Mês: março 2018

OUTONO…

Resultado de imagem para OUTONO GIFTempo de outono no Brasil…

Os pássaros fazem uma barulhada infernal. É tempo de fazer amor, tempo de ser feliz e aproveitar a luz e o calor. Penso e sinto todo este clima e decido escrever uma crônica sobre o amor.

O amor é como o vento… tem horas que sopra forte, sem parar… tem horas que sopra fraco e quase não sentimos que está ali… tem horas que para de soprar e pensamos que não existe.

E como o vento, o amor é cheio de carícias, fortes e fracas, suaves e continuadas, fáceis de perceber e sentir ou impossíveis de se acreditar.

“Vamos voar juntos”, parece nos dizer às vezes, nos convidando a abandonar tudo e sair vendo um mundo novo, embalado pela sua presença e sua força. Como o amor, o vento traz carícias para o coração, um simples toque seu pode criar sons, estranhos como o do “mandalei” ou fortes como a batida repetida de nosso coração.

Até a felicidade vem com o vento do amor, chega inesperada e parte de repente, e vai e volta. E, assim, numa ciranda sem fim, nos acompanha por toda a vida. E nos encanta quando a tristeza está muito grande, e nos enche de risos e ruídos quando está presente.

Amantes têm de ser companheiros do vento, caminhar por seus caminhos e não ter medo de se perder, por aqui ou por ali, procurando sempre a luz e a flor, o mar e a natureza, a beleza.

Como o vento, o amor deixa recados: – Você é minha alegria e meu sofrimento.

Não tente nada explicar. Apenas goste de mim.

Vamos juntos, não importa para onde nem como. Vamos, simplesmente, juntos pelos caminhos do vento e, quando chegarmos ao fim, as nossas lembranças vão acariciar nosso coração e jamais seremos sozinhos.

Seremos simples passageiros do amor.

 

 

FOTOS DOS E-MAILS RECEBIDOS DESTA SEMANA….

Em uma pausada em Natal.

As margens do rio Guaporé em Mato Grosso.

Em sua casa de Recife.

Em seu sitio de São Paulo.

Em sua casa na Barra da Tijuca.

Em sua casa Gdansk, Polonia

Num sitio em Rio das Ostras…

Em sua residencia em Jataí Goias

Em sua casa em Brasilia

Em um sitio em Abaetetuba, Para

Em sua casa de Floripa.

Em sua casa de praia, Iguabinha.

Em sua casa no Recreio dos Bandeirantes.

Em sua lancha em Itaipuaçu , Marica.

Em seu sitio em Rio Bonito.

Em sua casa em Nova York

Em sua lancha na baia da Guanabara.

Em seu sito em Araruama.

Em uma trilha em Bonito

Em sua casa na Tijuca.

Em seu sitio Buzius

Em sua casa na Barra

Em sua casa em Aracruz

Em seu sitio em João Pessoa

Em sua lancha no rio Tocantins.

Em sua casa em Niterói.

Em sua casa Utica

Em sua casa em Curitiba

Na praia em Itacoatiara.

Num bar em Teresópolis.

Em sua casa em São Gonçalo

Em sua casa em Ithaca

Em seu banheiro em Niterói.

Em seu sitio em Elmira.

 

Como terminar um relacionamento….

Resultado de imagem para fim de relacionamento gifEncontrar a pessoa certa para compartilhar a vida é sonho de todos, ousaria dizer. Mas, por outro lado, permanecer num relacionamento que não faz mais sentido é viver o inferno na Terra.

Pior é quando vamos sobrevivendo numa relação indesejada por não ter coragem para tomar as atitudes necessárias e encerrar o caso de vez. Começamos a pensar em todas as consequências: a família do parceiro, os sonhos compartilhados, a rotina que já está enraizada, a solidão, o cachorro que compramos junto com o companheiro… Ah, dá menos trabalho deixar como está.

Só que fazer essa opção é declarar-se prisioneira de uma realidade que vai consumindo a felicidade progressivamente – e, então, passamos a lembrar da vida de solteiro como uma situação inalcançável.

Mas, por favor, senhoras, precisa ser assim? Claro que não! Só é preciso tomar a iniciativa para fazer o que precisa ser feito. Porque se o desejo de terminar é somente seu, ele não vai agir nesse sentido.

Só que também não podemos fazer isso de qualquer jeito, ou correremos grande riscos de agir como uma canalha desalmada. O ideal é agir como uma linda mulher, assumindo os sentimentos e vontades, e expondo-os com coragem.

Então separei algumas dicas para te encorajar a colocar um fim no seu relacionamento caso você esteja decidida de que isso será o melhor para você.

1# Seja absolutamente clara
Algumas pessoas dizem que o melhor a se fazer num término de relacionamento é ir se afastando aos poucos e tomar algumas atitudes que acostumem a pessoa com a sua ausência. Mas não concordo com isso! O parceiro não vai deixar de gostar de você se receber menos atenção. Talvez o resultado seja mesmo o oposto: ele vai te querer mais ainda.

O melhor é ser absolutamente clara sobre suas intenções. Sente, converse com ele, explicando o que sente e seus motivos, e não deixe dúvidas de que o que você quer é terminar. E não se esqueça de usar essa palavra: terminar. Nada de tentar amenizar o impacto com termos mais sutis. Isso pode causar um mal-entendido que só vai trazer dor de cabeça. Seja digna, seja claro.

2# Seja tão honesta quanto for necessário
Na hora de conversar com o companheiro você precisa ser clara, como dissemos. Pense: se ele não gostasse mais de você, o que você preferiria, que vivesse te enganando ou que falasse a real? Por mais que doa, queremos saber a real. Então aja assim com ele também.

Só que é preciso ter sensibilidade nesse momento para ser honesta somente o quanto for necessário. A nossa sinceridade tem que servir para não deixar equívocos quanto nossas intenções, mas não para expor coisas que vão machucar o parceiro sem trazer utilidade alguma. Nem tudo precisa ser dito – só o que for preciso.

3# Não assuma responsabilidade pelos sentimentos dele
Ele te ama, né? Só de imaginar ficar sem sua companhia seus olhos já marejam e parece que ele perde a vontade de viver. Mas não pense, por isso, que a responsabilidade da felicidade do parceiro está em suas mãos. E se estiver, acredite, a melhor coisa a fazer é cortar essa ilusão.

É claro que você não irá ignorar os sentimentos dele e atropelá-los de qualquer maneira. Mas você não pode se prender numa situação mentirosa por conta de ele gostar demais de ti. Quanto tempo vai durar essa mentira?

Se você não quer mais ficar na relação, o melhor que pode fazer a si e a ele é terminar sem enrolação. Ninguém quer ser alvo de dó. Ele vivia bem antes de você – muito possível que continue vivendo depois.

4# Nada de clichês
Cuidado, senhoras: os clichês são tentadores. Essas frases feitas tipo “não é você, sou eu”, “é só um tempo” e outras, nos dão a impressão de colocar panos quentes na situação. Ficamos tão nervosos diante desse cenário que procuramos qualquer coisa que possa tornar o momento menos tenso – e essas frases parecem perfeitas.

Mas não caiam nessa! Essas são as piores escolhas que podemos fazer. Segure a bronca da angústia de preferência quieta, caso não tenha nada para dizer. O não dito é muito melhor do que o mal dito.

5# Momento e lugar ideal?
Existe um momento e um lugar certo para terminar um namoro? Não acreditamos nisso! Mas o bom senso precisa ser utilizado. Não se deve escolher um lugar em público ou no meio de pessoas conhecidas. E o término também não deve acontecer quando não há muito tempo para se conversar ou quando o parceiro precisa estar em boas condições emocionais alguns minutos depois (tipo num intervalo do trabalho).

Escolha um momento tranquilo, que não haja compromissos por perto e que esteja apenas vocês dois e pronto. Sem segredos.

Quanto ao “momento de vida”, aí a questão é um pouco diferente. Às vezes seu parceiro está, por exemplo, passando por um instante difícil, com algum familiar profundamente doente e você acha que não é a hora certa para um fim de namoro. Tudo bem – não há regras dizendo se é certo ou não fazer isso. Nesses casos, o que vai indicar o melhor caminho é sua sensibilidade.

6# Termine o lance pessoalmente
Gostaria de não ter que mencionar esse ponto, mas, na dúvida, fica só para fins de registro: não termine por bilhete, pele telefone ou, pior ainda, pelo WhatsApp jamais.

Está esperando o quê?

Envie suas fotos de rosto e corpo para nosso e-mail (contato@hunsaker.com.br) e mostre que você chegou para revolucionar a mente masculina!

Juntamente com as imagens, envie também uma breve apresentação informando a sua idade, a cidade onde mora, um telefone para contato e outras informações que você acredita serem relevantes.

Caso já tenha enviado outras fotos, por favor inclua estes dados também no e-mail.

PACIENTE 180327-05

Bem meu primo veio passar uns dias aqui em casas .

Quando foi sexta feira meus pais saíram e disse ao meu primo para dormir no quarto deles e ele foi pra la . 
Depois que eles sairão eu estava dormindo quando o meu primo me acordou e dissê :
– ouvi um barulho na cozinha , la em baixo , vc  feichou o portão Raissa
-não o papai disse que vc iria fechar ue .
Nos ficamos com medo mas fomos mesmo assim . Quando chegamos la vimos que só era um gato (eu só estava de calcinha e sutien) fechamos o portão e ele me olhou subimos a escada e quando chegamos na frente do meu quarto ele não aguentou e me agarrou eu já tava toda molhadinha minha xana estava ardendo de tanto tesão ele tirou meu sutien e chupou meus mamilos sem do eu estava gemendo alta e ele colocou a mão na minha boca , depois ele enfiou o dedo na minha xaninha e depois me jogou na cama e tirou o pau pra fora e disse :
– vem ca sua putinha , to louco de tesão por você.
– vem enfia no meu cu sem do .
Ele socou no meu cu com força e não parava depois de me encher de porra tomamos banho e fomos dormir .

