LEIA O MEU DIÁRIO PARA ME ENTENDER…

PACIENTE 211119

Olá, primeiramente vou me apresentar, me chamo Victoria, mas todos me chamam de “Vic”, tenho 18 anos, finalizando o ensino médio no turno da tarde. Não tenho um corpão, como os meninos dizem, pois sou magrinha, seios pequenos porem bem pontudos, estatura baixa, cabelos longos, minhas perninhas são fininhas… Uma coisa confessa, tenho uma bucetinha linda bem rosada (vou criar coragem e postar minha florzinha para vcs em breve). Tenho uma irmã  que é o oposto de mim, essa sim tem um corpão, tenho até inveja às vezes, nessa idade e com os seios maiores que o meu, bem mais alta e com mais corpo que eu.

Atualmente moro com minha mãe, irmã, avó e meu padrasto gato… Há 8 anos minha mãe conheceu meu padrasto e há cinco ele veio morar conosco. Caio é seu nome, tem 36 anos mesma idade de minha mãe, é advogado. Após minha mãe se separar de meu pai, quando eu ainda era bem menor, eu minha irmã nos apegamos muito ao Caio, pois sempre nos tratou muito bem. Eu e minha irmã chamamos Caio carinhosamente de “Tio”.

As historias que vou relatar aqui no MEU DIÁRIO DE PACIENTE são basicamente minhas sobre ele, desde quando ele veio morar conosco, eu ainda com 12 anos, já era bem sacaninha e adorava provocar os meninos na escola, adorava pegar os coleguinhas no recreio e sair beijando, rsrsrs. E nessa época comecei a ouvir os gemidos e urros a noite tanto de minha mãe como do meu padrasto, e assim ai escondida ficar brechando os dois transando pela abertura da porta ou buraco da fechadura , com o tempo aquilo virou um vicio e me masturbava vendo aquilo e desejando aquele pau lindo do Caio em minha bucetinha que na época tinha somente alguns pelinhos.

E assim os anos foram se passando, meu corpo se desenvolvendo, não muito rsrsrs, ai comecei as minhas provocações, sempre andando de pijama pela casa sem calcinha nem sutiã, deixando meus peitinhos pontudos quase sempre a mostra, fazendo questão de me esbarrar e esfregar no meu padrasto, mas também sempre levando bronca de minha mãe e avó, para eu me vestir melhor…kkk… Eu percebia que Caio já não tive aquele olhar tão inocente sobre mim.

Assim há uns dois anos atrás peguei pesado com ele, minhas provocações eram intensas de deixar o cacete do Caio latejando de tesão, porem todas essas historias postarei aqui nesse site periodicamente. Alias foi pesquisando no notebook dele que encontrei essa pagina, onde ele esta lendo contos sobre “incesto”. Adorei a pagina, li vários contos ótimos e decide revelar as minhas aventuras aqui também. Assim para você criei o “DIARIO DA PACIENTE.”

Ao amanhecer.

Meu padrasto Caio, sempre foi o primeiro da casa a acordar bem cedo, as 5:30 já estava levantado e tinha a rotina de fazer o café da manhã e lá pelas 6:00 ir no quarto acorda minha irmã para ir à escola, eu sempre estudei no turno da tarde e minha irmã no turno matutino. Pois bem, sabendo disso e já com minhas provocações na cabeça resolvia dormir de pijama, porem na madrugada o retirava e ficava nuazinha e sempre que meu padrasto ia chamar minha irmã ele me flagrava na cama assim, hora estava com os seios descobertos, outra dia eu estava totalmente descoberta e nuazinha ou apenas coberta em parte pelo lençol, enfim, eu sabia daquilo e me excitava muito saber que ele ficava me admirando e sempre ia lá comigo, pegava o edredom e cobria meu corpo, até que no inicio ele apenas fazia isso, porem com o passar do tempo tudo mudou, ele não se conteve em apenas olhar, começou a me tocar e me alisar sempre com cuidado para não ser pego, e eu sempre fingindo que estava num sono profundo, rsrsrsrs.

Certo dia, fiz o de sempre, fomos dormir e ao deitar me despir, pela manhã Caio ao levantar no seu horário normal, vai a cozinha assim me desperto e depois oque ele faz é ir ao meu quarto… Ele não ligou a luz como de costume, mas esteva com a tela do celular iluminando. Eu estava deitada de bumbum pra cima, nuazinha como de costume e então senti sua mão alisando meu bumbum vagarosamente, aquilo me deixou arrepiada, sua mão sedosa me deixou meladinha, ele foi enfiando os dedos entre meu bumbum, procurando abrir meu cuzinho, eu estava me esforçando ao máximo pra não demonstrar que estava acordada e assim assusta-lo.

Ele então com os dedinhos abriu bem meu bumbum e passou a língua bem no meu buraquinho, com aquilo fui ao céu, minha buceta chorava de tesão. Não resisti e empinei ainda mais meu bumbum, assim ele passou dois dedinhos sobre minha buceta e sentiu eles completamente meladinhos. Acho que ele ouviu algum barulho e rapidamente saiu do quarto e então eu me cobri e fui terminar o que começou, me masturbei loucamente pensando naquilo que acabava de acontece, estava desejando meu padrasto naquela hora, na minha cama, todo dentro de mim.

Uma semana depois aconteceu a mesma coisa, porem nessa noite eu estava dormindo de peito pra cima, meu padrasto veio e começou a alisar minha bucetinha que eu fazia questão de deixar bem lisinha. Ele abriu minhas pernas vagarosamente, com uma das mãos abriu também minha florzinha e passou a lambê-la lentamente num ritmo tão gostoso que eu comecei a me contorcer toda, assim ele se assustou e saiu do quarto, e eu novamente fui me masturbar…

Claro que isso não acontece com frequência, acho que meu padrasto tem um desejo enorme em me foder, porem tem medo de ser pego, ou de eu falar algo a minha mãe. Porem eu mesma já não estou aguentando de vontade de dar para meu padrasto e só pra ele.

Temos o costume de sempre ir ao clube ao mesmo uma vez no mês, as vamos somente para almoçar, vou contar agora a primeira vez que provoquei meu padrasto na piscina, nesse dia minha tanto minha mãe e irmã estavam menstruada e não poderiam tomar banho na piscina. Eu já saia de casa vestida no biquíni, apenas com uma bermudinha e a parte de cima a mostra do biquíni, chegando no clube convidei minha irmã para dar uma volta e tirar fotos, coisa que nos duas adoramos, depois do rolê, fui pra piscina e como minha irmã não queria entrar pedi que ela chamasse meu padrasto para me acompanhar, é muito chato ficar sozinha em piscina.

A piscina é um pouco afastada da área social do clube, e em pouco tempo depois lá vem meu padrasto, vestindo uma sunga branca com detalhes vermelhos do lado e um belo volume na frente rsrsrs… Na minha cabeça já tinha planejado em brincar com ele, queria passar entre as pernas dele e ele entre as minhas por baixo d’água. Ele veio, deu um mergulho e depois sentou-se a borda da piscina, fui andando em direção a ele o encarando e ele também em mim, cheguei mais perto e fiquei apoiada e suas pernas, no meio dele, de frente para aquele cacete desejado por mim, fitei o olho na sua cueca, ele pegou em meu queixo, levantou minha cabeça e perguntou:

– O que esta olhando filha?

Fiquei sem resposta, me afastei e dei um mergulho, depois o chamei para me levar na parte mais funda da piscina. Fomos e depois apostamos quem chegava na outra borda primeiro, ele com certeza ganhou a aposta, nisso peço pra ele abrir bem as pernas que eu iria mergulhar e passar entre ela. Ele abriu, dei um mergulho, com os olhos aberto dentro dagua, tento passar entre suas pernas, na primeira tentativa fui de proposito com o rosto bem certo com seu cacete, bati com a boca nele, ele num susto recuou, rsrsrs soltamos um riso, e ele disse que eu tinha falhado na tentativa, assim pedi outra chance. Na segunda vez fiz certinho, mas não resisti e acabei levando uma das mãos no pau do padrasto que naquela altura estava bem rígido. Ele fingiu não ter acontecido nada.

Chegou a vez dele passar entre minhas pernas, ele safadamente passou lentamente por entre minhas pernas e com a cabeça ficou esfregando minha buceta, acabei que me contorci de prazer com aquilo prendendo sua cabeça por uns instantes entre minhas pernas, até que ele passou por completo. Por pouco minha irmã nos flagra, ele veio trazer o protetor solar e o óleo bronzeador que nossa mãe mandou.

Me entregou e depois retornou pra mesa. Saímos da piscina e pedi que Caio passasse em mim, primeiro ele passou nas minhas costas, eu aproveitei e fui encostando meu bumbum dando toques sutis em seu cacete, em instantes senti algo rígido, dei uma olhadinha para baixo e vejo o cacete dele bem ereto dentro da sunga, fiz que não vi, ele então terminou e pediu pra eu retribuir e passar na costa dele também, o que fiz com muito gosto. Depois passei pelo peito dele, na barriga, olhava para sunga e lá estava aquela mostra de pica rígida e eu louquinha pra cair de boca nela.

Depois de um tempo fomos almoçar, passando o almoço retornei pra piscina junto com ele. Peguei uma cadeira de praia e fui pegar sol, deitei de bumbum pra cima e pedi pra ele passar óleo bronzeador nas minhas pernas e costas. Ele me pegava de um jeito muito gostoso, alisando carinhosamente meu corpo, tipo uma massagem tântrica. Abri bem as pernas, seus toques sutis e voluntários ou não com seus dedinhos próximo da minha buceta me deixava em êxtase. Pedi pra ele passar no bumbum também, aquilo estava me deixando de louca de tesão.

Olho para o lado e vejo ele agachado e como seu cacete esta bem destacado dentro da sunga, tento alcança-lo involuntariamente, mas meus braços curtos não alcança. Nisso minha mãe chega e interrompe minha deliciosa sessão de massagem… Ela o chamou para dançar, ele hesitou-se em levantar naquele momento pois obviamente seu cacete duro lhe entregaria. Passaram uns minutinhos conversando e foram pra pista de dança. E ele novamente me deixou só no gostinho, eu completamente meladinha e com vontade de gozar gostoso.

Nem sempre dava pra atiçar meu padrasto no clube, mas eu não perdia nenhuma oportunidade.

Todos os sábados tenho uma obrigação em casa que é dar banho nos nossos cachorros, que são 3 ao total. Como é cansativo só pra uma pessoa eu sempre peço ajuda ao meu padrasto Caio. Lá pelas 10 da manhã começamos a lavar os cães.

Eu pra provocar sempre estou vestida ainda com minha roupa de dormir, ou seja, um babydool com blusinha e shortinho de seda soltinhos ao corpo que deixa meus seios amostra quando me abaixo e também minha xaninha aparente que estou agachada esfregando os pêlos dos cachorros.

Meu padrasto em casa só veste uma bermuda de seda, que logicamente me deixa excitada vendo o movimento de seu pênis balançando quando circula pela casa, ele não usa cueca em casa.

Pois bem voltando para o banho dos cães, Caio me ajuda sempre, alias parte dele a iniciativa cedo em dar banhos neles, mas o trabalho dele é só segurar o cão e a mangueira de agua. A esfregação é comigo. Certo sábado,enquanto estávamos no banho dos cães, minha mãe e avó precisavam ir ao supermercado, ficando em casa eu, minha irmã e meu padrasto.

Nessa hora aproveitei e fiquei bem sacaninha me mostrando para Caio, deixava a alça da blusa cair, ficando assim meus seios a mostra, ou me agachava em sua frente e abria bem as pernas, deixando os lábios da minha bucetinha rosa a mostra, em certo momento quando peço para ele jogar agua nos cachorros olho para cima e vejo ele segurando seu pau ereto dentro da bermuda, tentando disfarçar puxando ele de ladinho, mas não tinha como esconder, pois sua bermuda muito fina não ajudava. Eu para não deixa-lo constrangido tentava disfarçar que via aquilo.

Finalizamos o banho nos cães e pedi pra ele me jogar agua pela mangueira, pois iria aproveitar e tomar meu banho ali mesmo. Fui buscar o sabonete e retornei, Caio colocou a mangueira jorrando agua na minha cabeça, eu vestida fiquei com a roupa todinha colada em meu corpo, meus seios pontudinhos e excitados estavam bem aparentes, comecei a me ensaboar, primeiro meus braços, pernas, barriga, vez ou outra deixava meus seios a mostra.

Pedi que ele ensaboasse minha costa, ele então levantou minha blusa na parte de tras e passou a me esfregar, naquele momento meu padrasto estado todo molhado também, hora para sua bermuda e vejo coladinha no corpo e sua pica se destacando bem durinha, esbarro minha mão nela, sempre com leves toques, a cada toque seu volume aumentava ainda mais.

Cheguei meu corpo junto ao dele, no primeiro instante ele também fez o mesmo, mas sentido seu cacete roçar entre meu bumbum e a estremecida de corpo que me sucedeu ele afastou-se um pouco e começou a ser molhar também.

Senti minha bucetinha meladinha, enfiei minha mão dentro do meu shortinho e comecei a acariciar fingindo que estava apenas ensaboando ela. Já estava em ponto de gozo quando meu padrasto pediu para eu finalizar meu banho no banheiro eu então fui ao banheiro correndo e acabei finalizando meu gozo lá dentro… Meu padrasto com certeza sabia que eu estava louquinha naquele momento por isso me mandou finalizar o banho dentro de casa…

Esse meu dever de casa de todo sábado eu não reclamo nem um pouco, só não gosto de arrumar a casa kkkk.

Hoje venho relatar um fato recente, não estou conseguindo segurar isso só pra mim, ocorreu acerca de dois dias, infelizmente minha avó está com idade avançada e saúde frágil, assim ela veio a adoecer e precisou ficar internada por cerca de dois dias e uma noite. Era noite de terça-feira, minha mãe teve que dormir como acompanhante no hospital com minha avó, apesar do momento triste, não me contive e deixei meu lado filhinha putinha florescer e acabei despertando mais tesão no meu padrasto.

Neste dia cheguei da aula por volta das 7:00 da noite, minha irmã estava sozinha em casa, meu padrasto tinha ido no hospital levar alguma coisa pra minha mãe, então fui tomar meu banho, como minha pepeka estava meio peludinha resolvi me depilar, me contive para não me masturbar, deixei minha bucetinha lisinha… Terminei o banho, vesti minha camisolinha, sem calcinha, livre, leve e solta. Ligo pra mãe e pergunto sobre minha avó, ela me informa que está melhorando e que no outro dia já estaria em casa a tarde. Depois mamãe disse que ela não iria dormir em casa, pois ficaria no hospital, informou também que o Caio iria levar pizza para nós jantarmos e que era pra termos cuidado, pois iriamos dormir só nós na casa.

Falei pra mamãe não se preocupar que cuidaria bem de minha irmã, “pra não dizer que seria do meu padrasto”rsrrs… Por volta das nove da noite Caio chegou, eu e minha estávamos no quarto estudando, ele nos chama pra comer a pizza que trouxe, após isso ele tomou seu banho, vestiu sua bermudinha de seda e foi pra sala assistir tv. Eu e minha irmã voltamos pro quarto, já ia dar umas 10:30 da noite, e minha irmã ainda não tinha ido dormir, ai a convidei pra irmos pra sala fazer companhia para Caio. Chegamos à sala, na TV estava passando uma reprise de uma serie. Caio estava no sofá com seu notebook no colo, com certeza estava lendo algum conto erótico ou assistindo algum vídeo pornô, pois ao nos ver tratou logo de fecha-lo.

O nosso sofá é daqueles que vira cama, assim minha irmã pediu que ele montasse a cama, assim o fez e ficamos nos três deitados nele, minha irmã estava entre nós, resolvi buscar um edredom, pois já se fazia um frio gostoso, deu pra cobrir nós três. Estiquei meu braço sobre a minha irmã e alcancei a cabeça de meu padrasto e comecei a fazer cafune nela. De mesma forma ele esticou seu braço e passou a fazer carinhos na minha cabeça e cabelos, ficamos lá assistindo até o final do programa. Nisso minha irmã já havia pegado no sono, porem estava bem no meio de nós.

Eu a chamo para irmos dormir, porem ela esta num sono pesado, meu padrasto então levanta-se e a leva pelos braços até sua cama, nisso falo que minha irmã é bem folgada, ele apenas sorri, a camisola que minha irmã esta vestida deixa um dos seus seios amostra quando ele a pega pelos braços, vejo que ele não tirou o olho daquele seio pontiagudo, desce os olhos um pouco e vejo um volume a mais na sua bermuda, com certeza o safadinho estava excitado com aquilo.

Os acompanho até o quarto para certifica que ele não vá fazer nada na minha irmãzinha que eu queira que seja feito somente em mim. Ele a põe na cama, a cobre e pergunta se eu posso ajuda-lo a montar o sofá ou se ainda iria assistir alguma coisa.

Então retorno pra sala e me jogo no sofá-cama, pego o controle e seleciono um filme de ação na Netflix, ele retorna da cozinha e deita-se bem ao meu lado, pergunta algo sobre o filme que respondo somente com a cabeça, ele pega o edredom e o joga por cima da gente, eu aproximo meu corpo junto ao dele, ele estica o braço e coloca minha cabeça sobre ele, me envolvendo chegando a ficar com as mãos próximo aos meus seios, eu o abraço e digo que se caso eu dormisse que ele me carregasse no braços pra minha cama, assim como fez com minha irmã.

Depois de alguns minutos movimento minha perna, jogando-a sobre a dele e fico com o joelho tocando seu cacete, deu pra sentir que ele estava bem duro, sentia sua respiração ofegante, seu coração bater mais acelerado.

Caio parecia está com medo ou receio de fazer algo a mais, também não quis provocar muito, pois saberia que se avançasse não teria mais volta, teria que ceder minha bucetinha a ele naquele dia. Assim fiquei só curtindo o calor de seu corpo, e peguei no sono de verdade, se ele me tocou, me acariciou, eu verdadeiramente não senti.

Já ia dar 01:00 da manhã quando Caio me chama, acordo e percebo que seu cacete ainda esta duro feito pedra, pois estava com o joelho ainda sobre ele, então peço que ele me carregue pra cama. Eu o agarro pelo pescoço e ele me pega pelos braços, e me leva pra cama, mas não para minha cama, o safadinho me levou pro seu quarto e me deitou na sua cama, eu percebi onde estava porem não falei nada, fingi que ainda estava adormecida. Empinei um pouco o bumbum fazendo com que minha camisola levantasse um pouco e deixasse meu bumbum a mostra, eu estava apenas com um dos olhos meio abertos e vi que ele ficou estático ao me ver toda provocante.

Ele põe a mão dentro de sua bermuda e saca seu cacete pra fora, inicia a fazer movimentos de uma punheta, ai eu faço um movimento e me viro de bruços, ele para a punhetinha e me cobre e vai ao banheiro, assim que ele entra no banheiro eu toco na minha bucetinha e sinto ela meladinha, tou louca pra gozar,

Caio demora no banheiro, eu acho que ele esta batendo uma punheta lá, pois não escuto barulho algum, assim eu começo a me tocar também e gozo rapidamente, depois de um tempo ele retorna e deita-se ao meu lado porem com o corpo afastado, e eu aos pouquinhos vou me aproximando dele, eu estava deitado de ladinho e ele me abraça, ficamos grudadinhos de conchinha, seu membro roçava meu bumbum, aquilo estava me deixando louca de tesão, ai escutamos barulho vindo da cozinha,

Eu aproveito e me levanto, vou até a cozinha e vejo que minha irmã tinha adentrado no banheiro, aproveitei resolvi voltar pro meu quarto, pois sabia que retornasse pro quarto de minha mãe a coisa ia se complicar. Minha irmã retorna ao quarto e pergunta onde eu estava, fico com o coração na mão, respondo que estava na sala sozinha e acordei quando ela tinha se levantado e ido ao banheiro. Acho que a convenci, desligamos as luzes e fomos dormir, fiquei ainda pensando o que poderia acontecer se continuasse naquele quarto.

No dia seguinte, Caio fez sua rotina normal, acordou cedo, foi ao nosso quarto chamar minha irmã pra ir a aula, foi até a mim e meu um beijo na testa me desejando bom dia, eu apenas retornei a dormir. Nesses dias pra cá Caio vem me tratando como nada tivesse acontecido, porem com um trato mias carinhoso. Eu sinto que nós não vamos resistir esse tesão um por outro por muito tempo, mas vou fazer o possível.

Poucas vezes Caio vem almoçar em casa e ao retornar para o escritório ele aproveita e me dá carona pra escola, assim sempre puxo alguma conversa boba com ele, e como eu sou daquelas pessoas gesticulam tocando na pessoa, eu sempre estou pondo a mão onde não devo, principalmente nas suas coxas, e vejo que a cada toque o volume de calça aumenta, e sempre me despeço dele dando um beijinho na sua bochecha e também em seus lábios pois vários vezes ele de proposito vira o rosto e nossos lábios acabam se tocando, certa vez uma colega minha viu essa cena e ficou surpresa, perguntou se eu fazia isso sempre com meu padrasto em ficar dando beijoca nele, não respondi nada apenas sorri.

Outras tipos de provocações rotineiras que faço são aos fins de semana quando Caio está mais tempo em casa, pelas manhãs de sábado eu já relatei o que faço agora na parte da tarde ele tira um tempinho pra fazer revisão nas tarefas da escola de minha irmã e eu aproveito e peço que ele também me tire algumas duvidas. Eu como sempre vestida bem soltinha, deixo meus peitinhos a mostra quando estou debruçada sobre a escrivaninha ou na mesa de estudo, ele não desgruda os olhos é claro.

Certa vez pedi que ele me ajudasse a montar um slide no PC, ele ficou em pé atrás de mim, eu sentada na cadeira e ele com seu rosto quase colado ao meu me indicando onde seriam os atalhos e as formatações, seu hálito cheiroso no meu ouvido me arrepiava, os pêlos do meus braços estavam ouriçados, ele percebeu isso e começou a falar mais lentamente e sensual próximo ao meu ouvido, meus mamilos ficaram pontiagudos naquele momento, ele veio um pouco mais de lado e seu cacete ereto ficou roçando no meu ombro, eu sentindo-o apenas fazia pressão com o corpo, pressionando meu ombro em seu cacete. Esse dia mamãe entrou no quarto e tentamos disfarçar o que acontecia.

Aos domingos, quando não saímos em família para o clube associado, Mamãe e Caio preferem fazer um churrasco em casa mesmo e convidam alguns casais, ou são convidados para irem a algum churrasco. Eu sinceramente não gosto muito de carne vermelha, como mais frango e peixe, assim Caio sempre assa uns pedacinhos de frango especialmente pra mim.

Gosto de ir ao supermercado com ele pois ele faz minhas vontades e sempre compra minha guloseimas rsrsrs. Um sábado já a noite, ele me convida a ir ao supermercado comprar material para o churrasco de domingo, me visto com uma bermudinha branca curta e uma blusinha solta e uma jaqueta jeans, não estava usando sutiã.

O supermercado onde iriamos não fica próximo de casa, resolvemos ir na Biz 125 da Mamãe, subo nela e Caio da um arranque que me assusto e o abraço forte, assim vamos ao supermercado eu abraçada nele fazia pequenos carinhos em sua barriguinha, desço mais a mão e me apoio em suas coxas e a cada arrancada mais forte que ele dava meu corpo ia pra trás e eu me apoiava apertando forte sua cintura. Chegamos ao supermercado, fizemos as compras, na volta me oferecia a traze-lo, apesar de ainda não ter CNH, eu já sei dirigir tanto moto como carro, claro que foi meu padrasto que me ensinou.

Então vim pilotando. Não coube todas as sacolas no bagageiro e uma ele veio trazendo na mão. Sorrindo, falei a ele que poderia me abraçar se quisesse, coisa que ele fez no mesmo instante, me abraçou forte logo de primeira, ao longo da viagem ele se apoio com uma das mãos no suporte juntamente coma sacola que levava e com a outra mão ele põe sobre minha coxa e começa a alisa-la, meu shortinho curto estava deixando visível minha pele toda excitada com aquele carinho.

Paro no sinal vermelho, e ao sair dou uma arrancada que faz com que sua mão, em um ato de se segurar, aberta minha buceta por cima da bermuda, ele então pede desculpa por aquilo, eu apenas afirmo com a cabeça, mas ele não tira a mão de minha coxa, somente o faz quando já estávamos no portão de casa. Sempre que fazíamos essas saídas de moto fazia questão de aproveitar e deixa-lo um pouco excitado.

Quando tem alguma festa de aniversario de meus amigos, sempre peço que para ele me buscar, mas em quase todas minha irmã me acompanha, porem teve uma festa em questão que ela não pode ir, e na volta lá pelas 02:00 da manhã liguei para mãe pedindo que Caio viesse me buscar, na hora damos carona também para mais duas amigas minha, que moravam a caminho de casa.

Eu estava no banco da frente, vestida de numa minissaia, tinha bebido um pouco confesso, estava largada no assento do banco, minha minissaia já estava bem levantada deixando a mostra minha calcinha e ele não parava de olhar, as vezes puxado um pouco ela para cobrir, mas não adiantava ela voltava a subir, então desisti e fiquei assim mesmo, com minha calcinha amostra. Ela fez uma curva bem fechada fazendo com que eu me jogasse quase que em cima dele, nisso apoiei a mão em sua perna, e de lá não tirei, ele estava de bermuda e camisa regata, ele olhou pra mim e soltou uma risada sacana, queria poder alisar aquele cacete mais já estávamos quase na porta de casa. Antes de entrar em casa o abracei forte e agradeci por ter ido me buscar e dei um beijinho em sua boca desejando boa noite.

Logo após tomei meu banho e fui ao meu quarto, lembrei-me que havia esquecido a calcinha no banheiro, retornei, mas meu padrasto já tinha entrado, ouvi apenas o chuveiro jorrando agua, depois de quase dez minutos ele sai do banheiro, como ainda não havia pegado no sono, entrei no banheiro e ao pegar minha calcinha percebi que o fundo dela estava todo seu de esperma do meu padrasto, estava com um cheiro forte, o sacana do meu padrasto tinha gozado nela, pensando em mim foder, aquilo me deixou excitada, levei a calcinha comigo e debaixo da coberta me masturbei deliciosamente antes de cair num sono profundo.

Melissa e eu somos amigas desde os 10 anos de idade, somo vizinhas, até ano passado estudávamos juntas na mesma escola, esse ano ela foi matriculada noutro colégio, mas continuamos indo juntas, pois estudamos a tarde também. Melissa já possui um namorado, até gatinho, ela perdeu a virgindade com ele a pouco tempo, essa historia ainda vou relatar aqui caso queira.

Melissa é morena, não muito alta, cabelos cacheados, como ela se bronzeia bastante, tem uma marquinha sexy de bronze que enlouquece qualquer homem, seu bumbum enorme é seu cartão de visita, possui lábios carnudos, realmente ela é uma morena de parar o transito. Os pais de Melissa são negros, sua mãe Mel é uma morena estilo rainha de bateria e seu pai, Ricardo, já mais velho, mais também é bonito. Melissa tem um irmãozinho de 10 anos, Junior.

Já tínhamos uns 12 anos e nós ainda brincávamos de boneca, e também nessa idade dos 11 aos 14, dormíamos uma na casa da outra. Tínhamos essa liberdade entre nossa família. E foi com uns 11 anos, após vermos os pais de Melissa transarem na sala, fomos pro quarto e acabamos masturbando uma a outra, foi nossa primeira experiência juntas. Melissa abriu suas pernas e pediu para eu mexer na sua borboletinha, quando toquei ela, já estava toda meladinha, o que me deixou também melada, depois foi a vez dela bolinar minha xoxotinha. Mexíamos de qualquer jeito sem a experiência que temos hoje, mas foi bom pra primeira vez. Depois nos viciamos nisso, caracas!!! gostoso demais…

O tempo foi passando, e Melissa como é mais extrovertida, começou a namorar as escondidas logo cedo, já com 12 quase 13 anos, ai já era os meninos que ela deixava bolinar sua bucetinha, porem só foi perder mesmo sua virgindade com esse namorado atual.

Ela se incomodava por eu não querer namorar ninguém da escola e sempre me questionava o porquê? Eu sempre dizia que minha prioridade era os estudos, ainda não tinha falado pra ela das minhas provocações e a excitação que tenho por meu padrasto, só foi no dia seguinte, depois da noite em que quase fazemos uma loucura no seu quarto que me abri pra amiga.

Melissa se espantou depois que relatei tudo que vinha acontecendo esses anos, ela até me confessou que achava meio estranho mesmo os olhares do Tio Caio (assim que o chamava) para Valeria e em mim, ela como amiga pediu pra parar com isso, pois sabia que minha mãe o ama muito e caso ela venha a descobrir algo ela iria surtar. Falei pra Melissa que já estava pensando em parar com isso, apesar de está adorando todo aquele clima de sedução e tesão, isso poderia mesmo arruinar nossa família.

Depois dessa conversa, Melissa me confidenciou que meu padrasto uma vez deu-lhe uma cantada, e que só não tinha dito nada antes por receio. Melissa contou que há uns 2 meses atrás estava saindo de casa na mesma hora que meu padrasto, então ele perguntou pra onde ela iria e ofereceu uma carona, Melissa aceitou pois teria mesmo que ir ao centro e retornar rápido e a carona iria lhe adiantar bastante. Melissa disse que estava vestida num vestidinho coladinho na cor preta, não muito curto, mas quando sentava-se teria que ter cuidado senão ele a entregava..

Já no meio do caminho, após conversarem sobre os pais de Melissa, Tio Caio, talvez propositalmente, fica com a mão na marcha e como Melissa estava com a dela também próxima a marcha, com os dedos Tio Caio tocou levemente sua mão, fazendo com que Melissa sentisse um arrepio contou ela. Mas ela sentiu-se desconfortável com aquilo, e afastou sua mão, mais a frente Tio Caio perguntou se Melissa já tinha terminado o namoro, ela disse que não e que estavam bem…

Ele perguntou se Melissa saberia se eu ou a Valeria já tinha um namoradinho escondido por ai, Melissa então responde que se elas tivessem eles estavam bem escondidos, pois ela mesma não saberia. Nisso os dois sorriram bastante, já estava chegando no local que Melissa iria ficar e Tio Caio fala que foi bom ter conversado com ela, que se qualquer dia poderiam conversar mais um pouco, ao parar o carro Tio Caio coloca a mão sobre as coxa de Melissa e dar um aperto que a deixa arrepia e se despedi com um beijo na bochecha de Melissa, ela diz que ficou paralisada com aquilo naquele momento, mais depois passou o dia pensando no Tio Caio, ao ouvir isso dela fiquei até com uma pontinha de ciúme.

Depois dessa carona meu padrasto ainda enviou algumas mensagens pra Melissa, mas ela disse que por consideração a nossa família, a amizade que tinha com minha mãe, ignorou as investidas do Tio Caio. Fiquei aliviada ao escutar isso, pois eu sinceramente não tinha como competir com uma mulher linda daquela, rsrsrs.

Agora estou nesse dilema cruel, nessa semana quase transo com meu padrasto, vejo que ele está cada vez mais atraído e tudo isso por culpa minha, porem estou adorando e isso me excita muito. E agora meu médico querido o que eu faço?

Como já tinha dito anteriormente, minha irmã e linda é novinha, vou chama-la de Valéria, mas quem vê, pensa que já tem uns 16 anos, devido já ter um corpo bem desenvolvido, seios grandes, alta, cabelos cacheados, uma xoxotinha linda que ela deixa sempre lisinha, um baita mulherão, puxou para minha mãe.

Valéria é apaixonada por desenhos japoneses, os tais Animes, ela vai a eventos fantasiada das personagens desses desenhos, quase sempre vestida de menininha colegial, tipo saia curta com dobrinhas, sapatilha, meia até acima do joelho e blusinha, eu pessoalmente acho ela linda e sexy e penso que meu padrasto também, pois ele faz questão de comprar tudo que ela pede e também a leva a acompanha aos eventos que acontecem aqui na cidade. Eu as vezes a acompanho também, mas não sou muito fã, não era, pra falar bem até pouco tempo atrás.

A pouco mais de dois meses, fui pra escola porem passei ruim devido está com cólica. No período da tarde Valeria e minha avó ficam sozinhas em casa, minha avó fica no seu quarto vendo tv e fazendo crochê e a Valeria vai pro nosso quarto na parte de cima e fica no computador, minha avó nem se preocupa.

Pois bem, nessa tarde, cheguei em casa por volta das 3:00 hrs, como estava com dores, entrei triste, sem fazer barulho, deixei a mochila no sofá , fui até minha avó, informei o subi para nosso quarto, ao abrir a porta devagar me deparo com Valéria, estava de costa pra porta, estava vestida na saia colegial, com as pernas abertas em cima da escrivaninha acariciando sua bucetinha, ela não percebeu minha presença, quando olho pra tela do computador vejo uns desenhos japoneses de sacanagem, pra ser sincera bem excitantes mesmo, umas picas enormes, xoxotinhas meladinhas, confesso que até eu senti vontade de bater uma siririca, vou caminhando lentamente na direção da Valéria, quando chego pertinho dela dou um tapinha no seu ombro e digo:

– Te peguei Valeria!!!

– Ahhhh!!!!!!!! Sua merda!!! Grita ela, ao mesmo instante em que levanta e começa a esbravejar, acho muita graça de tudo aquilo o que a deixa mais puta ainda.

Falei pra ela se acalmar, que não iria contar pra ninguém, também disse que isso era normal e que eu comecei a me masturbar com 11 anos junto com a Melissa. Então pedi que ela me mostrasse mais sobre aqueles desenhos japoneses. Só ai ela se acalmou, vestiu sua calcinha que estava no chão e começou a me falar sobre os Hentai… Essa parte eu gostei e vendo e lendo todos aqueles desenhos acabamos nos excitando e acabamos batendo uma siririca juntas… Passamos a nos masturbar durante algumas madrugadas vendo os Hentais, até a noite que nossa mãe nos pegou de surpresa.

Não eram todos os dias que fazíamos isso, mais umas duas ou três vezes da semana. Valeria que acordava e me chamava para assistir, como já dormíamos sem calcinha, ligávamos o computador e como nossa tela era grande dava pra assistirmos de nossa cama mesmo, então cada uma ficava na sua e relaxava lá mesmo, quando escutávamos algum barulho,

Valeria só puxava o cabo do computador da tomada que ficava próximo de sua cama, mas certa madrugada, acho que estávamos tão concentrada que ouvimos quando nossa mãe adentrou no quarto e nós pegou no flagra. Logico que ficamos morta de vergonha, mamãe falou horrores, mas não fez escândalo, acho que ela também não queria que nosso padrasto soubesse daquele fato. Mas meu padrasto estava ao lado da porta escutando tudo… Depois disso mamãe passou a desligar a internet as 11 da noite.

Sábado, 25/05/2019, 09:00 da manhã acordo, olho para cama de minha irmã, ela continua dormindo, levando-me, visto minha camisola e vou ao banheiro, passo em frente ao quarto de meus pais, e a porta esta entre aberta, observo que tem alguém deitado ainda, acho estranho pois mesmo aos sábados meus pais levantam cedo.

Entro no banheiro e faço apenas xixi, me sinto aliviada, enxugo minha buceta, dou uma olhada no espelho da pia, pareço um monstro, cabelos espalhados, olhos e rosto inchados, então jogo uma água nos rosto e escovo os dentes.

Saio e banheiro e entro silenciosa e curiosa no quarto de minha mãe, vou até a cama, não sabia ainda quem estava deitado, pois estava com o corpo todo coberto, o quarto estava num frio bem gostoso. Puxo uma ponta do lençol na parte dos pés e vi que quem estava deitado era meu padrasto.

Alguma coisa aconteceu pra ele está deitado até essa hora, levanto mais um pouco o lençol e vejo seu bumbum, meu padrasto está nu, deitado de bruços, dou a volta no colchão e chego mais próximo dele, sento me na borda do colchão e puxo a parte do lençol que cobre seu rosto, ele estava dormindo e ainda não tinha sentido minha presença, passo a mão no seu rosto e cabelos, senti um calor a mais, ele estava febril, comecei a fazer cafune na sua cabeça, foi quando ele veio acordando aos poucos, abriu os olhos e verificou que era eu, deu um sorriso pra mim e eu desejei Bom dia!

Ele disse que hoje o dia tinha começado muito bem com meu cafuné, pena que estava com muita febre e calafrios, falou que minha mãe mais cedo tinha lhe dado um remédio e que acabou dormindo novamente. Então perguntei:

– Tio quer colinho da filhinha?

– Com certeza me fará bem melhor! Respondeu Caio.

– Então deixa eu me sentar aqui e você coloca sua cabeça aqui nas pernas! Falei

Ai sentei no colchão com as costas apoiadas na cabeceira da cama, peguei o travesseiro e coloquei nas minhas pernas, pedi que deitasse com a cabeça nele, porem ele puxou o travesseiro e jogou longe da cama e deitou-se ainda de bruços apoiando a cabeça sobre minha coxa, abraçando minhas pernas com um dos seus braços. Nisso ele liga a tv e peço que ele procure um filme bom pra assistirmos, começamos a assistir, ele começa a alisar meus joelhos e canela, eu fico só fazendo cafuné em sua cabeça. Já estávamos a quase meia hora nisso quando mamãe entra no quarto e até se surpreende com aquela cena e diz:

– Bom dia filha, que milagre foi esse, você aqui! Seu tio esta dodói a tarefa de dar banhos nos cachorros é só sua hoje! Diz ela.

– Pois é mamãe, ele me disse que acordou dodói e já tinha me dado a ordem de banhar os cães, deixa só acabar esse filme tá! Respondi como se não estivesse fazendo nada demais.

– Ta bom filha!!! Vou ter que ir no supermercado, acorde e chame sua irmã para te ajudar, sua avó está deitada lá em baixo, tchau!!!

Mamãe vai até meu padrasto, verifica como anda a febre, dar um beijo nele e sai. Escuto o portão se fechando, minha irmã ainda estava dormindo. Aquela posição já estava desconfortável e tento me ajeitar, Caio levanta um pouco a cabeça me dando espaço pra me acomodar, quando ele retorna com a cabeça para minha coxa ele enfia o rosto no meio de minhas pernas, sinto seu nariz fuçar minha buceta, parecia um cão no cio cheirando a xoxota de uma cadela. Nisso ele diz:

– Esse cheiro de xixi matinal é bem gostoso!

Fico sem ação e não consigo dar uma resposta a ele, apenas pego novamente o outro travesseiro e coloco nas minhas pernas, mas ele retira e encosta sua cabeça de novo no meu colo, mas agora ele vira-se e fica de peito pra cima, eu jogo meus braços sobre seu peito e começo a arranha-lo por cima do lençol, ele então puxa o lençol e cobre meus braços a deixando minha mão no contato direto com seu peito meio cabeludo, assim fico acariciando-o levemente!

Noto pelo lençol que uma das suas mãos esta em seu pênis, vejo uma alteração anormal naquela parte, apesar do quarto está meio escuro, somente com as luzes da imagem da tv, deu pra perceber que ele estava tocando seu pênis. Aquilo já me deixou excitada, como minha outra mão tento coloca-la entre minha pernas, tio Caio levanta o pouco cabeça e assim consigo alcançar com os dedos minha bucetinha, depois ele retorna com a cabeça no colo. Seu cacete faz o lençol ficar pontiagudo naquela parte, eu olho para o rosto dele e vejo que está de olhos fechados, começo a alisar seu peito com mais prazer, vejo que ele lentamente faz movimentos em seu cacete, eu tento iniciar uma caricia na minha pepeka também, levanto um pouco o lençol, mais tá escuro não consigo ver seu cacete.

Olhava novamente para seu rosto, fico desejando sua boca que estava entre aberta, seguro um lado do seu rosto, inclino meu corpo na tentativa de beijar sua boca, quando estávamos a poucos centímetros do nosso beijo, escuto minha irmã chamar pelo meu nome, eu grito respondendo que estava no quarto de nossa mãe, meu tio vira novamente de bruços no esforço em esconder seu cacete duro,

Valeria acabava de levantar, entra no quarto e se joga na cama, dar um abraço no Caio e deseja bom dia a ele, ela pergunta o que estávamos assistindo e decide assistir também, ela com seu jeitinho inocente, que de nada tem de inocente, puxa o lençol um pouco e também percebe que nosso tio estava nú, e fica abraçada nele nas costas, o que me deixou enciumada. A sacana ainda ficou tirando casquinha dele também.

Bom para nosso padrasto Caio que ganhou cafuné das duas afilhadas. O filme acabou e ele nos mandou fazer as tarefas que nossa mãe passou, e que depois poderiam retornar. Eu e Valeria descemos e fomos fazer nossas tarefas, meia hora depois nossa mãe chega.

Sábado- 25/05/19 – 12:30 – Hora do almoço, Eu e Valeria já tínhamos feitas nossas missões, tomamos nosso banho e fomos almoçar, Caio desce também já tomado banho vestido na sua bermuda sunga canção, com aquele cacete balançando pra lá e pra cá. No almoço mamãe nos convida a ir ao shopping com ela, pois teria que comprar um presente pra uma amiga que faria uma festinha no casa dela no domingo. Meu padrasto disse que iria ficar em casa descansando. Após o almoço meus pais vão pro quarto, Valeria acompanha minha avó ao quarto e eu mando uma mensagem pra Melissa, queria saber por onde estava e convida-la a ir conosco no shopping, ela estava em casa ai resolvo dar um pulinho lá, fico lá por volta de meia hora, retorno pra casa.

Sábado – 25/05/19 – 13:45 hrs – Entro em casa, Vou até o quarto de minha avó, Valeria esta na cama e minha avó na rede, ambas estão dormindo, então subo pro meu quarto, quando passo na frente do quarto de minha mãe escuto uns gemidos leves, mas são gemidos masculinos, tento abri a maçanete, mas a porta esta trancada, ouço Caio falando excitando:

– Isso amor, chupa meu cacete bem gostoso, seu papai ta com muita gala guardada!!! Chupa meu culhão também!!! Dizia Caio

– Vou engolir tudinho amor!!! Respondia minha mãe

-Ahhh amor, isso vai, chupa, chupa, chupa!!! Ai, ai, ai amor, na cabecinha não, isso é tortura, chupa vai!!!

– Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii caraaaalho, vou gozar sua putaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!! Engoli tudo sua cachorraaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!Meu Deus do céu! Ao escutar aquilo, melei toda minha calcinha, minha vontade era de entrar naquele quarto e dividir aquele cacete com minha mãe. Caracas, fui correndo pro banheiro, abri o chuveiro, tirei minha bermuda e sentei no vaso sanitário, abri minhas pernas e apoiei meus pés no alto da parede ficando toda aberta e comecei a tocar uma siririca, gozei horrores imaginando como era aquela cena no quarto, que delicia foi aquela gozada, tomei meu banho pra esfriar aquele fogo e deitei-me e adormeci, só acordei quando minha me chama pra irmos ao shopping umas 15:30 hrs.

Isso foi o que de melhor aconteceu no meu sábado, bem excitante… Doutor confesso que estou com medo que essa relação com meu padrasto possa ir mais adiante e eu acabar cedendo as provocações do meu padrasto também, pois depois de hoje e do que aconteceu na noite de terça-feira, eu percebi que se eu continuar agindo com essas provocações, acabaremos fazendo loucura, então nos próximos dias vou tentar me afastar dele e ver qual vai ser reação dele.

Vou contar hoje o que aconteceu no domingo dia 26/05.

Como tinha dito na ultima pagina do meu diário tentaria me afastado um pouco do meu padrasto e não o provoca-lo, pois bem assim o fiz, depois do ultimo sábado dia 25/05/2019, um dia bem provocante por sinal, vi que a coisa tava esquentando demais, meu padrasto já não tinha todo aquele medo que quando no começo.

No domingo minha mãe foi no aniversario de sua amiga, seria um almoço, mas ele não foi pois estava se sentindo ruim ainda, eu pensei duas vezes em ir ou não com ela também, mas sei que se eu ficasse em casa naquele domingo sozinho com ele novamente a coisa não ia prestar, então resolvi acompanhar minha mãe e irmã, nossa avó também foi. Já sabíamos que lá possuía uma piscina e nossa mãe pediu que levássemos biquíni caso quiséssemos, então eu e Valeria levamos.

Chegamos lá era meio dia em ponto, a casa estava cheia, falamos com a aniversariante e logo avistei uma colega minha e fui cumprimenta-la, Vanessa também estava acompanhando seus pais. Estudei com Vanessa ano passado, fazíamos vários trabalhos escolares juntas, perguntei se ela estava com biquíni, disse que sim, só não tinha colocado antes, pois não queria ir sozinha pra piscina, então convido minha irmã também e fomos nos vestir, a aniversariante indica um quarto do seu filho no final do corredor da casa, pra nós se trocarmos. Entramos no quarto e trancamos a porta.

Como a Valeria estava de saia, ela só desceu a calcinha e vestiu a parte de baixo rápido, a parte de cima ela já veio vestida por baixo da blusa, então rápido ela sai do quarto e acaba deixando a porta destrancada, eu e Vanessa esquecemos de trancar novamente, minutos depois entra no quarto seu filho Jean e pega nós duas nuas, soltamos um grito de susto, e ele também, ficou por instante parado e admirando nos duas, depois deu dois passos pra trás e pedindo desculpas saiu e fechou a porta. Eu e Vanessa nos olhamos e começamos a rir. Nós trocamos rápidos e saímos. Ao sair damos de cara com Jean que estava no corredor nos aguardando a sair.

Jean era bem branco, loirinho, tinha 18 anos, já estava cursando o 1º ano de engenharia, ao passarmos por ele no corredor ele disse que já faria companhia a nós na piscina. Vanessa olha pra trás e disse que ele seria bem vindo. Chegamos à piscina e a Valeria já estava lá dentro, tinha vários casais naquele almoço com crianças menores, adolescentes eram somente nós mesma,

Vanessa que tinha um corpo um pouco mais forte que eu atrai olhares de alguns marmanjos. Nos duas entramos na piscina, que já tinha Valeria e mais três crianças. Passado alguns minutos surgi Jean, vestido numa bela sunga, seu corpo era bem atlético, músculos dos braços definidos, barriga tanquinho, naquele corpo só faltava mesmo um solzinho, Jean estava muito branquinho… Ele vem trazendo um na protetor solar, senta-se na beira da piscina bem próximo a nós e fala:

– Qual princesa pode passar esse protetor em mim?

– Eu, eu, eu!!! diz Vanessa toda eufórica.

Confesso que tive vontade de passar tirar uma casquinha no corpo do Jean, mas ela foi mais rápida que eu rsrsrsrs. Vanessa também senta a beira da piscina e passa o protetor nas costas, bustos e do garoto, no rosto ele já tinha passado.

Enturmamo-nos e conversamos bastantes nós quatro, rimos do flagra logo cedo, perguntamos se ele chegou a ver algo mais, ele disse que só viu duas bundas lindas, a gargalhada foi geral. O sorriso do Jean é lindo, suas palavras envolvem a pessoa, sua conversa é agradável, tanto nós como Vanessa estávamos encantadas. Numa certa hora a mãe de Jean o chama para almoçar então ele se despede de nós, então fazemos um charminho, falando:

-Ahhhhhhhhhhhhh não vai, fica mais um pouco!!! Falávamos juntas.

Jean apenas sorri e segue até sua mãe. Logo depois mamãe também nos chama pra almoçar.

Vanessa e eu cochichamos:

-Vic, acho que o Jean está afim de nós duas!!!

– Que nada Vanessa, eu reparei que ele ficou olhando mais pra ti, vc já até tirou uma casquinha dele.

– Eu aproveitei mesmo, rsrsrsrs!!!! Falou Vanessa.

Mamãe minutos depois também nós chama pra almoçar. Nós três nos servimos e fomos sentar junto à mesa que Jean estava. Senti uma afinidade entre Vanessa e Jean, acho que ela já ganhou ele. Apos o almoço Jean deu uma sumida, eu e as meninas ficamos fazendo o desjejum próxima na mesa que minha mãe estava. Ouvi ela comentar que no próximo sábado nós estaríamos para o sitio da minha tia Carla, irmã de minha mãe, no interior do Estado iria ser um festão a comemoração do aniversario da minha tia, fiquei encucado quando escutei que meu padrasto não iria. Uma das amigas da minha mãe que estava na roda de conversa, questionei o porquê dele não ir, então a mãe do Jean diz:

-Já sei muito bem o porquê? Disse ela.

-Ahhh, essa é uma longa historia amiga!!! Falou minha mãe.

Aquilo me deixou curiosa, e fiquei lá naquela roda de conversa, ligada em tudo, até aquele momento não sabia de nenhuma história que impedia Caio de ir na casa de minha tia Carla, ai me veio a cabeça que nesses 5 anos que Caio vive conosco ele nunca tinha ido na casa da titia conosco, sempre quando Eu ou a Valeria questionava a ele ou a mamãe eles inventavam uma desculpa.

Então vejo que mamãe senta mais próxima dessa amiga curiosa e começa a falar baixinho com ela, então chego com minha cadeira mais próxima delas e fingi que estava mexendo no celular e escuto toda a historia. Resumindo, meu padrasto fodeu com minha tia Carla logo no começo do namoro dele com minha mãe e acabou que meu tio Paulo os pegou nos flagra e foi um pega-pra-capar, caso de policia mesmo, escutei tudo e o que ouvi vai render uma pagina especial no meu diário que postarei depois.

Passei quase uma hora escutando aquela conversa e quando me dei conta, olhei para os lados e não a Valeria nem a Vanessa na piscina, levantei e fui a caça deles, perguntei a um garotinho próximo se ela tinha visto as meninas e ele disse que estavam jogando PS4 no quarto do primo dele. Ops, fui correndo pra lá, tinha outro garotinho próximo a porta do quarto, que quando me viu indo ao quarto gritou o nome do Jean, chego na porta do quarto e sinto que ali estava rolando alguma coisa, Valeria estava sentada uma cadeira jogando PS4, enquanto Jean e Vanessa estavam sentados na cama logo atrás da Valeria, mas os dois estavam com rostos suados rsrsrs… Jean com um travesseiro sobre o colo com certeza estava de cacete duro, me fiz de lesa e fingi não ter percebido nada, eu fui falar com a Valeria, Jean inventa uma desculpa de pegar refrigerante pra nós, quando ele sai vou correndo até Vanessa e pergunto se eles estavam se pegando:

– Ai amiga, estávamos só nos beijando, ele me deitou aqui na cama e começou a aperta meu bumbum, mais não deixei suas mãos bobas me bolinar, tua irmã ta ai tambem!!!

