AS SANTAS PASSEIAM NO INFERNO …

Santa não desiste, se cansa. A Santa tem essa coisa de ir até o fim, esgotar todas as possibilidades, pagar pra ver. A Santa paga mesmo. Paga caro, com juros e até parcelado. Mas não tem preço sair de cabeça erguida, sem culpa, sem "E se"! A Santa completa o percurso e ás vezes fica até andando em círculos, mas quando a Santa muda de caminho, nossa, é fim de jogo para nós. Enquanto a Santa enche o saco com ciúmes e saudade, para de reclamar e agradeça! Porque no dia que a Santa aceitar tranquilamente nos dividir com o mundo, a Santa ficou mais compreensiva, a Santa parou de se importar, já era. Quem ama, cuida! E a Santa cuida até demais, mas dar sem receber é caridade, não carinho! E elas estão numa relação, não numa sessão espírita. A Santa entende e respeita nosso jeito, desde que nós a supramos pelo menos o mínimo das suas necessidades, principalmente emocionais, porque carne tem em qualquer esquina. Muitos homens não sabem, mas além de peito e bunda, a Santa tem sentimentos, quase sempre a flor da pele. São damas, não dramas, procurem entendê-las. Santa não é boneca inflável, só tem quem pode! Levar muitos corpos pra cama é fácil, quero ver conquistar corpo e alma de uma mulher que na verdade são verdadeiras SANTAS.

A SANTA E O AMIGO DA ACADEMIA…. (Paciente 14639)

A vida é uma peça de teatro

que não permite ensaios.

Por isso, cante, chore, dance, ria

e viva intensamente,

antes que a cortina se feche

e a peça termine sem aplausos.

IGOR HUNSAKER.

Sou casada há 20 anos, e sempre respeitei os princípios básicos do casamento. Até que um dia, tudo foi por água abaixo. 

Nesse dia, meu marido acabava de sair para o trabalho, quando a campainha tocou. Fui atender pensando que meu marido havia esquecido alguma coisa e sem olhar pelo olho mágico, abri a porta e tomei o maior susto. Não era ele, e sim um amigo nosso da academia.

Ele se chamava Paulo, tinha 28 anos, modelo fotográfico, mais ou menos 1,85m de altura, moreno jambo, bonito e malhadíssimo. Ele estava com uma bermuda e camiseta regata e logo foi dizendo que só tinha ido tomar um café, pois iria pra academia malhar um pouco.

Eu estava com uma camisolinha de seda curta e decotada e tentei fechar a porta dizendo que precisava me trocar. Mas ele empurrou a porta dizendo que estava com pressa e que eu não precisava me importar. Ele entrou e eu insisti em querer me trocar, mas ele me pegou pelos ombros e me conduziu para a cozinha pedindo que eu fizesse logo o café, pois ele tinha que ir pra academia.

Eu estava tão nervosa que ao colocar o café no coador, derrubei tudo na pia e no chão. Me agachei pra limpar tudo e ele se pôs à minha frente pra me ajudar e vi que ele ficou admirando meus peitos totalmente à mostra, devido à posição que eu me encontrava.

Fiquei totalmente desconsertada com a situação e me levantei rapidamente, pus mais pó no coador, coloquei a água pra passar o café e quando pensei em me virar, me senti fortemente abraçada por trás pelos seus braços fortes e longos.

Tentei me esquivar, mas não consegui. Como sou baixinha e ele era muito alto, eu sentia seu pinto acima da minha bunda, duro, quente. Fiquei petrificada! Ele me abraçava fortemente contra seu corpo e suas mãos me apertavam os peitinhos, fazendo carícias nos meus mamilos, que a essa altura estavam durinhos de tanto tesão.

Perdi a noção das coisas, do casamento, da família, de tudo. Eu estava completamente entregue àquele homem! O Paulo passou a beijar carinhosamente meus cabelos e foi descendo para a minha orelha, enfiando sua língua quente, o que me deixou mais doida ainda.

Ele beijou e chupou minha nuca enquanto apertava meus seios totalmente duros. De repente ele me virou de frente pra ele e enfiou sua língua quente e grossa na minha boca. Minhas pernas tremiam enquanto suas mãos percorriam minhas costas até chegar na minha bunda.

O safado puxou minha calcinha, até ficar toda enterrada na minha bundinha, enquanto acariciava minha bunda e falava algumas besteiras no meu ouvido. Logo ele me ergueu, me colocou sentada na pia e enquanto ele me beijava, baixou as alças da minha camisola e começou a mamar meus peitos.

Eu já estava completamente perdida quando ele me puxou pra frente, tirou minha calcinha e caiu de boca na minha bucetinha toda molhada. Eu beijava seu peito todo quando ele tirou a bermuda e quase morri de medo quando vi o tamanho do pinto dele.

Meu deussss!! Era muito maior e mais grosso do que do meu marido e enquanto eu pensava, ele envergou aquele caralho na frente da minha buceta encharcada e começou a penetrar aquela cabeçona.

– Ohhhhh!!! Está me rasgando todaaaaa, Paulo!! – falei quando senti uma forte dor, mas que depois de entrar a cabeça, senti um enorme calor invadindo minhas entranhas.

Foi maravilhoso e quando me dei conta, ele já tinha enfiado tudo até sentir seu saco bater na minha bunda. Não sei como aguentei. Acho que foi porque eu estava molhada demais. O pau dele entrou rasgando, mas entrou tudo e passei a sentir um prazer imenso sentindo aquele enorme caralho dentro de mim.

Ele então me levantou e eu entrelacei minhas pernas na sua cintura, enquanto ele socava profundamente sua pica em mim. Gozei como uma louca e pedia mais, quando senti minha gruta sendo inundada pela sua porra intensa e quente.

– Meu deussss, Pauloooo!!! Você gozou dentro de mim?!? – falei e por um momento fiquei assustada, ao perceber que minha xoxota estava cheia de porra de outro homem.

Me levantei rapidamente e fui tomar um banho na suíte, enquanto ele foi para o banheiro social.

Quando sai do banho eu o encontrei deitado em minha cama, nu e com aquele pinto colossal completamente duro. Não resisti e abocanhei aquele enorme caralho. Não cabia tudo na minha boca mas ele conseguiu enfiar até a minha goela e quando ele estava pra gozar, ele tirou da minha boca, me virou de bruços e me deu um belo banho de língua.

Ele ia me lambendo da nuca até a buceta, passando pelo meu cuzinho, que já estava piscando de tanto tesão. De repente senti seu pinto tentando entrar no meu cuzinho, mas como eu não conseguia dar nem pro meu marido, que era a metade do tamanho dele, convenci de que seria impossível e ele acabou desistindo, pois ele tinha que ir pra academia.

Mas ele prometeu que iria voltar e arrombar meu cuzinho quase virgem. Mas não saiu antes de gozar na minha boca, me fazendo engolir tudinho, sem escorrer uma gota. Isso tudo ocorreu há um mês e nunca mais o vi, nem na academia. Às vezes imagino se ele está com medo do meu marido.

Meu marido por enquanto nada sabe, mas eu gostaria muito que o Paulo comesse meu cuzinho, que está piscando até hoje, com muita vontade de ser arrombado por um pênis bem grosso e duro.

HUNSAKER.

hunsaker

Sou o que sou. Sou incoerente por vezes, sou sonhador sempre, temo o desconhecido sem contudo deixar de arriscar, tenho planos e projetos, construí e ví cair em minha frente castelos. Como um anjo voei aos céus mas longínquos, e como um cometa caí. A queda me machucou, contudo me fez mais forte. Sou falho e impreciso. Simplesmente indefinível, enfim sou apenas um IGOR mas, o IGOR HUNSAKER.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo