Entrei e puxei a cueca dele…

PACIENTE 240120.2

Foi dia dos namorados e meu tesão estava lá em cima. Logo cedo acordei e fiz café para o meu marido. Levei na cama e acordei o safado. Eu fui preparada e estava só com uma camisa, como ele adora. Acordei ele e tomamos café. Falei que ele ia chegar mais tarde no escritório e tirei a bandeja, apaguei a luz e fui para a cama. Meio escuro, tirei minha camisa e ele conseguia enxergar meu corpo moreno de 1,67m, 60 quilos, peitos belos e duros com biquinhos igual pedra, e minha xana bem capozuda, lisinha, já molhada e querendo sexo, muito sexo. Fui para baixo do edredom.

Entrei e puxei a cueca dele, tirei inteira e seu duro como sempre, aquele pinto bonito que ele tem, no tamanho que eu adoro, não é gigante, é grande e gostoso, grosso e quente. Mamei com gosto, acariciei as bolas e chupei elas também. Ele gemia e se contorcia, fui subindo e passei a cabeça daquela rola nos biquinhos dos meus peitos, então olhei para ele, beijei a boca e peguei naquele pau delicioso, com a mão encaixei ele na minha bucetona, só a cabecinha e comecei a devorar, engoli inteiro e senti ele quente, muito duro.

Fiz com calma, com amor, com tesão, apoiei minhas mãos na cabeceira da cama e meus ficaram prontos para serem chupados. Ele fez, gostoso, com calma, sua língua quente acariciava os biquinhos, e depois mamou feito uma criança com fome. Eu fiquei paradinha, com aquela rola toda dentro de mim, sentindo as bolas na entradinha e ele mamando. Sem me mexer, senti o tesão vindo forte e um gozo. Ele mamando, segurando minha bunda, apertando, me fez gozar, forte, senti escorrer. Ele gemeu com a minha buceta pulsando.

Me chamou de deliciosa, linda, gostosa, e vadia. Quando escutei vadia, pensei: vou ser agora. Ele adora que falo meus desejos, e comecei a cavalgar gostoso. Ele me segurando pela cintura me chamava de safada, sem vergonha, deliciosa e maravilhosa, e o que eu quisesse ele dava. Pensei no rapazinho que tive um caso, trepando com ele, e comecei a falar, chamar seu nome, disse que queria muito dar pra ele, e meu marido disse que eu podia, quando quisesse, lembrando dele gozei novamente.

Não conseguia parar de sentir aquela rola em mim, gostosa, e chamava por ele, me levantei sobre meu marido e cavalgando, segurando meus peitos, imaginando aquele garoto me fodendo, com força, com vontade, me admirando, gozei e eu marido disse que ia gozar também, fiz ele gozar, me encher de porra, sugava seu pau com a minha buceta lavada de gozo meu e dele. Ele gemia forte, me abraçou e me beijou, só com o beijo quase me fez gozar de novo.

Me levantei, o pau estava muito duro ainda, e comecei a chupá-lo, sentido o gosto de toda aquela porra, minha e dele, eu mamei e punhetei, sem parar e ele disse que ia gozar de novo, eu mamei, sem deixar cair uma gota, chupei gostoso. Me levantei e mandei ele ir tomar banho e trabalhar que à noite teria mais.

Ele apenas me disse que eu era gostosa demais e me queria sempre assim, mesmo pensando em outro. Eu disse que pensei, mas queria mesmo era dar para o meu marido, sei que ele gosta quando faço isso, quando mostro tesão por outro e transo com ele.

Também gostei muito de trepar com aquele garoto, mas estou possuída pelo desejo de dar para o meu homem, meu macho, que me dá tudo que quero e ele eu não posso perder. Os outros são os outros e quando quiser posso tê-los também, mas por enquanto é esse meu homão da porra que quero, e meti muito mais à noite com ele, depois eu eu lhe conto Dr.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *