SEGREDOS SOBRE SEXO QUE SANTAS ME CONTARAM NO CONSULTÓRIO…

“Meu namorado é maravilhoso, mas às vezes tenho vontade de pegar o irmão mais velho dele. Eu não sei explicar, mas parece que o irmão dele exala virilidade”.

“Eu namorava com um garoto e nossa relação estava caindo na rotina. Mandei uma lista pra ele dessas de coisas para inovar no sexo já perguntando se ele toparia algo. Minha intenção era chamar mais uma mulher para um ménage com a gente, mas para minha surpresa ele odiou a ideia. Tempos depois ele decidiu que daquela lista de inovações eu poderia escolher qualquer coisa que não envolvesse terceiros. Escolhi fio terra e ele topou. Não tinha a menor ideia de como fazer isso, mas foi delicioso e estranhamente me deu muitos orgasmos. Eu nunca imaginei”.

“Em 2008 tive a chance única de transar com um guri supergostoso que tava indo embora do Brasil. Fomos pro motel bem antes do voo dele, mas na hora rolou a prova da Daiane dos Santos nas Olimpíadas e a gente quis muito assistir, no motel mesmo. Não transamos, pois não deu tempo, e ela ainda perdeu”.

“Peguei um cara mais velho na boate (uns 35 anos), fomos pro motel e tivemos uma baita noite. Dois dias depois chego no novo estágio em um escritório de advocacia e descubro que o dito-cujo seria meu chefe pelo próximo ano. Foi super gente boa e seguiu com as formalidades, apesar da situação levemente constrangedora. Porém, passamos umas duas semanas sem olhar pra cara um do outro”.

“Acho sexo anal mais prazeroso e infelizmente o meu marido não gosta. Tive que comprar um dildo pra me divertir sozinha enquanto ele trabalha”.

“Eu sempre achei que o sexo seria algo normal, mas percebi que fico muito excitada se o cara começar a conversar comigo. Mas tem vezes que estamos no ato e falando das compras que fizemos no mês .”

“Eu e minha namorada começamos a ficar no 3° ano, e sabe né, aquele fogo todo de começo de relacionamento. Como a gente ficava na escola o dia todo, até de noite, a gente sempre se pegava (e se dedava) no vestiário, que era meio afastado das salas e ninguém ia lá a noite. Somos duas meninas, então fica mais fácil ainda porque usamos o mesmo banheiro. Teve um dia que ela me dedou no meio da aula de Biologia, por meio de um furo que ela fez no bolso da minha calça de moletom, hahsuaha. Eu fiquei lá, com cara de tacho disfarçando o que tava acontecendo, e foi incrível. Até hoje ninguém sabe do que aconteceu, só a gente (e agora vocês)”.

“Eu e a minha ex fizemos sexo em uma praça pública. Na verdade, fizemos em vários lugares nesse mesmo dia ao longo do caminho até a minha casa. Não que a gente não tenha cama, mas porque gostávamos da sensação de alguém ver. Quase fomo pegas uma vez em uma rua deserta. Terminamos e eu sinto falta disso. Precisava até desabafar sobre, obrigada”.

“Fico muito feliz quando o cara não é dotado, não entendo mesmo essa fixação com pau grande quando na verdade até machuca e impossibilita algumas posições. <3 paus medianos”.

“Sou mulher e transei com dois amigos ao mesmo tempo. Foi muito bom receber um beijo grego e sexo oral ao mesmo tempo”.

“Eu estava lá com meu melhor amigo, aí ele começou a sugerir coisas, a gente ficou e depois rolou. Até aí, ok. Mas a gente tava na casa de uma outra amiga e do nada ela entrou e ficou lá de boa. Eu e ele ficamos mega confusos, quando de repente ela me beijou e quando menos percebemos estávamos os três lá. Até hoje nenhum comentou nem conversou sobre isso”.

“Perdi a virgindade com o ex, mas não sangrou. Fiquei uns dois anos com ele depois disso. Quando fui transar com meu atual namorado, ele tava sentindo uma certa resistência na hora de colocar, até perguntou se eu era virgem e eu disse ‘óbvio que não’. Ele conseguiu enfiar e eu senti alguma coisa arrebentando lá dentro. Chego em casa e eis que tem uma carninha pendurada pra fora da periquita. Fui na emergência do hospital desesperada achando que era DST e a médica disse que era um pedaço do meu hímen que tinha ficado pra trás e agora saído pra fora, mas que não tinha problema. Expliquei pro boy morta de vergonha o que tinha rolado e fizemos de novo. De repente, ele parou e disse que tinha muito sangue, e tinha mesmo, tipo ‘Carrie, a Estranha”. No final das contas, tive que fazer uma mini cirurgia pra tirar o pedaço de hímen pendurado porque ficava pingando sangue sem parar. A médica amputou e me mostrou, parecia um pedacinho de shimeji. Até hoje não consigo comer sushi com minhas amigas sem morrer de rir do shimeji”.