– Você é uma doida isso sim!!! Disse eu.

– Doido é ele, que colocou esse muleque ai na porta também e prometeu dar R$ 10,00 pra ele ficar vigiando, toda vez que viesse alguém era pra ele gritar o nome do Jean!!! Rsrsrsrs!!! A tua irmã ta tão entretida no vídeo game que nem notou nada. Amiga!!! Vc chegou bem na hora que tava alisando o pau do Jean por cima da bermuda, você viu que ele estava com travesseiro no colo?

– Eu percebi isso sim!!! Kkkkkk

Nessa hora Jean retorna com o refrigerante e ficamos conversando besteiras, nos adicionamos no facebook e instagran, já ia dar umas 4 da tarde quando mamãe nós chama pra irmos embora. Assim nós despedimos, os pais de Vanessa parece que não iriam no momento, seu pai ainda estava numa boa rodada de cerveja e baralho numa boa empolgação.

Chegamos em casa as 17:00 hrs. Os pais da Melissa e o Caio estavam sentados e conversando, na frente da casa da Mel, onde tem uma arvore com uma sombra maravilhosa. Todos nós descemos do carro e fomos lá com eles. Minha avó mandou a Valeria buscar duas cadeiras pra elas, eu perguntei pra Tia onde estava a Melissa e o Junior, o Tio Ricardo respondeu que o Junior estava na sala brincando vídeo game e a Melissa na cozinha fazendo um trabalho da escola com seu namorado. Então eu e minha irmã fomos até eles. Na sala estava o Junior brincando e Valeria se juntou a ele, eu segui pra cozinha em busca da Melissa, vejo os livros e cadernos na mesa, mas nada deles, dou meia volta e vou até o quarto da Melissa, empurro a porta devagar e vejo o Felipe e Melissa deitados na cama se pegando e beijando, ele meio que por cima dela com a mão dentro da calcinha, fazendo um siririca nela, fecho a porta e bato ela com força e vou pra sala, de repente aparece os dois na sala todos assustados e eu cai na gargalhada juntos com eles. Fomos a cozinha nós cinco e fizemos um lanche. Depois Felipe se despediu disse que tinha que ir a missa com a mãe e que depois passaria na casa da Mel, eu e Melissa fomos pro quarto fofocar, isso já se passada das 6:00 da noite de domingo, quando recebo uma mensagem da Vanessa:

– Vic, vc nem imagina o que aconteceu depois que vc foi embora!!!

-Vixe…já até imagino amiga!!!

-Depois que vcs saíram, o pai do Jean pediu que ele comprasse mais cerveja, então ele me convidou a ir junto com ele.

– E ai? Vc foi?

– Fui sim hora, ele até pediu pro meu pai, perguntou se eu poderia ir junto, ele autorizou e fomos!!!

-que bom, e dps?

-Dps entramos no seu carro, aquele vermelho que ele ganhou ao entrar na faculdade!!!

– Sim, eu vi ele parado na frente, um Renegade?

– Isso mesmo, esse ai, entrei no carro, ele estava só de bermuda, andamos algumas quadras, e numa rua deserta, como estavam quase todas daquele bairro, ele parou o carro embaixo de uma arvore, e começamos a nos beijar, seu cacete tava durão tá!!! Ele colocou o pau pra fora da bermuda e pediu pra eu chupar.

– E ai chupou amiga?

– Claro né amigo, o cacete lindo com uma cabeça vermelhona daquela, impossível resistir!!!– E ai, conta?

– Ahhh fiquei chupando ela, estava toda babada, enquanto ele ficava com a mão, bolinando na minha bunda e meu cuzinho. Eu estava louca pra sentar naquele cacete amiga!!! Vc não imagina o quanto!!!

– então vc deu pra ele?

– Poxa!!! Ainda não, os pais deles ligaram, perguntando se tínhamos ido na fabrica, então tivemos que dar uma pausa, ai fomos comprar a cerveja e no caminho eu ia alisando seu cacete e ele mexendo na minha buceta, na volta ele não aguentando mais eu alisando, pediu pra eu bater uma punheta pra ele, paramos próximo de sua casa e começou a esfolar sua rola, quando ele sentiu que ia gozar, pegou na cabeça e fez eu cair de boca na sua pica engolindo toda sua gala!!! Caracas amiga foi muito louco aquilo!!!

– e depois Vanessa?

– Poxa amiga quando chegamos na casa, adivinha que já estava?

– Vixe, bem a namorada dele né?

-Isso mesmo, vc lembra que ele falou que quando ela estava fazendo uma prova de um concurso hoje, e depois ela iria pra lá, mas ele não sabia a hora?

-Lembro disso sim!!!

-Pois é, quando essa garota me viu descer do carro, acho que a vontade dela era se pendurar no meu pescoço…kkkk

-E vc, o que fez?

-Fiz nada amiga, vim ficar com minha mãe aqui na mesa e o Jean entrou pro quarto com a namorada, estão lá!!!

-E vc ainda tá ai?

-Ahh já viu, meu pai quando pega pra beber, não quer mais parar!!!

– mas bom que o domingo valeu a pena né amiga?

– Isso, hoje foi um dia incrível!!! Bjs Vic, acho que minha mãe já ta convencendo meu pai de ir, qualquer coisa me liga, manda msg, vc some pow!!!

– vou ligar sim Vanessa, pode deixar, bjs!!!

– uauu, VIC, eu que achava que era a mais putinha!!! Vanessa tá colocando a gente no bolso – disse Melissa que estava lendo a conversa junto comigo.

-pois é amiga, mas vc não fica atrás, ou pensa que eu não vi tu hoje aqui no quarto com o Felipe…kkkkkk

-Sua puta velha!!! Kkkkkkkkkkkkk.

Assim já estava escuro quando volta pra casa, Valeria ainda ficou brincando com Junior, nossos pais continuavam lá sentados na frente da casa, entrei e subi para o quarto, estava me despindo para ir ao banheiro, já iria tirar a calcinha que estava toda sujinha de tanta excitação do domingo, sinto um ranger da porta que não estava fechada. Era meu padrasto, tomei um susto na hora, peguei a toalha e me cobri, ele timidamente fala:

-Desculpa filha, não queria te incomodar, só queria saber como foi seu dia?

-Foi bom Tio! Agora vou tomar banho, pois estou suada, depois conversamos, tá bom!

Fui ríspida com meu padrasto, como disse queria colocar um limite nisso, apesar de que fui eu que comecei com essa putaria. Assim o fiz durante essa semana, não o provoquei, nem criei qualquer situação provocante. Amanhã iremos pra casa da minha Tia Carla, num sitio em outra cidade, ele não irá e o motivo eu contarei a vcs, todos detalhes por trás dessa historia de traições, rivalidades entre irmãs, incesto entre primos, tudo que rolou logo no começo do namoro dele com minha mãe.

Bjs Doutor, bom final de semana e continue lendo meu diário….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *