Mês: setembro 2018

… sentir a adrenalina do perigo.

PACIENTE 27918-53

Eu me chamo Mara, tenho 25 anos, sou morena, baixinha, tenho coxas grossas, bunda arrebitada e seios médios com bicos grandinhos. Eu trabalho numa loja de roupas masculinas em um shopping da minha cidade.

Geralmente atendo mais homens e cada um mais gato que o outro, um dia me veio até a loja um moreno alto, corpo malhado, cabelos arrepiados e um olhar sacana, ele lembrava um pouco o Rodrigo Santoro quando era mais novo e me deixou doida.

Ele veio pela manhã bem cedo, a loja tava para abrir ainda e como sou eu quem abre, estranhei um cliente chegando tão cedo, mas ele disse que tinha um evento e queria escolher uns ternos e umas gravatas. Deixei ele entrar, ficamos conversando e estranhei que ele me chamava toda hora para ir no provador dar minha opinião, até que na última vez que fui, ele ficou só de cueca e pude ver o volumão enorme do seu pau marcando na peça branca.

Eu fiquei arrepiada de tesão e com um pouco de medo, ele podia ser um tarado, sei lá, mas depois disso resolvemos tudo e fomos embora. Ele começou a ir lá com frequência, me convidou para almoçar com ele e um dia me ofereceu uma carona, então falou que ia me esperar fechar tudo.

Depois que as funcionárias foram embora, fui organizar umas últimas coisinhas na loja e ele tava lá comigo, de rp
repente ele veio, me deu um beijo me puxando pela cintura, foi descendo suas mãos grossas pela minha bunda, e eu nervosa com medo de algum segurança do shopping aparecer.

Dentro do vestiário, ele fechou a cortina, sentou em um banquinho que tinha lá e colocou o pau pra fora, me pedindo pra chupar aquele cacete duro feito aço.

Eu cai de boca, comecei a engolir cada centímetro do seu pau enorme, deixei o cacete dele todo babado com minha boca gulosa, ele ia empurrando minha cabeça e eu tava com minha buceta toda molhadinha e ao mesmo tempo nervosa por alguém aparecer ali. De repente ele começou a movimentar o corpo mais rápido na minha boca, aumentando as estocadas da sua pica, que batia na minha garganta e eu engasgava.

A gente na maior pressa, eu comentei que não ia demorar para alguém chegar, então ele tirou minha calça, minha calcinha e começou a brincar com meu grelinho, com pressa, sedento pela minha bucetinha ensopada de tesão pelo toque dele.

Logo ele levantou uma das minhas pernas e começou a me chupar, senti que ia gozar rápido, eu tava me sentindo tão putinha naquela posição, ali toda arreganhada e ele me olhando de um jeito safado enquanto me chupava toda.

Logo ele tirou uma camisinha do bolso, colocou e me puxou com força pra eu sentar no seu pau todinho, que entrou fácil porque eu tava muito molhada mesmo, aquele homem era muito gostoso. Eu sentei de costas pra ele e comecei a quicar na sua vara, rebolar, enquanto ele me puxava pelos cabelos, beijava meu pescoço e gemia bem safado.

Ele colocou uma mão na minha boca pra eu parar de gemer alto, e me segurou com a outra pela cintura e me fez sentar mais forte, eu sentia minha bunda batendo forte no pau dele, gemi mais ainda, não aguentei e gozei ali, sentada na pica dele e mais umas dez bombadas na minha buceta e ele gozou também.

Saímos juntos do shopping, eu super desconfiada pela demora e depois disso a gente aproveitava de vez em quando para transar mais vezes e sentir a adrenalina do perigo.

Ele tomou um susto quando me viu…

PACIENTE 27918-44

Me chamo Renata, tenho 19 anos, sou estudante de direito, loirinha, seios médios, sou considerada gostosa pelos homens e adoro isso, aumenta meu ego. Tenho uma amiga chamada Luciane, ela tem a mesma idade que eu e sempre fomos muito unidas. A gente já chegou até a se pegar uma vez bêbadas, mas não passou de uns beijinhos.

Os pais dela são divorciados, o pai dela mora no Rio, e apesar da gente se conhecer a muito tempo, eu nunca tinha visto o pai dela, mas um dia combinamos de ir para o Rio nas férias e ficar na casa dele. A Lu tem muitos amigos lá, fiquei com medo de ficar pra escanteio, mas mesmo assim tava empolgadíssima.

O pai dela é muito lindo, se chama Saulo, é um homem maduro, de un 40 e poucos anos, moreno bronzeado, cabelos grisalhos e olhos puxados. O homem é uma delícia, eu nunca tinha ficado com um homem mais velho, mas ele despertava meu interesse.

A gente ficou 1 mês planejando essa viagem, chegamos ao rio e o pai dela foi super atencioso. Levou a gente para almoçar, e não tirava os olhos de mim. A Lu morre de ciúmes dele, se ela souber desse relato, ela ficaria puta comigo rs.

Na hora de dormir, ele acomodou a gente no quarto dela, eu só durmo de calcinha e sutiã e muitas vezes acordo bem sonolenta de madrugada e saio assim mesmo pra beber água. Nessa noite eu desci até a cozinha de calcinha e sutiã e dei de cara com o senhor Saulo na sala vendo TV.

Ele tomou um susto quando me viu e eu fiquei muito sem graça.
– Desculpe seu Saulo, eu não sabia que o senhor tava aí, eu ando assim em casa e não imaginei que teria alguém.

– Tudo bem, minha querida, a casa é sua, pode ficar a vontade, e é um colírio para os olhos ver uma gata como você assim.

Eu corei com o elogio, mas minha bucetinha deu sinal na hora, senti um líquido quente escorrer e molhar minha calcinha, fiquei vermelha na hora.

Fiquei encarando ele, seus olhos foram subindo pelo meu corpo, olhando meus seios e depois descendo em direção da minha calcinha, olhando minha bucetinha gostosa.

-Você tem idade pra ser minha filha, mas é um mulherão já, muito sexy.

-Ainda bem que não sou sua filha, senão…

Ele entendeu a mensagem, se aproximou e beijou minha boca, agarrando minha cintura, subindo as mãos pelo meu corpo, alisando minha bunda e me deixando toda arrepiada.

Ele queria me comer ali mesmo, mas bateu um medo tremendo da Lu acordar, então a gente parou. Eu disse que ia dormir porque no dia seguinte a gente ia sair com os amigos cariocas da Lu, mas ele já tinha sacado que eu sou bem putinha, pediu pra eu dar uma desculpa pra passar a tarde com ele.

Eu disse que tava passando meio mal, a Lu perguntou se eu queria que ela ficasse em casa comigo, mas garanti que ficaria bem e logo me juntaria a ela. Assim que a Lu saiu, o Saulo entrou no quarto dela e me chamou pra ir ao dele.

O quarto era um luxo, cama enorme, lençol de seda e bem geladinho. Como um animal no cio ele me puxou pela cintura, me beijou gostoso e bem grosso, enfiando a língua na minha boca e apertando minha bunda.

Ele arregaçou minhas pernas depois de me deixar peladinha, me pegou no colo. Ele é muito forte, me colocou sentada nos ombros dele e começou a me chupar, e como ele chupava bem! aquela barba por fazer arranhava meu grelinho e isso me dava mais prazer, me enlouquecia. Cada chupada que ele me dava, eu me contorcia, me revirava inteira, eu tava no paraíso.

A língua dele bem gostosa massageava firme meu grelo, ele me segurando ainda, eu senti que ia cair, aí ele me jogou na cama, ficou de joelhos e continuou invadindo minha buceta molhada com sua boca gostosa.

Ele mandou eu ficar de quatro empinadinha e começou a chupar meu cuzinho. Ele deu uma cuspidinha, deixou meu buraquinho bem molhado, abriu as bandinhas com as mãos e deu um banho de língua no meu cu. Ele mordia minha bundinha, apertava, deixou meu rabo todo vermelho.

Eu rebolava, louca de tesão, ele sabia fazer gostoso, depois de me chupar inteira ele levantou.

– Me chupa! Com muita vontade, quero sentir essa boquinha engolindo meu pau do mesmo jeito que eu fiz com a sua bucetinha gostosa.

O pau dele é enorme, mal cabia na minha boca, mas eu tava tão gulosa que encarei com muita vontade. Comecei lambendo a cabecinha, o saco, depois soquei tudo na boca olhando nos olhos dele com a maior cara de safada. Notei que ele ficou mais louco nessa hora.

Ele começou a movimentar o corpo, empurrar seu pau na minha boca, eu comecei a babar, suei, sofri um pouco mas foi uma delícia ele enfiando o cacete na minha goela. O sacão enorme batendo no meu queixo e ele ali falando um monte de sacanagem comigo.

Eu chupava sem parar, logo ele gozou um jato de porra na minha boca, na minha cara, me deixou toda melada.

-Que delícia sua putinha, como você chupa gostoso, pra uma putinha nova você chupa melhor que muita vadia experiente, me fez gozar pra caralho!

Eu ainda queria mais, ele começou a me beijar inteira, meteu as mãos na minha xana, começou a me masturbar, o tesão só aumentava, era incrível.

-Me fode, me come logo, tô doida pra ser sua putinha e sentir seu cacete na minha buceta!

-Então abre bem as pernas sua safada, que eu vou meter tudinho!

Eu me abri toda, comecei a tocar minha bucetinha, ele subiu em cima de mim e começou a estocar o pau, doia um pouco mas era uma dor bem gostosinha. Senti que ele ia me rasgar mas não queria parar.

Eu mordi a minha mão, tentei controlar o gemido, mas não deu, ele socava gostoso, seu saco enorme mais uma vez batendo no meu corpo, bem na entradinha da minha bucetinha, ele urrando, eu gemendo bem gostoso.

-Aiii, não para, me fode vai! me fode inteira.

Ele mamava meus peitinhos, roçava sua barba no meu pescoço, suava em cima de mim e nesse vai e vem gostoso, eu acabei gozando muito, fiquei toda molinha, ele continuou metendo, eu ficava dando uns pulinhos porque tava bem sensível, mas não demorou, ele gozou também.

Esse homem me deixou enlouquecida, a gente ficou de namorinho na cama, tomamos banho juntinhos e fomos ver TV, a Lu podia chegar a qualquer momento. Ela até hoje nem sonha com isso, pra ela, o pai dela é como um segundo pai pra mim, mal sabe minha amiga que eu adoro é ser a putinha dele.

“Se segura Jessica!” 

PACIENTE 27918-32

Eu sou Jessica, tenho 32 anos, sou morena, magrinha, cabelos pretos, longos e lisos.
Era feriado e fomos eu e meu esposo passar com a família no interior e na manhã seguinte tinha de assumir o plantão bem cedo, meu esposo estava indo me deixar em sua moto, de repente, o pneu furou no meio da estrada longa e deserta que contorna um imenso açude que existe lá. Pra nossa sorte (minha!!!) vinha na estrada em sua moto, um amigo nosso, Lucas.
Lucas é branco tem os cabelos castanhos claros, olhos verdes, simpático, é um pedaço de mal caminho que eu não havia me dado conta até então. Eu nunca alimentei desejos sexuais por homem nenhum a não ser o meu marido, até porque meu marido tem um pau que eu considero enorme e me satisfaz por completa. Mas com o Lucas eu despertava um sentimento oculto não sei explicar, confesso que era uma atração. Meu marido e eu ficamos aliviados quando a ajuda havia aparecido bem na hora, meu marido foi logo dizendo
“Leva a Jessica até a casa da minha mãe, que vou pegar a moto emprestada do meu tio, pra levá-la pro trabalho.”
Ele disse sem problemas, e eu sem hesitar, subi na moto do Lucas e lhe agarrei com vontade, aquilo me excitou instantaneamente, foi involuntário, meu coração começou a acelerar, eu queria pensar no meu trabalho, no meu atraso, mas era impossível, e ele gargalhava gostoso dizendo: “Se segura Jessica!”  E eu me agarrei ainda mais no seu corpo, senti seu perfume, e o bico dos meus seios logo ficaram durinhos, me arrepiei por completa. A estrada longa e deserta, mato de um lado, mato de outro, quando notei que a moto ia perdendo velocidade e ia parando, e de repente parou ali no meio do nada. Ele desceu da moto e eu desci também, estava tensa, e não falei nada, ele me puxou pela mão e foi me levando para dentro dos matagais, eu não acreditava no que estava acontecendo, estava sem reação, só deixava ele me puxar, e aí eu ia ficando cada vez mais excitada com aquela situação, até que paramos num ponto, ele me escorou numa mangueira e mostrou pra mim, totalmente duro, seu pinto durão, grosso, cabeçudo e moldado na sua bermuda, ele foi logo abaixando meu shortinho, eu já sabia o que ele queria nesse ponto, fiquei ali parada, me tremendo, pois nunca havia traído meu marido, ainda mais no meio do mato.

Que loucura era só o que eu pensava, e por cima mesmo da calcinha ele começou a chupar minha buceta, eu segurava sua cabeça contra minha buceta e esfregava com grande tesão na boca dele, ele saboreou pedaço por pedaço da minha xoxota, Lucas parecia um devorador nato de bucetas, e eu estava amando aquilo, foi quando eu logo quis fuder pra valer com ele, ele levantou-se eu puxei seu rosto e chupei sua língua molhada e me abaixei com rapidez e violência puxei sua bermuda e por cima da cueca eu comecei a paquerar aquele membro nervoso com minha língua, eu sentia seu puta cacetão pulsar dentro daquela cueca e olhava com uma cara de tarada pra ele, eu mesma puxei sua cueca e finalmente fui saborear o pauzão do Lucas.
Ele logo me pegou por trás com violência, levantou minha perna direita e empurrou sua rola na minha buceta, amassava meus seios, e eu agarrava sua cabeça, me esfregava no seu peitoral suado, cravava minhas unhas no tronco da árvore, o pau do Lucas estava me penetrando com força e aquilo era sem igual, foi um vai e vem muito rápido, eu gemia baixinho feito uma cadela no cio e rebolava naquele puta mastro, juntos nós gozamos e eu me tremi dos pés a cabeça nessa gozada, exausta eu respirava ofegante e gemia no seu pé d’ouvido, eu senti sua porra quente saindo do seu pau para dentro de mim em três ejaculações fortes e em cada uma delas eu gemia e apertava seu cacete dentro de mim, nos olhamos e encerramos com um beijo de língua quente e gostoso, como de dois amantes sem vergonhas, sorrimos um para o outro, nos vestimos e ele tomou o rumo da casa de minha sogra.

Fiquei espantada, pois o tempo parecia ter parado, minha foda com Lucas durou no máximo dez minutos, pois meu esposo ainda não havia chegado na casa de sua mãe para trocar a moto. Estendi a mão para me despedir de Lucas e ele me deu um forte abraço e deu um beijo no canto de minha boca, subiu em sua moto e foi embora. Então, fiquei aguardando que meu esposo chegasse para que finalmente eu pudesse ir trabalhar. Nossa, que café da manhã

Então juntou a fome com a vontade de comer…

PACIENTE 27918-21

Eu me apaixonei por um homem casado. Eu tenho 19 anos sou uma pessoa de boa família sempre me dei bem com meus amigos, trabalho, faço curso de administração…sempre tive desilusões amorosas apesar de ser nova mas sempre me entreguei nos meus relacionamentos Fui muito boba com homens… 
Até que um dia resolvi que não iria mais namorar ninguém e só fazer festa e a minha Liberdade estava ótima…minha vida tinha mudado eu estava sempre alegre coisa que antigamente vivia de mau humor e triste… 
Nesse meio tempo encontrei um velho amigo, eu já sabia que ele era casado mas como eu sempre tive uma queda por ele resolvi aceitar o convite dele para sairmos, mas iria ser só por uma noite e depois cada um para o seu lado… 
Mas com ele foi diferente. 
Pois eu pensei melhor e resolvi ficar com ele as vezes pq eu não queria mais saber de namorado e adoro sair sozinha para dançar, sair com amigos, com a minha mãe que é nova e adora bailes, saio com meu pai que não e’ tão novo mais adora um pagode…E eu não iria deixar de fazer essas coisas por causa de namorado. 
Então juntou a fome com a vontade de comer…pra mim estava ótimo 
É mto bom pois vc fica com a melhor parte, não precisa cozinhar , lavar, passar e ainda pode sair dançar fazer oq quiser 
E quando ele estava liberado nos saiamos curtia o momento que era ótima, sempre tudo perfeito. 
Ele é carinhoso cheiroso Bonito e tem 31 anos, é respeitador… 
bom pra mim ele é tudo de bom, me trata como uma princesa… 
Como meus pais graças a Deus são pessoas maravilhosas e meus melhores amigos principalmente a minha mãe pois falo tudo pra ela, não dirão muita importância… 
Ela não brigou comigo nem nada, pois adorava ele pq ele realmente é uma pessoa bem quista por todos e mto adorável…meu pai não se meteu, adora ele tem mas sabe de tudo isso e pai nenhum quer ver a sua filha ser a segunda mas até ai estava tudo bem… 
A minha vida estava às mil maravilhas, até que eu comecei a sentir a falta dele, eu sentia um vazio que só ele poderia preenche-lo… 
E sobe como é homem casado…Fim de semana nem pensar…agente só se via na semana…as vezes ficava semanas sem velo pois ele se sumia…mas quando a gente se via aquela saudade era matada na hora…isso era mto bom pois nunca gostei de homem no meu pé pois me considero uma mulher bonita e simpática e todos meu namorados eram mtos ciumentos e por isso que eu estava adorando aquela situação, pois ele não tinha o direito de me cobrar fidelidade nem horário nem nada… 
Mas o tempo foi passando e eu fui percebendo que tudo aquilo era uma ilusão só que era tarde demais eu já estava loucamente apaixonada por ele e todos sabiam disso. 
Ele me dizia a mesma coisa, que me adora mto 
que eu o fazia rir, que eu era o bebe dele…e eu adorava isso ele é assim comigo ainda!! mas eu to tentando largar fora já estou com ele a 10 meses e sei que ele nunca irá largar a mulher dele por mim…pois se ele ficasse comigo talvez arrumaria outra amante para tomar o meu lugar e eu nunca quis que ele largasse a mulher dele para ficar comigo pq eu não queria compromisso isso eu sempre deixei claro para ele, e só assim ele tbm não fica no meu pé. 
Ele se morde de ciúmes quando me vê arrumada ou conversando com alguém, mas fica na dele pq não tem direito algum de me cobrar… 
Eu até estava gostando disso, da minha liberdade, antes de descobrir que estava apaixonada por ele… 
E agora todos o findas eu nunca posso ver ele…No dia dos namorados comemoramos no outro dia…com certeza no natal vai ser assim tbm se eu consegui velo tbm… 
Me sinto sozinha como se eu estivesse sendo usada… 
Mas ao mesmo tempo eu sinto que ele tem um carinho enorme por mim…me ajuda quando eu preciso… e eu só queria um pouco mais de atenção… 
Mas o pior de tudo é que eu sei que essa relação não tem futuro pois eu pretendo me casar um dia ter filhos e com ele eu sei que isso não vai ser possível, eu só estou perdendo meu tempo…mas não consigo me desligar dele…pra quem gosta é difícil… 
Só fica as lembranças as saudades…dele….ele me completa de uma certa forma mas ainda tem um vazio bem grande que acho que não vai ser ele que vai conseguir preencher…ele até tenta ser uma pessoa presente em minha vida pois já ameacei deixá-lo mas os compromissos não deixam e tem mais a mulher era filha de 12 anos… 
Eu Não sei o que fazer? 
Se puder me ajudar todos os concelhos serão bem-vindos .

O tempo passa, mas o bom gosto e o charme continua….

Imagem relacionada

Novas configurações de famílias, de relacionamentos, de modalidades de casamento. Vivemos realmente em um novo momento. Ainda que a cabeça de muitas pessoas não acompanhe este novo pensamento, temos que nos esforçar por algo bem maior, aquilo que chamamos de respeito mútuo. Respeitar as pessoas é antes de tudo uma obrigação de cada cidadão na sociedade.

Preconceitos à parte, aos poucos nos acostumamos com novos formatos de sociedade. Mas temos que fazer um esforcinho para viver em paz nessa nova configuração social. Hoje nós vemos por aí uma grande quantidade de irmandades, quase sempre em prol de algo maior, de luta por preconceitos e causas nobres. Se fossemos analisar a fundo, nem precisaríamos ter esses tipos de irmandades, pois era pra ser algo natural, orgânico do ser humano. O respeito deveria vir de dentro, sem ninguém precisar nos lembrar.

Mas tudo bem, na maioria das vezes fazemos coisas tão automáticas que sem pensar erramos. E digo erramos porque todos nós estamos suscetíveis aos erros, a falhar fazendo algoResultado de imagem para relogio de bolso antigo naturalmente, até mesmo sendo preconceituosos. Julgamos as namoradas dos amigos, os próprios amigos, as atitudes dos amigos dos nossos amigos, etc. Julgamos o tempo todo. E isso também é normal. Nós geralmente ficamos chocados com as pessoas muito sinceras, que saem por aí dizendo o que pensam, na hora que pensam. Talvez a grande maneira de nos policiarmos para respeitar as pessoas ao nosso redor é assistindo à atitude destas pessoas. Julgando-as para entendermos a grandiosidade do respeito. Quantas vezes você quis dizer algo sobre o que pensava, gritar bem alto a sua opinião (geralmente contrária ou preconceituosa) e agradeceu por não ter falado, por ter guardado para você? Quando observamos as pessoas mais velhas, entendemos que o respeito já foi sim algo obrigatório, de uma conduta normal. Algo que as pessoas faziam sem pensar. Assim como as críticas que saem da nossa boca nesta nova era de compartilhamento e transparência. Por mais que a gente entenda que estamos em um novo momento, precisamos entender que existem coisas que nunca mudam e uma delas é o respeito. Por isso, guarde alguns questionamentos para você. No momento você pode se sentir oprimido, mas com certeza você se sentirá muito melhor de guardar para você praticando o respeito como opção!Resultado de imagem para homem antigo

Estava ali…

Imagem relacionadaEstava ali, mas EU sou assim mesmo,

não dou o devido valor quando tenho em mãos;

Agora longe, muitas vezes sem nenhum tipo

de contato é que vejo

 que um simples aperto de mão

 pode arrepiar até o último fio de cabelo;

Ontem sentia que faltava algo,

hoje você é responsável

por uma dor que NÃO me é cruel,

mas machuca tanto…

Escrevo minha História…

Imagem relacionadaEscrevo minha história na areia da praia

Para que as ondas a levem através dos sete mares

Até tornar-se lenda na boca de estrelas cadentes.

Conto minha história ao vento.

Canto-a nos bares para os rudes marujos.

Aqueles cujos olhos são faróis sujos, sem brilho.

Escrevo no asfalto, com sangue.

Grito bem alto a minha história,

antes que ela seja varrida

na manhã seguinte pelos garis.

Abro o peito na direção dos canhões!

Subo nos tanques de Pequim!

Derrubo os muros de Berlim!

Destruo as catedrais de Paris!

Defendo minha palavra.

A vida não vale nada.

Se eu não tiver uma boa

história para contar.

Igor Hunsaker.

RELATO PESSOAL 30

RÉVEILLON EM PARATY!

Quando eu pensava em Paraty, o que me vinha à sua mente, Praias, Cachoeiras, Gastronomia, FLIP, Música, Cultura, História, Cachaças… E quando eu pensava em Ano Novo… Banquete, Festa, Animação, Fim de um Ciclo, Roupas Brancas… Agora Paraty no Ano Novo foi algo além da imaginação… é a união quase que perfeita entre data e ambiente, entre oportunidade e facilidade, entre prazer e comodidade. Uma das minhas grandes questões no Ano Novo é a vontade de viajar, porém questões familiares e profissionais, as vezes me impedem de fazer uma viagem para um lugar mais distante, que necessitaria de mais tempo. Resultado de imagem para foto por tras na praia paratyA viagem para Paraty em 1999 Ano Novo foi a melhor alternativa para conciliar essa rotina atribulada que tinha na virada do ano, com uma viagem repleta de diversas opções de passeios e pessoas a conhecer. Como eu queria descansar,  fiquei  no confortável Villas de Paraty bem próximo do centro histórico para curtir a pousada e dar uma caminhada pelas famosas pedras pé-de-moleque das ruas da cidade. Eu pude fazer um belo passeio de barco pelas mais encantadores ilhas e praias da baía de Paraty; conhecer belas cachoeiras com águas relaxantes, mesmas águas que deram fama à cachaça de Paraty. Pude também conhecer a história de Paraty no centro cultural ou no Museu de arte Sacra; assistir um belo teatro de fantoches, e experimentar a diversidade culinária dos melhores restaurantes da região. Sem falar de um dos melhores visuais para a queima de fogos da virada de ano. Os fogos são refletidos nas águas da baía de Paraty, deixam todas aquelas casinhas históricas brancas com tonalidades coloridas e, pra completar os fogos são tão pertinho do canal (das balsas que ficam por ali) que eu me senti no meio daquela explosão de cores e vibrações.

Bem…

Paraty 1999 – A versão Igor…

E se largássemos o pudor, as vergonhas, os nomes, o títulos, os sobrenomes. Largássemos tudo. Nos sobraria a sexualidade. A sensualidade. Prezamos pelos sentimentos mas nos esquecemos dele na hora de morrer. Considerando as varáveis somos cínicos. Mentirosos. Juramos acreditar no amor, mas esquecemos dele quando o assunto é sexo. Aí transformam a maneira mais animal de tocar, se sentir, se viver alguém em algo pecaminoso. Não acredito. Posso não amar, mas sinto. Ou talvez eu ame-a e sinta-a ao mesmo tempo. O que acontece é a necessidade da santificação das coisas. A que custo?! Mentir é melhor, talvez. Eu acredito no amor. Mas acredito mais, com mais força, com mais vigor na capacidade que o sexo tem de nos transformar, nos possuir, nos libertar. Somos humanos afinal. E ai eu posiciono à beira da cama. Respiro. Espero. Dentro. Fora. Fora. Dentro. Talvez eu goste mesmo é de sentir. Então reconheci nos olhos dela a doçura que a muito não via, sentia falta daquelas palavras doces. Eu a observava apreensiva a dias, creio que ela passava por uma fase difícil pois seu olhos sempre doces estavam com um jeito sombrio. Suas palavras que antes acariciavam minha alma agora feriam como espinhos. Ela é gentil e adorável, tem o sorriso mais lindo que já vi. Eu não perguntei o que havia, apenas me sentei e observei, ela notou minha presença, por conta própria resolveu se aproximar, percebi que toda aquela agressividade não passava de um tentativa frustrada de se defender, ainda não sei ao certo do que ela tentava se defender mas ela luva bravamente contra algo. Ela me olhou, sorriu, e eu reconheci os olhos que tanto amava, reconheci o sorriso que a muito não via. Senti meu coração bater forte pois aquela a quem tanto desejava ainda estava lá, escondida dentro dela. Não precisei dizer nenhuma palavra para que nossos corpos se encontrassem em um abraço afetivo. Senti que toda aquela energia negativa era desfeita na sinceridade de um abraço. Aqueles olhos cor de mel encheram-se de lágrimas, lágrimas sinceras, de alívio, de aparo. Estou aqui, disse eu, quebrando o silêncio que nos envolvia. Ela sorriu novamente… Ela tem os olhos mais belos que já vi, o sorriso mais cativante que já contemplei. Ela é doce, gentil, educada, rara, só estava perdida em seus pensamentos, em seus medos. Ela só precisava dos meus braços, do meu amparo.

Paraty 1999 A versão – Diana…

“Meu nome é Diana, tenho 56 anos e hoje vou compartilhar uma de muitas histórias com Igor. Nessa história estava apenas com 20 anos e já havia iniciado a minha vida sexual. Minha família e eu sempre comemorávamos a entrada do novo ano viajando para a praia. Alugamos uma casa bem grande com vários quartos e dividimos entre os membros da família. Essa divisão sempre causava briga entre os adultos, mas era facilmente resolvidas entre nós que eramos jovens. Todos os filhos, primos e irmãos ficavam no mesmo quarto, sem escolha. Eu não achava ao todo ruim, na verdade, era ótimo. Isso me dava muito tempo para passar junto com os meus primos. Mas havia alguém em especial: Igor, um vizinho. Era 16 anos mais velho que eu, Médico da família, jogava tênis em um club da cidade e arrancava milhares de suspiros de outras meninas apaixonadas. Comigo não era diferente. Moreno e bem alto, com o corpo cheio de músculos bem definidos e dono de uma voz que soava feito trovão. Sentia meus pelos se arrepiarem só com o seu olhar, mas, de alguma forma eu sabia que também mexia com ele. Imagem relacionadaIgor fazia questão de ser sempre simpático comigo. Atendia quase todos os meus pedidos e também sempre queria estar por perto. Era notável que se exibia, querendo mostrar todos os seus bons atributos. Aquele homem era um perigo. Em um dia qualquer ao longo da viagem, quando todos haviam saído para tomar banho de Sol, ficamos eu e Igor sozinhos em casa e foi a partir deste dia que aquele jogo de sedução começou. Devido ao calor, fui tomar um banho para refrescar. Fiz questão de deixar um pouquinho da porta aberta para que ele pudesse me espiar. Eu sabia que ele o faria e por isso decidi provocá-lo. Ver aquele homem atiçado era uma das coisas que eu mais desejava. Apesar, muitas partes do meu corpo já eram bastante desenvolvidas e minhas curvas bastante curiosas. Meus cabelos eram curtos e repicados, batiam na altura do meu pescoço. Minha pele era alva e jovial. Lisa, macia e quente. Os ombros desenhavam um caminho perfeito dando continuidade aos braços. Me virei de costas para a porta, dando a Igor a visão da minha cintura fina e os quadris largos. Tinha as coxas grossas e uma pintinha em uma das nádegas, que ajudava a realçar minha bunda farta. Passei as mãos pelo elástico da calcinha , inclinei o quadril para trás, me empinando e mais uma vez dando a ele uma visão privilegiada do meu corpo. Enquanto me despia, levando as mãos até os joelhos sem dobrar as pernas, olhava para trás, para a porta, procurando os olhos dele que me espiavam. Pude ouvir e sentir uma agitação do outro lado da porta. Todo aquele ritual estava criando o ambiente perfeito para o que eu queria. Em seguida, não demorei para me virar de frente para a porta e passar os dedos pelas alças do meu sutiã, abaixando-as pelos braços e fazendo os meus seios pularem para fora. Não eram grandes, mas caberiam perfeitamente na mão máscula de Igor e isso me excitava só de pensar. Arredondados e empinados, os mamilos, pequenos e rijos, pediam para serem chupados e mordidos por qualquer boquinha gulosa. Levei ambas as mãos até cada um deles e os ergui, como se os oferecesse e arfei de satisfação por vê-los crescerem cada vez mais. Me virei novamente, ficando de costas para a porta e não tardei em entrar debaixo do chuveiro, para tomar uma ducha. Liguei o chuveiro com delicadeza e pude sentir a água quente tocar meu corpo e deslizar pelas minhas curvas. Era uma sensação prazerosa e muito confortável. Tomei o sabonete em mãos e o esfreguei pelo meu corpo. Arrumava sempre a melhor posição para deixar-me a vista para ele. Sentia seus olhos correrem sobre mim e não demorou muito para que eu pudesse sentir um calor enorme tomar conta de mim. Enquanto me ensaboava, fazia das minhas mãos as mãos de Igor me acariciando e o seu corpo quente contra o meu. Era uma delícia, aquilo mexia comigo. Sentia minha buceta molhada, mesmo estando enxarcada do banho. Ela pulsava clamando por carícias. Escorria pelas minhas pernas e me deixava maluca. Naquele momento não conseguia mais resistir, estava entregue ao desejo e queria sentir o peso daquele homem sobre o meu corpo. Foi quando me sentei ao chão com as pernas abertas e me direcionei para a porta do banheiro. Chamei por Igor com o meu dedo indicador. O meu corpo todo trepidava ao imaginar o que aconteceria a seguir. Estava ansiosa. Não demorou muito para que ele percebesse que eu já sabia da sua presença ali. Então afastou a porta abrindo ela e entrou no banheiro. Igor estava sem camisa e vestia apenas um calção daqueles de jogador de praia. Podia ver suas pernas torneadas e morenas caminhando em minha direção.

– Parece que você gosta mesmo de se divertir, não é? Mas sozinha? – Ele disse, enquanto se ajoelhava a menos de dois palmos de mim. Meus olhos percorriam o corpo dele e o meu corpo inteiro chamava por aquele homem. Coloquei uma de minhas mãos sobre a minha buceta e a acariciei, olhando ele e respondi: 

– Eu não aguento mais, Igor . Eu preciso de você dentro de mim. Vem aqui. Vem agora.

Inclinei o corpo para poder puxá-lo com o máximo de força que tinha para cima de mim. Senti o corpo dele deitar entre minhas pernas e agarrei as suas costas. Beijei aqueles lábios carnudos de uma forma selvagem e louca.Deixei mordidas por toda a boca dele e não deixei tempo para que pudesse respirar. Continuava me masturbando com os dedos enquanto o meu clitóris ficava inchado e obrigava-o a apertar e acariciar os meus seios em suas mãos. Igor era muito mais experiente que eu e sabia o que estava fazendo. Ele não hesitou em colocar sua mão grande em mim e me bolinar. Apertava os meus seios e brincava com os meus mamilos rijos em sua mão. Aquilo me fazia gemer e me masturbar cada vez mais rápido e de forma mais intensa. Tínhamos os corpos molhados e eu percorria com as mãos todas as curvas de Igor . Me deparei com o seu pequeno shorts, que não demorou para que estivesse fora daquele corpo moreno. Olhei para ele da forma mais safada que pude e então segurei o seu pau nas mãos. Sentia como era grande, como pulsava e as veias saltavam me desejando. Sussurrei para ele em poucas palavras:

– Vem-me foder, Igor . Vem.

E as palavras foram suficientes para que o homem ficasse louco. Ele sorriu com aquilo e jogou o seu corpo forte sobre o meu. Colocou minhas pernas entre a sua cintura e ficou esfregando o seu caralho entre os lábios vaginais da minha buceta. Estava doida para engoli-lo. Não tardou até que ele começasse a penetrar a sua vara enorme dentro de mim. Aquilo me fez gemer muito alto, enquanto minhas mãos agarravam suas costas e as arranhavam com muita força.

– Ah! Igor ! Isso faz assim. Mais forte!

Era tudo o que eu conseguia repetir enquanto aquele homem me possuía. Sentia o meu corpo ficar cada vez mais quente e os meus seios balançarem para cima e para baixo, assim como meu corpo enquanto com as estocadas de Igor, que ficavam cada vez mais violentas. Ele puxava os meus cabelos e chupava o meu pescoço. Mordia o meu ombro e acarinhava os meus seios. Era perfeito. Podia sentir o seu caralho me invadir até o fundo na buceta e engolia ele com cada vez mais tesão. Transamos assim por longos minutos, enquanto a água escorria quente em nossa pele. Igor me pediu para ficar de pé e eu apenas obedeci. Ele sentou-se sobre o vaso sanitário e me colocou em seu colo, encaixando mais uma vez a sua pica dentro da minha buceta e me fazendo pular em cima dele, quicar gostoso e cavalgar sobre seu caralho. Segurava seus ombros de maneira forte e esfregava meus seios sobre o rosto dele. Sentia sua boca me devorando o que me arrancava ainda mais suspiros. Gritei e gemi feito uma vadia. Senti Igor me foder por minutos e depois o peso da sua porra me consumindo por dentro.Considero essa uma das melhores fodas da minha vida.”

.

Me rouba um beijo…

Imagem relacionada

Me procura num infinito espaço
Me entrego, me prendo, te devoro
Me perco me encontro no teu labirinto
E como temerário, te exploro.
Me rouba um beijo num sopro intrépido
E navega em meus mares desconhecidos
Sussurra no ouvido, promessas de amor.
Amor astronômico de emoções e sentidos.
E quando meu beijo
tua boca almeja
Meu mundo…um deserto
Teus lábios…açúcar cereja.
Teu corpo, cais do meu barco,
Onde ouço pulsar do teu peito
Sentir o teu cheiro de mulher ao meu lado
E suavizar minha saudade em teu leito.
Sossega meu olhos em teu refrigério
Me leve em tuas asas e seus pensamentos
Viajando em espaços e galaxias sem fim
Guardando para sempre esses doces momentos.

CRIME SEXUAL…

Existe um responsável ?

A maneira da mulher se vestir e se comportar incentiva o crime sexual?

Será que esse é um pensamento machista, moralista e retrógrado?

Acompanho diariamente os fatos que ocorrem com mulheres. Gosto de falar com elas, saber sobre elas. É um assunto que me interessa, até porque sou parte afetada.

Vejo que as pessoas culpam o assediador. Falam que ele não tem o direito de dar cantada, de passar a mão ou seguir adiante sem o consentimento da mulher.

Eu concordo integralmente.

Entretanto, durante anos vivi a experiência de trabalhar com homens eram pacientes, fornecedores, acompanhantes. Todas as formas de contato . O que depuro disso tudo é que alguns homem tem um pensamento doente. Porque se ele quiser aquela mulher, tudo que ela fizer ou disser será indício de que ela o quer. Em outras palavras:

– Se ela está usando uma roupa justa/curta/decotada é um sinal claro de que é para provocá-lo;

– Se ele a chamar para sair e ela disser que tem namorado, ele vai pensar que, se ela não tivesse, iria aceitar;

– Se ele mexer com ela e ela responder que não é para falar com ela, ele vai entender que só deve tocar nela!

Acho que com os três exemplos já deu para entender o meu ponto. Não depende do comportamento da mulher se ela será assediada ou não.

Depende do que esse homem está querendo.

Estive lendo o site Think Olga que fala sobre o empoderamento feminino. Achei muito interessante – http://thinkolga.com/ – e recomendo a leitura. Ter informação é importante. OLGA é um projeto feminista que criou a campanha Chega de Fiu Fiu em 2013. Um dos resultados apurados é que 90% das mulheres trocaram de roupa antes de sair de casa.

A campanha gerou (?) um documentário, mas quando fui ver o trailer no Youtube, acabei vendo outros vídeos em que mulheres usavam câmeras escondidas e simplesmente andavam pelas ruas. Vi três situações com gravações de 10 horas. Na primeira a mulher está usando roupas pretas e justas, ela é atraente normal e não fala nada, em nenhum momento. Na segunda, a mulher é bem mais bonita, está vestida com roupas justas, mais atraentes e é muito irônica. Responde a todas as cantadas de forma inesperada. Exemplo: o cara fala que quer se casar com ela. Ela diz: sério, eu também. Vamos?  https://www.youtube.com/watch?v=ISLcdUz-5Jk Na terceira, eles levam a experiência a uma mulher que está com cara entediada e veste moletom bem largo. Ninguém olha para ela. A moça cai e ninguém ajuda. É possível concluir que quando você chama atenção, você recebe?

Onde está o erro?

Talvez esteja faltando uma pergunta para você fazer ao se vestir para sair:  qual é o meu objetivo ao escolher essa roupa?

Tenha claro que você pode alimentar com fantasias a mente doente de um homem. Contudo, se um homem quiser te assediar, independente da roupa que você estiver usando, ele fará isso. E nessa hora, não vai adiantar nada você falar:

Não faça nada com o meu corpo. Eu não te autorizo!

Quando os pais pedem para as filhas não se exporem, mudarem suas roupas, não estão sendo machistas. O que nós queremos é a proteção de vocês.

A minha vizinha… 

Toda a gente tem um(a) vizinho(a) bom(a), quem não tem, não é gente. Eu tenho, logo sou gente. Para perceberem como sou gente, vou-vos contar algumas das histórias da minha vizinha.

A minha vizinha… não sabemos a sua idade, mas tem uma filha da nossa idade. Após ter colocado “10.000€” no peito, e já não o tinha pequeno, sempre que me cruzo com ela tenho medo que me fure os olhos. Para mim ela está a precisar de uma plástica, assim fica mais nova que a sua própria filha.

 

A minha vizinha…faz sexo no carro com desconhecidos, pelo menos são desconhecidos para mim, pode ser que ela os tenha conhecido na noite anterior. No entanto, quando se passa à porta dela arriscamo-nos a ouvir gemidos e gritos (caso esteja a levar na tromba). Se for na garagem, arriscamo-nos a ver a senhora a meio da noite a testar os amortecedores do seu bólide. 

A minha vizinha… sai à meia-noite durante a semana com um chapéu de cowboy e calças de cabedal. Acho que ela alinha em grandes cowboiadas pela noite dentro. Ela chega pela manhã, quando estou a sair para o trabalho.

Aqui ficam algumas fotos das fisgas das minhas queridas vizinhas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tenho muito tesão pelo meu Médico…

PACIENTE 19819-32

Tenho muito tesão pelo meu Médico. Ele não é ginecologista. Uma pena adoraria as mãos dele na minha buceta! Quando vou ao consultório dele sempre marco um horário no final do dia. Além de mais tranquilo rsrs, podemos conversar mais… Ultima vez que fui lá esperei para ser atendida até o começo da noite. Tinha comprado lingerie novo, bem pequeno, provocante para ver se despertava algum tesão nele. Quanto ele abriu a porta para atender a penúltima cliente, nossos olhares se cruzaram e percebi que pararam nas minhas coxas (estava com vestido curto que mostrava quase tudo). Foi o bastante para dar asas à minha imaginação. Imaginei o Doutor me agarrando ali mesmo na sala de espera do consultório, sob os olhares de todos. Despindo-me vagarosamente, saboreando cada pedaço do meu corpo, deslizando a boca e chupando meus peitos e minha buceta! Muito molhada, escorrendo, fui ao banheiro tentar me recompor da excitação que minha imaginação havia causado. Entrei rapidamente e me masturbei em uma tentativa louca de saciar minha vontade, queria aquele pau dentro de mim… Era meu maior desejo no momento. Mas tentei me satisfazer com o quem tinha – meus dedos. Gozei gostoso! Voltei à realidade, olhei a minha volta e percebi que estava sozinha no consultório… Ele abriu a porta e me chamou. Passei ao seu lado bem devagar, encostando meu corpo no seu, devorando seu pau com meu olhar. Ao perceber ele retribuiu sussurrando: -Você esta muito linda e… Fez algumas perguntas, mas não me tocou… No dia seguinte, chegando ao escritório encontrei um recado do Doutor: – Preciso repetir os exames. Agendei a consulta para amanhã (terça-feira) final da tarde. Pontualmente lá estava eu, pronta pra ser “examinada”. Entrei, ele trancou a porta… Sentou atrás de uma enorme mesa de vidro e, eu ainda de pé, percebia que me “comia com os olhos” acompanhado de um riso sacana. – Tire a roupa e deite-se ali na maca, preciso lhe examinar melhor. Percebi que seu pau estava duro… Quer que eu tire tudo Doutor? Ele sorriu e respondeu – Sim! Não consegui conter minha excitação, arranquei minha roupa rapidamente e resolvi acabar com todo aquele clima frio. Puxei suas pernas em minha direção, comecei a acariciá-lo. Abri as calcas dele e preenchi minha boca com seu pau, chupava muito alternando velocidades. Ele se deitou na maca e sentei no seu cacete e me deliciei, rebolava descontroladamente, era um tesão que parecia não ter fim. Virei-me de costas, sentei novamente e comecei a gritar de prazer, já não me importava se alguém pudesse ouvir, queria extravasar! Ele me fodia deliciosamente… Tirei o pau da buceta e continuei chupando, louca para que ele gozasse em minha boca e melasse toda minha cara com aquela porra deliciosa. E foi o que aconteceu me deliciava com cada gota do seu gozo. Ele me deitou sobre a enorme mesa de vidro e gozei mais uma vez enquanto ele chupava na minha buceta. O telefone toca… Era meu marido me lembrando de que iriamos jantar para comemorarmos nosso 10º aniversário de casamento! Vesti-me… E fui pra casa feliz com o “presente” que o Doutor tinha me dado!

Seis meses depois que casamos…

PACIENTE 19819-41

Dr. Marcos, médico ginecologista, 40 anos de idade, é amigo do meu marido, desde tempos de solteiros.

Seis meses depois que casamos, meu marido ligou para ele e agendou uma consulta para mim, apenas para acompanhamento, pois realmente, eu não sentia absolutamente nada. Eu não o conhecia, apesar da amizade dele com meu marido, Leandro.

Seu consultório, localizado num dos melhores bairros da cidade, primava pelo luxo e aconchego e causou-me admiração quando lá cheguei. Como naquele dia por mim pretendido, quase não havia vaga, ele me reservou o último horário, pois não quis deixar de atender meu marido e seu amigo de longas datas.

Naquele dia, meu marido estava voando para o sul do País, pois como já contei anteriormente, ele é piloto comercial de uma grande companhia aérea.

Quando entrei no seu consultório, após sua secretária me convidar a entrar, vi seus olhos com um misto de desejos sobre o meu corpo. Fiz que não havia observado nada e após aquela conversa inicial sobre meu estado de saúde e sobre o meu marido, mandou-me tirar a roupa para um exame mais íntimo. Deitei naquela cama com meu coração acelerado e ele começou o exame demonstrando muita naturalidade e respeito. Tirou pressão, auscultou e finalmente pegando um aparelho especial, pediu para que eu abrisse as pernas, pois iria me examinar internamente.

Colocou o aparelho na minha vagina, o que me deixava um pouco exposta e observou tudo, dizendo afinal que estava tudo bem, retirando o aparelho. Já de luvas, ele colocou um lubrificante em dois dedos de sua mão direita e me pediu para abrir novamente as pernas. Com suavidade foi introduzindo, primeiro um dedo, e começando a “sentir” o interior de minha vagina. Um vai e vem muito suave, começava a me excitar a ponto de eu conter meus gemidos. Depois de uns dois minutos, ele colocou dois dedos juntos e retomou aqueles movimentos que me deixavam louca de tesão. Com mais dois minutos ele foi retirando os dedos de minha vagina e começou a examinar meu clitóris. Mais afagos e meu clit começou a querer me fazer gozar.

