O fato que relato ocorreu à 1 anos atrás, e creio que devo relatar pela excitação e pelo fato de ter mudado meu modo de vida.

PACIENTE 27320

Sou Maria, 33 anos, casada, dois filhos; sou uma mulher bonita e bem cuidada, cabelos longos com reflexo, sempre bronzeada, silicone nos seios que os deixam grandes e firmes, corpo malhado em acadêmica… Tudo que uma vida boa pode proporcionar a uma mulher. Meu marido (Vagner) é executivo de uma grande empresa e forma um belo patrimônio; por ocasião do ocorrido estávamos em plena construção de nossa casa de campo no interior de São Paulo num luxuoso condomínio fechado. Sem tempo para nada, Vagner havia autorizado o empreiteiro na condução dos ítens de acabamento da obra e como sou muito exigente, fui acompanhar a colocação do mármore no rol de entrada.

Em virtude de um acidente na estrada, quando cheguei na casa de campo o empreiteiro já havia ido embora, estando somente três pedreiros que fariam a colocação do piso, eles eram jovens (uns 20 anos mais ou menos), fortes, jeito rude e trabalhavam somente de short devido o forte calor. Comecei a palpitar na forma de trabalho, na colocação das placas de mármore, quando um deles se aproximou de mim e falou… A senhora interfere demais…. Pegou-me pela mão, me puxou até uma das salas, onde estavam usando como dormitório improvisado e disse vou acalmar seus ânimos senhora. Nesse momento, me entreguei… e fui silenciada com um beijo e segura pelos fortes braços do pedreiro.

Em minutos os três estavam me cercando, apalpando meu corpo, beijando minha nuca, face e orelha… Não exerci mais resistências e pelo contrário, estava altamente excitada… Cheia de tesão, baixei o short de um deles e liberei sua pica (não era grande, uns 16 cm, dura e com um cheiro de suor, cheiro de macho), colocando na boca e dando aquele homem um prazer impar em sua vida.

Os demais já estavam nus e tiravam as peças de minha roupa com maestria… Deitaram-me num dos colchões no chão e me vi preenchida, com uma rola na boca, uma na buceta (enfiada sem dó, mas facilitada pela minha alta lubrificação) e outra colocada em minha mão para que o punhetasse. O cheiro de suor, misturado com o de sexo no ar, embriagava o ambiente, enquanto aqueles três machos se revezavam em meter em minha xaninha. Um deles não resistiu e gozou em meus seios, enquanto o outro depositou toda sua porra no interior de minha buceta. O único que ainda não havia gozado e o que detinha a maior pica (uns 22 cm, longa, não muito grossa, com um saco bem peludo), me virou de bruços e anunciou que iria meter no meu cú… Fiquei em desespero, pois sempre tradicional nos sexo, só havia dado para meu marido (ele foi meu primeiro e único homem) e Meu Cuzinho era virgem… Percebendo que eu tentaria reagir, dois me seguraram enquanto o outro lubrificou meu cuzinho com sua saliva e enterrou a rola no meu buraquinho… Em vez de dor senti um tesão incontrolável e essa foda anal demorou uns 15 minutos até sentir o liquido viscoso e quente escorrendo de meu cuzinho para minhas pernas. Eles me largaram ali e voltaram ao trabalho, como se nada houvesse ocorrido… Limpei-me, vesti minhas roupas e sai sem olhar para eles nem falar nada.

Desde o ocorrido, venho mantido relações sexuais com garotos de programa e por vezes desconhecidos que me cantam no shopping, sempre em busca de Sexo anal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *