PACIENTE 27720.2

PARAFILIA.

Impulsos ou comportamentos recorrentes, intensos e excitantes sexualmente que causam sofrimento ou incapacitação e que envolvem objetos inanimados, crianças ou outros adultos não consentidores, sofrimento ou humilhação de si mesmo ou do parceiro com potencial para causar dano.

Era mais um final de gravação. Último programa do ano. A produção desmontando a aparelhagem do palco. Meninas e apresentadores indo para seus camarins.

Quando alguem bateu na porta do camarim onde eu estava com outras meninas do programa.

Um dos produtores nos avisou que deveriamos ir para o estacionamento, pois haveria uma van nos esperando para nos levar numa festa de celebração de final de ano.

Trocamos de roupa rapidamente e fomos pra tal van que nos esperava. De lá, a Van nos levou para um sítio onde ocorrem as reuniões de pauta no termino de cada gravação do programa.

Sitio, cerveja, funk, vodka, pessoas, gritos, tequila e tensão sexual por todos os lados.

Era uma equipe grande de umas 20 a 30 pessoas, a maioria homens, isso sem contar com as assistentes. Meia duzia de meninas assistentes de palco no meio de uns 30 caras bêbados gritando putaria e dançando rolando a gente no funk.

Vocês imaginam bem o clima de putaria que ja estava com menos de 1 hora de festa.

Nos estávamos vestidas, mas não por muito tempo. Num dado momento, um dos cabeças do programa resolveu iniciar uma serie de brincadeiras com as meninas, em que as que fossem perdendo teriam que pagar prendas.

E lá fomos nós, trocar de roupa, colocar um bikinezinho vermelho socado na bunda, sandalhona vermelha com maior salto possivel e gorrinho de mamãe noel na cabeça. Pois é, de alguma forma pervertida eramos as mamães noel da festa.

E assim, começou uma serie de brincadeiras e jogos, em que a perdedora deveria pagar alguma prenda.

Numa dessas brincadeiras, colocaram 6 carrinhos de plastico no chao, e nos deveriamos fazer uma corrida. Quem perdesse teria que ficar o resto da festa sem o top do bikine. Mas no caso, os carrinhos eram brinquedos de criança, pequenos, que estavam no chão e deveriamos fazer chegar no lugar determinado sem poder tocar no carrinho.

Ou seja, imaginem a cena, nos 6 DE QUATRO no chão, assoprando os carrinhos igual umas tontas. De quatro, atras do carrinho, eu ia assoprando igual uma louca pro brinquedo andar pra frente ate o lugar determinado. E claro, com todos os machos tarados atras da gente curtindo aquele visual de 6 bundas de 4 viradas na cara de todo mundo.

Foi uma gritaria só, cerveja sendo jogada na gente, xingamento,s elogios, putarias e gritos de bebado. E nos 6 ali de 4 assoprando os carrinhos e empinando o rabo na cara de todo mundo.

Apenas as três primeiras estariam salvas da prenda. E pra alegria dos tarados, eu nao fui uma delas.

Gritos e zoaçoes com a gente ali de 4 apostando corrida pra terminar atras das outras e ainda ter que pagar a prenda soltando o top e botando os peitões pra fora.

Ai sim foram mais gritos ainda, ao melhor estilo spring break, show your boobs e eu mais duas perdedoras lado a lado, fomos tirando o top, uma depois da outra, botando as peitolas pra fora pra alegria de todos os tarados presentes.

Show your boobs, show your boobs e lá fui eu soltar o top e bummm, peitos pulando na cara de todo mundo. Aplausos, gritos e putaria no ar. E ainda tinha muita festa pra rolar. Mas no meu caso, com os peitos de fora o resto da noite.

Outras brincadeiras e outras prendas rolaram. Num dos joguinhos, colocamos um copinho de plastico no meio dos peitos, apertando no meio de tanta fartura de silicone, fazendo uma cesta de basquete de peitos. E cada menina deveria tentar acertar a cesta da outra com bolinhas de ping pong.

Essa eu não perdi, mas rendeu uma rodada de dança no pole dance pras três meninas perdedoras. Se esfregando, rodopiando e rebolando no meio da galera. Uns caras nem disfarçavam mais e batiam punheta no meio da sala enquanto uma das meninas dançava no pole.

Num momento a menina contornou o pole, ficando de costas pra plateia, encaixando o ferro no meio da bunda e se abaixou toda, com as maos nos pés, toda empinada com a bunda encaixada no ferro e começou a subir e descer, subir e descer. Roçando e esfregando o rabo no ferro.

Eu ate olhei curiosa pra um grupo de punheteiros pra ver se alguem aguentava hehehe e nao deu outra, porra voando no meio do chao da sala.

Se eu for contar tudo, vou me alongar muito aqui. Mas posso dizer que paguei duas lap dances, dançando rebolando no colo de alguem. E um boquete pra um dos caras no meio de toda plateia assistindo.

Se você quiser, eu conto tudo isso mais detalhadamente em outro relato. Era tanta putaria que eu precisaria de 20 consultas pra narrar tudo. Festa animada do jeito que vocês imaginam.

Mas vou pular para o ponto final da festa. Rolou um bingo, sim um bingo. Inocente ne? Nao!

Seis rodadas de bingo, pra sortear apenas 6 sortudos da noite. E o premio seriam cada uma das meninas. Pela primeira vez na vida o meu cu foi sorteado no bingo, literalmente. Cada um dos vencedores de cada uma das 6 rodadas do bingo, passaria a noite com uma das meninas.

Acho que valia mais que a mega sena hehehe

E assim foi bingo, cada um que conseguia vencer, dava gritos e pulos justificaveis de alegria. Era uma comemoraçao como se o brasil tivesse vencido a copa do mudo.

Uma a uma das meninas ia sendo sorteada e os felizardos sentavam num sofazinho da vitoria com a menina sentada no seu colo ali como um torfeu na frente de todo mundo. So no final de todos os bingos que nos iriamos para o quarto.

Eu fui a segunda a ir para o sorteio. Como ja falei, que adrenalina e sensaçao de tesao e ansiedade de ter o cu sorteado no bingo. Era ansiedade, frio na barriga de nao saber quem pularia gritando e se tornaria dono da minha buceta por aquela noite.

Eu ali de bikinezinho socado no rabo, gorrinho de mamae noel, peitos de fora, em pé na frente da galera toda, sorteando os numeros e sorrindo igual uma piranha sonsa a cada bolinha que eu tirava da urna.

Em pé, vestida daquele jeito, peitos de fora, bunda de fora, sorrindo, me empinando, dando rodadinhas pra galera, sorteando meu proprio rabo. Acho que nao existe situaçao no mundo mais putona do que essa. Uma verdadeira rainha da festa, ou piranha da galera.

Foi quando vi um dos editores gritando bingo, pulando, tirando a camisa e rodando no ar hahaha serio, eu ri, todo mundo riu, mas a verdade é que meu cu tava na reta nessa brincadeira toda.

Fui andando até ele, rebolando pelo caminho, batendo meu salto no chao, como uma marcha das vadias em direçao do meu comedor. Peguei o osrtudo pela mao e fui andando na frente dele, o levando ate op sofazinho da vitoria.

O sortudo sentou e todos pararam pra me olhar sentando no colo dele. Como se o mundo tivesse parado de respiar, apenas me olhando. senta senta senta… Sentei…

Encaixadinha no colo dele, com suas maos alisando minhas coxas, meus peitos, eu passei o resto do bingo sentada como uma vadia, como um trofeu no colo do meu macho, sorrindo igual uma piranha, esperando a hora de ir pro quarto pra sen enrabada.

O bingo foi seguindo, e eu ali sentadinha no colo do meu dono, sendo alisada e sentindo seu pau muito duro cutucando a minha buda. Todas as meninas foram sendo sorteadas, ate que apenas 6 sortudos teriam a honra de ganhar o melhor presente de natal do mundo.

O nosso rabo!

So aplausos e assovios dos bebados no salao, fomos levantando do colo dos nossos machos, pegando pela mao e nos dirigindo para os quartos.

Era quase que um corredor polones de aplausos com cada casal passando e recebendo gritos de incentivo.

Aproveita seu fdp, soca pica nessa cavala! Bota no rabo delas que ela gosta!

