AS "SANTAS"

São mulheres vivendo os seus sonhos. Muitas acreditam em fadas, gnomos, príncipes, princesas e amores de outro mundo. Não. Elas não são loucas, nem doidas e nem pirada. Elas simplesmente desejam viver com prazer.

E-MAIL RECEBIDO HOJE PELA MANHÃ… (Paciente 8546)

E-MAIL RECEBIDO HOJE PELA MANHÃ… (Paciente 8546)

Não que eu goste de uma rapidinha, gosto de tudo completinho e com calma, mas tem hora que não resta alternativa, ai uma rapidinha no carro é um tesão. Tinha combinado com o Leo (o cara é casado ai que temos que aproveitar todas as brechas) uma bela trepada no final da tarde… Caiu uma puta chuva em Sampa que “parou” a cidade. Estava tudo alagado. O tempo passava e, por watzapp, nos falávamos pra definir se ainda “rolaria” nossa foda! Leo me respondeu que estava indo me pegar. Sendo assim, também fui para o lugar que tínhamos combinado. Chegamos quase juntos. Entrei no carro, rolou um beijo delicioso, peguei no pau dele, que já estava duro e perguntei: -Com essa chuva, o trânsito cagado, para onde vamos? Leo, sem pensar duas vezes, respondeu: -No estacionamento do shopping que fica aqui ao lado! Eu estava com muito tesão – Leo de pau duro e eu molhada. No caminho fui matando um pouco da minha vontade chupando o pau dele. A cada parada, eu intensificava a chupada e o Leo delirava. Quando o transito andava pedia para eu “pegar leve” ou parar. Eu morria de rir com a falta de controle e o medo dele. Eu não parava e Leo ia me xingando: -Para de chupar putinha, tem gente olhando… Eu molhada, já sem calcinha, continuava debruçada entre as pernas dele. Leo dirigia e passava a mão entre minhas pernas, com dos dedos tocando minha buceta, literalmente me dedilhando e se lambuzando. Quanto mais eu o chupava, mais ele me sentia, tesa, molhada, escorrendo! Entramos no shopping e paramos numa vaga bem escondidinha… O carro, apesar de ter insulfilm nos vidros, não era tão “escuro”. Ele deixou o motor ligado, por causa do ar condicionado, ambos bem à vontade, continuei o que estava fazendo – chupar aquela pica dura deliciosa! -Chupa putinha safada, mela bem ele que vou comer sua bucetinha. Eu adoro os “elogios” que o Leo me faz! Ele falando e eu com a boca encaixada na rola dele. Uma de suas mãos segurava meus cabelos que caíam no rosto e atrapalhava, e a outra mão brincava na minha buceta melada. A temperatura dentro do carro foi subindo e os vidros embaçando. Perto dali um segurança passou. Leo ficou olhando pelo retrovisor e viu que o sujeito não tinha notado nada e que tinha ido para outro lado. Continuamos, ainda mais frenéticos e o ritmo acelerado. Eu com rola dele todo dentro da boca, chupava sugando a cabecinha, lambendo de cima a baixo, passando a língua pela virilha, pelo saco, voltando a chupar batendo uma punheta… Leo adorava quando sugava com vontade a cabecinha, gemia alto, virava os olhos, puxava ainda mais meus cabelos, enterrava com força os dedos na minha buceta. Pedi pra ele chegar o banco pra trás, descer um pouco o encosto, sentei de frente no colo dele e me encaixei como uma luva na rola dura. Leo metia com muita vontade. Eu doida me segurava firme pra não gritar. O carro balançava. Leo não conseguia trepar devagar, nem eu. Ora me fodendo com força, ora deixando que eu cavalgasse. Mas sempre de olho no retrovisor. Até que a coisa foi intensificando, e eu me contraindo… O carro se “mexendo” certamente chamou atenção do segurança que bateu no vidro. Só deu tempo de pular para o banco do carona e tentar me cobrir de alguma forma. Leo desceu o vidro pra falar com o cara, que disse: -Melhor irem para o lado externo do estacionamento que é descoberto, e como está chovendo e escuro, não tem segurança rondando lá fora. O cara foi bacana! Mas podia ter nos deixando em má situação. Leo foi pagar o estacionamento. Tirou o carro de onde estava e parou em outro lugar. -Vamos terminar né?! Leo desceu novamente a calça. Ele continuava de pau duro. Seus dedos novamente em mim, tocando meu grelinho, e eu chupando Leo de novo. Em 5 minutos gozamos! Como estávamos no carro não podia deixar nenhum vestígio. Então aproveitei e engoli tudo o que Leo me deu e não desperdicei nada! E olha que não foi pouca coisa. Leo se vestiu e eu me arrumei. Saímos felizes e satisfeitos do shopping. Leo me deixou em casa, e essa foi a melhor parte, quando, depois de toda essa troca de fluidos, Leo me deu um beijo delicioso, com o gosto dele.

Quer saber um segredo?

Eu simplesmente adooooro esses beijos pós-gozada.

HUNSAKER.cupom desconto extracriar blog

hunsaker

Sou o que sou. Sou incoerente por vezes, sou sonhador sempre, temo o desconhecido sem contudo deixar de arriscar, tenho planos e projetos, construí e ví cair em minha frente castelos. Como um anjo voei aos céus mas longínquos, e como um cometa caí. A queda me machucou, contudo me fez mais forte. Sou falho e impreciso. Simplesmente indefinível, enfim sou apenas um IGOR mas, o IGOR HUNSAKER.