PACIENTE 180327-4

Eu moro perto de uma oficina onde trabalha o Mauro que é um gato e o Anderson um cara bonito de corpo mas uma cicatriz no rosto o deixa feio deformado um dia levei o carro lá na oficina e fiquei dando em cima do Mauro que não me dá bola porque não sou gata mas o Anderson ficava me secando,não gosto dele e ele sabe disso como não deu em nada minhas investidas fui embora. Dias depois fui na oficina pagar o concerto esperando ver meu gato entrei e quase cai de costa, o Anderson estava fodendo uma morena muito linda ela estava em pé curvada em cima de uma mesa com os olhos tapado e um fones de ouvidos e devia estar tocando alguma coisa porque ela estava alheia ao que estava acontecendo em volta só era prazer para ela ele dava tapas em sua bunda que era uma bunda grande e lisa e metia com forca, eu incapaz de me mover fiquei ali olhando. Num dado momento ele a virou de frente e a deitou na mesa abriu suas pernas e começou a chupa-la com muita fúria, ela só gemia enquanto ele beliscava os bicos dos seios dela. Quando se levantou ele olhou bem nos meus olhos e a penetrou com muita força que ela soltou um berro eu dei um pulo e sai correndo fui pra casa quando entrei parecia que tinha visto um fantasma corri pro banheiro e tirei minha roupa e enfiei o cabo da escova de cabelo na minha buceta que já escorria de tanto tesão, em segundos eu gozei e cai no chão do banheiro depois disso comecei a ver o Anderson com outros olhos …

PACIENTE 180327-3

 Eu tenho 22 anos e meu sogro tem 50, coroa super em forma, corpo sarado, cabelos grisalhos, alto, e um rosto tão lindo que parece um galã de novela. Há um ano e meio eu comecei namorar o filho dele, o Léo, 23 anos, todo gatinho. Mas desde muito nova, sempre tive atração por homens mais velhos, perdi minha virgindade com 15 anos com o marido da minha tia, que tinha 42 na época. Fui amante desse meu tio até os 16. Com 17 eu transava com um cara casado que tinha 45, ele me dava de tudo, ficamos 2 anos juntos. Pois bem, desde que comecei namorar meu atual namorado, assim que conheci o pai dele, eu tremi dos pés a cabeça, não consegui mais parar de pensar naquele homem me comendo, batia muitas ciriricas pensando nele. Comecei bolar um jeito de tirar pelo menos uma casquinha do sogrão. Um belo sábado, minha sogrinha Bia viajou pro interior pra visitar uma tia que estava muito doente, ficamos eu meu namorado, um amigo do meu namorado com a namorada e meu sogro. Ficamos na piscina o dia todo, meu sogro fez churrasco e serviu umas bebidas. Aproveitei que ele tava bem soltinho e comecei um joguinho de olhares, ele logo percebeu qual era a minha e começou corresponder. Eu não sou boba e sempre notei o jeito que ele me olhava desde que me conheceu, e também fiquei sabendo da fama de mulherengo que ele tinha, minha sogrinha tinha mais chifres que uma boiada. Lá pelas 5 da tarde já estavam todos de pilequinho, teve uma hora que fui na cozinha pegar umas cervejas e meu sogro veio atrás pra ajudar, eu já tava com a buceta molhada de tesão, quando peguei as latas na geladeira, meu sogro chegou por trás e me deu um abraço, na hora eu gelei quando senti a pica dura roçando em mim por trás, mas safada que sou, relaxei e deixei ele me agarrar ali mesmo, me virei e tasquei um beijo de língua naquela boca gostosa. Ele começou passar as mãos na minha bunda, e eu fui logo segurando o cacete duro, que já pulssava de tesão, tirei pra fora do calção e punhetei, ele chupou o biquinho dos meus peitos, e enfiou o dedo na minha buceta, foi tudo muito rápido, voltamos pra piscina como se nada tivesse ocorrido. Mais tarde quando os amigos foram embora, meu namorado deitou na rede e dormiu pesado. Eu tava deitada no sofá da varanda quando vi meu sogro em pé na porta fazendo um sinal, levantei e fui atrás, ele me levou direto pro quarto e foi logo me pegando, isso sim era uma pegada de homem de verdade, me jogou na cama, abriu minhas pernas e caiu de boca na minha racha, chupou tão gostoso que eu gozei na boca dele, depois ele me beijou e eu pude sentir o gosto do meu gozo. Ele me disse: Como uma mulher como você, pode tá namorando o crianção do meu filho ? Você merece um homem de verdade. Respondi: Também acho, e esse homem é você. Nessa hora eu segurei firme o cacete duro, que aliás é um espetáculo de cassete, grande, grosso e roliço, com a cabeça grossa e vermelha, uma delícia, enfiei na boca e mamei até senti os jatos de porra na garganta. Meu sogro me colocou de quatro e ainda com a pica dura enfiou tudo na minha xana e bombou gostoso, nunca tinha visto um homem gozar, e ainda continuar de pau duro, ele me comeu de todas as formas e posições. Sentei e cavalguei muito gostoso naquela rola, gozei várias vezês no seu pau enquanto meu namoradinho roncava na rede da varanda. Meu sogro ainda botou no meu cuzinho e gozou enchendo meu rabo de leite. Depois disso, tomei um banho e chamei meu namorado pra dormir na cama. Dormimos abraçadinhos, ele nem imaginava que minha buceta e meu cú estavam bem fodidos pelo seu pai. Na segunda-feira meu sogro me ligou cedinho, doido pra me comer novamente, ele saiu mais cedo do trabalho e me pegou na faculdade, fomos pra um motel, e transamos a tarde inteira. Desse dia em diante viramos amantes, sempre que dá, vamos pra um motel e fudemos gostoso. Meu namorado nem sonha que eu dou pro pai dele, e muito menos minha sogra. Vamos levando nossa loucura até ver onde vai dar.

PACIENTE 180327-2

Sou casada a 18 anos, tenho uma filha de 16. Certo dia quando eu estava vindo do trabalho, fui abordada por um homem negro, bem forte e alto, ele me mostrou uma faca e me obrigou entrar em um carro que estava parado na rua ao lado, tremi de medo e pavor mas entrei no carro onde já estava outro homem ao volante. Eles disseram que se eu gritasse, me matariam. O outro homem era moreno claro, e pude notar que assim como o negro, era muito forte também. Eles me levaram pra uma casa no meio do mato, e me obrigaram tirar a roupa, na hora fiquei desesperada, mas obedeci por medo de morrer. Eles também ficaram nus, e seus cacetes já estavam duros como pedra, fiquei nervosa e assustada quando notei o tamanho dos paus, só tinha visto algo parecido em filmes pornô. Logo eles me colocaram de joelhos e me fizeram chupar seus cacetes, eu chupei primeiro o negro, a cabeça do pau era tão grossa que mal cabia na minha boca, e ele forçava pra entrar o máximo, me fazendo quase vomitar. Depois foi a vez do moreno, o pau era enorme mas a cabeça era menos avantajada, facilitando um pouco a chupada, eu chupava um e o outro revezando os cacetes na boca. Nunca pensei que isso um dia fosse acontecer comigo, mas aos poucos o pavor que eu sentia, foi se transformando numa sensação de prazer e aventura. Minha xota estava ficando molhada com aquela situação. O negro me deitou na cama com as pernas abertas e chupou minha buceta com tesão, fazia anos que meu marido não fazia nada parecido, senti um calor subir pelo meu corpo e gozei na língua do negão safado. O moreno viu a cena batendo uma punheta. Quando dei por mim, já estava sendo arrombada pelo cacete do moreno enquanto o negão esfregava o pauzão na minha boca pedindo pra eu mamar. Fazia tempo que eu não sentia tanto tesão, a essa altura eu já estava entregue aqueles dois machos desconhecidos. Eles me fudiam com força, e eu gemia feito uma puta na vara dos dois que se revezavam o tempo todo. Dei minha buceta de quatro pro negro, e gozei gostoso com a picona entrando e saindo enquanto mamava a rola do moreno. O negro não segurou e encheu minha buceta de porra, era tanta que escorria pelas minhas coxas, nunca vi tanta porra assim. O moreno enfiou o pau no meu cú, e eu dei um grito de dor e prazer quando entrou tudo, aos poucos fui relaxando e meu cuzinho logo se acostumou. Rebolei gostoso com vara atolada no meu rabo, depois ele deitou e pediu pra eu sentar em cima, obedeci e deixei o pau entrar até o talo enquanto eu cavalgava gostoso naquela tora. Logo ele não aguentou e também gozou feito um animal, deixando meu buraquinho cheio de leite. Nessa altura eu já tinha gozado umas 4 vezês pelo menos. Depois disso eles me pediram pra me vestir e me levaram de volta pro meu bairro. Cheguei em casa meu marido e minha filha estavam me esperando preocupados. Inventei uma estória e nunca revelei a verdade do que se passou aquela tarde. Nunca mais vi os dois safados que me comeram e me deram o maior prazer que já senti na vida. Até hoje quando trepo com meu marido, eu fecho os olhos e imagino sendo comida por eles. Só assim consigo gozar. 