Aquilo não parecia ser normal para um exame médico, pois ele estava me excitando além do que eu pensava. Minha cabeça estava a mil e, sinceramente, eu não sabia como reagir, mas eu procurava me controlar dentro dos padrões de decência de qualquer mulher honesta. Qual não foi a minha surpresa quanto notei nele uma ereção enorme e aquilo me deixou louca. Seu pau estava quase saltando pra fora de suas calças.

Eu queria reagir, mas não queria dar um escândalo, pois ele, além de ser médico famoso, era muito amigo do meu marido. Contive-me até que ele me disse que notara um pequeníssimo problema na minha vagina e que eu voltasse na semana seguinte, no mesmo horário, para ele terminar o exame, pois naquele momento não poderia dar um diagnóstico preciso.

Saí dali aliviada, pois senti que ele estava querendo me fuder e se marcou outra “consulta” para a próxima semana, e no mesmo horário do final da tarde, estava com segundas intenções. Apesar de ser ele um homem lindo e como eu já notara, possuir um pau enorme, eu pretendia ser eternamente honesta com meu marido e para não desgostar-lhe e acabar definitivamente com a amizade dos dois, resolvi não voltar mais àquele consultório.

No dia marcado, uma semana depois, a secretária dele me ligou, pedindo que eu confirmasse a presença para a consulta agendada e eu disse que estava confirmado e que eu iria, por volta das 17 horas, como marcado. No entanto, eu havia decidido não ir e não fui. Dali para frente iria procurar esquecer aquele médico lindo, possuidor de um pau invejável e amigo do meu marido, mas que notara nele, intenções não recomendáveis.

Agora, depois de uns seis ou sete meses, quando minha vida sexual havia tomado outro rumo, comecei a pensar que deveria ir a um médico, pois, além de Cristina, Fernando, Alexandra e minha irmã, eu mantinha relações sexuais com meu marido que Já trepara com Cristina, com Alexandra e com minha irmã e não se descartava a possibilidade de ele haver adquirido alguma doença sexualmente transmissível ou mesmo eu, quando me relacionei com Fernando, lá em São Paulo.

Lembrei do Dr. Marcos, de quem eu havia fugido, sete meses antes, pois notara suas segundas intenções comigo.

Mais liberal, agora, liguei e marquei outra consulta e procurei o último horário de um dia que meu marido estivesse voando.

Quando entrei em seu consultório, naquele último horário, ele me cumprimentou com um largo sorriso e foi logo me cobrando porque eu não havia voltado naquela data aprazada. Eu respondi-lhe que houvera um problema de urgência com minha mãe, o que me impediu de vir, mas que agora pretendia terminar os exames.

Ele, muito gentil, foi logo me mandando tirar a roupa e sentar em uma cadeira ginecológica, quando colocou o mesmo aparelho da primeira vez. Após rápido exame, dizendo que até ali, estava tudo bem, mandou-me deitar na mesma cama da primeira vez e começou me examinando pelos seios, me apalpando de uma maneira suave e que me deixava nas nuvens.

Após os seios, ele já de luvas, lubrificou o dedo médio de sua mão direita e mandou-me abrir as pernas. Introduziu o dedo com suavidade, mas eu tive certeza que ele já notara a minha boceta alagada de tesão. Seus movimentos de vai e vem, suaves, mas que me penetravam profundamente, me deixava louca e comecei a responder àqueles estímulos com pequenos movimentos dos quadris. Passei a vista e novamente notei que ele estava de pau duro, mas muito duro mesmo e o mais importante, ele não procurava disfarçar. Aquilo me enlouquecia.

Ele notando que eu estava já excitada demais, retirou o dedo de minha boceta e voltou a examinar meu clitóris, massageando inicialmente com suavidade e delicadeza, o que me fez a emitir leves gemidos e já arfando de prazer eu estava a ponto de gozar olhando aquele pau duro na altura do meu rosto. Ele parecia querer me maltratar ao máximo, pois já notara que eu estava ao ponto de capitular com seus estímulos. Ele continuava com movimentos mais fortes sobre o meu clit já duro. Mais uma vez, os malditos hormônios me traíam e eu não me contive mais.

Fui estendendo o braço e com as costas de minha mão, fui deslizando sobre aquele pau enorme e duro. Eu queria dar a entender que era por acaso que minha mão atingira aquele falo gigante. Como ele não demonstrou qualquer reação eu comecei a passar a palma da mão e ele pressionou ainda mais meu clitóris. Seu pau respondia agora, pulsando na palma de minha mão e eu já não me contendo mais fui abarcando aquela ferramenta de carne com força e comecei a apertá-lo e punheteá-lo por cima da calça branca.

Ele sem dizer uma palavra e usando apenas a sua mão esquerda, desabotoou sua calça e abrindo o zíper, a deixou cair aos pés. Eu gemendo, já não me continha e o puxei de dentro da cueca. Enorme, grosso, pulsante, uma cabeça linda, vermelho, duro como um ferro, estava a um palmo de minha boca. Como uma vadia, com a outra mão, baixei sua cueca para os joelhos e abocanhei aquela vara gigante. Ele gemeu, mas continuava me massageando o clit, me enlouquecendo cada vez mais.

Percebi quando ele usando os próprios pés, jogou longe a calça e a cueca. De imediato, tirou sua bata médica e a camisa, ficando totalmente nu. Corpo divino, lindo, musculoso e que eu agora tinha certeza que iria ser meu. Tirou o pau de minha boca e meteu sua língua no lugar do pau, num beijo animalesco, com sua língua explorando a minha.

Com a boca colada à minha e me fazendo enlouquecer de tesão, ele suspendeu uma perna e depois a outra e montou em mim, o que me sugeria abrir as coxas e foi o que fiz. Mal senti a cabeça daquele pau gigante sobre minha boceta, não suportando mais meu tesão, descolando minha boca da dele, pedi quase gemendo: “Me fode logo. Não aguento mais. Quero esse pau todinho na minha boceta.”

Mal terminei de falar, senti sua penetração, indo até o fundo do meu útero. Acho que comecei a gozar antes de ele haver enfiado aquele pau todo na minha boceta. Ele havia me excitado demais e mais do que ninguém sabia como excitar uma mulher. Quando sua boca colou novamente na minha, eu já gozava como uma vadia e ele percebendo que eu estava gozando, meteu com mais força. Senti seus jatos no fundo do meu útero. Fortes, profundos, rápidos e que me faziam gemer, rebolar e ele metendo forte ainda.

Quando saiu de cima de mim, foi para dizer que me achava a mulher mais linda e mais gostosa que já estivera no consultório dele e que apesar de ser tão amigo do meu marido não se conteve quando da minha primeira vez e tentara me pegar, mas percebera que eu havia reagido e me afastado dele. Pediu para eu me limpar e me vestir, pois a secretária podia desconfiar daquela demora minha no seu consultório. Usando material médico, me limpei como pude e comecei a me vestir.

Após me vestir e me preparar para sair, ele me disse que eu estava com a saúde perfeita, mas lamentava por ele haver traído a confiança do meu marido, ao que eu retruquei lhe dizendo que não se preocupasse, pois meu marido era o melhor homem do mundo e além de tudo, muito liberal.

Ele, procurando demonstrar curiosidade, pediu maiores explicações, ao que eu respondi que estava apressada também, mas que em breve eu lhe daria detalhes. Beijei-lhe a boca rapidamente e saí do consultório.

A um mês tirei um cálculo renal…

PACIENTE 19918-13

A um mês tirei um cálculo renal. Foi operada por 3 médicos, mas dois deles chamou minha atenção por serem novos e lindos.
Só fiquei sabendo como seria o procedimento quando estava deitada na mesa cirúrgica, e as enfermeiras colocando 2 suportes de ferro, iguais ao que os ginecologistas usam, mas um pouco mais alto.Gelei, fiquei nervosa.Fiquei imaginando 3 médicos homens mais 2 enfermeiras e uma anestesista mexendo na minha vagina totalmente aberta, exposta mesmo.
Um dos médicos, o mais lindo percebeu que eu estava nervosa e começou a brincar comigo, perguntando meu time, se era a 1ª vez que eu fazia essa cirurgia…..enfim, ele é lindo, gostoso, sexy mesmo com aquele avental horroroso, mas não conseguiu me acalmar. Então veio outro médico, mais novo, devia ter uns 24, 25 anos. Não é do jeito que eu gosto pq prefiro os mais velhos, acima de 35, mas esse era uma delícia.Acho que pelo fato dele ser médico, saber o que tava falando, me dar segurança. Meus braços e minha pernas estavam amarradas na cama pra eu ñ me mexer. Ele chegou devagarinho do meu lado esquerdo, colocou a cabeça um pouco acima da minha e ficou conversando comigo. Nossa que homem cheiroso !!! Mesmo grogue pensei em beijá-lo.
A anestesista viu que eu ainda estava nervosa e tratou logo de colocar aquela máscara no meu nariz pra eu desmaiar. Não tive nem tempo de apreciar os gostosos de branco.
Quando acordei uma hora e meia depois, estavam terminando de colocar a sonda na minha vagina subindo até o rim, ainda com as pernas totalmente abertas, mas só os dois médicos gostosos mexendo em mim. Senti um tesão inexplicável. Apartir daquele momento eu tinha plena certeza que iria dar pra eles juntos ou um de cada vez. Mas desta vez seria minha bucetinha, não minha vagina. Eles iriam sentir o pau deles na minha buceta apertando, e não as mãos, embora adoro que metam os dedos.
Qdo acordei totalmente, um enfermeiro me levou pro quarto, tbm uma delícia, e careca.Tenho um tesão por homens carecas ! E não vi mais os dois médicos deliciosos e com dedos ótimos de serem chupados na hora que um garanhão está me comendo.
Fiquei mais 1 dia internada, acompanhada do meu marido, que sentiu que depois da cirurgia eu estava estranha, pensativa demais. Mal ele sabia que não parava de pensar nos tais médicos.
Achei que nunca mais os veria, a não ser que eu arrumasse um motivo pra ser operada de novo.
Na hora da alta, veio a surpresa: aquele terceiro médico que comentei no início, veio no quarto me liberar e disse que eu teria que passar com um daqueles médicos gostosos em 3 dias pra retirar a sonda e o catéter. De repente meu corpo deu um sobressalto da cama de alegria, que doeu por dentro por causa do catéter, que eu mal conseguia me mexer, imagina um pulo daqueles. Vibrei com a oportunidade de rever, dar em cima e quem sabe ele perceber que eu tava a fim de trepar gostoso com ele.
3 dias depois lá estava eu, com uma hora de antecedência. Procurei todos os motivos pra meu marido não ir junto,mas tudo em vão pq eu não conseguia dirigir ainda. Fui o caminho todo pensando que transaria com o Dr, com meu marido lá ou não, entrando no consultório junto ou não. Eu só sairia de lá depois dele me comer muuiiittooo, me fazer gozar a ponto de escorrer pelas pernas, e dele gozar tbm, quem sabe até soltar uns urros abafados.
De repente a decepção: a recepcionista disse que ele não viria pq apareceu uma cirurgia de emergência e que outro médico me atenderia. Ai que ódio ! quase pulei no pescoço dela. Perdi a educação e falei num tom mais alto que o meu de costume e que só sairia dali se o meu médico me atendesse pq foi ele quem fez minha cirurgia. Ela disse que eu tinha 2 opções, ou esperava alguns dias até a remarcação da consulta, com dor, sem poder andar, com febre, ou deixava que outro médico me atendesse, tirasse a sonda e o catéter. Caramba, que ódio da dúvida ! Meu marido disse não entender minha dúvida. Claro que o óbvio seria deixar o outro médico me atender logo e parar com a dor. Ele só não imaginava que o problema aquela hora não era nem a dor, mas o desejo acumulado, tanto que se fosse meu médico mesmo, com dor ou sem dor eu ia dar pra ele de um jeito que ele não me conhecia por dentro.
Aceitei que esse outro Dr me atendesse. Entrei na sala muito puta.
Meu DEUSSS, era o outro médico novo da história ! qdo sentei na cadeira, ele trancou a porta. Gelei. Ele estava sem aquele aventalzinho ridiculo,e a felicidade por uma possível transa era maior, então meu desejo foi de 0 a 100 em 2 segundos.
Ele sentou no lugar dele, me fez centenas de perguntas e me mandou sentar na cama. Sentei. Eu estava com uma batinha que deixa os peitos totalmente à mostra. Ele ficou me olhando imóvel, mas precisamente para meus peitos e minha tauagem que tenho no peito direito. Depois dessa parilisia e sem me examinar, me mandou deitar. Deitei. Me mandou tirar o short, tirei o short, a blusa……já fui tirando logo tudo.
Ele veio, apertou minha barriga perguntando se doía. Tirou minha calcinha, e falou que eu ia sentir um puxão pra retirar o catéter, que estavam presos na minha virilha por um esparadrapo. Soltou com muito cuidado. Mas vi que ele colocou 2 dedos dentro da minha buceta, que a essa hora já estava encharcada. Ele colocou e ficou parado querendo me olhar mas acho que tava com vergonha. Me deu uma olhadinha meio que satisfeito, meio que estranhando aquilo. Ficou movimentando os dedos na minha buceta super molhada. Percebi que ele gostou pq não quiz mais tira-los de lá. Mas tirou, olhou pra eles e colocou de novo, mas desta vez 3 de uma vez. Que delícia. Mordi os lábios e ele viu. Então ele mudou de posição, abriu mais minhas pernas, abaixou a cabeça até olhar minha bucetinha de frente e a abriu com as 2 mãos, e um dos dedos ele meteu fundo, muito rápido a ponto de eu dar um urro de surpresa e de susto. Ficou ali mexendo e esqueceu de tirar a sonda.Mas td bem, doía, mas a dor dos dedos dele me fudendo era mais gostoso.
Abaixou mais a cabeça, achei que ele queria ver como estava o pós-operatório. Que nada, ele meteu a língua mesmo !!! caracassss, que gemido que eu dei !!!
Lambeu, chupou, mordeu meus grandes lábios, meteu 5 dedos e chupava ao mesmo tempo. Qdo escorria meu leitinho, ele lambia.
Retirou o catéter e mandou que eu mudasse de posição, me deitando na beirada da cama. Ele sentou na escadinha, ficou mais confortável e chupou muuuiiitttooo. Olhei pra ele que estava todo melado do meu leitinho, escorria pela boca. Levantou e começou a me beijar. Acabei ficando com meu próprio gosto na boca. Ele meteu mais alguns dedos várias vezes e sempre tirava pra chupar.
Levantou, abriu o zíper e abaixou a calça. Veio devagarinho, me puxou e meteu, meteu com muita força, do jeito que adoro. Doeu, mas nem pensei em pedir pra parar. Me comeu como se fosse um retirante morto de fome. Meteu tanto que comecei a sentir uma dorzinha, mas queria mais. Ele virava a cabeça pra trás, mordia os lábios, beijava minha boca, me mordia, passava a lingua ao redor dos meus lábios……………..gemia dentro da minha boca, um gemido abafado. E eu tbm.
Qdo tava pra gozar, gemia e prendia, gemia e prendia. Todo suado o puxei pela cabeça e beijei muito sua boca. Tirou rápido o pau da minha buceta, subiu na escadinha mais um pouco, meteu o pau na minha boca mais algumas vezes, engasguei com o tamanho e ele gozou muuiiittto.
Colocamos a roupa, ele foi ao banheiro lavar o rosto pq parecia que tava correndo na praia num sol de 45 º, sentei na cadeira, ele me prescreveu alguns remédios, me mandou fazer alguns exames e voltar pra levar os resultados. Destranquei a porta, saí muito assustada, preocupada se alguém na recepção e na sala de espera tivesse percebido algo,mas por sorte não. Meu marido perguntou pq demorou, respondi que ele tava tentando puxar o catéter com cuidado pra não doer muito.
Semana que vem tenho consulta, pra levar os exames. Tentei marcar antes, mas não tinha vaga. Falei pra secretária que como o outro não se preocupou comigo, quero a consulta com o mesmo que me atendeu.

Apesar que se for os 2, melhor !!!

Nunca me envolvi com uma mulher…

 

Resultado de imagem para envolver com mulher gifNunca me envolvi com uma mulher

sem primeiro a admirar,

Sem lavar minha atenção

para sua beleza interior.

Assim…

Sentir a sua existencia,

entender a sua mente

e, só depois,

gozar com ela!

O prazer não acontece aqueles que

caminham com os olhos fechados…

Igor Hunsaker.

Sou casada a muito tempo, nosso relacionamento é bom e estável…

PACIENTE 18918-69

Sou casada a muito tempo, nosso relacionamento é bom e estável, mas ultimamente meu marido vem querendo colocar mais pimenta em nosso relacionamento, costumamos ir sempre a barzinhos, nossa cidade não tem praias mas existem muitos barzinhos ótimos, ele me pede pra colocar uma sainha bem curtinha com uma calcinha fio dental que fica toda enfiada na minha bunda o que já me deixa exitada e ainda por cima eu coloco uma blusinha meio transparente bem decotada e sem sutiã claro, quando chegamos ao barzinho vejo que os homens logo ficam me olhando cada um com mais tara que o outro, vejo que meu marido também percebe mas ele gosta pois sabe que me êxito com isso claro toda mulher gosta de ser desejada pelos homens.

Buscamos então nos sentar e pedimos umas bebidas para começarmos a curtir toda essa excitação, e depois de umas doses e percebendo que dois garotões não tiravam os olhos de mim até mesmo porque estavam sentados a mesa na nossa frente e eu estava bem de frete para eles de modo que podiam apreciar minhas pernas que por sinal são muito grossas, eu e meu marido comentamos ao mesmo tempo, meu marido disse nossa eles vão lhe comer aqui mesmo e eu respondi eles estão querendo ver minha calcinha, meu marido então disse vai da uma cruzadinha de pernas, fiquei meio sem jeito mas topei a brincadeira, pois já tínhamos curtido outras vezes de forma semelhante, mas na ora que cruzei minhas pernas com o propásito de mostrar mesmo minha calcinha pra eles, minha nossa me subiu um tesão enorme, que loucura.

Percebemos que eles riram e ficaram comentando entre eles o presente que tinham ganhado, só que eu gostei e gostei muito dessa brincadeira, e vendo que meu marido não estava se importando e até mesmo gostando pois pude ver que seu pau estava ficando duro, pedi então pra ele disfarçar pois estava dando pra notar o pau dele duro dentro da calça, ele então discretamente colocou o pau dele pra baixo, pude ver que realmente ele também estava excitado e com o pau muito duro, daí resolvi relaxar e aproveitar a ocasião pois ainda esta muito tensa, vale lembrar que nunca transei com outro homem a não ser meu marido que eu adoro. Mas já que ele também estava curtindo e eu me sentindo super sex e desejada passei a cruzar as pernas com mais frequência de forma que eles pudessem ver bem minha calcinha e minha xaninha que já estava toda molhadinha, que excitação que tesão louco é realmente átimo fazer isso, ai meu marido teve a ideia, me falou, vou deixar as chaves do carro caírem ai do seu lado e você abaixa pra pega-la e aproveita e mostra os peitinhos pra ele, sua blusinha é bem decotada eles vão ver todos os dois peitinhos, minha nossa me deu um frio na barriga, que loucura achei que meu marido estava ficando louco mas no fundo tinha gostado da proposta mas claro recusei no inicio, mas como ele insistiu muito e lá no fundo eu estava com vontade mesmo de provocar aqueles dois garotões lindos, me agachei bem de vagar hummmmmmmm e ao levantar olhei para os dois garotões e eles claro estavam quase pulando nos meus peitinhos pendurados e a mostra aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii senti uma sensação indescritível de tesão daí olhei rapidamente pro meu marido com medo de sua reação mas vi que eles estava com um sorriso contido, e me falou, estou adorando você esta bem excitada é assim que eu gosto, foi mais um passo pra que eu realmente relaxasse de vez, minha perereca estava tão molhadinha que disse pra ele que iria ao banheiro, e no banheiro veio a minha cabeça se meu marido quer me deixar tão excitada assim porque não deixá-lo também, daí tive a idéia de tirar minha calcinha fio dental e levar pra ele na mesa onde estávamos bebendo, imaginei vou entregar na mão dele, ele vai ficar louco de tesão também e foi o que fiz enxuguei minha pererequinha que por sinal é bem pequenininha e apertadinha, claro até hoje sá entrou aqui o pau do meu marido, mas para minha surpresa queado estava chegando já na nossa mesa de volta advinha, meu marido tinha me reservado uma surpresa maior, tinha convidado os dois garotões lindos pra nossa mesa, e ai, minha nossa que loucura eu tinha acabado de deixar aqueles dois malucos me mostrado mesmo pra eles , ai que vergonha achei que a coisa estava indo longe de mais, fiquei um pouco chateada com meu marido, mas os dois foram conversando, conversando e conversando a coisa foi ficando boa novamente começamos a falar de sacanagem mesmo e eu comecei a relaxar novamente e tratei de entrar na brincadeira novamente, daí foi que me dei conta que estava com minha calcinha na mão mas como era um calcinha fio dental bem pequena ninguém percebeu, a então imaginei agora é minha vez de aprontar com meu marido, e discretamente coloquei minha mão fechada com a calcinha por cima do braço dele que estava sobre sua e ao abrir a mão soltei a calcinha e ele olhou e arregalou os olhos ah ah ah ah kkkkkkkkkkk foi átimo aquela cena, vi que ele adorouuuuuuuuuuuuuuu e me deu o maior beijo e falou no meu ouvido, tesão de mulher, os dois carinhas não tiravam os olhos dos meu seios, e eu de propásito quando ia pegar o meu copo fazia questão de esticar bem meu braço pois dessa forma como a blusinha era bem decotada um dos peitinhos fica todo de fora, mas não dava mais para cruzar as pernas e mostrar minha calcinha pois estávamos todos na mesma mesa. Mas foi por pouco tempo, meu marido que já estava bem tonto assim como todos naquela mesa, pegou minha calcinha e discretamente mostrou e pergunto para os dois era essa calcinha aqui que você estava olhando e desejando tirar, aiiiiiiiiiii se tivesse um buraco eu tinha me enterrado ali mesmo, um deles falou e perguntou, é essa mesmo, ela esta sem calcinha agora ? e meu marido disse que sim, eu não tinha o que fazer a não ser rir.

Então o outro carinha disse, então agora temos que ver ela sem calcinha, já vi também que ela esta sem sutiã, meu marido disse verdade meu amor, e eu respondi que sim, então meu marido disse que ali não tinha jeito mas se fossemos para o nosso carro quem sabe, novamente eu ofereci resistência pois até então nos sá tínhamos ficado nas brincadeiras e que não aceitaria ser tocada por outros homens principalmente desconhecidos, meu marido me disse pode ficar tranquila não vou deixar eles te tocarem nem fazerem sexo com você, você é que vai fazer o que quiser e como quiser, deixa rolar que vai ser átimo, vai ser sá curtição e também você vai ter que colocar a calcinha mesmo não é ?, os dois não pareciam muito atrevidos e também demonstravam estarem surpresos tanto quanto eu com tudo aqui, daí resolvi ceder, que decisão sabia.

Ao chegarmos no nosso carro meu marido me disse para sentar no banco de traz junto com os dois carinhas e que ele ficaria no banco da frente, logo me vi sentada no meio daqueles dois homens lindos e claro com os paus duros kkkkkkkkkkkkkkk, meu marido então me mostrou a calcinha e disse e ai vai querer colocar agora ou vai ficar mais um pouco sem calcinha, de pronto um dos garotões falou não esta muito quente aqui pra que colocar a calcinha agora, vamos fazer diferente vamos tirar esses peitinhos pra fora para refrescá-los um pouco e logo começou a pegar nos meus peitinhos e acaricia-los por cima da blusa e mais que de repente quando notei ele já estava com um dos meus peitinhos na sua mão e mais rápido ainda o tirou pra fora da minha blusinha, neste momento me senti entregue, não conseguia mais oferecer resistência alguma a situação agora estava me conduzindo fechei os olhos e senti o outro garotão passar a mão pelas minhas pernas e levantar minha sainha que na verdade era bem curtinha, ai um acariciando meu peitinho e o outro alisando minhas pernas e pegando na minha bucetinha mas sem enfiar o dedo, sá acariciando por cima dela, que loucura, eu permanecia com os olhos fechados sá sentindo todo aquele prazer, daí o garotão da minha direita segurou minha mão e levou-a até seu pau duro, nosssssssssssaaaaaaaaa ele tinha tirado o pau dele pra fora e no hora que senti aquilo na minha mão abri os olhos na hora, aiiiiiiiiiiiiii o que era aqui, lindo, lindo, e duro muito duro era um cacete enorme grosso e duro, sem perder tempo o garotão da minha esquerda pegou minha mão e a pois sobre sua calça onde por baixa tinha algo enorme, comecei a cariciar tentando sentir mais aquilo, vi que não era normal como o do outro garotão nem como o do meu marido, ele então me pediu pra que eu tirasse pra fora o pau dele, eu não ora soltei o pau do outro gostosão e comecei a abrir a calça dele, enfiei a mão para puxar aquele membro enorme pra fora, mas tive dificuldade e ele me ajudou, o que era aqui não podia acreditar era um cacete enorme, muito grasso, cheio de vaias, tinha uma cabeça inchada vermelha, o cacete era tão grosso que minha mão não conseguia abarcá-lo eu fiquei sem fôlego, e quis tirar os dois ovos pra fora também pra ver tudo, queria aquilo por completo, foi outra surpresa ele tinha dois ovos enormes dava até pra sentir os peso de cada ovo na minha mão e um saquinho lisinho, o cacete do carinha da minha direita era bem parecido com o do meu marido mas esse era realmente diferente , e sem querer falei minha nossa, meu marido então me falou e perguntou, gostou ? é desses que toda mulher gosta não é ? eu respondi é muito grande não tem condições, mas o garotão logo me falou, tem sim é sá ir com carinho e com jeito, eu disse nunca, vai me rasgar toda, vou ficar sem poder nem andar depois, vai doer muito, olha esse tamanho vai até meus ovários, meu marido então disse então vamos dar um jeitinho, cadê aquela sua punhetinha maravilhosa que sá você sabe bater, perguntei você quer que eu bata punhetinha em vocês e claro todos queriam, pois nosso compromisso era de não avançarmos mais o sinal do que já estávamos fazendo pois eu sabia que um pouco mais eu não me controlaria de jeito nenhum e partiria para os finalmente.

Então segurei naqueles dois cacetes duros coisa que nunca tinha feito pegar em dois paus de uma vez, podia sentir os dois cacetes duros latejando em minhas mão, mas antes aproveitei e tirei também os dois ovos do outro carinha pra fora, tadinho o tesão com o cacete do outro foi tão grande que me esqueci dos ovinhos dele logo eu que adoro os ovos, gosto de pegar apertar acariciar e chupar os ovos, coloco um ovo do meu marido na boca de cada vez e chupo ele bem muito depois troco e coloco o outro ovo, ele adora com a mão fico batendo punheta e com um ovo na boca, mas neste momento estava concentrada com aqueles dois cacetes latejando em minhas mão e eu batendo punheta, sentia nitidamente a diferença de tamanho, daí é que vi como realmente tem diferença de tamanho entre os homens, eu batinha subia e descia a mão nos dois cacetes acariciava os quatro ovos, ai ai ai quatro ovos de uma vez, daí comecei a sentir o cacete do carinha da direita ficar grosso os ovos subiram e eu vi que ele ia gozar, soltei o pau do outro e segurei nos dois ovos dele e aumentei o ritmo da punhetinha quando de repente vi um jato de esperma jorrando do pau dele, aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii e foi vindo um jato atraz do outro caindo nas minhas coxas, eu sentia aquilo quente caindo em mim o que me deixava maluca de tanto tesão, até que consegui tirar todo o leitinho daqueles dois ovos me virei e fui com toda a atenção e carinho satisfazer o meu garotão bem dotado, ai que cacete, peguei aquele bicho duro, grosso, da cabeça vermelha e inchada com dois ovos pendurados e pesados, imaginando claro eu que deveria ter um rio de esperma ali dentro daqueles ovos pronto para jorra pelo cacete duro dele, então caprichei, segurei firme no cacete que pulsava em minha mão e com a outra mão agarrei aqueles dois ovos pesados e comecei a bater punheta nele, não demorou e vei o primeiro jato de esperma quente que jorrou tão longe que atingiu meu rosto, em seguida vieram vários outros jorrando esperma nas minhas coxas e petinhos, melou minha mão toda, eu senti esperma por todo o meu corpo, estava toda melada, também quatro ovos, soltei o cacete dele e com o dedo tirei o esperma que estava escorrendo no meu rosto, neste momento vi meu marido ma minha frente com o pau duro por entre os banco do carro se masturbando, e eu disse pra ele deixa eu dar um jeitinho nisso ai também, claro como era meu marido fui um pouco pra frente e coloquei o cacete duro dele na minha boca, chupei seu pau duro e depois um ovo de cada vez, voltando a colocar o cacete dele na minha boca percebi que ele já ia gozar e o tirei da boca e direcionei para meus peitinhos hummmmmmmm senti os esguiche atingirem o biquinho do meu peitinho e depois mais um e mais até sentir escorrendo pela minha barriga.

Que loucura eu que nunca tinha sentido nenhum outro pau pegue logo em três de uma vez, sem falar nos seis ovos e todo aquele esperma quente que escorria sobre mim, meu marido então tratou de acabar com toda a brincadeira e falou para os dois garotões que iríamos pra casa pois não tínhamos como voltar pra o barzinho comigo toda melada daquele jeito, foi átimo e espero repetir mais vezes essa brincadeira.

Sá que ao chegarmos em casa e depois de tomarmos um belo banho, eu não estava satisfeita, claro eu sá tinha feito eles três gozarem mas eu não, ainda esta louca de tanto tesão, falei pro meu marido é fiquei na saudade, eu quero mais, estou com vontade, sá penso naqueles dois junto com você, os três me pegando, eu quero mais, meu marido então me desse tenho uma surpresa pra você e me mostrou um pedacinho de papel onde tinha o telefone de um deles, pedi pra ele ligar urgente pro dois e pra minha surpresa meu marido marcou para nos encontrarmos em um motel aqui práximo.

Chegamos todos juntos a ao entrarmos na suíte um dele ligou a TV e disse tudo o que passar aqui no filme pornô nos vamos fazer com você. Eu fui a loucura e meu marido disse hoje vamos liberar geral vamos curtir. Os dois ficaram logo nus juntamente com meu marido e eu em seguida os três começaram a me alisar, sentia aqueles mãos estranhas me acariciando, sentia nitidamente que não era as mão do meu marido as quais estou acostumada mas que me deixavam sem forças e com muito tesão, meu marido me pediu para que eu deitasse na cama, logo um começou a chupar minha buceta e o outro vei pelo lado da cama e colocou o pau pra que eu chupasse, olhei para meu marido e ele fez sinal que sim, podia chupar, um que diferença chupar o cacete de outro homem, parece que é mais gostoso da mais vontade, daí meu marido se posicionou do meu outro lado e colocou o pau duro dele pra eu pegar ao tempo que acariciava meus peitinhos, sentia uma língua entrando na minha perereca e não resisti gozei feito louca, e sem me dar tempo, eles me colocaram de quatro um deitou na minha frente com o cacete duro bem no meu rosto e o outro começou a meter em mim por traz, aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii que cacete que me abria toda ia lá dentro de mim, meu marido segurava meus peitinhos que estava balançando muito pois as estocadas do carinhas eram muito fortes, ainda bem que não era o do cacete enorme pois eu estava com ele na minha boca me deliciando pena que sá cabia a cabeça na minha, aqueles ovos enormes e eu chupando tudo aquilo, daí meu marido disse vamos realizar o sonho de toda mulher, vamos fazer um sanduíche dela, daí foi aquela risada e eu não não por favor não, quando vi um já tinha me colocado por cima dele era o que tinha o pau do tamanho do meu marido e o outro estava esfregando aqueles cacete enorme na minha bunda, eu sentia um cacete dentro de mim e o outro procurando o caminha para entrar no meu cuzinho, isso realmente me deixou doida, é uma experiência sem igual, quando de repente senti aquele membro abrir meu cuzinho até rasgar, gritei muito e meu marido pediu para eles pararem, daí resolvemos trocar de posição pois eu queria experimentar sim o garotão pausudo mas no meu cuzinho não dava era muit grande e era minha primeira vez com outros homens, então eu resolvi conduzir a coisa toda, coloquei o garotão com aquele membro duro pra cima e fui sentando bem devagar naquela pica, eu sentia ele me abrindo toda, me rasgava ainda um pouco a buceta mas fui mexendo rebolando e segurando nos ovos dele para controlá-lo e não deixar ele meter de vez meu marido e o outro assistiam aquilo tudo com o maior tesão e se masturbando, e eu fui enfiando enfiando cada vez um pouco mais aquilo me enchia toda eu tinha a sensação de estar toda cheia, aberta, e daí depois de ter conseguido colocar sá atá a metade falei pro outro agora quero você vem, e ele abriu minha bunda e com uma pontaria de mestre acertou a cabecinha do pau dele bem no meu cuzinho, o difícil foi entrar mas eu relaxei e ele consegui passar a cabecinha daí pra frente mais mais fácil, depois de sentir os dois dentro de mim liberei para eles começarem a me estocar com aqueles vai e vem, um eu sentis os dois cacetes dentro de mim me abrindo toda, me rasgando eu sentia a vontade e o tesão que os dois estavam os dois paus duros e os quatro ovos batendo em mim aquilo era uma sensação que nunca tinha sentido antes, eles metiam em mim com vontade com força me abriam toda, e como se não bastasse meu marido se aproximou e colocou o pau dele pra mim chupar, eu estava ali com dois cacetes enfiados em mim de uma vez e um outro na minha boca, eu estava dando conta de três homens de uma vez e claro adorando tudo aquilo, e não resisti gozei com aqueles dois paus dentro de mim e sem soltar o cacete do meu marido da boca, eles viram e aumentaram o ritmo das estocadas e em poucos segundos depois meu marido gozou dentro da minha boca, também foi a primeira vez que bebi esperma, nossa não sabia o que estava perdendo, é uma delicia e eu morria de nojo, é sá preconceito de nossa cabeça, bebi e bebi tudo sá deixei derramar um pouquinho pelos cantinhos da minha boca porque os dois estavam me estocando com força e eu balançava muito, daí meu marido deitou do nosso lado vendo aqueles dois comerem sua mulher com uma fome de louco e sua mulherzinha levar dois cacetes duros por todos os duraquinhos dela, quando de repente eu comecei a gozar novamente e com isso gemer muito de prazer, e mais comecei a sentir os jatos de esperma dentro de mim, era tanto esperma que sentia escorrer do meu cuzinho da minha perereca ao mesmo tempo, eram os dois gozando juntos dentro de mim, ainda bem pois depois que gozei pela segunda vez já não estava mais aguentado os dois dentro de mim, um já não é fácil imagina dois, mas uma coisa eu lhes digo é uma delicia e toda mulher deve realizar esse desejo sem reservas e pudores.

Agora sim eu também estava satisfeita, agradeço meu marido por ter me dado tanto prazer e aos dois garotões por ter respeitado meus limites, mas com isso meu marido disse que fiquei mais gostosa e tesuda na nossa cama, acredito que foi a experiência e pretendo adquirir mais experiência pra satisfazer cada vez melhor meu marido, não é por isso que vou ficar traindo meu marido ou deixar de gostar dele, muito pelo contrario agora é que gosto mesmo, é meu parceiro gostoso e tesudo, adoro o pau e os ovinhos dele.

Homem gosta de mulher safada, tarada, que da gostoso e faz de tudo sem cerimônias, porem claro sem ser puta ou traira, essa de trair é coisa do passado o negocio é curtir juntos, sei que você meninas vão ficar morrendo de inveja do meu maridão, mas ele é só meu. 

Olá meu nome não é tão importante, mas o que vou contar…

MARIDO DA PACIENTE 18918-14

Olá meu nome não é tão importante, mas o que vou contar a vocês com certeza aconteceu.
Lendo relatos de maridos que adoravam ver suas esposas com outros homens despertou em mim também esta vontade de ver minha esposa com outro, isso aumentava cada dia mais e sempre que eu ia transar com ela ficava pensando em como seria se outro estivesse ali no meu lugar metendo na sua bucetinha, e nisso eu gozava como louco, ela tem 24 anos e eu 35 ela tem 1,65 56 kg morena cabelos lisos e longos, peitinhos pequenos e uma bucetinha linda que quando ela coloca short apertadinho sua xaninha fica muito linda.
Certo dia decidi contar pra ela minha fantasia pois a cada dia que passava meu tesão aumentava mais em ver ela com outro na minha frente, é claro que tinha ciúme e receio de que ela me trocasse por outro, mas fui conversando com casais que já tem experiencias e fui me acalmando e só ficava com um pouco de ciúmes em imaginar ela dando pra outro fazendo tudo que ela faz comigo e mais um pouco mas meu tesão era maio.

Até que nesse dia tomei coragem em falar pra ela esta meu desejo, claro que ela achou que eu tava doido ficou com raiva uns três dias, deixei de lado essa conversa por uma semana então eu falei novamente pra ela depois de uma transa nossa e ela me perguntou de onde eu tirei esta ideia, foi então que falei pra ela deste site e dos contos publicados nele e convenci ela a ler alguns, na mesma noite ela leu uns cinco contos deste site, e vi que seu semblante mudou um pouco, então perguntei a ela o que achou e ela me respondeu que gostou muito só que ficou me perguntando que seria verdade ou não, então comecei a beijar ela e perguntar se fosse verdade, é claro já metendo a mão na sua xaninha e ela estava toda molhadinha então eu disse: vc gostou nê safada…
ela sorriu e disse que sim, naquela noite fudemos como dois animais ela gozava como nunca, e ficava falando pra ela imaginar outro ali metendo nela ai que ela mexia mais e mais.
Depois mais ou menos 2 meses eu sempre falava sobre minha fantasia propus a ela arranjar um pra comer ela, ela como sempre relutou mas concordou que se fosse mesmo arrumar outro pra ela teria que ser com alguém que nos nunca vimos, então disse que iria arranjar, claro que ela não acreditou muito e dizia que na hora eu não iria deixar ela dar pra outro, então eu disse: vou arranjar mas eu tenho que ver e tirar umas fotos de você com outro… ela disse: já que você quer, depois não vai reclamar que te trai, pois é você que quer, nesta hora já tava com pau duro feito pedra que fui logo tirando a roupa dela e metendo e ela já estava toda meladinha.

Publicamos fotos nossa em um site de encontro de casais e sempre recebíamos propostas mas não tinha achado alguém do jeito que ela queria, até que 1 mês depois de nosso anuncio recebemos uma mensagem de um coroa de 46 anos, ela sempre gostou de caras mais velhos, boa pinta e não usava palavras de baixo escalão na mensagem, ela se interessou respondemos a ele e mantemos contato sempre por skype e ele sempre educado até que foi nos passando confiança, então falei com minha esposa que poderíamos marcar com ele na hora que ela quisesse, é claro deu um calafrio nela pois por skyoe é uma situação mas pessoalmente é outra.

Até que marcamos com ele numa quarta a noite as 21:30hs num barzinho no outro lado da cidade pra ter certeza de que não iria aparecer nenhum conhecido, antes de nos arrumarmos, ela ainda me perguntou se iria continuar com isso, eu disse que queria já com pau duro ela pegou nele, e disse: safado, então você vai escolher com que roupa eu vou, fui até sua parte do amario peguei um vestido comportado mas ousado e não vulgar pra não dar na cara, uma lingerie preta de amarrar de lado com pouca transparência mas ousada, ela se perfumou toda e eu ali vendo tudo com pau como pedra, pegamos o carro e fomos para o local marcado é claro com uns 15 minutos de atraso devido ao nervosismo nosso, ao chegar fomos logo conhecendo, moreno claro poucos pelos na barriga tinha mais ou menos 1,70 de altura bem vestido, e ele educado me cumprimentou e a minha esposa com um beijo na mão, e la é claro muito nervosa e eu também é claro pois tava levando minha esposinha pra outro macho comer, mas o tesão era muito maior.

Ficamos mais ou menos uma hora bebendo vinho, ela adora vinho,comendo petiscos falando sobre diversos assuntos e ela falava também mas bem pouco, até que começamos a falar sobre sexo, minha esposa já tava com a mão suando, e comecei a falar da fantasia e ela sempre me ouvindo com muita atenção de vez enquanto olhava pra ela e elogiava e ela sorria, depois de mais meia hora devido ao vinho que ela tava tomando ela começou a se soltar falando mais, então ele pro iniciativa própria pediu a conta ele mesmo pagou se levantou e disse: então vamos sair daqui pra um lugar mais reservado, na hora gelei e pensei: agora fudeu daqui a uns 20 minutos este cara vai estar metendo na minha esposinha linda na minha frente… mas não tinha como voltar atrás já era tarde, ela olhava pra mim já com um pouco do efeito do vinho e dizia: você quis agora já era…
Fomos pro meu carro, ela sentou no banco da frente e ele no de trás andei 50 metros parei o carro eles ficaram me olhando meio sem saber o que fazer, então eu disse pra minha esposinha: desce e vai junto com ele no banco traseiro pra vocês irem se conhecendo melhor, eles sorriram e segui em frente é claro ele sentou coladinho dela, a caminho do motel via pelo retrovisor central eles conversando bem baixinho, quando vi ele beijar seu rostinho lindo bem suave meu coração que já estava disparado quase saiu pela boca, em seguida vi eles se beijando como namorados ai fui a loucura, mas não podia voltar atrás, dava pra ouvir a respiração ofegante dos dois, meu pau neste momento estava feito rocha, imagina meu amigo leitor sua esposinha linda com outro macho prestes a comer ela na sua frente? chegamos ao motel eles desceram já abraçadinhos como namorados e eu fique pra tas olhando a cena com muito ciume e muito tesão, ao entrar ele não disse mais nada e nem ela, fiquei vendo eles se beijarem ele acariciando seu corpo ainda vestido e ela apertando o dele e eu ali em pé sem ação não sabia se sentava ou se ficava em pe olhando ou me retirava, então pra eles ficarem mais a vontade fui ao banheiro, tirei toda minha roupa tremendo como vara verde e quase gozando fui bem devagar olhando com a câmera na mão e tocando uma bem de leve pra não gozar logo, vi ele levantando o vestido dela passando a mão em suas pernas e deixando ela só de calcinha e sutiã, ela tirou sua camisa sua calça deixando só de sunga, seu pau não era muito grande mas de bom tamanho, ela acariciando seu pau, então ela começou a chupar seus peitinhos lindos que só eu tinha chupado ate aquele momento, ela começou a masturba-lo ele bem devagar e eu ali perto deles pelado tocando uma e tirando fotos depois ela mandou ele deitar e começou a fazer um boquete que nunca vi ela fazer comigo, fiquei pasmo em ver minha esposinha chupando, depois foi a vez dele, olha é uma cena que nunca vai sair de minha memoria, ver ela sendo chupada por outro ali na minha frente e ainda gemendo bem gostoso, logo em seguida ela já deitada ele começou a desamarrar a calcinha dela, soltou um lado como na foto 01 com seu pau direcionado na bucetinha dela deu uma pincelada e ela pedindo pra meter, então foi enfiando bem devagar e ela se ajeitando para penetrar mais, olha confesso que me deu vontade de chorar ao ver minha esposinha DEBAIXO DE OUTRO GEMENDO e gostando eles estavam fazendo papai mamãe tão gostoso bem devagar e num ritmo tão suave que eu chegava tremer de tanto ciumes e tesão ao mesmo tempo, ele metia tão suave que não se ouvia o barulho do saco batendo na sua bundinha linda, eles se beijavam como dois apaixonados enquanto ele socava bem gostoso nela, é a cena mais linda que já vi em toda minha vida minha esposinha debaixo de outro gemendo, ele sabia como meter era um profissional do sexo e ela chegava virar os olhos em seguida ela gozou como nunca havia gozado comigo, ouvia os gritinhos dela debaixo dele, e ele segurando praa não gozar, então ela deitou e pediu pra ela sentar, amigos, se vocês nunca vira uma mulher cavalgar gostoso ela cavalgou como nunca, ela subia e descia ai pra frente e pra traz pro lado e pro outro como na foto 02 e 03 e de vez em quando me olhava e dizia: ta gostando amor..
quando ela começou a gozar de novo eu não aguentei e gozei dando gritos de tesão e ele ria da minha cara e dizia: vai corno goza com punheta que eu gozo dentro de tua mulher seu corno…, e meu pau não baixava de jeito nenhum e ela rebolando ainda mesmo depois de ter gozado logo ele começou a urrar de tanto gozar dentro dela com camisinha é claro, depois de exaustos foram tomar banho juntinhos os dois e debaixo do chuveiro ele sentou no chão e ela sentou em cima e começou a cavalgar de novo gozando outra vez e fazendo ele gozar de novo, depois desse dia ainda não saímos com mais ninguém mas se acharmos poderemos quem sabe sair de novo, ainda ficamos olhando as fotos e gozando muito relembrando nosso primeiro menage, adoro rever as fotos e bater punheta relembrando este lindo dia…

Meu marido veio com uma proposta…

PACIENTE 18918-7

Sou casada há 04 anos. Minha idade é 34 e,  a dele, 24. Temos um filho de 01 ano e meio. Meu marido veio com uma proposta um tanto quanto assustadora pra mim. Primeiro perguntou o que eu achava de irmos a uma boate. Falei que sim, que poderíamos ir e fiquei curiosa para saber o porquê dessa vontade. Um dia depois me perguntou se eu transaria com outro na frente dele. Disse que tem essa fantasia desde adolescente, que sempre quis me falar, mas, que nunca havia criado coragem. Fiquei ainda mais apavorada. Na cama somos bem liberais, porém, nunca imaginei passar por isso. Desde que me fez essa proposta, o desejo dele por mim aumentou muito, sabe. Ele falou que me ama, que nada vai mudar no nosso casamento e que nossa família vem em primeiro lugar. Frisou também que isso apenas vai aumentar o desejo e que vai ajudar muito na nossa vida sexual. Na verdade fiquei curiosa e desejando isso também, mas não sei o que vou fazer! Chegou também a perguntar se, caso me deixasse transar com outro homem, sem a sua presença, se poderia fazer o mesmo com uma mulher. Falei que não porque sinto muito ciúme. Não sei aonde essa história vai dar.

Por favor, me ajude!

Nunca tinha ouvido falar em wife sharing…

PACIENTE 18918-5

Felipe, meu marido, garantia que, no lugar de acanhada, eu ficaria excitada. Nunca tinha ouvido falar em wife sharing, mas a expressão surgiu durante uma noite de queijos e vinhos com. É uma nova denominação para uma velha fantasia: enquanto a mulher transa com outro, o fiel esposo assiste a tudo no mesmo quarto. Bizarro? Pois foi o que pensei quando o Fê me perguntou se eu aceitaria ser “emprestada”. Como assim? Estávamos juntos havia quatro anos – dois deles sob o mesmo teto – e nunca esperei ouvir uma proposta dessas.

A gente se conheceu ainda na adolescência. Aos 18 anos, Felipe era o melhor partido da cidade: lindo, esportista, herdeiro de uma fortuna… e o maior galinha da paróquia! Eu só tinha 14 anos e, confesso, fiquei impressionada com seu interesse por mim. Mas também era bastante esperta para saber que seria apenas mais uma figurinha na coleção do rapaz. Dispensei a cantada e pouco depois perdemos o contato. Só nos reencontramos por acaso em um bar, nos meus 28 anos.  Eu, uma mulher madura e ele, um homem de sucesso! E ele me reconheceu. Nossa conversa durou apenas dois minutos, o suficiente para eu não tirá-lo da cabeça. Aí grudamos e não nos largamos mais.

Com o Felipe, minha vida ficou completa. Desde a primeira vez o sexo foi incrível e só melhorou com o passar dos anos. Eu não conseguia mais olhar para o lado. Não faltava nada em nossa vida – pelo menos era o que eu achava até aquele jantar. Depois de esvaziarmos duas garrafas de vinho, ele me fez a tal proposta. Pedi, então, que me explicasse. “É aquela fantasia do marido de ver a mulher fazendo sexo com outro homem”, respondeu ele. “Fico louco de tesão só de imaginar você transando com um estranho na minha frente”, completou. Como estávamos um tanto quanto embriagados, o susto virou piada. “Você está louco?!”, perguntei. Felipe explicou que ninguém o excitava como eu, mas que, de tanto ver como impressiono os homens na rua, começou a pensar a respeito. Minha reação imediata foi dizer um não. Primeiro: não queria transar com mais ninguém. Segundo: mesmo se desejasse, não faria isso com meu casamento, que era bom demais para pôr em risco. Terceiro: eu não sabia se conseguiria transar com meu marido olhando.

“Escolheremos o homem certo, bom de cama e discreto”, dizia para me convencer. “Você faz com ele tudo o que tiver vontade. Depois vamos para casa e nunca mais vemos o cara”, disse. “E você?”, perguntei. “Quero saber como minha mulherzinha transa com outros homens, ver o prazer que dá e sente”, repetia, como se fosse a coisa mais natural do mundo. Transamos aquela noite com ele aos sussurros no meu ouvido, descrevendo o que os outros amantes fariam comigo e como eu me comportaria. Nos dias que se seguiram, voltamos à rotina. Meu marido, espertinho, sabe que o melhor jeito de me convencer é não insistir. Apesar disso, comecei a olhar para outros homens e imaginá-los na cama, ao mesmo tempo que me apavorava só de imaginar como morreria de culpa no dia seguinte. Uma semana depois, ele trouxe o assunto à tona e perguntou se eu pensara nele. Minha resposta era não. Então, chegamos a um acordo: a ideia poderia surgir nas nossas conversas na cama, mas não sairia de lá.

Assim foi, até que o Fê mandou um e-mail, no meio do trabalho, com o link de um site especializado em wife sharing. Havia milhares de pessoas cadastradas: homens oferecendo a esposa, mulheres procurando homens para satisfazê-las diante do marido. Pode parecer estranho, mas ver aquilo me aliviou – não éramos o único casal no mundo a falar sobre essa loucura. O Felipe então propôs levar um pouco mais longe o nosso acordo: e se nos inscrevêssemos, só para ver o que aconteceria? Assim, poderíamos também participar dos chats e seria excitante. Resisti um pouco, mas a verdade é que estava doida de curiosidade. Naquela noite mesmo entramos na internet e preenchemos a ficha, com direito a fotos minhas sem roupa (o rosto, lógico, não apareceu). Foram poucos minutos até sermos inundados por convites de outros internautas, todos interessados em transar comigo. Eles queriam saber quais eram as minhas posições preferidas e prometiam realizar cada um dos meus desejos.

Por dois meses entramos no site noite sim, noite não. Ser desejada por tantos amantes tinha mesmo um poder afrodisíaco. Não era tudo perfeito, claro: a maioria dos caras está ali apenas para se excitar. Só falam palavrões, são grosseiros, querem ir direto ao ponto, cometem erros de português desanimadores, mandam fotos pavorosas. Em oito semanas, fiz sexo virtual com uns 50 homens, sempre com o Fê do lado, se deliciando com a minha safadeza, dando sugestões para eu deixar os sujeitos loucos de vontade de me devorar. Desligávamos o computador com tanto tesão que a fantasia evoluiu. Formulamos as regras: encontraríamos os “eleitos” em outra cidade, em lugares públicos. Conversaríamos antes e, só depois de aprovarmos a pessoa, seguiríamos juntos para o motel. A qualquer momento, eu poderia mudar de ideia. E nunca mais, em hipótese alguma, voltaríamos a ver o homem em questão.

Marcamos o primeiro encontro em um bar de São Paulo, a centenas de quilômetros da nossa casa. Tarso, como ele se apresentava, chegou com alguns minutos de atraso. Piloto de helicóptero, divorciado, 37 anos, moreno, sarado, alto, cabelo raspado, olhos verdes, queixo quadrado, cara de homem com H maiúsculo. Admito que os primeiros minutos de conversa são esquisitos – todo mundo sabe o que foi fazer ali, mas finge que não tem ideia. Tomei a iniciativa de perguntar como ele entrou na onda. Tarso contou que sempre teve verdadeira tara por mulheres casadas e já praticava wife sharing havia anos. Conhecia muito bem as regras e aceitaria as nossas. Conversamos sobre assuntos banais, mas era difícil disfarçar a excitação. Sacando o clima, ele pediu licença, momento em que eu e Felipe dissemos sim um para o outro. Na volta, Tarso sentou do meu lado e me beijou. Enfiou a mão por baixo do vestido e levou a minha até sua braguilha. Abri os olhos algumas vezes e vi o Fê excitadíssimo, tentando acompanhar o que acontecia sob a mesa. Desencanei de vez e deixei rolar. Por pouco não transamos ali mesmo.

Quando ficou indisfarçável, fomos para o motel. O Felipe na frente, dirigindo; eu atrás, com Tarso. Ele tirou meu vestido, beijou meus seios, abriu a calça. Enquanto isso, o Fê observava pelo retrovisor. Na suíte, fomos direto para a cama. Nem precisamos de preliminares. Transamos por uma hora antes de desmaiarmos de tanto chegar ao clímax. Meu marido? Sentado na cadeira ao lado, assistiu a tudo e fez sexo solo. Enquanto transávamos, Tarso fazia comentários para ele. “Nossa, como a sua mulher é gostosa…” Olhei muitas vezes para o Fê, em busca de aprovação – e também para provocá-lo. Ele devolvia o olhar cheio de paixão. Só quem experimenta consegue entender esse tipo de sintonia. Tarso e eu transamos outras três vezes aquela noite. Longas sessões de sexo oral, praticamente metade das posições do Kama Sutra e até o mais íntimo dos sexos, o anal. Sempre de camisinha, claro. Perdi a conta de quantas vezes fui aos céus, a ponto de gritar.

O Felipe só assistiu e, em alguns momentos, manteve o rosto a alguns centímetros de nós, como se fosse um cientista estudando pela primeira vez aquele encaixe fabuloso. Parecia nem piscar. Saímos de lá direto para o nosso hotel. Meu amante, não tenho uma palavra melhor para chamá-lo, ficou no caminho, sem despedidas nem promessas de reencontro. Nas 24 horas seguintes, Felipe e eu transamos sem parar. Nunca o vi tão excitado. Foi diferente de todas as nossas transas. Ele tentava se superar e ser ainda melhor que o homem que me teve horas antes. Conseguiu. Havia amor, paixão, desejo e intimidade em doses sobrenaturais. Terminamos com muitos “Eu te amo”. Nos meses seguintes, nem sequer entramos no site. Não precisávamos – aquela noite foi inesquecível e serviu de combustível por muito tempo. Até que o Fê sugeriu nova investida. Escolhemos outro dos nossos preferidos e marcamos a data. Dessa vez, porém, não rolou: o cara não me atraiu e saímos do bar sozinhos. Um mês depois, encontramos o terceiro da lista: Gustavo, quarentão, com o maior equipamento que já vi na vida. Passamos uma noite ainda mais intensa. Ele não se cansava nunca e gastamos metade do estoque de camisinhas do motel.

Faz dois anos que começamos esse jogo. Já transei com oito amantes na frente do Felipe. Dei sorte de escolher bem: todos ótimos na cama, realizaram meus desejos, me encheram de elogios. Nunca reencontramos nenhum deles. Poderíamos parar agora, e tenho certeza de que nossa vida sexual continuaria maravilhosa. Pode parecer estranho, mas o Fê permanece inocentíssimo em outras ocasiões. Por exemplo, ele odeia todos os meus ex-namorados. Não sei exatamente qual é o efeito psicológico de realizar essa fantasia. Entre nós, funciona assim: ao me ver desejada por outros, o Felipe se sente mais viril por ser o verdadeiro “dono”. E, diante dos meus gemidos com a concorrência, capricha para não perder o posto de número 1. Além disso, a aprovação desses homens faz com que ele se reapaixone por mim – como se revisitasse as minhas qualidades através do olhar alheio. Apesar de tudo isso, por mais prazer que eu sinta com outros, eles só me ajudam a enxergar quanto meu marido é incrível…

Meu marido insistia muito…

PACIENTE 18918-8

Meu marido insistia muito para que eu fizesse sexo com um amigo para ele assistir. Disse que seria muito estimulante e que apimentaria nossa relação que estava esfriando. Sou uma mulher liberal e não tenho restrições com relação ao sexo, mas sentia que aquilo não seria bom para nós e que poderia despertar muitos desejos em mim. Relutei muito, mas cedi diante de sua insistência. Não vou negar que gostei, mas deixei bem claro que não ia fazer aquilo de novo.
Acontece que dias depois o tal amigo me procurou querendo ter um caso secreto comigo, disse que foi muito delicioso para ele e que sabia que eu também tinha gostado. De início recusei, mas depois acabei topando. Desejos adormecidos tinham sido despertados em mim. Aí meu marido desconfiou e confessei o caso extraconjugal para ele. Agora ele me acusa de ser infiel e de adultério, mas eu não queria ter transado com o amigo dele. Só transei porque ele insistiu muito.

Transei com dois homens…

Transei com dois homens e foi maravilhoso. O problema é que o pênis dos caras era muito grande e minha vagina ficou muito inchada e estou sentindo dores quando ando. Já combinei em sair com eles de novo. Alguém teria alguma dica de como amenizar essas dores. Porque adorei a experiência e quero repetir muitas vezes. Obrigada

Belezaaaaaaa .

24 Respostas

Belezaaaaaaa . 

Helene agradeço pela resposta. Não concordo que me desvalorizo transado com 2 homens. Sou solteira, sempre tive muita vontade de realizar esta fantasia e fiz. Se um homem transa com 2  mulheres ele é o garanhão e porque uma mulher que faz o mesmo se desvaloriza? Mulheres tem desejos e fantasias como os homens. Abraços.
 

 

+30 arrasou
 
 
Juba . 

Talvez usar lubrificante ajude, ou até mesmo pedir para eles irem mais devagar, para não machucar.
Se persistir procure uma ginecologista, talvez ela possa te orientar melhor para que essas dores não apareçam.
 

 

+6 arrasou
 
 
Helene . 

Sim tambem concordo que uma mulher tem suas fantasias porque eu tembem tenho… Não estou a te criticar mas pela forma como espresares é como se tivesses se sentindo orgulhosa tranzando com 2 homens
 

 

+1 arrasou
 
Belezaaaaaaa . 

Helene me sinto sim feliz e orgulhosa por ter realizado uma fantasia que sempre tive vontade. Ainda mais nesta mundo machista que julga as mulheres a todo momento. Meu orgulho vem de ter tido a coragem de realizar meu desejo sem me preocupar com a opinião de ninguém.  Vivo minha vida da forma que acho certa não prejudicando ninguém. Abraços.
 

 

+18 arrasou
 
Helene . 

Ja te entendi ate porque eu tambem tenho essa mesma fantasia mas tenho medo de realizalo
 

 

+1 arrasou
 
 
Nihh . 

Helene ninguém tem o direito de julgar outra mulher aqui no clube! 
Qual o problema da mulher realizar uma fantasia sexual? Significa que ela não merece ser valorizada por causa disso? Que pensamento retrógrado!

 

 

+13 arrasou
 
 
Nihh . 

Amiga tenta usar lubrificante numa próxima vez! Ou siga o Conselho da juba e converse com uma ginecologista.
Aqui no clube tem uma sexóloga que pode te ajudar nessa dúvida : )
E não ligue para as críticas, você  é  solteira e pode fazer o que quiser da sua vida! Ninguém pode te julgar por realizar suas fantasias!
 

 

+9 arrasou
 
 
Helene . 

Nihh eu não julguei apenas foi minha opinião
 

 

+1 arrasou
 
 
thayna nascimento . 

Tem q sentir orgulho sim..De romper os limites,realizar os desejos..Orgulho de conseguir um orgasmo,d fazer alguem gozar d um jeito mt bom..De vencer um trauma..Se uma mulher consegue fazer peripecias na cama tem q se orgulhar.. Vergonha sempre sera fazer coisas erradas,tipo roubar,maltratar pai e mae..No sexo nao tem q ter isso
 

 

+8 arrasou
 
 
sane . 

Deve ter sido mesmo uma experiência incrível!!

Eu acredito que as dores foi porque foi a primeira experiência e você deve ter ficado tensa.

É como as meninas disseram,na próxima,invista nas preliminares bastante mesmo,e lubrificante também.

Na net,você pesquisando irá encontrar várias outras dicas,e faça bastante sexo antes de repetir essa experiência!!

E não se esqueça de se proteger!!

 

 

+3 arrasou
 
 
Belezaaaaaaa . 

Meninas, obrigada pelas respostas.

Beijos suas lindas  e muita luz !!!!!!

 

 

+1 arrasou
 
HiMary . 

O pior preconceito é aquele q vem da própria mulher!! :s 

Parabéns por ter realizado seu desejo, mas acho q com caras q tem um instrumento graaaande algumas posições acabam machucando, por exemplo a de 4 … 
Beijos

 

 

+4 arrasou
 
 
lucy . 

verdade e maravilhoso fikar com dois caras vx tem k procurar um ginecologista flor bjus
 

 

0 arrasou
 
 
Val Luz . 

Penso que seja por ser a primeira experiência… mas, com um jeito e usando alguns lubrificantes, vai melhorar… mas, tb, é bom procurar e tirar dúvidas com um especialista. Boas experiências, bj
 

 

+1 arrasou
 
 
Juju .
Helene, serio…(palavrões aqui) 
Belezaaaaa vc realizou um desejo de muitas mulheres, confesso que prefiro uma mulher aos invés de dois homens. Então parabéns pela realização e seja muito feliz com suas escolhas. Quanto as dores, espere uns dias ate sentir que esta ok. Leve muito lubrificante, pode ter sido o fato de ser a primeira vez, sede ao pote…um pouco de tensão…clima esquentou demais, quem nunca passou dos limites não é mesmo? So aconselho esperar um pouco ou tu pode procurar sua ginecologista, relate na boa o que aconteceu e peça orientação. Talvez vc vai ouvir o que já ouvi algumas vezes da minha : Maneire no sexo! Hahahhaha boa sorte
 

 

+2 arrasou
 
 
Dan021 . 

Passa gelo

1 denúncia

 

 

+1 arrasou
 
 
Anchieta . 

Acho que no fundo todas nós temos essa fantasia de transar com mais de uma pessoa.. bacana você ter se realizado !!
Bom, quanto a sua pergunta.. passa um gelinho, fica sem calcinha se tiver jeito pra ppk respirar melhor 
Dá próxima use lubrificante.. tem uns que são quentes e são ótimos (ainda mais nessa sua fantasia, eu acharia incrível)
Dê uns dias de descanso pra si mesma e faça quantas vezes desejar !! 
 

 

0 arrasou
 
 
Amanda2 . 

Parabéns vc realizou o desejo meu sou louca pra transar com 2 deve ser uma loucuuura!!!
 

 

+2 arrasou
 
 
Lordtexas . 

Boa tarde milena
 

 

+2 arrasou
 
 
Estela Tais M. . 

E bom fazer DP?
 

 

+1 arrasou
 
 
Lordtexas . 

Se alguma mulher quizer conversa cmg me chama no whats

1 denúncia

 

 

0 arrasou
 
 
Lordtexas . 

11943066915

1 denúncia

 

 

0 arrasou
 
 
Jeffinho Taborda Silva . 

Esse tipo de mulher é necessário para satisfazer a necessidade do homem enquanto somos solteiros! Abraços
 

 

0 arrasou
 
 

FOTOGRAFIAS NOS ENVIADAS NA SEMANA DA AUDÁCIA E OUSADIA !

Significado de Audácia, substantivo feminino Aptidão ou tendência que impulsiona o indivíduo para que este realize ações difíceis, não se importando com o perigo das mesmas. Ousadia, Característica da pessoa definida por se opor ao que está previamente estabelecido; algo que expressa inovação.

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

 

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

 

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

Comentários depende da aprovação da modelo…

 

E você, como costuma dormir???

Resultado de imagem para NUDE SLEEPING

Cada um tem suas manias e segredos na hora de dormir. Assim como tem gente para quem tanto faz o tipo de roupa, existem pessoas que não conseguem dormir com nenhuma peça de roupa. E você, como costuma dormir? Pois fique sabendo que essa simples rotina pode fazer diferença na sua qualidade de vida em geral.

Seja como for, especialistas garantem que dormir nua ou com poucas roupas pode fazer bem a vários aspectos da sua vida, inclusive saúde física e emocional. Curiosa? Confira abaixo, cinco bons motivos comprovados para que você passe a dormir nua:

  1. Aumenta a autoestima

Ficar nua faz com que você tenha mais contato consigo mesma e com o seu corpo. Estar desnuda e ao natural pode criar um elo mais forte entre você e seu corpo, através do reconhecimento e da aceitação.

É possível que você passe a admirá-lo e, consequentemente, a cuidar mais dele. Isso certamente vai fazer com que você se sinta mais bonita e bem consigo mesma, o que aumentará sua autoestima e sua confiança.

  1. Faz bem para sua saúde íntima

Dormir nua ou sem calcinha é uma recomendação recorrente dos ginecologistas. A intenção é deixar ventilar a área vaginal, que já é úmida e quente. De acordo com a Dra. Denise Leite, professora da Faculdade de Medicina de Petrópolis, quando há a presença exacerbada de calor e umidade, pode ocorrer o aparecimento de fungos e o desequilíbrio da flora normal da região, o que causa um aumento do número de bactérias naturais do organismo.

“Com esse aumento, algumas patologias podem surgir, como vaginite, infecção, cândida e vaginite. Ainda pode ocorrer a presença de mau cheiro, corrimento, ardência e coceira na região”, completa.

  1. Você fará mais sexo

Mais autoestima significa mais sensualidade que, é claro, atrairá ainda mais seu parceiro. Médicos explicam que o contato de pele com pele libera um hormônio chamado oxitocina, “o hormônio do amor”. Além de se sentirem mais ligados intimamente, o estímulo visual e a intimidade do sono desnudo vão incentivar que você faça mais sexo, melhorando seu relacionamento e seu humor.

  1. Seu sono será melhor

Seu sono poderá ser melhor sem nenhuma interferência de peças de roupa. Às vezes, pode acontecer de alguma roupa te apertar, enrolar, coçar etc., e qualquer estímulo externo pode fazer com que você acorde ou pule algum estágio do sono, atrapalhando a qualidade do seu descanso.

Somado a isso, especialistas dizem que manter a temperatura do corpo baixa é importante no período de sono, pois naturalmente seu corpo tende a se esfriar. Por isso, manter-se muito quente enquanto dorme, pode fazer com que seu corpo não aproveite todos os benefícios que o sono pode te proporcionar.

  1. Você ficará mais bonita

Qualidade de sono está diretamente ligada com o seu bem-estar. Baseado no mesmo motivo acima, do esfriamento do corpo durante o sono, alguns médicos indicam que dormir nua ajuda a evitar uma temperatura corporal muito quente, o que poderia impedir que o seu corpo pudesse liberar seus hormônios regenerativos. Um boa noite de sono melhora sua pele, seu cabelo, seu humor e todo o funcionamento do seu organismo, certamente te deixando mais bonita e saudável.

Dormir bem também faz com que você sinta menos fome, e pode te ajudar até a perder umas gordurinhas.

Viu só quanta coisa boa?

FUI PEGA PELA CÂMERA DE SEGURANÇA…

PACIENTE 13918-82

Tinha dois dias que eu tinha terminando com o Léo. As coisas ainda estavam recentes, mas decidi que não iria chorar e que minhas amigas estavam certas. A hora era de badalar. Peguei um vestido que o Léo havia apelidado de “vestido da discórdia”, por que ele ressaltava todas as curvas e detalhes do meu corpo. Nunca tive o corpo marombado, mas seios, coxas e bumbum faziam a orquestra perfeita no meu corpo de brasileira e quando eu usava aquele vestido, sempre chamava a atenção. Decidi que seria com ele que badalaria aquele dia.

Marquei com as meninas no barzinho por volta das 22:00. Senti-me meio deslocada, afinal, depois de um namoro de 6 anos, já não sabia nem como era sair sozinha. Mas estava disposta a curtir. Quando cheguei, avistei todas numa mesa mais isolada, no canto esquerdo do bar, do lado oposto do som, já sobressaltas. Pela quantidade de bebidas, logo percebi o porquê. Mal perceberam minha presença, começaram a gritar por meu nome, o que chamou a atenção das pessoas que estavam nas mesas ao lado. Abracei uma por uma das cinco que me esperavam e uma delas já me entregou o copo de vodka para “início” dos trabalhos, como bem definiu.

Entre um copo e outro de vodka, decidimos ir para a pista, dançar. Estávamos curtindo muito quando, repentinamente, senti um solavanco no meu braço esquerdo. Doeu. Virei pronta para brigar, quando me deparei com aquele moreno lindo, cabelos lisos penteados para trás com gel, olhos claros, boca carnuda e um corpo escultural, vestido numa calça jeans, uma camisa que só tinha a parte da frente colocada por dentro da calça, com mangas dobradas até o cotovelo, uma sapatênis cor gelo com detalhes em azul e vermelho, num estilo despojado chique mais lindo que eu já tinha visto. Fiquei sem fala. Ele me perguntou se machucou e imediatamente balancei a cabeça afirmando que sim. Ele me puxou para um canto e quis saber onde exatamente tinha machucado, quando finalmente despertei daquele transe. Expliquei que não tinha sido nada, apenas um choque à toa, mas ele insistiu em ver meu braço. Mostrei o local meio avermelhado e ele me pediu mil desculpas e solicitou ao garçom um copo com um pouco de gelo, para passar no local. Achei tudo um exagero. Havia sido um choque comum, nada exagerado. Ele perguntou a um pessoal do lado se poderia puxar uma das cadeiras e me fez sentar ali mesmo, enquanto esperava o garçom com o gelo. Cuidadosamente, colocou o gelo sobre o local avermelhado e, só então, se apresentou. Seu nome soou como música: Fábio. Apresentei-me também e começamos a conversar sobre assuntos variados, enquanto ele acariciava delicadamente o meu braço no gelo e aquelas carícias produziam uma sensação que eu não estava acostumada a sentir há tempos.

Quando percebi que minha excitação por aquele desconhecido estava fora do comum, dei um jeito de me esquivar e disse que estava ótimo e que eu agradecia a atenção. Quando me levantei, senti aquele puxão no braço e, quando percebi, já estava envolta num beijo ardente com ele. Senti uma explosão de tesão e fiquei sem entender o que aquele, até então desconhecido, tinha que despertava em mim tanto desejo. Mas senti a reciprocidade do desejo. Como provocação, ele me apertou pela cintura contra o corpo dele. Senti seu pau enrijecido. Ele também estava com muito tesão.

Não conseguíamos parar de nos beijar. Não conseguia resistir a ele. Sentia que ele me carregava para algum lugar, mas não tinha forças para resistir. Simplesmente ia seguindo, através daquele beijo.

Quando ele parou de me beijar, que abri os olhos, estávamos no estacionamento da parte de trás do bar. Ele me olhou fundo nos olhos e disse que nunca tinha feito essa loucura antes, mas que não estava nem ligando para as consequências e que me queria ali, se eu quisesse. Não sei o que me deu, apenas não conseguia resistir. Estava com tanto tesão que só conseguia beijá-lo.

Ele sacou do bolso uma camisinha, me virou contra um dos carros estacionados, abriu o zíper da calça e levantou meu vestido. Beijava minha nuca, me fazendo derreter de desejo. Empinei-me e senti seu pau entrando firme, duro e fundo, com força e de uma vez só. Ele me envolveu pela cintura com sua mão esquerda e com a direita pegou meus cabelos por baixo, puxando minha cabeça para trás. Ele estocava o pau com força e bem fundo e eu não conseguia parar de gemer e pedir mais. Estava encharcada de tesão.

Ele deu uma levantada nos meus cabelos e me beijava a nuca. Senti suas mãos apertarem meus seios e alisarem meu corpo por sobre o vestido. Como desejei estar totalmente nua aquela hora. Ele estocava o pau cada vez mais fundo, pressionando minha cintura contra a dele. Os movimentos eram brutos, fortes e deliciosos.

Coloquei-me totalmente de quatro para ele, apoiando-me no porta-malas do carro. Senti as mãos dele na minha cintura, me envolvendo e me segurando firme, enquanto ele enfiava cada vez mais gostoso. Eu já não me segurava mais de tanto tesão, quando senti a mão dele no meu clitóris. Ele massageava enquanto enfiava aquele pau gostoso. Quando já não cabia mais em tesão, senti aquele tremor subindo pelas pernas, o arrepio que tomava conta do meu corpo e fui dominada pelo tremor: eu estava gozando. Ele disse que não aguentava mais, me puxou forte para trás, me segurou firme pela cintura e senti o pau dele pulsando gostoso dentro de mim.

Nunca tinha transado com quem quer que fosse dessa forma. Mas quando senti o pau dele entrando firme e forte em mim, não conseguia pensar em mais nada que não fosse saciar a minha vontade, a minha ânsia por prazer.

O QUE ME DEIXA AINDA MAIS EXCITADO !

Coisas aleatórias que me excitam e vocês nem imaginam…

Vocês provavelmente tem técnicas pessoais para nos seduzir. No entanto, tem certas coisas que vocês, mulheres, fazem de maneira despretensiosa, sem segundas intenções, que me deixa enlouquecido.

Veja quais são elas:

perna sexy mulher 369815264=> Camisa em vez de toalhas –  A minha camisa, aquela que eu estava usando. Essa combinação entre camisa desleixada e seu corpo, que te deixa tão confortável, é irresistível para mim. 

Resultado de imagem para regatas sem sutiã em casa=> Regata colada sem sutiã – Sabe quando você acabar de transar e você coloca a primeira regata que vê na frente só para ir até o banheiro? Eu piro com isso.

Resultado de imagem para nua na ponta dos pes=> Ficar nas pontas dos pés descalça,  enlouquecedor.

Imagem relacionada=> Cabelo despretensioso – Para mim, poucas coisas são tão sexy quanto o seu cabelo preso num rabo de cavalo meio bagunçado, com alguns fios caídos.

Resultado de imagem para cabelos cheirosos=> Cheiro do shampoo – Eu vivo dizendo que amo o cheirinho gostoso que as mulheres naturalmente têm. O que não me importa é que, na maioria das vezes, é produzido pelo shampoo. É por isso que quando você solta o cabelo perto do meu rosto, eu até respiro fundo para apreciar o perfume.

Resultado de imagem para suor academia=> Suor – Você provavelmente fica encanada quando sua um pouquinho durante o sexo ou sai da academia molhada e descabelada. Eu, por outro lado, acha super sexy.

Resultado de imagem para mulheres com oculos de grau=> Óculos de grau – Eles são motivo de vergonha durante a infância e adolescência. No entanto, depois que você cresce, os óculos de grau se tornam seus aliados na paquera. Eu acho muito sensual mulheres que usam óculos (no modelo que harmonize com o tipo de rosto, obviamente).

Resultado de imagem para mordidinha na boca=> Mordidinha no lábio durante o sexo – Você acha fofo e romântico morder o lábio inferior durante o beijo. Já eu fico ligado instantaneamente.

Resultado de imagem para Cabelo molhado após-banho=> Cabelo molhado pós-banho – Mulheres costumam achar que o cabelo deve estar sempre produzido, com escova e tudo mais. Porém, eu curto muito quando velho você saindo do banho, com o cabelo encharcado e a toalha na mão.

Imagem relacionada=> Tênis e calça jeans – Menos é mais. Caras curtem saio alto com saia, isso é fato. No entanto, eu também acho super sensual quando você usa algo bem confortável, como calça jeans e tênis, já que mostra a verdadeira beleza sua, sem que esteja ‘montada’.

Imagem relacionada=> Comer sem frescura – É quase uma unanimidade: eu odeio sair com uma mulher que faz pose na hora de comer e pedem só uma saladinha. Isso porque a atitude passa insegurança (com o próprio corpo ou com o que ele vai pensar). Nada como uma mulher que faz o que sente vontade sem medo de julgamentos.

Imagem relacionada=> Por ultimo – dizer “vou gozar” isso quando dito com a sensibilidade do inicio do seu orgasmo me dá mais prazer do que meu próprio orgasmo.

Igor Hunsaker.