E botou mesmo… O cara tava tao tarado que aguentou dar três fodas na noite toda. A primeira, OBVIO, veio direto no meu rabo.

Ele estava sentado na cama, eu ajoelhada entre as pernas dele, mamando gostoso aquela pica de tamanho medio. Segurando a rola e dando chupadas nervosas, quando ele me puxou pelo cabelo, tirando minha boca da sua pica me mandando levantar.

Mal fiquei em pé, e ja senti suas maos me virando e me empurrando pra frente. Em pé, de saltos de mamae noel, com o corpo inclinado pra frente, com as maos na cama e os pes no chao, sem dobrar os joelhos. Sacaram o estrago ne?

Nessa posiçaozinha totalmente empinada, o fdp afoito veio igual um maluco querendo fazer o que sempre quis fazer. Passar a pica no meu rabo.

Senti um dedinho maroto passando ky no meu cuzinho, senti a cabeça da sua rola se encaixando na entradinha do meu cu. Senti uma pica entrando e me fudendo gostoso igual um cachorro no cio.

Em pé, saltao alto de mamae noel, saltao alto de vagabunda, com as maos na cama, com o rabo todo empinado e com uma rola na bunda.

Gemendo igual uma cadela a cada varada que eu levava no cu. Com a pica sumindo no meio do meu rabo e as bolas explodindo na minha bunda.

Foi uma foda de adolescente. Uma foda de tirar o atraso. Uma foda de quem devia estar a anos querendo fazer aquilo. e aquilo era BOTAR NO MEU CU.

Aguentei como uma cavala guerreira gemendo com uma rola no rabo, levando puxoes de cabelo e tapinhas na bunda. eu aguentei, palmas para mim.

Baixado esse tesao desesperador que o coitado devia estar. A seguda foda ja pôde ser algo mais calmo. Na bucetinha, na cavalgada.

Deitados na cama, de papinho pos sexo, de maos por todo meu corpo, o safado me apertava rtoda ate seu pau começar a dar novo sinal de vida.

Eu ja sabia o que fazer, me direcionei pra sua pica, segurando o cacete e engolindo tudo com a minha boca de chupadora de rola.

Ele deitado de barriga pra cima, eu de 4 ao lado dele, com o cabelão todo tapando meu rosto, mas fazendo um boquete digno de uma verdadeira putona que eu sou.

Chega de boquete. Joguei a cabeça pra tras numa cena de filme, so faltou a camera lenta, com meuis cabelos voando pelo ar, chicoteando ate as minhas costas.

Agora era a hora de mostrar meu rebolado de vadia. passei uma das pernas por cima dele, me ajeitando montadinha por cima daquele caralho, maozinhas na sua barriga e sentei. Sentei gostoso. Sentei na pica.

Com o seu cacete na minha bucetinha, rebolei, sentei, subi, desci, cavalguei, sentei, sentei e sentei. So faltou um chapeuzinho de cowgirl, mas tinha chapeuzinho de mamae noel hahaha

Montadinha na pica, sentada na vara, eu rebolava como se tivesse dançando funk. sem ele se mexer em nada, rebolei gostoso ate fazer o meu macho gozar. missao cumprida.

Quando achei que a noite ja estava finalizada, abraçadinha ao sortudo da noite, senti suas aos apertando a minha bunda mais do que o normal. Apertoes de safado mesmo. Eu ja sabia no que isso ia terminar. Acabou como todo mundo adora.

De 4, sendo montada pelo tarado, mordendo o travesseiro pra abafar meus gemidinhos de piranha com uma rola na bunda.

Eu ali, uma cavalona de 4, sendo enrabada com vontade. Adoro. E sei que voces adoram mais ainda. Tomei no cu com gosto, fiz valer aquele bingo hehehe

Com tapas na bunda, xingamentos gostosos e meus gemidinhos de vadia no ar, encerramos a noite com muita vara no meu rabo.

Acho que ele vai bater punheta pro resto da vida lembrando disso. Nem sei como vai ser a minha cara de ter que encontrar com ele no trabalho ano que vem.

Mas e dai? foi bom pra caralho!

E assim foi a festa de final de ano. Rendável, divertida e com muito sexo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *