Eu acredito na moral…

MAS… E se largássemos o pudor, as vergonhas, os nomes, os títulos, os sobrenomes. Largássemos tudo.  Nos sobraria a sexualidade. A sensualidade. Prezamos pelos sentimentos mas nos esquecemos dele na hora de morrer. Considerando as variáveis somos cínicos. Mentirosos. Juramos acreditar no amor,  mas esquecemos dele quando o assunto é sexo. Aí transformam a maneira mais animal de tocar, se sentir, se viver Leia mais… »