PACIENTE 18327-1

Meu marido na primeira vez que transamos rompeu o hímen sem paciência alguma. Doeu e sangrou horrores por que ele apontou para a entrada da vagina e soltou o peso dele todo sobre mim de uma só vez. Chorei e ele pediu desculpas dizendo que foi sem querer, que havia se desequilibrado. Só que quando ele estava prestes a gozar me colocou de 4 e me segurou pelos pulsos com meus braços pra trás e literalmente me arrombou. Ele como é forte e grande segurou minhas mãos com uma só mão dele é com a outra colocou penetrou minha vagina bem fundo de novo e só parou quando eu comecei a gritar de dor daí ele fez uma pausa e disse que ia fazer mais devagar, que era assim mesmo. Daí colocou dentro e ficou parado me beijando nas costas, orelhas e pescoço. Comecei a sentir carinho e ele tirou o pênis da vagina e meteu em meu ku dó. Socou de uma vez só. Se na vagina tinha doido tanto, no ku doeu umas mil vezes mais. Gritei e chorei muito. E ele socando e dizendo pra eu calar a boca se não os vizinhos iriam rir de mim de manhã. Tentei me conter e ele disse que seria rápido, meteu bem forte e fundo e esporrou. Confesso que já tinha visto uns filmes, mas nunca vi tanta porra sair de um pau, ele gozou na minha boca e disse que era pra eu engolir pois mulher casada faz tudo isso.Engoli o máximo possível com muito nojo, mas fiz.
Amanheci muito machucada, mal consegui andar por uma semana. Tive até hematomas pelo corpo. Os vizinhos cochicham quando passo na rua, sinto vergonha. Ouvi um falar pra meu marido que a festa tinha sido boa. Meu marido respondeu que com ele a coisa é bruta mesmo e sorriu. Minha mãe perguntou como foi a primeira vez e eu contei. Ela disse que é assim mesmo. E que devo fazer tudo que ele pedir e do jeito que ele quiser mas eu não acho que seja certo. Minhas amigas sempre me contaram coisas diferentes sobre a primeira vez delas. Se eu soubesse que era assim não teria me casado. Tem seis meses que casei e ele continua fazendo sexo assim comigo. Mostrei um filme pra ele e ele disse que não sente prazer em fazer como nos filmes e novelas, que gosta de sexo selvagem e que eu sou esposa e devo me acostumar. OM o jeito que ele faz. Mas sempre sinto dor de um jeito ou de outro. Ele diz que é por que minha vagina era virgem, sem costume com sexo e que quando eu tiver filhos ela vai abrir um pouco mais. Será????
Fui criada em família tradicional conservadora, quase me tornei uma freira. Mas conheci ele e resolvi casar. 
Sexo entre casais é assim mesmo??? Ele diz que o que vejo nos filmes é só pra vender. Que não é daquele jeito. Que mulher é obrigada a satisfazer a vontade do homem mesmo que ela sofra pra isso ela sofra dor.

FOTOS RECEBIDAS ESTE FINAL DE SEMANA…

Vamos tornar o dia mais leve com uma brincadeira bem gostosa?

Quem aí sabe de quem é esse seio maravilhoso?

 

Estrategicamente posicionado penteada…

Apaixonada pela vizinhança…

Tudo bem que entramos no outono mas….

Estão vacinadas ??????

Adoro Buzius….

Praia das Flechas.. final da tarde….

Colocando ou tirando ??????

Charme, é o charme !

Nossa….

Lindíssima…..

O biquinho é beijo ou choro ?????

Perfeita, a depilação ….

SUGESTÃO DO DIA…

Resultado de imagem para VINHO BRANCO

MINHA SUGESTÃO…

O vinho branco é uma absoluta delícia que, em geral, ocupa um patamar mais baixo do que o tinto na rotina de grandes apreciadores. É identificado como um vinho mais fresco, etéreo e de gastronomia mais relacionada com o mar. Geralmente, os vinhos brancos são produzidos a partir de uvas brancas, embora espumantes importantes também sejam feitos com a prensa de uvas tintas.

É uma boa preliminar para uma conquista e/ou uma noite maravilhosa…

A grande maioria dos homens…

Resultado de imagem para prostituição gif

“A grande maioria dos homens no nível cultural presente nunca avança além do significado maternal da mulher e esta é a razão pela qual a alma raramente nele se desenvolve além do nível infantil, primitivo da prostituta. Como consequência, a prostituição é um dos principais produtos do casamento civilizado.”

AS SANTAS E SUA HISTÓRIA…

 

“A grande obsessão da maioria dos homens continua a ser a liberdade das mulheres: já não se trata de queimar uma boa parte delas, como no tempo das bruxas, mas a lei, uma vez que o Estado tem condições de, em nome da sua soberania, promulgá-la e fazê-la aplicar, é um meio que permite refrear a autonomia de todas as mulheres. Impedidas de ser um poder real, perdem esse outro poder que em tempo de incerteza sobre a sua identidade os homens lhes tinham imaginado: as bruxas podem desaparecer. A vassoura que outrora lhes servia para fugir do lar será doravante usada pelas mulheres… para varrer, reencontrada uma serventia que nunca devia ter perdido (segundo alguns)…”

PACIENTE 1821.2

Olá,me chamo tal .Estou aqui pra contar um sonho erótico agora realizado todos os dias.Comecei minha vida sexual,perdi a virgindade com um cara  na epóca,não foi lá uma coisa muito prazerosa,mesmo eu não sentindo muito prazer eu sempre transava pra chegar ao orgasmo,eu não conseguia,mais sempre tentando.Até que um dia percebi que uma cara me perseguia sempre com olhares,e aquilo me perturbava ele me comendo com os olhos.E cada vez ele chegava mais perto de mim,sempre estava no meio de minhas amizades.E o tempo foi passando e passando,até que um dia eu disse que nunca ficaria com ele,pois eu não gostava dele me perseguindo.Até que viramos amigos e quanto mais próxima dele eu ficava mais eu via o quanto ele era legal e que minha opinião começava a mudar a seu respeito.Ele um homem maduro,pegador,gostoso e tão simpático,foi me conquistando cada vez mais,então eu percebi que crescia um desejo em mim por ele,mais até então eu não tinha nem o beijado.Então comecei a frequentar o lugar que ele mais frequentava,um bar que ele passava mais tempo,e o desejo por ele só aumentava,até que um belo dia nos encontramos no fundo do bar e eu o beijei,então nos pegamos,e no auge do tesão ele me jogou contra a parede,eu adorei..Ficamos só nisso.No dia seguinte eu disse a ele hoje é minha vez e o joguei na parede e o beijei.E eu estava cada vez mais convencida que queria dar pra ele,estava louca pra sentir aquele caralho que fica duro só de pegar na mão dele, e sentia que ele tbem me desejava.Eu então num belo dia o convidei pra transarmos e ele topo sem pensar,eu disse:eu quero,mais tem que ser no seu quarto e as oito horas.E ele,então tá.Eu me atrasei como sempre,cheguei lá a mãe dele estava na sala jogando cartas,ele deu um jeito e me botou pra dentro me escondendo atras de um cobertor.Dentro do quarto com um homem que eu tanto desejava mais não dava o braço a torcer nunca,eu só imaginava ele me chupando e enfiado seu pau na minha bucetinha. Então começamos a nós beijar e tirar a roupa,eu estava com muita presa porque tinha deixado lá em casa minha amiga e um amigo me esperando.Então,já estávamos nus e nada de ele me penetrar e só ficava me provocando e passando seu pau na minha bucetinha, aquilo me deixava doida porque eu queria que ele metesse em mim logo e ele só me exitando cada vez mais.Até que enfim ele me penetrou um pouco contrariado porqe não queria que fosse tão rápido,ele queria mais é curtir o momento.E então,aconteceu muita coisa depois disso,ficamos tempos sem nos ver,fugimos pra Curitiba,mais não deu certo,eu não tinha certeza do que eu queria.Depois de uns dois anos,passamos a ficar muitas vezes,até que então,percebi que está apaixonada por ele. Eu já não conseguia mais dormir longe,sem sentir o calor do seu corpo quente colado no meu.Nem sempre transamos,por que eu quase não tinha vontade,mais se dependesse dele fazíamos toda hora,porque a fama de tarado que ele tem não é a toa.Passamos por altos e baixos terminávamos, voltávamos, mas sempre as escondidas.E começamos atrancar mais e mais vezes,e comecei a gostar mais,de sentir mais tesão,graças a ele que sempre me fez mulher.Passado seis meses nessa,resolvi abandonar tudo e fugir com ele pra capital novamente,mais dessa vez pra morarmos juntos,construirmos uma vida nova e cheia de muito sexo e liberdade.E hoje estamos morando juntos,e eu estou cada vez mais tarada e completa por esse homem que sabe me fazer mulher como nenhum outro fez,eu estou descobrindo meu corpo,eu me masturbo praticamente toda hora quando estou sozinha em casa,é a melhor sensação do mundo,não que eu precise,porque eu tenha uma pica deliciosa que me satisfaz a hora que eu quero,mais é sempre bom se deliciar sozinha não é? Agora eu só penso em transar com meu amor, gozo sempre vivo o dia todo em sites pornos me masturbando e quanto mais a gente transa mais vontade eu sinto,acho até que fiquei mais tarada que ele..rsrsr e eu estou adorando isso.

Agora eu quero transar com dois homens ele e mais um,já que minha primeira fantasia sexual ele me ajudou a realizar, transamos eu, minha melhor amiga e meu amorzão, foi muito exitante ver ele trepando com outra na minha frente, foi uma experiencia inesquecível. E cada vez mais quero realizar junto com esse homem que adoro transar,e que me incentiva a dar pra ele cada vez mais e mais,e hoje vejo que sem ele eu já não vivo,não só pelo sexo que é uma delicia,mais tbem porque eu o amo tanto e quero que juntos aprenderemos coisas novas. 

PACIENTE 1821.1

Sou uma mulher casada, linda, muito gostosa e louca para fuder. 
Infelizmente, meu marido fica muito longe de mim, pois tem que viajar muito, chega ficar 15 dias longe, deixando-me louca, tarada para fuder. Não aguento ficar sem uma foda gostosa, com muitos beijos, chupadas e um pau bem duro e grande dentro de minha bucetinha insaciável. 
Adoro fuder e isto me deixa louca, quando não tenho um pau para me satisfazer.
Já fazia 10 dias que estava solteira e por azar meu aparelho de gás entrou em pane e não dava para tomar banho frio. Fui obrigada a chamar um técnico especializado. Marcaram para às 14 horas. Logo pensei, de repente vem algum cara legal, bonitão e quem sabe não consiga seduzi-lo, já que estaremos sozinhos, sem ninguém para atrapalhar.
Fiquei na torcida de que viesse alguém que me deixasse interessada, pois dele por mim não precisava nem imaginar, sabendo que sou muito gostosa, bastaria alguma insinuação e logo estaria nos meus braços. Disso tinha certeza, pois conheço os homens e os que me passam cantadas e palavras de elogios quando saio na rua, davam-me a certeza de que o levaria para cama, caso me interessasse.
Na dúvida resolvi me vestir bem provocante com um vestidinho bem curto e colante, sem soutien e sem calcinha. Fiz para arrasar. Caso viesse algum que me interessasse, o pegaria sem muito esforço, pois sei que ninguém resiste a uma mulher gostosa, ainda mais oferecendo-se. Agora, se vier um que não gosto, mantenho-me na minha.
Tocou o interfone e a portaria informou que estava lá embaixo o Karl, para conserto do aparelho de gás. Disse que estava autorizado subir.
Logo tocou a campainha. Corri para abrir e para minha alegria e felicidade eis que vejo um belo rapaz, forte, cheio de músculos e bem arrumado. Quando abri a porta, logo me olhou de cima abaixo, com os olhos brilhantes.
– Boa tarde, sou o Karl. Vim para consertar seu aparelho.
– Olá, tudo bem? Entra! Que bom que vieste, pois não aguento tomar banho frio. Venha, vou lhe mostrar onde fica.
Fui na frente, mostrando-lhe todo o meu corpinho de mulher gostosa, dentro daquele vestido bem colante, de lycra. Senti seus olhos cravados em minha bundinha redonda e firme. Tinha certeza de que o agradei muito!
Logo abriu o aparelho e já foi vendo o que estava errado. Em 10 minutos tudo estava consertado, sem muito esforço.
– Pronto tudo certo! Vamos até o banheiro testar? Falou, novamente olhando-me de cima abaixo e detendo-se em meus seios de guriazinha. Meus seios são pequeninos, duas conchinhas bem firme e com os biquinhos bem pontudos, parecendo que queriam furar o tecido de meu vestido. Karl sentiu que aquilo era sinal de que estava excitada.
– Vamos. Venha por aqui! Sai novamente em sua frente, rebolando minhas carnes gostosas, para provocá-lo.
Testamos e tudo estava bem. Pediu-me licença para lavar suas mãos na pia.
– Bonito esse seu quarto! Permita-me dizer-te algo que sei irás gostar: és uma mulher muito mais linda!
– Obrigada. Bondade sua! Falei com meu ego lá encima. 
– Não é não! Você parece uma menininha muito linda e com um corpo de parar o trânsito.
Diante de minha aceitação do elogio, Karl caminhou para meu lado, abraçou-me e colou sua boca na minha, num beijo louco de desejos. Senti seu pau duro enfiar-se no meio de minhas pernas, amassando minha bucetinha que já estava molhadinha, tamanha era minha excitação por estar ali, sozinha com aquele jovem.
– O que é isto? Largue-me, que confiança são essas? Gritei com ele.
Karl não deu a mínima para minhas reclamações. Continuou tentando me beijar e passar as mãos em meu corpo. Tentei simular uma resistência para que não achasse tudo fácil, mas minha bucetinha me ordenava que aceitasse sua investida. 
Quando sentiu que estava nuazinha por baixo do vestido, enfiou-se com mais força contra minha bucetinha e sua língua entrou em minha boca como se fosse uma cobra se contorcendo. Aquilo me deixou louca de desejos. Ainda tentei uma última reação.
– Pare, sou uma mulher casada!!! Você não pode fazer isso comigo! Não… Não quero… sou casada!
– Pois adoro beijar e acariciar mulher casada, principalmente quando é tão linda e gostosa como você! Desde a hora que te vi lá na porta que meu sangue está correndo forte em minhas veias. Você me deixou louco para te acariciar e te fazer aquilo que sei estás louquinha que faça, do contrário não iria me esperar com esse vestido tão provocante, sem nada por baixo. SENTE MEU PAU COMO ESTÁ DURO E LOUCO PELA TUA BUCETINHA. Seus dedos passavam sobre meu clitóris, sentindo que estava molhadinha de desejos.
– Olha só, estás molhadinha, louca pelo meu pau férreo!! 
Dizendo isto, puxou meu vestido rápido por cima de minha cabeça, deixando-me nuazinha na sua frente. Imediatamente tirou sua camisa e sua calça, aparecendo totalmente nu, com seu pau enorme e grosso colado em sua barriga, de tão duro que estava. Meus olhos se arregalaram ao ver aquele pau duro, grosso e grande. 
– Nossa, como você é linda! Que corpinho gostoso! Olha só essa bucetinha lisinha, sem pelos, rechonchudinha e pequenina!!!! TE DESEJO LOUCAMENTE E VOU TE FUDER PARA APAGAR ESSE FOGARÉU QUE TENS NESSA BUCETINHA PEQUENINA!!! Sei que estás louquinha para fuder. Veja meu pau que grande que está! Sente como ele é duro igual a um osso!
Pegou minha mão e puxou-a para que o pegasse. Nossa, era grosso e duro como um ferro!
Karl me abraçou e colou seu corpo cheio de músculos, deixando-me louca.
– Ai Karl, não poderia fazer isto, mas realmente estou louquinha para fuder contigo. Estou há 10 dias sem meu marido e minha bucetinha está molhadinha de desejos, louca para sentir teus carinhos e esse pauzão gigante. Hoje quero sentir toda tua potência dentro de minha bucetinha! Quero que me faças gozar tudo o que uma mulher casada fantasia fazer com um jovem como você. 
Abraçou-me e colou seu pau no meio de minhas coxas, afundando meu clitóris. Quase gozei ao sentir aquela ponta dura amassando-o. De repente, pegou-me no colo e fez com que cruzasse as pernas em sua cintura, colando-me contra a parede. Seu pau férreo buscou minha bucetinha molhadinha, que estava toda aberta, pronta para recebê-lo, todinho!!!
Quando sentiu que sua glande encaixou em minha bucetinha pequenina, deu um empurrão forte e vi estrelas. Seu pau grosso e grande entrou todinho, até o fim, fazendo-me gritar de dor e de prazer.
– Ai meu homem! Que pau grande tu tens! Nossa como ele está duro!!! ME FODE!!! Estou louca para gozar contigo!
Seu pau começou a entrar e sair, num vai e vem fortíssimo, fazendo-me delirar de prazer. 
Quando entrava, seus 20 cm de nervos duríssimos iam para dentro de minha bucetinha até seu corpo colar em meu corpo. Nossa, que prazer gostoso estava me proporcionando!!!! Não aguentei e gozei igual a uma louca.
– Aiiii meu macho gostoso! Que prazer esse pau está me dando! Aiiiii meu homem, eu estou gozandooooo… mais amorzinho… enfia tudo, com força! Nossa, que duro que estás! Aiiiii, assimmm… aiiii que gozo louco estou sentindo! Nunca gozei assim, tão forte!
Colei minha buceta de encontro àquela tora e fiquei apertando-o com meu orgasmo sem fim. Meu líquido escorria de dentro de minha bucetinha, mostrando que meu gozo fora fortíssimo e muito gostoso! Karl não gozou e continuou duro e firme dentro de minha buceta molhadinha de gozo.
Quando parei de estremecer, jogou-me em cima da cama, deixando-me de bruços.
A visão de minha bundinha redondinha exposta para ele, fez com que viesse por cima de mim e começasse a beijar-me na nuca, arrancando-me arrepios de prazer. Ao mesmo tempo, tentava enfiar seu enorme pau na minha bucetinha que estava gostosa e louca de desejos por aquele pau duro. Karl não conseguia devido à posição que me encontrava. Estava deitada de bruços.
Tentei me desvencilhar dele, pois tinha medo que enfiasse em minha bundinha virgem. 
Com o movimento que fiz embaixo dele, minha bucetinha ficou exatamente colada na ponta de seu pau enorme. Quando sentiu-a quentinha e molhadinha, enfiou-se com força, fazendo seu pau desaparecer dentro dela. Delirei de prazer!
– Aiiiiiii… não… você não devia… aiiii… que pau gostoso… não queria… mas agora que está todinho lá dentro, quero que você me foda com toda a tua força e me faça gozar igual a uma puta! Estou louca por esse pau duro e grande! Desde o momento que te vi lá na porta, senti que seria tua, pois és um homem muito sexy e gostoso. Estava muito tempo sem meu marido. Minha bucetinha estava louca para sentir um pau jovem, louco, insaciável e duro para entrar todinho dentro dela e me fazer gozar como uma putinha. 
– Aiiiii Karl, que gostoso fuder assim, por trás! ME FODE! ENFIA TUDO MEU HOMEM GOSTOSO! AIIIII…. ASSSIIIMMM!!!! KARL, estou gozando…. aiiiii que coisa louca e maravilhosa! Meu marido não tem um pau assim,tão duro e grande como o teu… que pena!!! 
– Por isso quero que me fodas bem gostoso para que minha bucetinha apertadinha fique dilatada. Adorei teu pau férreo e grandão… ele me faz sentir um prazer muito forte dentro de mim!!! Aiiiiii, mais forte! Asssiiimmm… aaiiiiii que gostos!!! Agora meu homem… assim me fode forte! Aiiiii que delícia! Te adoro… estou gozando novamente!!!!!
Gozei como uma louca, aos gritos. Nunca havia sentido um gozo tão forte com meu marido, como havia sentido naquele instante!!!
– Ai Marcela, assim não vou aguentar! Aiiii… também vou gozar! Vou despejar toda minha porra dentro dessa bucetinha! Vou te inundar com meu gozo!!!! Aiiiiiii…. agora minha gostosa… sente como meu pau te deseja!
Senti seu pau engrossar, ficar mais duro e enfiar-se até o fundo, explodindo num gozo fortíssimo, enchendo minha buceta com um caudal de porra quente.
Devido ao gozo forte, caímos adormecidos. 
Depois de alguns minutos, resolvemos testar o chuveiro. 
Durante o banho nos beijávamos e nos acariciávamos como dois tarados. Logo estávamos super excitados. Seu pau estava duríssimo.
Fiquei de quatro e pedi que enfiasse sua tora por trás, bem fundo em minha bucetinha.
Karl veio e enfiou tudo, numa só estocada. Senti minha bucetinha dilatar novamente. Fudeu-me com uma velocidade incrível e logo o gozo começou a vir.
Quando sentiu que meus gritos de prazer aumentavam devido ao grande prazer que seu pau estava me proporcionando, retirou seu pau de minha buceta e, sem que esperasse essa sua atitude, enfiou aquele pau liso, molhadinho de meu gozo no meu cu virgem.
Dei um grito de dor, mais já era tarde! Já tinha entrado a metade… 
Karl continuou me acariciando com os dedos em cima de meu clitóris. De repente senti o gozo explodindo em meu cérebro e sem sentir mais nada, enfiei-me de encontro ao seu pau, recebendo toda aquela tora dentro de meu cu virgem.
Karl não aguentou e gozou dentro de meu cu, derramando um caudal de porra dentro dele. Gozou junto comigo. Seu pau estufou meu cuzinho que deixou de ser virgem e recebi toda sua porra quentinha. Logo começou a escorrer pelas minhas pernas.
Depois de nos recuperarmos, começamos a nos beijar embaixo do chuveiro. Parecia que já nos conhecíamos há muito tempo, tamanho era o carinho que cada proporcionava ao outro.
Lavamo-nos e voltamos para a cama. 
Ficamos abraçados, acariciando-nos. 

Éramos dois insaciáveis, de modo que não levou muito tempo e logo estávamos prontos para fuder novamente.
Karl veio por cima de mim, abri bem as pernas e seu pau entrou liso, todinho dentro de minha bucetinha apertadinha. 
Ficamos mais de 30 minutos fudendo e conversando, beijando-nos e agradecendo por termos a sorte de nos encontrarmos.
De repente, o gozo veio novamente, forte, suado e demorado. Dessa vez desmaiamos e dormimos uma hora e pouco.
Acordei antes e fiquei olhando para aquele jovem forte ao meu lado e comparei-o com o meu Toni. 
Coitadinho, perdia de longe. Mas mesmo assim o amo e não o trocaria por nada deste mundo. O Karl ficaria para saciar meu fogo, quando o Toni me deixava sozinha para fazer suas viagens de trabalho.
Adorei fuder com esse monumento, com esse pau férreo, grande e insaciável!
Como é bom fuder com alguém mais jovem! Eles nos deixam loucas e nos fazem gozar como umas taradas. São insaciáveis e estão sempre duros. Por tudo isso é que me considero uma mulher insaciável e louca para fuder!

FOTOS QUE NOS FORAM ENVIADAS…

LINDA… ADOREI SEUS ELOGIOS… CONTINUE LENDO E COMENTANDO

INTERESSANTE…

PORQUE NÃO TIROU TUDO ???

EU TAMBÉM GOSTO DE TOMAR BANHO DE CHUVA…

LINDOS OLHOS….

LINDA… MAS PROPAGANDA NÃO VALE….

CHARMOSÍSSIMA….

LINDA… É CLARO QUE LEIO SEUS E-MAIOS (tudos).

HUMM…

GOSTEI…

GOSTEI….

GOSTEI….

ACHEI LEGAL SE IDENTIFICAR….

UMA OBRA DE ARTE

LINDA…

INTERESSANTE….

 

AUDACIOSA….

 

PACIENTE 180014.A

Eu era uma mulher de princípios e moral das mais severas e serias. Criada em um ambiente rígido, embora pobre, nunca tive liberdade, ate me casar com um homem ligado a igreja que frequento e ser ainda mais presa a esses princípios que são impostos a gente desde criança. Por um acaso do destino nossa vida financeira regrediu muito e caímos em dividas que não conseguíamos pagar. Meu marido ficou doente, eu não conseguia emprego na área de escola, e mesmo porque estava ha anos sem lecionar. Me candidatei em uma empresa de domesticas, e esperei ser chamada. Nos só temos uma filha, que passou a estudar em escola publica, vedemos a casa, e fomos morar de favor com minha mãe e meu padastro, com quem não me dava muito bem. Ate que um dia fui chamada para um entrevista numa residencia num bairro muito bom da cidade. Me arrumei toda, eu sou morena bem clarinha, cabelos lisos, um leve tom pra jambo a minha pele e lisa e apesar de roupas largas, já recebi cantadas na rua. Me acham bonita de rosto e corpo. Nunca tinha ligado pra isso. A casa era muito grande, e haviam mais dois empregados, uma nadadeira e um motorista jardineiro. Eu faria as arrumações internas, preparar roupas pra lavar, cuidar da guarda das roupas nos guarda-roupas, alem de administrar a dispensa, na compra e reposição de mantimentos. Era um casal, e dois filhos, um rapaz de 20 anos e uma garota de 18. Acertamos tudo, inicialmente eu iria e voltaria todos os dias. Na apresentação me trataram muito bem, e me deixaram muito a vontade, alem do salario ser compensador. A Igreja internou meu marido, que recebia cuidados da família dele, eu precisava trabalhar e nesse ponto todos me apoiaram. Com o passar dos dias, meu patrão me ofereceu a edicula ao fundo da casa, era um quarto cozinha e banheiro, pra ficar la direto mais dias e vir embora só nos finais da semana, ou quando precisasse. Todos concordamos e me mudei parcialmente pra la. Vamos la, era o Sr. Paulo, dona Renata, o Junior e Fátima, dois cães enormes, formavam a família. Seu Paulo era homem bonito, alto forte, Dona Renata uma mulher linda também, loura, olhos azuis, o Junior um rapaz que fazia esportes e Fátima uma menina mimada, que só fazia academia, e estudava. Junior não era de sair muito de casa e estava sempre por perto, eu tinha mais amizade com ele, porque ficávamos conversando por longas horas quase todos os dias. Tudo começou quando Junior se machucou num jogo de basquete, e ficou engessado de uma perna. Meio carente de cuidados sobrou pra mim cuidar dele também. Eram dias quentes, eu também não suportava aquela roupa de empregada. A lavadeira ia duas vezes por semana, e o motorista ficava na guarita a maior parte do tempo ou saia com Seu Paulo e só voltava com ele a noite. Eu passava agora o dia todo dentro de casa com Junior. Numa tarde ele me pediu um suco, eu levei, e ele me pediu pra sentar ao seu lado. Me sentei, começamos a falar coisas sem sentido, e sua mão tocou minha perna, eu tirei, ele voltou a me tocar, então me levantei e ele passou a mão no meu traseiro por baixo da saia, tocando minha calcinha. Fiquei chocada, e sai dali correndo e fui chorar no meu quartinho. Pensei em ir embora naquela hora. Eu nunca tinha tido outro homem alem do meu marido, nunca fiz nada alem de sexo papai e mamãe, e nunca sequer me passou pela cabeça outro homem, jamais. Depois Junior me chamou novamente, eu fui com medo e fiquei longe dele. Então ele começou a me elogiar, dizendo que eu era uma mulher bonita de rosto, de corpo, que tinha uma bela bunda. Aquelas palavras me enchiam de alegria, mas de medo ao mesmo tempo. Aos poucos e falando coisas sobre mim e pedindo desculpas, me cativou, eu o perdoei e fui trabalhar. Pela primeira vez eu me via tentada por outro homem, e a oportunidade era unica. Pela primeira vez eu senti falta de sexo, e as coisas que ele me disse me tocaram muito, os elogios e da maneira como falava do meu corpo. Fui para o banheiro e me olhei, agora como mulher, e vi uma bela mulher de verdade. Seios ainda firmes, pouca barriga, bunda firme, bonita sim, e minha vagina coberta de pelos. Minhas pernas longas e lisas bem feitas e bem torneadas. Percebi estar excitada, e ao me tocar estava úmida por baixo. Meu ego, lutava agora com a minha razão. Meu marido doente, eu sem nada ha quase 2 meses, como fazer???…Nunca consegui me masturbar, tinha nojo e medo e preconceitos sobre isso. Arrumando a casa achei no quarto do casal, revistas pornográficas, fotos, e haviam fitas de vide-o. Curiosa, um dia coloquei uma no vide-o deles, e assisti dois casais transando, fiquei maluca e excitadíssima vendo como aquelas mulheres faziam de tudo com os homens e eles como gozavam nelas. Junior fazia me despertar para uma coisa que não queria, desejo, excitação. A noite eu ficava inquieta na cama, passava a mexer em meu sexo e já conseguia sentir prazer nisso. As vezes acordava nua, pois durante a noite eu me mexia muito, mexia em mim e tirava minha roupa dormindo. Numa manha desci, estava tensa, e Junior me chamou logo cedo para ajuda-lo, ele estava ainda de pijamas, e precisava se trocar, me pediu ajuda. Levei a roupa e ele me pediu para ajuda-lo a tirar o pijama e colocar outra roupa, mas antes queria se banhar. Nao sabia como ele fazia, então ele me pediu pra tirar a calça do pijamas. Quando tiramos ele só de cueca percebi a sua excitação, ele já estava assim ha mais de 10 dias, e sob a cueca percebi uma coisa que me deixou maluca na hora. Ele percebeu que eu olhava sem parar. Pegou minha mão e colocou sobre aquele volume. Eu quis tirar ele me segurou e dizia que eu queria aquilo. Como ele adivinhou, não sei… Segurei, sem jeito e apalpei, era grande. Aos poucos me desprendi com carinhos que ele me fazia no rosto e nos meus cabelos, e minha mão ali grudada. Ate que ele puxou a cueca e me fez tocar no seu membro, duro, quente, pulsando… não sei, me arrepiei e desejei aquilo como nunca. Era diferente, era uma coisa viva mexendo comigo e me excitando cada vez mais. Alisei e brinquei com ele, que ficava maior e mais duro a cada instante. Junior me pediu… – beija ele!!!… eu beijei dos lados, me lembrei do filme, abri a boca sem jeito e coloquei dentro, fechei mas não mexia a linguá. Junior com paciência me ensinou a lamber e chupar e o fiz com muita sabedoria em meia hora, minha boca doía de tanto chupar aquele membro. Junior disse que poderia gozar, se não me importasse, gozaria na minha boca. Bem… pensei nunca experimentei, eu vi no filme tinha sentido nojo, mas agora estava ali na minha frente para gozar ali dentro da minha boca. Eu disse baixinho que tudo bem, e o deixei soltar os jatos dentro da minha boca. Inicialmente me assustei, era quente, sem sabor definido, sem cheiro, e aos poucos foi enchendo minha boca. Dei um gole, e senti prazer de ter dado esse prazer pra ele, e engoli tudo. Feito isso já na intimidade o levei pra tomar banho, me fez tirar a minha roupa também, e pela primeira vez eu semi nua só … de calcinha na frente de outro homem. Junior era muito paciente, passou a me beijar enquanto eu o lavava, e ao passar a mão sobre seu membro, já meio duro, tirou minha calcinha e foi me levando a sentar sobre seu sexo. Eu quis fugir dali na hora, mas era tarde, meu desejo era maior. Com ele sentado na cadeira e sob o chuveiro, me sentei sobre ele, e o deixei colocar seu membro todinho dentro da minha vagina. Ele enfiou com carinho mas doeu um pouco. Era maior que meu marido, e faziam dois meses que eu não tinha nenhum tipo de relação sexual. Senti entrar quente, e pulsando me deixando mole o corpo e minha cabeça sem pensar, apenas sentindo aquilo dentro de mim, me levando a gozos múltiplos, sentindo-me uma mulher de verdade, e gozando como nunca gozei em toda minha vida. Nos enxugamos e o levei para seu quarto a pedido dele, e la ele me fez deitar e com a perna ainda engessada, mesmo assim, ele veio por cima de mim e me penetrou novamente, e agora me levando mesmo a loucura. O que eu não contava era que a irma dele tinha chegado e nos não vimos, estava ali vendo tudo. Eu gelei, chorei e pedi perdão, ele ria e ela apenas me olhava. Quando estava colocando minhas roupas, ela me deteve, eu não entendi… beijou meu rosto, e chupou meus seios, me deitou de novo na cama e sob o olhar do irmão brincou comigo ate sentir um orgasmo, eu percebi. Fiquei sem entender, e Junior me disse que ela gostava de mulher também, e eu a tinha atraído desde o inicio, e que foi bom ela ter nos visto, agora era nossa amiga. A garota se vestiu e saiu, nos deixando ali conversando, e sem dizer uma só palavra, e foi embora. Fiquei com medo de perder meu emprego, mas Junior me tranquilizou, dizendo que não ia acontecer nada disso. Aquela noite foi tranquila e dormi como anjo, de tao cansada e satisfeita. Na noite seguinte, eu servi o Sr. Paulo na sala, júnior estava no seu quarto e Fátima não estava. Dona Renata estava tomando banho. Ao servir o Sr. Paulo e me virar, senti sua mão por baixo da minha saia percorrer minhas pernas e minhas coxas. Nao fiz nenhum gesto brusco, mas quis sair dali e ele não deixou. Ai eu disse , Senhor cuidado com sua esposa…!!! ele disse que ela ia demorar e me pediu pra sentar ao seu lado. Eu obedeci, e Seu Paulo, me abraçou e alisou minhas pernas, e tocou meu sexo por cima da calcinha. Me ascendeu, e me excitou aquele homem, cheiroso, lindo, me fazendo aqueles carinhos. Eu tinha medo da sua mulher, ele sempre dizendo que não devia temer, ela ia demorar-se ainda mais. Sr. Paulo me beijou na boca, eu me entreguei totalmente, ao mesmo tempo do beijo, ele tocava meus seios e minha vagina, todinha molhada. Eu fiquei de pé, ele tirou a minha calcinha e me virou de costas pra ele. Abriu minha bundinha e lambeu meu reguingo deixando ele todinho molhadinho e parou no meu anus, perguntando se eu gostava disso, eu nada dizia, apenas abria mais minhas nádegas, deixando ele viajar com sua boca e sua linguá por toda a extensão da minha bundinha, e do meu preguinho e do meu anus. Quando em um momento ele parou nele, e chupava, mordia dos ladinhos, me tirando gemidos de prazer e de tesão imaginável. Aos poucos, enfiava um dedo, as vezes dois e dilatava aos poucos meu anus. Ele sentando, me puxou para si e colocou seu pênis no meu anus, direto. Eu nem sei explicar o tesão que me deu, e deixei ele ir colocando aos poucos, ardia um pouco, mas era delicioso, seu membro não era muito grande, mas era uma delicia. Sr. Paulo começou a mexer, e depois que entrou tudo, me segurou pela cintura, e arrumou por cima a minha saia, quando de repente sua mulher entrou na sala, eu gemi de dor, de medo, e cheguei fazer xixi. O que fazer, comigo sentada no colo dele, e ainda mais com seu membro dentro de mim…minha nossa…eu pensava ela vai me matar…!!!! mas eu só pensei, D. Renata, sentou-se ao nosso lado, e levantou a minha saia, e ainda disse, – amor, cuidado não vai machucar a menina,. – ta doendo meu anjo ??? – não eu disse… – ainda bem……e se pós em minha frente e começou a lamber minha vagina, ai eu sem entender mais nada, me larguei…ela me chupava tanto e tao forte, e seu marido me possuindo por trás, acho que devo ter tido uns 4 orgasmos só naquele momento. Ate que ele gozou dentro de mim, tirou, ela me levou para a suite do seu quarto, e no banheiro me lavou todinha, depois me levou pra cama dela. Nos duas nuas, ela me ensinou o que queria, me mandou chupar seus seios, sua bunda e sua vagina, sugar seu clítoris, e a fazer gozar em minha boca. Nesse Momento Sr. Paulo entrou, fechou a porta, e nu, veio pra cima de nos. Ele se deitou e me fez subir no seu membro e enfiar tudo dentro da minha vagina, ele vinha por tras na minha bundinha e lambia e me chupava e fazia gestos de trepar em mim. Ficamos muito tempo assim brincando ate que o Sr. Paulo Gozou, e sua mulher também. Aquela noite eu dormi entre eles e trepamos a noite toda. No outro dia servi ao Junior novamente minha boca e meu rabinho, depois a sua irma a noite servi na vagina tudo o que ela queria, inclusive lhe enfiar um consolo enorme de borracha que ela trouxe, e também me fez experimentar. Eu preferia o Junior e o Pai dela, de carne era bem melhor. Nossa intimidade cresceu a tal ponto que todos já sabiam de tudo, e ninguém se importava mais com isso. Eu servia de pilar pra todos eles, individual ou as vezes coletivos de dois em dois. As vezes o casal na sala, O Sr. Paulo, me chamava só pra chupar o membro dele e gozar na minha boca e ia embora, ou chupar a mulher dele com ele vendo televisão, ou então dar pra ele ou dar pra ela. As vezes dormia com Junior a noite toda, as vezes com a irma, as vezes com o casal, ou só com ele e as vezes só com a patroa. Ganhei muito dinheiro, carinho e admiração por todos eles… e nunca na minha vida tinha transado tanto como naqueles meses que passei naquela casa. Depois que meu marido sarou e as coisas melhoraram eu tive que sair de la, muito contragosto deles. Mas combinamos que eu iria uma ou duas vezes por mês pra fazer uma limpeza geral. Como o dinheiro compensava, meu marido não se importava, e duas ou três vezes por mês, eu vou a casa deles e passo o dia todo transando com eles todos. Geralmente vou aos sábados, e fico ate o anoitecer quando Junior me leva ate em casa. Sempre estão nos agradando e dando coisas, o Sr. Paulo ate ajuda na igreja do meu marido, e nossa amizade se fortaleceu muito. Eu de nada me arrependo, apenas de nunca antes ter feito o que faço agora, e descobri que adoro sexo, gosto e curto…não devia ter ficado tanto tempo como fiquei.

Ate hoje somos amigos, empregada e patroes, e nos damos maravilhosamente bem.

SANTA DE OUTRO “NINHO”…

“Podem me chamar de MI , tenho 25 anos , meu marido 32
Vou ser breve , preciso muito de conselhos !
Estou casada há um ano e meio , porém namoramos há 4 anos !!
Meu marido sempre foi meio ” mole” em relação a sexo , mais quando pegava no tranco ” nooooossaaa” acabava comigo , me deixava ditassem vontade de fazer , era maravilhoso , me chupava , fazia todas as posições que eu desejava , assistíamos filme porno juntos , enfim era perfeito , e eu ? Ahhh eu amo tudo na cama …. Gosto até mesmo de ” dar” o bumbum pra ele …. Gosto de chupar , amo tudo na cama !
Bom …. Nos casamos e muita coisa esfriou maiiiis nao tanto quanto agora , engravidei e ele decidiu que deveríamos parar de transar , isso com 4 meses de gestacao , minha barriga mal aparecia , enfim respeitei a decisão dele …. O nenem nasceu e hj meu bb tem 3 meses , meu corpo voltou ao normal , alias estou até mais magra que antes , sem barriga por incrível que parece , com mais pe tio ( pq estou amamentando ) com mais bunda ( nao sei pq rs ) enfim …. Ele nao me procurou ainda e quando vou pra cima dele , ele inventa algo ( ou esta com dor de cabeça , ou esta com sono , enfim ) estou há 4 dias sem olhar no rosto dele , pois me sinto ridícula , coloco calcinha fio dental , me insinuo e nada !!
Não , ele nao tem outra ! Ja fui atras pra saber e ele vivi em casa , fora que acaba o serviço umas 14:00 da tarde ou as vezes mais cedo e volta pra casa direto , com uniforme sujo , bom a questão eh que NOS mulher sentimos quando um Caa esta nos traindo , e acreditem ele nao esta me traindo ! Mais que DIABOS esse cara nao me ” come ” ?? Ontem fiquei arrasada , sei que ele via fotos de mulheres nuas , eu tbm gosto de ver porno as vezes ( nao nulo ngm por isso ) Maaas desde que compareça com a mulher em casa Neh ? TODO santo dia ele ve fotos CADEIRAS de mulher nua , e nossa uma mais feia que a outra , se fosse uma panicat ou uma celebridade , mais naoooooo , foto de mulheres cheio de pelancas , e detalhe so mostrando a ” periquita e a bunda ” a questão eh … Pq a da própria mulher ele nao deseja ou nem ao menos quer ver ?
Ain genteeeee , estou pensando até em me separar , mais eh tao triste , estamos construindo nossa familia , nossa casa esta cada dia mais linda , Maaas como ficar com um cara que nao transa comigo ? EU ja conversei abertamente com ele ( ele nao me fala nada , nem me responde , fica quieto e continua com as mesmas atitudes )

;(

Preciso ser amada , preciso sentir o corpo dele com o meu , nossa tô até mal humorada !

Me ajudem ?”

SANTA DE OUTRO “NINHO”…

“Eu sempre achei que sexo tivesse que ser com alguém especial e por isso só transei com duas pessoas na minha vida, a ultima foi há uns dois anos atrás, e nunca consegui me soltar mt, já tive algumas preliminares com outras pessoas mas nunca cheguei até o final. Passei por mts problemas na minha vida e tô passando até hj, estou com problemas psicológicos etc. E acredito q isto me impede de realizar muitas coisas q eu quero fazer, inclusive sexo. E eu tô num nível de estresse e de vontade que até minha mãe chegou falar que isso é falta de pau kkkk e eu concordo com ela. Só que eu fiquei paranoica querendo alguém pra namorar e ao mesmo tempo achando q não estava preparada pra isso, e acabei recusando vários convites, apenas pelo fato de não ter coragem de sair já sabendo q vai acontecer isso, só teria se fosse com alguem especial, e está mt difícil encontrar esta tal pessoa, e não sei até quando mais vou aguentar sem nada.

O q eu faço??”

PACIENTE 180014…

Depois do que eu vou contar, procurei não me envolver tanto com a família dos meus namorados. Aconteceu em 2001. Eu tinha 19 anos e já estava namorando o Helinho havia três meses, estudávamos na mesma faculdade. Nesse pouco tempo, fiquei amiga de toda a família dele, exceto do pai, que é separado da mulher e mora em outra cidade.

Num feriado prolongado, fomos visitá-lo no interior. O Helião (foi assim que o Helinho pediu que eu o chamasse) estava namorando uma garota de 22 anos. Quando saímos para jantar, qualquer um pensaria que o paizão estava levando os filhos e uma amiga deles para comer.

Helião organiza eventos e tinha conhecido Leda quando fazia um casquinha para promotoras. Numa conversa no domingo à tarde, ele disse que eu poderia ganhar um dinheiro extra para pagar a faculdade se também fizesse figuração em eventos. Duas semanas depois, Helinho disse que seu pai queria que eu trabalhasse no sábado seguinte, numa convenção. A grana era boa, aceitei e fui para lá com o Helinho. Trabalhei o dia inteiro e depois fui com meu namorado a um motel para gastar parte do cachê. Fiz outro trabalho desses.

Após dois meses, eu e o Helinho resolvemos acabar o namoro. Sem traumas, foi bom enquanto durou e pronto. Uma semana depois, o pai dele me ligou, propondo mais um trabalho. “Afinal, eu não contratei você por ser namorada do Helinho, mas porque se sai muito bem nos eventos”, ele disse. Fui para Americana, no interior de São Paulo. O evento durou até 9h da noite e, quando acabou, pensei em pegar um táxi para a rodoviária. Fiquei surpresa quando vi que o Helião ainda estava por lá. Ele se ofereceu para me levar de volta a São Paulo, disse que iria a uma balada na cidade. Foi ali, na estrada, que eu percebi pela primeira vez que ele me olhava com desejo.

Não sei se rolava isso quando eu ainda namorava seu filho, mas não tinha me dado conta. Foi fácil notar que a conversa dele (sobre baladas, perguntando se eu gostava de ver o dia amanhecer, coisas assim) era uma sondagem para me convidar para passarmos a noite juntos. Minha cabeça estava a mil, não estava fácil aquela situação. Namorei o Helinho porque o achava gatinho demais, uma graça. E o homem ali do meu lado era esse gatinho em versão homem feito, corpo sarado e uma voz grave que me deixava doidinha.

Quando entramos na cidade, já estava resolvida. Afinal, o Helinho era passado. “Você quer mesmo ir a essa balada?”, ele perguntou. Eu me enchi de coragem e respondi: “Vou com você a qualquer lugar”. Ficamos em silêncio algum tempo, só trocando sorrisos safados. Ainda sem me dizer nada, ele entrou com o carro num motel.

Só voltamos a falar quando já estávamos no quarto, um tirando a roupa do outro. Fiquei só de calcinha e ele me abraçou, senti seu peito forte e muito mais peludo do que o do Helinho. O beijo, então, era muito melhor. Ele sentou na cama e me puxou para cima dele. Praticamente colei a minha boca na dele, deixando que a sua língua me invadisse. Ele me puxava mais para cima, com as duas mãos na minha bunda. Eu me esfregava no volume em sua calça. Desci a boca pelo peito dele, abri a calça e puxei com força para baixo, trazendo a cueca junto. Seu membro, enfim livre, apontava para o teto. Não era mais comprido que o do filho, mas era muito mais grosso. Será que o pênis engrossa com a idade? Fiz sexo oral com prazer.

Ele me deixava livre para fazer no ritmo que quisesse. Odeio esses caras que pegam na cabeça da mulher e ficam puxando e empurrando. Ele me deu uma camisinha e nem precisou pedir que eu colocasse. Deixei o membro embrulhadinho. Subi então sobre ele e me encaixei, começando um vaivém bem gostoso. Foi muito tempo nessa posição, eu olhava para ele e me lembrava do Helinho, estava ficando até meio tonta. O prazer foi grande e senti que ia gozar a qualquer momento. Resolvi deixar rolar, e as ondas de orgasmo me sacudiram. Ele percebeu na hora e me abraçou forte. Continuei em cima dele mais um tempo e notei que ele não estava tão perto assim do orgasmo. Sentei a seu lado, tirei a camisinha e voltei a excitá-lo com a minha boca. Fiz por uns dez minutos, sem reclamar. Muito pelo contrário, estava muito bom. Aí ele gozou, e muito.

Fomos tomar um banho e ele me mostrou como um homem experiente sabe mexer no corpo de uma mulher. Suas mãos percorriam minhas pernas, passando entre elas numa pressão suave, que ia me entorpecendo. Eu me segurava no corpo dele para não afundar na banheira, porque me sentia cada vez mais mole, sem forças. Gozei duas vezes em um intervalo mínimo. Fiquei tão louca que o mordi várias vezes, deixando marcas no peito e nos braços dele, que ria e pedia para eu ter piedade de um velho quarentão. Que velho, que nada!

Voltamos para a cama e ele estava de novo excitado, esfregando o membro em mim e falando bobagens. Então, me abraçou por trás. Estávamos os dois de joelhos sobre a cama, ele segurou meus seios num aperto gostoso, aí curvou meu corpo para a frente. Fiquei ali, praticamente de quatro, esperando que ele fizesse o que bem entendesse. Senti o membro dele encontrando mais uma vez a minha ‘entrada’. Ele me pegou com força e penetrou fundo. Eu adoro essa posição, sinto que o membro consegue entrar mais em mim. Deixei que ele conduzisse o vaivém, sentindo de novo aquela tontura gostosa que o sexo provoca.

Mudamos de posição duas vezes, mas voltamos para essa delícia de pegada ‘cachorra’. Dessa vez, ele chegou ao orgasmo antes de mim, tirando o membro antes de gozar. Foi bom, porque naquele clima quente estávamos fazendo sem camisinha. Depois que ele gozou, eu disse que era injusto, porque não havia conseguido o meu orgasmo. Ele se dispôs a compensar isso e colocou o rosto entre as minhas pernas e não parou com o sexo oral até que eu estivesse totalmente sem forças, quase desmaiando.

Daí fomos a uma lanchonete, já estava amanhecendo. Ali, depois de matar a larica com um sanduíche gigante, conversamos sobre o que havia rolado. Confessei que ainda achava muito estranho transar com ele depois de ter namorado o Helinho. Ele disse que tinha adorado a noite, mas respeitava minhas dúvidas. Combinamos dar um tempo e, talvez, voltar a se encontrar. Isso rolou há cinco anos e nunca mais voltamos a transar. O mais engraçado é que, dois dias depois da noite no motel, o Helinho me procurou querendo reatar. Aí, realmente, não dei a mínima chance. Seria muito para a minha cabeça.

FOTOS RECEBIDAS…

I’m not a hooker I just need the money

LEIO SEUS TEXTOS TODOS OS DIAS…

Leggi la mia email, ira come la mia storia

ESTA SOU EU…

TENHO OUTRA COISA PARA LHE CONTAR….

RESPONDA AS MINHAS PERGUNTAS…

ADORO OS SEUS TEXTOS E SEUS POEMAS DO OUTRO SITE.

SUA 123652…

Hello. I had the courage to live…

OUTRA FOTO PARA VOCÊ.

MAIS UMA FOTO…

I loved your comment on my photos…

PACIENTE 18208…

 

Eu morava em uma comunidade pobre e carente. Igual a todas essas que existem país a fora. E como em toda comunidade carente, o chefe do tráfico era temido por todos. Eu, ao contrário, tinha uma amizade enorme com ele, que rendeu o que vou contar agora…
Voltando para casa no meio da noite, fui abordado por dois integrantes do trafico que foram logo me dizendo que o Zulu estava a fim de levar uma conversa comigo. Eu não tive medo, afinal não devia nada a ele. Eu os acompanhei conversando normalmente até a entrada da casa do chefe do tráfico.
Zulu era um homem alto, corpulento, de cor parda, olhos negros como a noite que não tem luar. Todas as mulheres que ele queria, conseguia sem muito esforço. Claro que ele só não mexia com a mulher dos outros traficantes e amigos do tráfico. De resto, ele tinha quem queria e quando queria. Entrei na casa e fui logo recebido com um sorriso e um forte abraço. O Zulu me conduziu a sua alcova e sentando-se na cama me perguntou:
– Outro dia eu soube que você ficou com um de meus homens… E não adianta mentir dizendo que não porque o safado já me confessou tudo. E eu disse a ele que poderia mexer e ficar com qualquer um, menos com você!
A última frase foi dita com um tom de soberania misturada à tirania. Não disse que sim nem que não, afinal ele não tinha nada a ver com o acontecido. Só não conseguia entender o porquê comigo não. Nesse momento ele me pegou pelas mãos e me sentou na cama bem ao lado dele. Foi quando ele calmante foi retirando a roupa, peça por peça, e ficou completamente nu em minha frente. Meu, não conseguia tirar os olhos daquele corpo tão gostoso. Já não pensava em nada a não ser na foda que ali iria rolar.
Retirei uma camisinha de dentro de minha bolsa e, com rapidez, a coloquei no cacete que já estava duro e teso. Abaixei e ajoelhei no chão e comecei meu trabalho bocal. Eu não acreditava que estava ali, mamando o cacete do chefe do tráfico. E que cacete gostoso e plenamente mamavel. Grosso, roliço e grande, devia ter uns 21 centímetros de comprimento. Era um cacete glorioso.
A cada chupava ele gemia, não se importando quem ou o que estivesse próximo e que poderia ouvir. Aproveitei o momento e fiquei pelado. Ele então me pediu para subir em cima dele para que ele pudesse lamber meu cu. Aquilo foi tudo! Não pensei duas vezes, e fiz o que ele pediu. A primeira lambida foi seguida de um gemido meu e de um dele. O tesão de ambos era enorme. Cada enfiada de língua dentro do meu cu mostrava o quanto ele tinha vontade de me comer e de ter meu cu só pra ele.
Eu aproveitava cada segundo chupando e lambendo aquela rola deliciosa. As bolas dele a essas alturas já se encontravam dentro de minha boca e ao alcance de minha língua faminta. Ai que delicia!!!! Que cacete maravilhoso. De repente, ele me deitou de lado, subiu melhor na cama e, com vontade, foi introduzindo o cacete dentro do meu cu. Foi maravilhoso e de uma delicadeza sem igual. Agora eu entendia porque as mulheres ficavam loucas de desejo com aquele homem.
Ele sabia fazer tudo para que a pessoa sentisse prazer. E como sabia. Cada enrabada que eu levava, eu não sentia dor alguma, só sentia prazer. Ele enfiava o cacete devagar e retirava, num ritmo que faria qualquer um gozar gostoso e bem. Mudamos de posição e no frango assado eu pude sentir o poder daquele cacete. Pude sentir todo o seu comprimento dentro do meu rabo. Cada estocada era de um prazer incomensurável.
Eu sentia todo o prazer do mundo naquele instante. Não demorou muito e ele me disse que ia gozar. As estocadas se intensificaram e com extremo prazer e com gemidos de prazer ele gozou… Gozou muito dentro daquela camisinha. E como gozou. Eu senti que o espaço reservado à porra tinha sido pouco. Mas não importava. Eu já tinha conseguido satisfazer aquele homem maravilhoso.
Retirando o pau de dentro do meu cu, ele nada falou a não ser um fique ai que já volto. Fiquei deitado com a bunda voltada pra cima. Esperando para ver o que ia acontecer. Ali mesmo naquela posição adormeci todo suado, pelado e com um tesão danado pelo que tinha acontecido. Algum tempo depois, não sei quanto, acordei com um toque macio vindo de mãos que estavam trêmulas e desejosas de mais e mais prazer.
O Zulu havia retornado e com ele toda sua vontade de foder um cu. Não deu outra. Começamos tudo de novo e, após uns vinte minutos, ele gozou de novo. O gemido alto e forte ecoou por toda a comunidade. Vesti-me e sai como se nada tivesse acontecido. Dias de depois a escolta aconteceu de novo e uma nova foda também. Desde então sou o que se pode chamar de mulher de malandro. Mantenho um caso com ele que, apesar de proibido, é extremamente excitante. E isso me faz um bem e tanto. Pra ele também que satisfaz seus desejos mais secretos comigo. Eu aprendi a amar aquele homem e, de certa forma, acho que ele a mim.

Vou querer mais o quê?

PACIENTE 18201…

O que vou descrever aconteceu quando eu completei 18 anos, eu tinha recém terminado meu ensino médio e precisava de dinheiro para pagar a faculdade. Eu sempre fui muito fogosa e safada, adorava provocar meus amigos e principalmente desconhecidos, na época do ensino médio tive alguns casos bem quentes.
Voltando ao assunto, eu queria cursar faculdade de enfermagem e não tinha dinheiro para pagá-la, então conversando com uma amiga ela me falou: “Menina, você gosta muito de sexo, porque não vira garota de programa?”
Confesso que me senti ofendida, mas aquela ideia não saiu da minha cabeça. Entrei na internet e fiquei navegando nos sites de garotas de programa, lendo os perfis, vendo as fotos e resolvi enviar um e-mail para um desses sites. No dia seguinte quando abro o whatsapp vejo uma mensagem do dono do site, falando sobre o site, os preços etc. Confesso que fiquei muito nervosa com a situação, não sabia se respondia, se bloqueava, mas resolvi ir em frente, respondi a mensagem e disse que era iniciante, não sabia como funcionava etc. Ele me falou que eu precisaria de fotos para anunciar e disse que ele também era fotógrafo, me enviou algumas fotos que ele tirou de outras garotas e a partir daí já comecei a ficar excitada. Após acertar os valores, marcamos de tirar as fotos dois dias depois em um motel próximo à minha casa. No dia marcado, ele me pegou no local combinado e me levou pro motel para fazermos as fotos para o site, quando entrei no carro dele senti que não tinha mais volta. Ele me deu dois beijinhos no rosto e, sempre muito educado, conduziu o carro até o motel. Chegando lá ele me pegou pela mão, me colocou sentada na cama e, percebendo que eu estava muito nervosa, conversou comigo, explicou como funciona o site, como funciona a seção fotográfica e disse que se eu não estivesse à vontade poderíamos parar por ali mesmo. Eu suava frio mas falei pra ele que não tinha mais volta que era pra gente fazer as fotos que eu estava precisando de dinheiro e tal. Ele foi até o frigobar e trouxe uma cerveja e uma Ice, perguntou o que eu preferia, disse que preferia a Ice, que ela ia me ajudar com a timidez. Enquanto bebia a Ice, ele bebia a cerveja e conversamos sobre coisas variadas para quebrar o clima, nesse momento eu falei pra ele “O clima está esquentando”, ele riu e segurou na minha mão, olhou no fundo dos meus olhos e perguntou se eu estava pronta. Gente, que olhar era aquele, ele me comia com os olhos mas tentava se manter profissional, vi que ele era casado, ostentava uma aliança na mão esquerda, pra não ser indiscreta não perguntei nada a respeito.
Tomada a decisão, enquanto ele preparava o equipamento eu fui trocar de roupa, voltei com uma bota preta, uma blusa de botão e um shortinho jeans curtinho que deixava parte da minha bunda de fora. Ele falou que iria começar a fazer uns clicks para ver se o flash estava bem regulado e para ir quebrando o clima.
Eu ensaiei algumas poses, meio sem jeito ainda, mas ele além de gato era muito profissional, me dirigiu durante o ensaio, me dizendo as poses que eu deveria fazer etc. Quando ele me colocou de 4 eu empinei bem o meu bumbum, nessa posição o short que já era curto ficou micro, enterrou totalmente no meu rabo deixando minha bunda totalmente exposta, a calcinha roçando na minha buceta e no meu cuzinho me deixou muito excitada. Notei que ele ficou excitado também, e falou que minha bunda era linda. A partir daí o tesão tomou conta, não tive mais vergonha de nada, fizemos várias fotos, de calcinha, de lingerie, cinta-liga, nua, fiz muitas fotos nuas, em várias posições, inclusive arreganhada pra ele.
Ao final da seção fotográfica ele sentou do meu lado para me mostrar as fotos, ainda na câmera, eu nua ao lado dele, encostei minha coxa na dele e notei que ele deu até uma gaguejada, pois nitidamente estava excitado porém queria manter a compostura de profissional, talvez estivesse com medo de eu querer pagar o serviço de outra forma e ele não receber o dinheiro do trabalho. A medida que ele ia me mostrando as fotos eu ia encostando mais nele, encostei meu peito no braço dele e cheguei bem pertinho. Perguntei se a mulher dele não tinha ciúmes dele tirar fotos de outras mulheres peladas, ele falou que ela não ligava, pois a grana que entrava era boa e ela se beneficiava com isso. Eu perguntei se ele já havia transado com alguma menina que ele tivesse tirado fotos, ele falou que não, pois elas sempre queriam fazer uma troca de serviços e ele precisava do dinheiro. Eu perguntei: “mas e se a menina pagasse e ainda assim quisesse dar pra você”. Ele percebeu que eu já estava de má intenção e falou que isso nunca tinha acontecido mas que se acontecesse com uma menina bonita como eu ele talvez não resistisse. Nossa, confesso que cheguei a sentir um líquido escorrer da minha buceta, estava muito excitada e minha reação foi abrir as pernas, encostando ainda mais minha coxa na dele. Perguntei se ele me achava bonita, ele disse que eu era linda, que ele adorava mulheres pretas (ele é bem branquinho, deve ser por isso). Eu sem perguntar mais nada peguei a mão dele e coloquei entre as minhas pernas, ele engoliu em seco, colocou a máquina fotográfica pro lado e sem falar nada me beijou…

Comecei minhas carreira naquele momento… 

Feliz dia da Mulher minhas leitoras!


Que a todo momento que a vida vos chamar a sucumbir, possam vos reinventar e prosseguir .
Que nenhuma definição preconceituosa vos paralise e nem vos impulsione a serem quem não são para provar nada a ninguém.
Que não haja limitação no meu texto, na sua vida e nem nas nossas atitudes na luta de nos mantermos felizes.

Igor Hunsaker.

 

SER SANTA…

Ser mulher não é ter peitão nem bundona,

nem usar seus atributos físicos para ser feliz.

Ser mulher é entender que ser feliz

independe de pequenos detalhes

que o tempo leva de um jeito ou de outro.

Que não basta “ser feliz”,

e sim…

escolher uma maneira de VIVER a plenitude da vida.

Não com a falsa impressão de que

a vida é um conto de fadas.

Mas com a certeza de que todos

somos personagens que podemos contribuir

para um MUNDO MELHOR.

SANTAS SEU DIA….

Mulher – Rainha.

Mulher – Princesa.

Mulher – Dengosa.

Mulher – Carinhosa.

Mulher – Amante.

Mulher – Guerreira.

Mulher – Namorada.

Quero parabenizar a estas divas, 

Não apenas nesta data Especificamente,

mas por cada Prazer,

em cada momento,

no qual dá sentido,

a nossa vida.