PACIENTE 29720.2

HIBRISTOFILIA

É o termo usado pelos criminologistas – e não os cientistas – para descrever essa atração sexual por assassinos violentos.

Homens num geral, gostam de olhar. Algumas mulheres gostam de se exibir. Eu sou uma dessas.

O tesão que dá andar na rua com alguma roupa curta. Sentir os olhares em fila de banco. Botar um micro bikine e ir mostrar a bunda na praia. Sentir o tesão dos tarados me comendo com os olhos. Isso me deixa tarada. Isso me dá tesão.

Vou contar de uma gravação que fiz numa praia, pra um programa de TV.

Era uma matéria em que eu deveria usar um micro bikine enfiado na bunda e pedir ajuda pros tarados da praia passarem bronzeador nas minhas costas. Super matérias …

Era uma matéria fora do brasil, e a brincadeira seria me ver sem conseguir entender nada que os gringos falassem, e ver a reaçao deles com uma brasileira gostosa se empinando na cara dos gringos.

Uma equipe de umas 6 pessoas mais eu e apenas eu de menina no meio de um bando de macho planejando ideias de tarado pra fazer comigo na praia.

Nos todos na van a caminho da praia e o diretor conversando alto e abertamente com o câmera man, de melhores ângulos e ideias pra me colocar em situações em que eu aparecesse mais empinada e exibida.

Eu ali sentada do lado deles, com um sorriso amarelo no rosto e os dois planejando como eu deveria agir ou me empinar pros tarados na praia. Os dois nem se importavam com a minha presença ali do lado e ainda viravam pra mim com a maior naturalidade do mundo falando coisas tipo:

– Mas você tem que se empinar bem mesmo, jogando a bunda pra cima dos caras, ta bem?

Eu só balançava a cabeça que sim e mais sorriso amarelo no rosto. Acho que tenho moral zero no meio desse povo da produçao do programa.

Chegamos na praia, equipe se preparando pras gravações e o diretor veio me dar as ultimas instruções. A primeira coisa q ele fez foi checar o meu bikine.

Me pediu pra dar uma voltinha geral pra ele ver se tava tudo ok, e quando me virei de costas, ele me segurou, pra parar de girar, e puxou meu bikine mais pra cima ainda. Enterrando TUDO no meu rabo.

– Assim menina, enfia ele bem. tem que mostrar essa bunda pra garela.

E mais uma vez, da lhe sorriso amarelo no rosto e concordei, ajeitando as laterais do meu bikine mais altas, deixando o fio dental todo enfiadinho na bunda.

Dois seguranças faziam um mini cordão de isolamento um pouco atras de mim, pra que eu não fosse agarrada no meio das gravações, porque gente, eu ia rebolar e me empinar igual uma vadia no meio de um monte de cara na praia. So com esses seguranças pra eu me sentir protegida de não ser atacada ali.

Tudo pronto pra começar a gravação, o diretor escolheu o primeiro alvo, um cara sentado sozinho na areia, meu diretor carrasco me deu um tapinha na bunda meio q me empurrando e mandou: vai lá.

Respirei fundo e lá fui eu toda rebolativa com bronzeadorzinho na mão, pedir ajuda pra quele safado sentado na areia que foi pego na maior surpresa da vida dele.

Cheguei calminha, pedi licença e pedi ajudinha pra passar o bronzeador nas minhas costas. Eu falava em português mesmo, e só nos gestos de apontar pro tubo de loção e pras minhas costas, o gringo entendia. Ele deu um pulo da areia se levantando na mesma hora, eu fiquei em pé de costas pra ele, enquanto ele espalhava o creme nas minhas costas.

O cara passou nas cosas e só nas costas e pronto, me devolveu o bronzeador. Fiquei um pouco tímida e não me empinei ou me ofereci como deveria.

Pronto, quando voltei pra perto da produção, meu diretor me deu um baita esporro, como sempre, mandando que eu me soltasse mais, para de ser santa e volta la igual uma vagabunda pra se esfregar nos caras porra

E fomos tentar uma segunda vitima. Dessa vez, em vez de fazer o cara ficar em pé, eu que me abaixei, ficando agachada na frente dele, com o cara sentado atras de mim, numa posição em que eu ficava bem empinada com a bunda na frente dele.

Agachadinha de cócoras, o cara espalhava o creme nas minhas costas, e quando terminou, eu fiz uma voz de manhosa pedindo, na bunda também e dei uma empinada de piranha na cara dele. O gringo podia não falar português, mas ele entendeu muito bem quando eu emonei o rabo na cara dele.

Agora sim, eu tava no espirito do que meu diretor tarado queria. O safado deu uma travadinha mas já foi logo enfiando a mão na minha bunda, meio que apertando, mas tentando fingir que não tava se aproveitando de nada.

Agradeci, levantei, deu um xauxinho de safada e fui embora rebolativa de novo. E assim foi gravando com uns 3 caras sempre nessa mesma situação e a maioria ficava tímido passando a mão na minha bunda.

Meu diretor queria algo mais forte, os caras tavam muito tímidos. Ele então teve a ideia que os caras sozinho ficariam intimidados, e resolveu me mandar me enfiar no meio de algum grupinho. os caras em grupo vão ter mais coragem de te apertar, chega la bem putona rindo pros caras que vai ficar bem melhor.

Noooossa que conselho eihn rs. Mas obedeci, cheguei num grupinho de 3 caras e pedi ajudinha com bronzeador, me agachando como sempre, ficando de costas pra um deles, virada pros outros dois.

O cara passava bronzeador nas minhas costas e dessa vez sem nem eu pedir, foi ele quem começou a falar coisas numa linguá maluca, apontando pra minha bunda, e entendi o que ele queria.

Eu me empinei feito uma vadia, chegando a botar uma das mãos na areia, ficando de cócoras quase que de 4, com o rabo muito empinado pro safado. Os amigos dele nem disfarçavam o risinho no rosto falando um monte de coisa que eu não entendia, mas certamente era putaria.

Chegaram a discutir em sei la que linguá quem deveria passar a mão no meu rabo agora.

E lá tava eu, quase de 4, com o rosto virado pro mar, e 3 gringos safados disputando pra passar bronzeador na minha bunda.

Eu nem olhava pra eles de tanta vergonha, so empinava mt o rabo e ficava com sorriso amarelo olhando pro mar.

Durou uns 3 minutos, ou até menos, mas foi um festival de mãozada na minha bunda e risadinhas nas minhas costas. Nessas horas não precisa entender a linguá dos gringos pra saber que estavam me xingando de piranha.

Quando senti um dedo na minha buceta, empurrando o bikine pro lado, me levantei e agradeci os caras. Eles fizeram uma cara de aaahh fica mais mas eu já fui andando apressada pra perto dos seguranças.

Agora sim meu diretor gostou. Esperamos mais um pouco e ele escolheu mais uma duplinha de dois caras pra gravar. A última pra acabar, vai la safada’

E lá tava eu agachadinha pros caras enfiarem a mao na minha bunda. Dessa vez levei umas maozadas nervosas, vagabundo enchendo a mão na minha bunda sem dó.

Acho que gringo nunca viu bunda na vida, ou as brasileiras tem o melhor rabo do mundo, porque os safados enchiam a mão no meu rabo com vontade, um deles chegou a me dar um tapa na bunda no meio da praia.

Fiquei ali servindo de piranha pros gringos até terminar as gravações, com meu diretor escolhendo um coroazinho de mais de 60 anos pra ser o fechamento da matéria. mas dessa vez, tira o top e vira de frente pro cara ver seus peitos E falou isso rindo, como se fosse super divertido.

Cheguei lá toda rebolativa, o coroa tava com a esposa do lado. Me enrolei toda pra pedir ajuda com bronzeador, o cara começou educado, só nas minhas costas. cai de 4, de 4 mesmo na cara dele, empinando o rabo na cara do coroa, que passava a mão na minha bunda do lado da esposa, e ela ria sem falar nada.

Nao sei se eles eram uns velhinhos safados, ou esses gringos levam tudo menos a serio, so sei que o coroa era safadão, passando a mão com vontade no meu rabo do lado da esposa, comigo literalmente de 4 na frente dele.

Desamarrei meu top e virei de frente pra ele, apontando pros meus peitos. A esposa chegou a botar a mão na boca, de susto, mas rindo, ele olhou pra esposa q liberou, e tava la o coroa safado enchendo as mãos com meus peitos na cara dele.

Agradeci bem piranhazinha e fui embora de volta pra base de gravaçao. Pronto, ja tinha esgotado minha cota de exibicionismo por uma tarde. Meu diretor tarado ficou bem satisfeito com aquela taradisse toda.

Terminamos a matéria e voltamos para o hotel que estávamos hospedados. E já posso dizer que eu pouco ficava no meu quarto, de tanto que meu diretor me chamava no quarto dele pra conversar

E nesse dia, depois de tanta sarração na praia, ele tava bem tarado de me exibir pros gringos. Me chamou no quarto dele no final da noite e descontou no meu rabo todo tesão que ele ficou de me exibir na praia.

Já cheguei entrando no quarto dele, e ele me mandou de cara pegar uma bebida pra ele na mini copa da cozinha do quarto. Voltei com um copinho de wiski na mão e ele sentado num sofazinho em frente a TV, me mandou ficar ali pra assistir com ele as imagens da matéria que gravamos.

Ele sentado, bebia seu wiski, me vendo na TV toda de 4 empinando or ab pros gringos. Olha que piranha que vc tava hoje

E eu tava mesmo. Toda empinada oferecida pros caras, e vendo assim as imagens, eu tinha a noção da putaria que foi aquilo. Os gringos metendo a mão no meu rabo sem dó, com risadinhas de tarado no rosto.

Meu diretor pegou a minha mao e botou em cima do pau dele, que tava so de cueca. olha como vc me deixou sua safada

Nem preciso dizer que o volume tava todo duro na minha mão. Vai, dá uma chupada pra me aliviar Ele falou isso ao pé do meu ouvido, beijando meu pescoço, ja empurrando a minha cabeça pra direção da rola dele.

Ali no sofá, fui empurrada pra baixo, caindo de boca na pica do meu diretor. Pra quem nao sabe, eu ja chupo ele ha mt tempo, não foi nenhum espanto ele me pedir isso.

Acabei me ajoelhando aos pés do sofá, aos pês do meu diretor tarado, de costas pra TV, e ficava ele ali, bebendo e me assistindo na TV, enquanto eu fazia um boquete igual uma vadia chupadora de rola.

Ele tava tão tarado que aguentou pouco tempo, gozando tudo na minha cara. Ahh piranha safada, vc tava um tesão com esse rabo na praia hoje

Gozou melecando todo meu rostinho, apagando o fogo de tarado que ele ficou de me ver me exibindo na praia.

Me limpei, pedimos janta no quarto, comemos, e quando achei que iria voltar pro meu quarto, ele acabou me pegando pelo braço e me chamando pra cama.

E lá, bom, lá ele descontou bem o tesão que ficou com a materia que gravou comigo.

De 4, montada, sendo puxada pelo cabelo, levando tapa na bunda e aguentando uma pica no rabo igual uma piranha manhosa.

ain ain aiêêe ain meu cuzinhoooôôô

Acho que toda equipe deve ter escutado meus gritinhos de putona gemendo com uma rola na bunda. Nao é fácil essa vida de assistente de palco rs

Passei a tarde rebolando igual piranha na praia, me empinando igual vagabunda e deixando todo mundo meter a mão no meu rabo feito uma vadia oferecida. E agora tava ali, de 4, sendo enrabada pelo meu carraso, gemendo com um cacete enterrado ate as bolas no meu cuzinho.

Por isso que nao ligo de ficar com bikine enfiado na bunda, já enterram coisas bem maiores no meu rabo rs

De 4, sendo montada, com a cama balançando e meus gritinhos explodindo no ar, eu levava na bunda feito uma putona q eu sou. Mais do que merecido depois de me exibir igual uma piranha pros gringos na praia.

Adoro me exibir. Adoro uma rola na bunda.

Tomei no cu gostoso e fui dormir calminha e ardida de tanta rola na bunda que levei naquele dia. tem horas que só um grosso no rabo acalma meu fogo depois de ficar toda exibidinha.

E assim foi apenas nesse dia, mas é uma rotina que se repete em quase todas as matérias que gravamos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *