AS "SANTAS"

São mulheres vivendo os seus sonhos. Muitas acreditam em fadas, gnomos, príncipes, princesas e amores de outro mundo. Não. Elas não são loucas, nem doidas e nem pirada. Elas simplesmente desejam viver com prazer.

A SANTA PACEANDO DE CARRO NOVO… (Paciente 15689)

A SANTA PACEANDO DE CARRO NOVO… (Paciente 15689)

Resultado de imagem para transei dentro do carro relato

Uns dois meses atrás, numa daquelas festinhas do trabalho conheci um irmão de um colega e fique caidinha por ele. Vou chamá-lo de Mauricio.

Mauricio tem 22 anos (eu tenho 26) é loiro, olhos claros e corpo atlético e do tipo garotão e logo quando o conheci achei que ia rolar algo mas naquela noite só um selinho na ora da despedida. Passaram-se algumas semanas e como não tive notícias acabei esquecendo dele até que numa noite ele apareceu para dar carona ao irmão que estava sem carro naquele dia.

Novamente olhei pra ele cheia de desejo e desta vez ele retribuiu com um olhar tão sacana que me senti comida ali mesmo no corredor da faculdade. Ele então me convidou para sair no dia seguinte que seria sexta-feira e topei na hora. Além de querer muito aquele gato eu estava sem transar há quase um mês e já subindo pelas paredes.

No dia seguinte cheguei em casa do trabalho, tomei um banho de princesa, me perfumei toda e coloquei um vestidinho de parar o trânsito.

Por volta das 21 horas ele chegou. Estava um gato, e cheiroso como todo homem deve ser. Mal entrei no carro ele já me elogiou dizendo que eu estava maravilhosa. Fiquei super feliz e pensei comigo: essa noite promete e saímos sem rumo. Demos algumas voltas e decidimos ir até São Paulo num bar que ele disse conhecer e que era muito agradável.

No caminho colocou a mão na minha perna e começou a acariciar a parte de dentro da minha coxa me deixando arrepiada de tesão com aquela mão quente e gostosa. Retribui me aproximando dele e também colocando minha mão nas pernas grossas dele que suspirou quando eu me aproximei ainda mais e dei um beijo no seu pescoço.

Ele então subiu pela minha coxa até chegar na minha calcinha que já estava molhada e foi tentando colocar minha calcinha de lado até conseguir e começou a dedilhar minha bucetinha sedenta.

Gemi alto no ouvido dele e fui direto no zíper da sua calça e num segundo estava com aquela tora quente e grossa na minha mão.

Estávamos numa avenida movimentada mas não me importei e até fiquei mais excitada de quem sabe alguém estivesse nos vendo.

Aquele cheiro de homem me deixou com tanto tesão que não resisti e cai de boca naquele pinto gostoso. Comecei lambendo a cabeça e fui fazendo uma longa descida e depois tentei enfiar tudo na minha boca mas não cabia. Continuei chupando gostoso enquanto ele enfiava um e depois dois dedos na minha buceta.

Confesso que adoro chupar e, modéstia a parte, chupo como nenhuma outra.

Chupei tanto e tão gostoso que o pau do Mauricio começou a crescer ainda mais na minha boca e pressenti que o leitinho estava perto. Não tive medo e como adoro isso deixei ele gozar gostoso na minha boca. Ele tremia tanto que pensei que fosse bater o carro.

Mesmo depois dele gozar continuei chupando e qual foi minha surpresa quando ele continuou duro na minha boca. Continuei naquele vai e vem quando percebi que o carro parou. Levantei assustada e ele me tranquilizou dizendo que estávamos numa rua deserta e que ele já conhecia e não via perigo nisso e que queria me comer ali mesmo.

Não pensei duas vezes, levantei meu vestido e montei no colo dele enfiando tudo de uma só vez. Fiquei fora de mim com aquele pau gostoso, quente e melado entrando e saindo de mim.

Ele era realmente muito bom de cama, ou melhor, de carro. Sabia como me deixar louca. Enquanto eu cavalga ele ajudava no movimento colocando as duas mãos na minha bundinha e ao mesmo tempo chupava meus peitos sem parar. Ficamos naquele vai e vem por um longo tempo até que ele começou a penetrar meu cuzinho com seus dedos compridos. Dei um gritinho rouco e gozei. Aquele foi o sinal verde pra ele que me pediu com muito carinho: gatinha deixa eu comer o seu cuzinho?

Claro que não resisti e aceitei na hora. Ele então me colocou de costas pra ele desta vez e eu fui sentando bem devagar naquele pinto gostoso. Nunca tinha dado a bundinha para alguém com aquele tamanha de pinto mas não fiquei com medo e continuei.

Quando comecei a rebolar no pau dele ele começou a me xingar de putinha, vadia e dizer que nunca havia comido um rabinho tão gostoso como o meu. Aquele “elogio” me fez ficar ainda mais safada e comecei a rebolar como nunca naquele pau gostoso.

Gozei novamente e não demorou muito senti jatos de porra na minha bundinha. Fiquei ali sentada naquele cacete ate que ele ficasse mole. Voltei para o banco do passageiro me arrumei e como já não tínhamos forças para mais nada ele me levou pra casa me prometendo que repetiríamos a dose.

HUNSAKER.

hunsaker

Sou o que sou. Sou incoerente por vezes, sou sonhador sempre, temo o desconhecido sem contudo deixar de arriscar, tenho planos e projetos, construí e ví cair em minha frente castelos. Como um anjo voei aos céus mas longínquos, e como um cometa caí. A queda me machucou, contudo me fez mais forte. Sou falho e impreciso. Simplesmente indefinível, enfim sou apenas um IGOR mas, o IGOR HUNSAKER.