Eu tinha vários compromissos no shopping na tarde daquele dia.

PACIENTE 12.6.19

Resultado de imagem para SENSUAL

Era uma tarde de quinta-feira, mês de junho. O dia havia começado frio e nublado, mas aos poucos foi ficando ensolarado. Eu havia saído de casa de manhã, estava de saia, meia calça preta fina, botas de couro e salto alto, por cima, um casaco vermelho com botões dourados.

Eu tinha vários compromissos no shopping na tarde daquele dia. Estava na correria, caminhar apressado, salto alto e uma pequena mala. Os raios de sol deixavam meu cabelo mais claro, e o rosto mais iluminado. Estava focada na minha cliente que teria que encontrar, já estava atrasada. De repente ouço alguém:

– Ei, moça, espere um minutinho.

Parei, era comigo. Um cara alto, de barba, cabelos castanho claro, e um sorriso muito charmoso, reparei da pintinha que ele tinha no rosto. E também que o zíper da calça estava aberto (risos).

– Desculpa, mas não pude deixar de notar sua beleza, te achei muito charmosa.

– Obrigada. Também não pude deixar de notar, que seu zíper está aberto rsrs.

Ele brincou com a situação, rimos.

Agradeci o elogio e disse que precisava ir. Então trocamos telefone. Ele era um homem corajoso, engraçado e parecia ser interessante.

Chegando em casa, recebo uma mensagem: “quer assistir um filme comigo?”, eu já estava longe do shopping, então não rolou, foi isso que respondi pra ele. Começamos um papo interessante por mensagem, tínhamos muitas coisas em comum.

Marcamos um encontro na mesma semana, ele me buscaria em casa. Eu estava esperando na calçada, quando ele chega em um carro desses com teto solar sabe? Lindo por sinal. Eu estava bem arrumada como sempre, parecia uma princesinha perigosa hahaha. O carro era baixo, então na hora de entrar praticamente “cai” dentro dele. Nós rimos. Então ele pegou na minha mão, fez um toque suave com a dele, subindo até meu ombro, e deu um beijinho suave.

– Você é linda!

No caminho, começamos a conversar sobre nosso trabalho, sexualidade e conquista, era legal trocar ideias com ele. Que não parava de me olhar nos olhos, dizia que estava enfeitiçado pelo meu cheiro. E eu, estava adorando.

Chegamos em um barzinho bacana da cidade, tinham algumas mesas de madeira na parte externa, um pouco rústico, a cor da luz era um verde suave e tinham várias árvores e plantas. Foi lá que sentamos, em um cantinho mais reservado. Havia uma banda, tocando pop rock.

Depois de algum tempo, chegamos a um ponto da conversa onde estávamos falando abertamente sobre sexo, posições, fetiches, enfim, pura sacanagem, mas de uma forma leve e descontraída. Eu já havia notado que ele estava morrendo de tesão, sua respiração havia mudado, e a forma como me olhava também. Ficamos calados por alguns segundos, e eu lanço a pergunta:

– Se estivéssemos só nós dois aqui, agora, o que você faria?

Ele me olhou surpreso, deu um sorrisinho safado, e disse:

– Começaria beijando seus seios, que já imagino serem lindos, desceria até seu quadril, daria leves beijinhos. Depois iria te colocar de quatro em cima dessa mesa e te chuparia inteira!

Uau, eu senti um arrepio de tesão, imaginei todas cenas. Ele colocou a mão por baixo do meu vestido, na parte de dentro das minhas coxas, e perguntou:

– E você, o que faria comigo sereia?

Cheguei mais perto do seu ouvido e falei baixinho:

– Ficaria de frente pra você, aqui mesmo, depois eu iria ajoelhar, e colocar seu pau todinho na minha boca, quando estivesse quase gozando eu sentaria nele, de costas pra você, subia e descia bem devagar.

Depois da frase, dei um beijinho na orelha, de leve. Aquilo era loucura, nós dois já estamos extasiados. Então, a banda parou de tocar, era quase hora de fechar.

Ele me olhou e disse:

– Vamos embora?!

Pegou na minha mão e saímos de lá. No caminho, dentro do carro, começo a passar de leve minhas unhas por cima da calça, vem pertinho do zíper. Seu pau estava duro e quente, já podia sentir o tamanho. Tirei meu cinto, e me aproximo do seu pescoço, beijo, sentindo sua barba no meu rosto. Então, ele começa a abrir a calça. E eu digo:

– Ainda não garotinho. 

Eu adorava aquela brincadeira, queria deixar ele mais maluco! Quando chegando perto de um mirante ele pára o carro, tira o cinto e me dá um beijo molhado, vai colocando as mãos dentro da minha calcinha e deslizando os dedos pra dentro da minha bucetinha molhada.

Eu estava preocupada com a situação, alguém podia nos ver ali, mas o tesão falava mais alto, eu queria muito. Então peço pra que ele tire as calças. E sento no seu colo, ali mesmo, no banco do motorista. Era o encaixe perfeito, minha bucetinha deslizava, e ia ficando cada vez mais molhada, ainda mais depois dele fazer um carinho lá atrás.

Eu posso lembrar exatamente da cara dele me olhando sentada, que delícia! Eu já estava quase lá, quando ele segura meus cabelos e me dá um beijo, com ainda mais vontade e desejo. E é nessa hora que eu gozei, gemendo de prazer. Se alguém viu, ouviu? Não sabemos. Mas foi maravilhoso. E a volta pra casa, cheia de carícias, música alta e vento no rosto.

Acho que esse encontro merece um replay.

Concorda IGOR?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *