doses diárias recomendadas, caso contrário você vai expor o organismo a um nível grande de toxicidade.

Beber todo dia significa ser alcoólatra?

Na verdade, não necessariamente. Primeiro é necessário entender que existem alguns tipos de uso do álcool. Existe o uso de baixo risco, o uso abusivo e a dependência química.

Se você consumir até duas doses de bebida alcoólica, pode ser considerado de baixo risco, mas quando passa desse limite, você pode considerar que está fazendo o uso nocivo do álcool, ou seja, você está sujeito a consequências negativas por usar o álcool.

Se você é daqueles que bebe um pouco e logo se torna agressivo, arruma brigas e/ou toma também pode se enquadrar no uso nocivo da bebida.

A dependência tem características peculiares, que geralmente se apresentam como: crises de abstinência quando não ingere álcool, tremor, sudorese, sentir necessidade de beber grandes volumes regularmente e ser tolerante ao álcool. Se os sintomas passam quando a você bebe, isso é um sinal de dependência.

Mas afinal, quando alguém pode ser considerado alcoólatra?

Quando uma pessoa manifesta o padrão de consumo próprio da dependência e tem consequências negativas, pode ser visto como alcoólatra. Ou seja, o alcoólatra é um dependente químico.

Por isso, precisamos ter em mente que existe uma quantidade limitada de álcool que podemos ingerir sem que isso seja prejudicial para nós, mas quando ultrapassamos essa quantidade, passamos a fazer mal uso dele.

Mesmo quando bebemos bem pouco, e isso nos trás consequências negativas, já é visto como uso nocivo.

A cerveja, por exemplo, quando consumida com moderação, pode trazer vários benefícios para a nossa saúde.

Infelizmente são poucas as pessoas conseguem adotar e manter um padrão considerado saudável de uso de álcool, na maioria das vezes as pessoas acabam exagerando e bebendo demasiadamente, acarretando apenas consequências negativas.

Quinzenalmente vou no Armazém de Sr. Joaquim…

PACIENTE 1119-8

Tenho 41 anos, clara, estatura média

Sou casada.
Como toda dona de casa, tenho a difícil tarefa de esticar o dinheiro até o final do mês. Estão faço economia na alimentação. Tenho 41 anos, clara, estatura média, um rabão bem montado, peitões fartos e pernas grossas. Quinzenalmente vou no Armazém de Sr. Joaquim, um homem branco, charmoso, de rola média e grossa, que me fornece:cereais, enlatados, carnes, massas e produtos de limpeza. Ele separa tudo e me aguarda. Passo na porta ele me avista e me segue. Entramos num casa que oferece encontros. O quarto pequeno, me viro para ele e o mesmo me puxa, mete a mão na camiseta, estou sem soutean. Ele fecha os olhos e puxa as alças para os braços, os peitões aparecem. Ele vai com a barba crescida arranhando os bicões dos seios, amo e me exito. Desce as mãos para a saia rodada e levanta, cerra os lábios e diz:
–    Tire a calcinha e me chupe.
Tiro-a e deixo ele cheirando a peça. Me abaixo, abro a calça e a cueca e tiro a rola rosada e quase dura. Chupo o homem maduro de uns 60 anos mas de rola firme, me xinga e cheira minha calcinha. Chupo a rola toda, lambo e cheiro toda, vou abocanhando e está dura. Em pé me seguro na cama, me viro de costas levanto e prendo a saia na cintura e levanto a perna e ele mete mete…gosto soca soca… xinga e por trás aperta os peitões. Sinto esse homem me arranhando as costas, tenho tesão e me come … come … come e gozo ele urra e goza. Me lavo com sabão e água, me visto e saímos.
Chego depois dele no Armazém. Um menino me ajuda a levar as compras num táxi. É o mesmo de sempre.
Um rapaz de 23 anos, mulato de lábios grossos, alto corpulento e com um sorriso de matar. Vou atrás, abro as pernas e mostro a calcinha, a mesma, mas tiro-a e deixo no banco, ele ri. Vamos para uma Fábrica desativada, guardada por um senhor. Entramos ele me segurando na cintura.Tira minha camiseta e mama fartamente com a bocarra de lábios grossos me olhando.Me exito e gemo como cabrita no cio, desce a mão para a “priquita” e fica apertando e chupando os mamões. Me solta e desço atrás da rola. Abro acalça e puxo junto com a cueca e ela salta. Chupo um “monumento de pica” grande achocolatada e grossa lambo toda de cima a baixo e baixo acima. Ele geme geme e ela cresce e se estica toda, pronta. Levanto a saia e me seguro numa escrivaninha velha e me escancaro com a bundona de costas para ele. Vem e…enfiiia tudo no cú e… deliro deliro com a entrada, ele vai metendo e comendo suo de prazer e ele soca com solavanco fortes no cuzinho… grito o velho ver tudo… seguimos e gozo e ele tira e enfiiia tudo e goza. Me limpo com papel higiênico que estava escrivaninha. Me visto e na saída dar um trocado ao homem e saímos. Para na minha porta descarrega tudo ele se vai e eu entro. Difícil vida na economia das contas da casa. A noite durmo nos braços do meu marido.

Enfim, é difícil que a família e os amigos apoiem ou mesmo entendam essa escolha, então, a maioria das garotas de programa precisa ser como um agente secreto – o que pode dificultar bastante a vida. Espero ter dado uma boa mão para abrir sua cabeça a respeito desse assunto. 

IGOR.

Normalmente sou eu que cuido de tudo…

PACIENTE 9119-5

Ainda sou uma mulher atraente de 42 anos, morena, de seios fartos, bumbum durinho e grande, de cintura fina. 

Estou num paraíso.
Herdamos eu e meu irmão uma área de terra que tem uma pequena Cachoeira, de água fria e cristalina protegida com matas ao redor. Normalmente sou eu que cuido de tudo, levo ração para os cavalos, algumas ferramentas que faltam e o pagamento de dois empregados, um casal. Quando termino, tudo vou a cachoeira e tomo banho completamente n-u-a. Antes usava maior, mas agora levo o roupão e aproveito para me sentir livre junto a natureza. Ainda sou uma mulher atraente de 42 anos, morena, de seios fartos, bumbum durinho e grande, de cintura fina. Tenho coxas e pernas torneadas. Sou sócia de uma boutique junto com minha cunhada. Numa dessas vezes em que tomava banho,senti que estava sendo observada, me assustei e vi um homem, na faixa de 29 a 33 anos, a cavalo parado, desceu e perguntou quem eu era. Disse que era a dona. Se desculpou e perguntou se podia tomar banho também. 
Disse:
–    Não aqui é propriedade particular.

Ele sorriu me olhando toda. Me dei conta que estava nua, peguei o roupão e me vesti. Ele continuou me comendo com os olhos.
Disse:
–    És uma bela mulher, espero vê-la em breve. Saiu correndo sem olhar para trás. Mas ele me acompanhou até bem perto. A noite estava na varanda quando ele apareceu,com um sorriso de vitória e perguntou se tinha gado para vender. 
Disse:
–    Não temos. Entrei e ele se foi. No outro dia me levantei cedo e fui tomar banho, para ir embora, mas estava de biquíni. Ele apareceu de short, e entrou na água. Se aproximou de mim, e respirava bem próximo, mordendo os lábios, olhei e seu pênis estava volumoso. Passava a mão de leve no contorno dos meus seios e xoxota, me segurou e beijou minha boca com vontade, nada fiz. Disse:
–    Desde ontem que penso em você. Nunca vi uma visão tão excitante quanto você tomando banho nua uma deusa.
–    Com seios prontos para chupar e morder os bicos e a buceta depiladinha pronta pra chupada e meter rola.
Disse:
–    Saí já das minhas terras.
Ele:
–    Ainda nos encontraremos e serás minha. Saio montado a cavalo… A imagem e o atrevimento dele me deixouinquieta, com vontade de revê-lo. Resolvi não ir para a cidade. Quase no final de tarde decidir ir tomar banho na cachoeira. Vesti um soutien e uma calcinha transparente, que ao entrar na água mostrou tudo. Ele aparece nu a cavalo, uma imagem de deus grego, fico sem fôlego, sei que não vou resistir. Ele entra na água e me enlaça com pressão, não reagi, me beija e procura minhas formas apressadamente. Murmura no meu ouvido:
–    Sabia que iria me esperar.
–    Estás mais gostosa do que nunca com essa roupa transparente.
–    Mas já te vi n-u-a é a coisa mais linda. Nada falo, agora solta meu soutien e com o queixo massageia os bicos dos peitões …depois morde um e outro… solto um gritinho de vontade e de desejo. Me tira da água, com o corpo de gotículas dando um ar sensual, me encosto num tronco… ele agora vai aos peitões eriçados chupa um … chupa o outro… e morde cada um com pressão…lambe lambe para acalma-los estão vermelhos… bem maciados pela bocara. Murmuro:
–    Não posso ser sua estou ovulando.
Ele:
–    Se nascer será criado. Me aperta beijando a minha boca e me seguro nele com vontade. Sua mão desce e tenta tirar a calcinha, está grudada e com pressa consegue chegar a xoxota, vasculha e sente que está excitada. Se abaixa e rasga a calcinha e mais fácil, ver minha xota, abre minhas pernas e chupa os lábios, fico urrando com uma” coiota no cio”. Suspende uma perna e coloca no ombro mergulha na xota e chupa … a língua invade tudo e … o tesão me absorve…chega no canalzinho com maestria … sinto que não controlo o gozo e inundo sua boca. Lambe meu melzinho, se levanta e me abaixo, seguro a rola com cuidado e vou mamando, com tesão, ele se contorce e chupo quase toda e abocanho…fica eriçada e está pronto.
Ele me levanta. Diz:
–    Quero comer a boceta com a rola e deixar minha porra dentro. Me escancaro segurando no tronco e num galho baixo coloca uma perna. Ele vem e introduz… tenho um solavanco pois é grande e pontiaguda… e ele mete, mete … agora cavalga com fúria me seguro e mete, mete … tira e soca… tira e mete a gostosa… vou tendo convulsão de prazer… estou nas últimas e gozo. Ele segue me comendo toda … suo com o ato que é bem rústico e abrasivo…vou sendo surrada pela pica e ele chega ao gozo. Tira e o semem desce por minhas pernas. Tomamos banho e ele me chupa e eu a ele dentro da água. Ficamos namorando até tarde.
Vou pra casa tomo banho e ele vai me buscar depois passamos a noite na sua fazenda. A noite ele vai me buscar na minha casa onde tem a Cachoeira, estou literalmente com tesão nele e com a cabeça voltada para ser possuída por esse macho viril.
Escuto a Caminhoneta chegando, assim que ele buzina vou ao seu encontro e entro.
Mal entro ele me puxa e me beija com paixão e descaradamente me pede.
–    Gostosa tire o soutien e a calcinha, quero você nua para ser possuída daqui a pouco. Assim o faço excitada, tiro e jogo no banco de trás e saímos da frente da casa. Andamos alguns pedaços de terra e ele para a Caminhoneta, se volta para mim e vasculha minha xana em brasa, diz no meu ouvido.
–    Te quero n.u.a.
Tira meu vestido, estou outra vez nua com ele quer, com os peitões trêmulos e ao seu alcance e ele os olhas deslumbrado me desejando.
Me sento no banco e coloco um dos peitões na sua boca que chupa um e outro.
Digo sem voz:
–    Me chupe a xana.
Ele me curva eu abro minhas pernas e ele afoga a boca na xoxota já excitada,chupa com paixão e quero ele na minha boca.
Resolvo sair e abro a porta da Caminhoneta e ele vem atrás, digo.
–    Tire tudo, fique nu.
Ele tira tudo num ímpeto e nus nos enlaçados e me deito no pasto e ele vem por cima, seguro sua rola e chupo toda, ele geme e diz que sou a mulher mais gostosa e a pica está com ereção.
Me levanto e quero ser possuída.
Me encosto na Caminhoneta e levanto uma perna e me escancaro e ele vem e copular na xoxota e sinto a brasa me invadindo… mete e tira me deixando louca… socaa pica e come come minha buceta ardida do coito da tarde… mete e gooozo.
Ele tira e pincela na xoxota e se encaixa no cuzinho, sinto tudo sumir… e ele esbraveja e mete cavalgando no cuzinho… e sinto minhas entradas serem dilatadas… gooozo e ele urra e goza.
Nos vestimos e seguimos para sua fazenda. Entramos está tudo silencioso, e seguimos para a cozinha, comemos algo e ele logo fica nu.
No meu ouvido diz:
–    Minha gostosa fique nua.
Mas ele mesmo se encarrega e fico nua em pelo. Ele coloca o suco num copo se abaixa e derrama o suco na xoxota e lambe, sinto o geladinho e ele chupando.
Ele bebe e se banha todo. Quando termina me pega pela mão e vamos tomar banho de bica nos arredores.
Nos chupamos com a água escorrendo e o frio nos pega corremos para casa e vamos para seu quarto e nos enxugamos e o tesão aflora e chupa meus peitões e gemo de desejo é me coloco na cama e fazemos um 69 alucinado com todas as chupadas e sugadas …
Ele diz:
–    Me anjo quero te comer de quatro.
Me viro na cama e ele vem e mete… na xana inchada mas desejosa da pica dele eme come… cavalgando com uma macho montado numa égua.
Socando … metendo … e eu toda dolorida na xoxota das copuladas que tivemos,mas queeero… querero … queeero é choramingo de vontade e de ser possuída e gozo e ele ainda “riste na pica.” Ele tira e coloca no cuzinho já arrombado e doído e ele me come … e choro com o dolorido e ele diz que sou a coisa mais gostosa de comer e vai me copulando e goza. Ele sente que foi brusco nossa trepada e me abraça e dormimos juntinhos.

Quando o desejo supera o pudor, ir para a cama com um estranho pode tornar-se uma experiência muito excitante. E sem culpa.

Numa sociedade cheia de desequilíbrio na igualdade de gêneros, transar sem compromisso continua a assombrar muitas mulheres. Embora o desejo não faça distinção de gênero, o comportamento sexual feminino ainda é regido por uma certa repressão.

Diante deste contexto um tanto perverso, o que seria uma simples e encorajadora aventura para um homem, acaba ganhando conotação de transgressão  para as mulheres.

IGOR

Na Loja teve um problema na rede elétrica…

PACIENTE 9119-2

Sou uma mulher de 49 anos, casada, mulata, de formas arredondadas e bem cuidadas e empresária de uma Loja de roupas.

Na Loja teve um problema na rede elétrica, e chamei o eletricista já conhecido, mas ele me encaminhou seu filho de 25 anos. Não o conhecia, e assim que chegou foi verificar os cômodos para detectar a causa do problema. Como já passava das 17:45 dispensei as duas moças e fiquei com ele. Fechei a porta para evitar assaltos ou coisa parecida. Sempre o seguindo, ele me olhando sempre. Num determinado momento se aproximou muito de mim, senti um leve tremor e um cheiro de homem suado e de perfume vencido. Me aproximou e me tocou no braço murmurando:
–    Sua presença me deixa louco, com esse bundão e peitões muito próximo. Ofeguei na hora e ele percebendo me segurou pela cintura e me beijou com fúria, nada fiz e apertou meu seio e depois a buceta, nada fiz. Desabotoou minha blusa, o soutien, emeus peitões saltaram. Ele segurou-os cheirou um e outro… lambeu, lambeu …e chupou os dois bicões… mordendo … gemi suada… e abocanhou com gosto eme entreguei completamente. Murmurei:
–    Me como sem medidas… me possua toda toda… Ele se apressou e abriu minha calça jeans ajudei-o a tira-la e fiquei de calcinha branca já úmida. Ele com raiva rasgou a parte fina da calcinha e ela caiu. Agora nua o homem, me devorava com o olhar e murmurou entre os dentes:
–    Mulher de carne, cachorra potranca e gostosa. Desde rápido e chega na buceta… abre os lábios e cheira… sua respiração me enlouquece e … me chupa … morro e ele chupando toda gostosamente… suga minha
buceta e gooozo na sua boca. Levanta e diz entre os dentes:
–    Agora gostosa e minha vez. Me abaixo e chupo sua pica já excitada e abocanho. Ele me levanta e me vira de costas, coloco uma perna no espaço do armário e me seguro nas gavetas e ele diz contundente:
–    Se arreganhe que quero lhe comer como nenhum macho o fez. Empino o bundão e ele vem com a marmota pronta e vaiii e enfia na xota molhada… mete, mete e tira … soca e vai com cadência … a rola e grande e me invade toda … gosto e gemo … choramingo de vontade e ele tira… mete e me segura pela cintura e cavalga…
gozo. Ele grita:
–    Cachorra com fome, goza logo.
E vai metendo e diz: Boa de comer apertadinha e sedenta de macho, como gosto,grita safada. Me excito tanto que suo com a cavalgada e ele urra dizendo que chegou no pódio da corrida. Tira devagar e junto vem a porra grossa da buceta, fico mole e ele me segura. Me beija no rosto e pescoço e me abraça. Respiro e procuro minha roupa e me troco. Me diz que fará um arranjo para voltar no outro dia. Vou pra casa e ele segue de moto para sua
.

Um chefe deve estar atento ao seu comportamento sempre que possível, pois atualmente o que você não faz ou deixa de fazer pode ter muito mais impacto do que as coisas que desenvolve no dia-a-dia. Perder tempo com coisas desnecessárias pode atrapalhar o desenvolvimento da equipe como um todo e também diminuir o respeito de cada um dos profissionais que trabalha dentro da empresa.

INÍCIO

De uma nova fase da vida…

Quando a vida te pede para que você comece tudo de novo e reconstrua a partir do zero, em vez de entrar em pânico e olhar para a coisa toda como uma punição, em vez de permitir que o medo paralise você, tente olhar para a experiência como um novo acaso. Como uma nova oportunidade para você criar a sua vida em uma fundação mais forte e saudável. Uma nova oportunidade para você ser feliz. Para começar tudo de novo e mostrar ao mundo que tudo é possível.