“Fiz ménage com dois amigos homens da faculdade, eu tava muito bêbada e lembro pouco do que rolou. Mas eu lembro perfeitamente quando o Gustavo (nome trocado, sabe como é) resolveu chupar o Augusto sem ele perceber (eu tava no meio impedindo a visão dele). O Gustavo finge demência até hoje sobre isso (não entendo essa dificuldade em aceitar bissexualidade) e o Augusto ficou chocado quando eu falei pra ele isso. Porém, ainda somos bons amigos, nunca mais transei com o Gustavo, só com o Augusto”.

“Acho que nunca vou ter coragem de contar isso para ninguém além de vocês e das pessoas que vão ler essa história. Estava tendo um sonho erótico naqueles períodos do mês em que a libido tá alta (TPM). Só que não chaveio meu quarto e tava um pouco frio esse dia. Eis que sinto alguém me cobrindo e acordo de bruços fazendo movimento de vai e vem com a pélvis. Sem raciocinar direito por causa do sono eu disse ‘mãe vc tá me cobrindo?’ e ela respondeu ‘sim, tá frio’ e saiu do quarto. Certeza que ela pensou que eu estava acordada me masturbando, sendo que eu tava dormindo sem nenhum controle do meu corpo e nem toquei na minha vagina!”.

“Uma vez eu e minha namorada estávamos assistindo um filme no cinema, que estava horrível e então começamos a nos pegar. Quando vimos, já estávamos transando na cadeira do cinema mesmo. Até que de repente chegou o lanterninha sem a gente perceber, morri de vergonha pensando que ele ia xingar e mandar a gente embora, mas no final ele só solta um ‘será que vocês poderiam fazer menos barulho por favor?’. Morri de vergonha e nunca contei essa história pra ninguém”.

“Eu e minha namorada já transamos algumas vezes na escola lindas e plenas. De preferência, as preliminares acontecem no meio da aula! Certa vez a professora de Português reparou a cena maravilhosa e falou ‘acho que você não está prestando atenção na aula por estar mais preocupada com a sua mão onde ela está no momento’. Todo mundo ficou sem entender nada, tirei a mão de lá e não sabíamos onde enfiar a cara”.

“Sou uma mulher bissexual e perdi as contas de quantas vezes transei com prostitutas. Tive ótimas experiências, não me arrependo. Achava mais fácil do que o jogo da conquista, nunca fui boa com mulheres nesse sentido. Isso aconteceu em uma época sem Tinder, talvez hoje fosse diferente”.

“Eu saía com um moço e certo dia conversamos sobre gostar de gatos. Até ai, tudo bem. Quando tivemos nossa primeira vez, na hora do famigerado boquete ele soltou: ‘Mia pro teu gatinho!’. Eu parei, fingi que não ouvi e continue a chupar. Ele soltou um “tu quer que eu mie pra ti?”. E eu continuei em silêncio, com a esperança dele parar. E aí ele miou. Muitas vezes. Foi a experiência mais bizarra da minha vida, nada jamais vai se comparar”.

“Uma vez conheci um cara no Tinder, depois de uns dias conversando, chamei ele para minha casa. Logo de cara não achei ele tão atraente, mas resolvi ir adiante porque estava com tesão. O sexo estava horrível e eu já estava sem saco para continuar, quando DO NADA, minha gata brota no meu quarto e pula para minha cama e vai direto para as bolas do cara (eu estava de quatro e ele atrás, ou seja, a gente não viu ela chegando). Ele gritava de dor na minha cama enquanto segurava as bolas arranhadas. Depois disso eu pedi para que ele fosse embora e nunca mais nos falamos”.

“Faltei aula para ir na casa do namorado, ele estava sozinho. Até aí tudo bem. O problema é que eu gosto de provocar. Comecei fazendo uma massagem bem relaxante e excitante nele, mas me empolguei nas provocações e quando me dei conta parecia a rainha da putaria. Dava pra ver que ele tava com muito tesão e queria MUITO transar. Entretanto fui coesiva em não deixar ele tirar uma peça de roupa minha e fazer coisas como sussurrar no ouvido dele. Resultado: tava quase cedendo a vontade de me despir, mas o boy não tinha mais energia para me comer, trágico”.

“Uma vez transei na cama da minha mãe depois da escola com um menino que morava perto de casa. Tudo no período de duas horas entre eu chegar do colégio e minha mãe chegar em casa. Ele foi embora, eu arrumei tudo extremamente rápido. Quando ela chegou me perguntou o que eu tinha feito o dia inteiro, não aguentei e ri. Ela achou que eu tava rindo por que não tinha feito nada e me deu uma bronca. Foi a primeira vez que fiquei feliz por tomar escurraço por não ter estudado”.

“No carnaval de 2014, fiz um trabalhei como freelancer e conheci uma galera bem bacana. Ficamos todos muito amigos e acabei ficando com um dos meninos. Ele era maravilhoso, gente boa, um amor. Mas estávamos numa rotina muito louca de trabalho e a gente nunca conseguia tempo pra transar. Quando o Carnaval passou, combinamos de sair para transar, afinal, já estamos loucos de vontade. Antes de ir para os finalmentes, passamos num bar e bebemos um pouco. Estávamos num esquema quase escravo de trabalho e bem cansados, então, na hora H, eu simplesmente apaguei no meio da transa. Quando acordei, já era dia e ficou um clima superestranho. Uma semana se passou e voltamos a nos falar. Resolvemos tentar novamente e, no dia seguinte, refizemos o mesmo trajeto: fomos beber para, finalmente, transar loucamente. Adivinhem? Mais uma vez, eu dormi, dessa vez, ainda nas preliminares. O rapaz não era chato, era ótimo, tinha pegada e estava super a fim. Sério, não sei o que me deu! Até hoje, quando a gente se encontra, a gente sorri um pra o outro da nossa piada interna da não-transa”.

“Meu namorado tem uma tara por me ver enrolada em papel celofane. Sim, aquele transparente furtacor que faz barulho, as vezes eu me enrolo pra satisfazer a tara, mas é raro por ser muito ridículo, me sinto um chocolate vagabundo”.

“Eu sempre tive vontade de transar com alguém assistindo mas não sabia como pedir isso pro meu namorado. Acontece que eu morava no segundo do andar de um prédio e a janela do meu quarto dava quase de frente pra sacada do prédio da frente. Nesse prédio morava um senhor que às vezes passa o dia na sacada. Certa vez eu e meu namorado estávamos em casa numa tarde e vi que o senhor estava sentado na sacada. Não hesitei em começar alguma coisa com a janela aberta mesmo, pra me sentir vigiada. Na real, nem sei se o senhor viu alguma coisa, mas pelo menos foi emocionante pra mim. Claro que poderia ser melhor, com alguém mais perto da gente, mas já valeu a pena”.

“Conheci um rapaz amigo de um amigo e me apaixonei por ele. Mas ele era comprometido e eu também. Mantivemos a amizade, sempre jogando indiretas e esperando uma oportunidade quando os dois estivessem solteiros. Eis que surgiu essa oportunidade quando fizemos intercâmbio ao mesmo tempo e um grupo de amigos em comum nos chamou para uma viagem para o Marrocos, com direito a passar a noite no deserto do Saara! Foi o que bastou: observar as estrelas cadentes nas dunas, sem ninguém por perto, aquele ventinho gelado e um bom vinho de 2 euros. Não tivemos dúvidas! Esticamos um turbante na areia, ele deitou em cima de mim e quando começou eu vi uma estrela cadente e gritei: ‘olha!!, uma estrela cadente enor….’. Não deu tempo de terminar… ela EXPLODIU!!! Foi uma experiência única, unir um rolo de dez anos com sexo no Saara e uma estrela cadente explodindo ao mesmo tempo!!! Zerei a vida!!!”

“Eu sinto um pequeno fogo quando esfrego o meu pé direito com a escova. Um dia fui ficar com o boy e ele fez massagem nesse mesmo pé. Quando eu fui no banheiro minha calcinha estava encharcada e eu não tinha nenhuma outra ali. O boy entrou e perguntou o que estava acontecendo. Eu não sabia o que dizer, então só agarrei ele. Nunca fingi tanto orgasmo em toda a minha vida, quase pedi a massagem no meio da transa”.

Teve um ano que eu, uma amiga e um ex-namorado fomos passar o ano novo em uma cidade diferente de onde morávamos. Chegamos lá dia 31, passamos o dia todo bebendo. À noite nos arrumamos para ir ver a queima de fogos e estávamos todos bem loucos e minha amiga sugeriu fazermos sexo a três. Ano novo e passamos a virada fazendo um sexo espetacular no quarto do hotel. Nem preciso dizer que passamos o resto do feriado transando que nem loucos os três. Por incrível que pareça, fortaleceu nossa amizade e muito. Essa amiga e eu inclusive já fizemos sexo a três com outros caras”.

“Na época da faculdade eu era bem louca, tinha um superdesejo de tirar a virgindade de algum cara, acabei conhecendo um virgem e ele ficou apaixonadinho por mim. Eu era doida pra dar pra um carinha da minha turma, maaas ia pegar o virgem para realizar meu sonho. Um belo dia estava rolando uma festa e eu morava numa casa de estudante do lado. Bem, o virgem tava lá e o meu colega também. O virgem querendo ficar de casal e eu, entre uma ida ao bar e outra, de olho no meu colega que estava super a fim. Decidi enrolar o virgem, que era presa fácil e tava na minha, e ir para os finalmente naquela noite com o meu colega que eu tinha um supertesão. Em dado momento, disse que ia pra casa e o virgem, que era um fofo, foi lá me deixar. Nisso, eu já tinha combinado com o meu colega dele ir pra minha casa. O virgem me deixa em casa e quando ele estava saindo cruza com o meu colega, até aí tudo bem. Como as minhas colegas estavam transando no quarto, fui para a cozinha da casa, que era exatamente do lado do meu quarto. Meu colega chegou e quando fui ver já estávamos transando loucamente. Segundo relatos eu estava fazendo muito barulho. O virgem acabou voltando uns cinco minutos depois pra entregar meu batom que tinha ficado no bolso da calça dele e ele só percebeu porque pediram pra ele mostrar o RG quando voltou pro rolê. Aí guiado pelo barulho e curiosidade, me pegou no flagra e saiu puto. Até hoje não realizei meu sonho, mas transei gostoso com o meu colega”.

“Eu só gozo depois de soltar pum, dificilmente consigo sem soltar um pum. Não sei qual meu problema, mas sou assim kkkk Ou seja, nunca gozo acompanhada. Ps: já não sou transuda, se souberem disso nunca mais transarei PROCESSO VCS HEEM!?!?!?!???”.

“Minha primeira relação sexual com uma mulher foi num ménage a trois com um casal de amigos (mulher e homem). Preciso confessar que chupar uma mulher é realmente uma coisa maravilhosa, mas pena que eu tava chapada demais pra fazer direito”.

“Eu tinha saído de uma festa com a crush e nós resolvemos parar em algum canto pra dar uns amassos. Acabamos na frente de uma farmácia perto de uma rua muito famosa da minha cidade. Beijo vai, beijo vem, fomos pra o banco de trás e ela tirou a roupa. Eu estava super pronta quando um anjo mandou eu olhar pra fora do carro, só vi as sirenes do carro da polícia parado bem atrás da gente. Mais rápida do que qualquer outro momento da minha vida, pulei para o banco do motorista e acelerei. A crush nem sabia o que tava acontecendo. E assim nós duas tivemos que fugir da polícia: peladas, excitadas e assustadas. Rimos muito depois. Transamos em outra rua ;)”.

“Meu namorado é maravilhoso, mas às vezes tenho vontade de pegar o irmão mais velho dele. Eu não sei explicar, mas parece que o irmão dele exala virilidade e safadeza, isso desperta meu lado cachorra. Mas sigo firme e fiel”.

“Eu morava numa república, cheguei em casa com um carinha que conheci na balada e fomos pro quarto. Mas a gente estava tão bêbados, que acabamos dormindo no meio do ato. Minha colega de quarto chegou com os dois dormindo peladões e o pau dele descansando dentro da minha princesinha”.

“Uma vez estava em uma noite bem louca na casa de um dos amigos do crush. Fiquei com o crush e uma amiga dele e quase rolou um ménage, mas eu acabei não querendo. Eis que uma hora estávamos eu e o crush transando no sofá da sala e enquanto ele me fazia oral, um dos amigos dele chegou e começou a me beijar e rolar umas carícias mais. Detalhe: esse amigo tava minutos antes transando com uma outra guria. Na volta pra casa ficou um clima meio estranho depois que todo mundo pegou todo mundo”.

“Estava acontecendo um campeonato da escola, e todos, LITERALMENTE TODOS estavam na quadra. Eu e minhas amigas estávamos indo assistir ao jogo, mas acabei esquecendo um caderno na sala de aula. Voltei pra buscar e nisso um menino que eu ficava me viu e perguntou se eu não ia assistir ao jogo. Eu disse que só tinha esquecido um caderno e já ia voltar. Acabamos ficando na sala pra conversar. Quando vi lá estava eu deitada na mesa do professor, transando com o tal garoto. Nunca contei isso pra ninguém, e espero que esse menino não leia esse depoimento também”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *