Afilhado, tenho um e não vivo sem…

PACIENTE 29620 A

CAPITULO I

Olá meu Doutor, tudo bem com você ? Espero que sim, meu doutor, hoje vou contar para você uma coisa que aconteceu no final do ano quando saímos de férias.

Viajamos marido e eu, meus filhos como meus dois mais velhos já estão casados, apenas o meu mais novo de 19 anos foi com a gente, nós sempre viajamos para o norde e nordeste quando saímos de férias, mas dessa vez foi em Minas mesmo, fomos para o Tauá resort em Araxá, alguns de vocês já devem ter escutado falar.

Nossa lá é o paraíso, perfeito mesmo, a anos eu queria ir e meu marido só enrolava, mas dessa vez me surpreendeu e fomos pra lá.

Só que dessa vez não fomos sozinhos, foi mais dois casais de amigos e o filho um deles, ele tem 20 anos, chama-se Júlio, ele é muito amigo do meu filho, os dois trabalham juntos, tem uma loja de moto, que meu marido e o pai dele, Pedro, abriram quando ficaram de maior, eles sempre gostaram de moto, sempre andaram, então colocamos eles desde cedo em cursos para aprender a arrumar, montar, essas coisas que eu não entendo bem rsrs.

Os dois casais se chamam, Pedro e Maria, que são os pais do Júlio, e também Gustavo e Cintia, que são nossos amigos a anos.

Uma coisa que eu esqueci de contar, meu marido e eu, somos padrinhos de batismo do Júlio, conhecemos ele desde novinho, cresceu lá em casa brincando com o Lucas, meu filho, fomos a diversos aniversários dele, viagens juntos quando eram mais novos, ou ele ia com a gente, ou o Lucas viajava com eles, sempre foi muito chegado mesmo.

Mas voltando, iríamos ficar uma semana, reservamos 4 quartos, três para nós os casais, e os meninos também alugaram um para eles, coisa de jovens, queriam ficar sozinhos, insistimos que tinha suítes com dois quartos, mas eles insistiram que não queriam ficar com os pais nos quartos, que dariam privacidade pra gente, mal sabendo ele que o pai já não faz mais nada comigo, é certo que casal tem que ser amigos, mas não na cama também rss.

Nossa lá dra perfeito, vários lugares para ir, muitos esportes para praticar, os homens foram jogar tênis, tinha parque, piscinas, lagoas, ficamos na piscina emanatória para relaxamento corporal, tinha trilhas para ir, e vários outras coisas, lá também tem vários espaços gastronômicos excelentes, aproveitei muito tudo aquilo, foi uma semana maravilhosa, melhor do que muita praia.

Mas vamos ao que aconteceu, a gente ficava vez ou outra de casal, mas na maioria das vezes os homens ficavam juntos bebendo e nós mulheres também, colocando assunto em dia e aproveitando, vez ou outra os meninos apareciam pra ficar por perto, logo na primeira noite, Lucas me disse que ele e Júlio, tinham encontrado duas garotas e iam sair a noite com elas, coisa de jovens né, não empeço nada, até porque já era de maior, só falei pra ter juízo e se cuidar, ele fez aquela cara de, aff lá vem minha mãe de novo, e saiu, sempre vai ser meu bebê rsrs.

A noite chegou e eu achei que poderia acontecer alguma coisa com meu marido, por impulso, antes da viagem, eu comprei uma camisolinha branquinha, de seda, para quem sabe né, pode rolar alguma coisa, já que viagem sempre animam as pessoas.

Eu já disse em relatos anteriores, que no ano passado eu comecei a fazer caminhadas e frequentar academia, nunca pretendi ficar gostosona nem nada disso, sou bem normal, corpo da idade, no alto dos meus 46 anos e mãe de três filhos, mas eu consegui emagrecer e perder um pouco de barriga, agora não tenho quase barriga nenhuma mais, com 96cm de bunda e seios médios, já pensei em colocar silicone, mas acho que por enquanto não preciso, eu gosto de me olhar no espelho quando coloco decotes, príncipalmente decotes em V.

Mas a noite chegou, meu marido foi pro banho primeiro, não demorou muito e saiu, depois eu entrei para o banheiro, para tomar o meu banho, passei meus cremes para ficar bem cheirosa, não sei o que acontece, mas essas viagens assim mexem com a gente, ficamos mais excitadas e dispostas a aventuras, mais cedo conversamos entre nós mulheres, e as três estávamos do mesmo jeito, doidas para chegar a noite logo, coloquei a minha camisolinha, bem decotada e transparente, quando saí do banheiro, meu marido já estava apagado na cama, dormindo um sono pesado de roncar, acho que nunca fiquei tão puta na vida igual esse dia, mas puta no mau sentido.

Eu troquei de roupa e deitei na mesma hora, mas quase não dormi, de tão revoltada que eu fiquei, no dia seguinte, eu levantei cedo, coloquei o meu biquíni, e por cima aquelas saída de praia, e fui tomar meu café, depois iria para a beira de piscina tomar sol para relaxar, para ser sincera, eu não fazia mais questão de transar com o meu marido, mas no dia anterior eu fiquei sim muito revoltada, porque era o dia certo para pelo menos só mais uma vez, mas pelo visto ele não quer mais.

Eu estava bem pensativa na beira da piscina deitada na cadeira, de óculos escuro, mas ainda de saída de praia fechada, nem lembrei de abrir para pegar sol, mas como eu disse, estava bem destraida, nem vi quando o Júlio chegou, ele estava nadando na piscina, quando vi estava parado do meu lado, todo molhado, fazia muito tempo que eu não ia no clube com ele, a última vez ainda era bem novo, e pela primeira vez, eu vi ele já homem, e que homem, aquele corpo novinho, ele era esses morenos cor de jambo, deveria ter seus quase 1,90, corpo todo malhado, eu nunca liguei pra corpo, nunca mesmo, isso pra mim não faz diferença, mas não sei se pelo que eu passei a noite, a raiva e o tesão retraído que eu estava, eu não sei o que me deu, mas eu não desfarçei quando ele chegou eu e me comprimentou, eu tirei o óculos e o olhei de cima abaixo, o comi com os olhos, eu nao sei se ele percebeu na hora, mas logo falou, não vai tirar essa roupa não madrinha, tá calor já essa hora da manhã, eu concordei e falei que estava só relaxando, mas só abri a saída e ele sentou do meu lado.

Começamos a conversar, e ele já falou, que isso em madrinha, tá magrinha, tudo em cima, eu falei, que nada sou bem normalzinha, ele, lógico que não, a senhora tem a idade da minha mãe e da Cíntia, e olha a diferença, elas realmente eram mais gordinhas do que eu, mas eu disse, que isso menino não pode falar assim dos outros não, ele, mas eu não estou criticando apenas fazendo uma constatação, e sorriu.

Conversamos bastante, sobre a loja deles, faculdade, família, saídas, baladas, futebol que eu gosto rss, até que chegamos em namoradas e na noite deles, ele me disse que não estava namorando, só curtindo, ai falei, sei bemmm, vocês nessa idade devem aprontar muito né, ele disse que nem sempre, aí falei, aham tanto que na noite anterior o Lucas disse que iriam sair com duas garotas, ele, eita menino boca grande, mas nós só saímos mesmo, pelo menos eu né, a garota deu pra trás no meio da saída, aí sai e fiquei andando aqui fora, que a noite é mais bonito ainda, ainda mais pra quem fica chupando dedo, e riu, eu fui e soltei sem querer, ah então hoje a noite eu sei pra onde eu vou vim de novo.

Ele não disse nada, mas só ficou me olhando, depois falou, cadê o padrim ? Agora que eu me toquei, o que a senhora tá fazendo aqui sozinha, eu falei, tá lá roncando até agora, ele brincou me zuando, madrinha acabou com o velho, e rachou de rir, eu não sabia se ele estava querendo saber alguma coisa, ou falou só brincando mesmo, mas eu resolvi arriscar, que nada menino, deixa de ser bobo, bebeu todas e apagou antes da hora, já deve estar levantando, se fosse por minha causa só ia acordar amanhã, mas a coisa tá feia pro meu lado, e sorri pra ele.

Nós dois rimos e ele continuou, que isso em madrinha, então a senhora acaba com o véi, também com esse corpo, ele barrigudinho daquele jeito, fiquei com dó agora, então deixa o véi na dele se não ele vai perder a viagem toda, eu falei, pode deixar, vou deixar ele curtir a viagem toda, até porque mesmo se quisesse, depois de vários anos de casados já viu né.

É até estranho falar com vocês que eu estava tendo esse tipo de conversa com um garoto de 20 anos, meu afilhado, filho da minha amiga de colégio, mas era tudo real.

E a conversa continuou, sério madrinha ? Isso de casamento de vários anos deixa as pessoas sem interesse ? Eu respondi, olha não sei se são todos os casais, mas no meu caso, a falta de interesse é apenas de um lado, o outro lado sofre com um fogo eterno, e depois falei, falando em fogo, tá na hora da parte do fogo eterno ir para a piscina pra ver se apaga, levantei, tirei a saída, coloquei na cadeira e entrei.

Dei um mergulho até a metade da piscina e subi, virei e olhei para a cadeira, ele estava lá sentado, me olhando, pensativo com uma cara seria, não sei se ele pensava no que eu acabei de falar, mas ele olhou fixo pra mim, nossa ele era muito lindo, como eu nunca reparei isso antes, eu sorri pra ele e falei, nossa a água tá ótima, ele continuava me olhando, não disse nada, só sorriu.

Então se levantou, continuou me olhando e pulou na piscina, não sei o que aconteceu, mas meu coração disparou, eu vi ele vindo na minha direção, quando chegou perto de mim ele subiu e falou, lembra quando a gente brincava na piscina madrinha, a senhora me colocava no ombro, e fazia várias brincadeiras comigo, era muito bom e engraçado aquilo né, eu falei que era sim, adorava ficar com vocês na piscina, ele foi e deu um um tapa na água que veio no meu rosto, e falou, agora e a minha vez, antes eu era menor e mais fraco que a senhora, agora é ao contrário.

Nós começamos a brincar igual criança na água, e é claro que eu aproveitei para dar uma alisadinha na barriga, uma apertada no braço, uma hora ele me deu uma abraçada por trás, que eu aproveitei e dei uma inclinada pra frente, só pra sentir o volume na minha bunda, fingindo que estava tentando sair, ele falou, nossa a senhora é mais forte do que eu imaginava em, depois de ficar ali ganhando uma encoxada, eu não sei se eu estava muito tensa de alguém ver alguma coisa e desconfiar, eu não consegui sentir muito o volume, ou talvez ele só estava brincando mesmo e não sentiu nada por mim.

Mas eu falei que iria sair da piscina e chamei pra vim, ele me surpreendeu e disse, ahh tá, agora depois disso tudo aí a senhora me chama pra sair, agora é sem condições, me dá uns cinco minutinhos aí madrinha, sorriu e mergulhou, eu pensei, deu certo, mas sentei na beira da piscina e esperei ele levantar e chamei, ele veio olhando pra mim, eu esperei chegar perto e perguntei, o que foi que aconteceu ? Ele respondeu, uai não é só a senhora que tem fogo eterno não, e sorriu, mas dessa vez um sorriso bem sacana.

Nisso meu marido chegou do outro lado da piscina e me chamou, eu falei que já iria, quando eu levantei e estava saindo, ele me falou, qualquer coisa, a noite, não esquece do lugar pra quem fica chupando dedo nao viu, sorriu e voltou a mergulhar.

Eu passei o dia todo com aquilo na cabeça, nas conversar com Cintia e Maria, elas falaram que a noite foi boa, contaram um detalhe ou outro, eu disse que o meu apagou, todas rimos, eu de raiva, mas não rendi muito.

Meu marido como sempre passou o dia bebendo, a tardinha demos uma andada na trilha, segundo ele era bom para queimar o álcool que estava bebendo, foi todo mundo de menos os meninos, quando voltamos que eu os vi, os dois estavam com as meninas, eu pensei, essa é deve ser a boba que não está querendo, ah se fosse eu essa hora.

A noite estava chegando e meu marido continuava bebendo, e dessa vez eu adorava, porque iria apagar de novo, e eu até incentivei a bebedeira, quando chegou a noite aconteceu a mesma coisa, ele foi pro banho e eu fui logo depois, demorei no banho para dar tempo dele dormir, me arrumei toda, passei meus cremes de novo, eu já estava com marquinha de biquíni, aquela camisolinha, eu coloquei em uma pequena bolsinha de passeio que eu comprei pra levar, eu não sabia que iria encontrar com ele, mas estava preparada pra qualquer coisa, porque pelo que aconteceu mais cedo, ele gostou e estava afim.

Deu que quando eu saí do meu quarto, dei de cara com o Lucas, ele me perguntou, uai mãe, tá indo onde ? Cadê o pai ? Falei com ele que estava dormindo, bebeu muito e apagou, que eu iria ver se alguma das meninas tinha descido, se não iria dar uma volta lá embaixo já que estava sem sono, e perguntei onde ele iria, me falou que encontrar com a Letícia, menina que ele conheceu, e brincou, não devo voltar não viu, e já ia saindo, eu perguntei, e o Lucas não vai não ? Ele me falou, ahh Lucas é cuzao, deu pra trás com a menina e desceu lá pra baixo, deve tá atrás de outra, conheço ele, me deu um beijo e foi embora.

Quando ele falou isso de deve estar atrás de outra eu adorei, eu nao pensei duas vezes e nem quis passar no barzinho antes, fui direto pra onde ele tinha me falado, vi ele andando devagarinho do outro lado, estava lindo, com um shortinho curtinho, dava pra ver os músculos da perna, e uma camisa apertadinha floral, como eu disse, não sou de ficar olhando músculos, mas ele tava muito gostoso daquele jeito.

Eu cheguei perto dele, deve ter fingido que eu não me viu chegando, cheguei por trás dele e falei, tá perdido por aí menino ? Ele falou, que nada, estava rodando aqui e procurando sereia que me encantou hoje cedo na piscina, eu pensei, nossa bem direto em, fiquei sem o que dizer, apenas sorri e falei, deixa de ser bobo.

Conversamos um pouquinho, até que falei que vi o Lucas saindo, falou que não iria voltar, e perguntei porque ele não quis ir encontrar com as meninas, ele voltou a ser bem direto e falou, ah eu decidi ficar, tenho certeza que minha noite vai ser bem mais interessante, eu incentivei ele a não voltar hoje pro quarto, falei que estava com muita dor de cabeça e iria sair pra andar, e mais tarde queria dormir sem barulhos e ele concordou comigo.

Perguntei se ele tava com dor de cabeça mesmo, me disse que não, que foi apenas desculpas pra ter o quarto só pra ele, eu jogando com ele perguntei, ahh então já tem uma novinha pra levar pro quarto ? Ele disse, eu não, como eu falei, tô procurando a sereia que me encantou mais cedo, é só ela falar que sim, e ficou me olhando, eu falei, menino menino, não brinca com fogo que eu te falei que é fogo eterno.

Ele, eu também te disse a mesma coisa, fogo não falta, eu continuei, para com isso que sou sua madrinha, te vi crescer, te peguei no colo, ele, então, agora é a minha vez de te pegar no colo, eu não estava acreditando naquilo, ele foi direto o tempo todo, estava decidido mesmo no que queria, só dele falar assim eu fiquei encharcada.

Ele perguntou, e aí ? Tá cedo ainda, quer ir para o barzinho primeiro ? talvez tá precisando de coragem e riu, eu falei, que barzinho o que, temos a vida toda pra beber, e eu lá sou mulher de precisar beber pra fazer alguma coisa, ele sorriu e falou, vamos conversando então, nesse meio tempo, minhas pernas tremiam igual de adolescente quando tá indo pro quarto nas primeiras vezes, eu pensava que aquilo era errado, afinal é meu afilhado, eu sei que eu já aprontei muito nessa vida, mas aí seria demais, não por ser novinho, mas era quase um filho pra gente, mas o tesão estava grande demais, e eu ainda estava puta com meu marido, mas se eu não quisesse não teria colocado a camisolinha na bolsinha, quando chegamos no corredor eu decidi que iria sim ficar com ele.

Chegamos na porta ele abriu e eu entrei, ele fechou a porta e eu fui andando na direção da cama, quando eu me assusto, ele já estava atrás de mim me segurando pela cintura, só pela segurada que ele me deu, já deu pra ver que tinha pegada, ele me segurou bem forte, colocou meu cabelo pro lado, foi beijando a minha nuca, meu pescoçinho, eu fechava os olhos, ele ia pra minha orelha, mordiscava ela todinha, falava no meu ouvido que eu deixei ele doidinho na piscina, que passou o dia todo pensando em mim, que eu ia aprender a não deixar ele com vontade assim, eu já delirava, falava baixinho que eu não fiz nada, que tava quietinha, ele falou comigo, quietinha e ? Sei que isso daqui tava pegando fogo, e passou a mão sobre minha calcinha, mas não foi qualquer passada, ele encheu a mão com força, que chegou a me levantar, nossa senhora só de pensar eu fico molhada.

Ele me virou rápido, me pegou pela nuca e me deu um beijo, mas um beijo, que me levou às nuvens, sabe aqueles beijos de adolescentes que você viaja e esquece de tudo, da hora, de onde tá, só curte o beijo e mais nada, foi isso que aconteceu comigo.

Quando me dei por mim, ele já apertava a minha bunda com toda força, engolia meu pescoço, mordia, chupava, lambia, nossa que homem era essa, como esse menino fazia aquilo, tinha muito mais pegada e experiência que muito homem maduro que eu fiquei.

Eu consegui voltar ao controle e falei pra ele esperar um pouco, mas ele não queria me soltar, com muito custo eu consegui sair dos braços dele, falei pra esperar na cama que eu iria ao banheiro, eu ajeitei meu cabelo de novo, tirei minha roupa toda, sutiã, calcinha, tirei tudo, coloquei só a camisolinha branca e transparente.

Abri a porta e fui na direção do quarto, quando cheguei, ele estava deitado na cama, já tinha tirado a camisa mas ainda de short, nossa aquele peitoral grande, aquela barriga toda definida que eu iria morder todinha.

Quando me viu, ele me comeu com os olhos, não parava de me olhar e falou, puta que pariu, como o padrim não pode querer você, eu aproveitei e falei, comprei essa camisolinha pra usar aqui pra ele, e até agora ele não viu acredita, dormiu os dois dias, ele falou, nossa que otários, mas na verdade você não comprou pra ele, comprou pra usar pra mim, vem cá vem.

Eu fui andando pra cama subi, ele estava sentado com as pernas pra frente, eu sentei no colo dele, voltamos a nós beijar, ele me abraçou forte, aquele abraço gostoso, eu rebolava sobre o short dele, minha bucetinha tava tão encharcada que provávelmente deveria estar molhando o shortinho dele.

Ele voltou a me chamar de gostosa, a apertar a minha bunda com força, então caiu de boca no meu peito, nossa que chupada era aquela, ele foi por cima da camisola, mordeu forte, engoliu, depois foi tirando a alçinha com a boca, enquanto beijava meu ombro, tirou uma, depois outra, quando caiu as duas alças, aí sim foi mais perfeito ainda, ele mordia, chupava, engolia meus seios, eu gemia gostoso, enquanto apertava sua cabeça contra meus seios, e eu não parava de rebolar no seu colo, ele fez o que eu amo, me deitou e veio me morder toda, adoro mordida na barriga e na costela, me dá um tesão fora do comum, eu só gemia e me contorcia, e ele sabendo disso, me apertava forte e mordia cada vez mais, falei pra ele tomar cuidado e não me marcar que eu iria usar biquíni no dia seguinte, ele me respondeu, fica calada que na cama sou eu quem mando e você só obedece, ouviu ? Eu adorei isso, mas não respondi, ele voltou a falar, você entendeu ? Nossa eu adorava ele ser esse macho dominador, falei com a voz bambinha, sim entendi.

Ele foi descendo, descendo, indo para a minha perna, e me puxou forte, eu fiquei toda toda, me sentindo com aquele homem gostoso me pegando daquele jeito, beijando meus pés, chupando meu dedo, ahh que tesão, indo pro meu joelhinho, mordiscando minhas coxas, arranhando elas devagarinho, passando as pontas dos dedos em uma enquanto lambe a outra todinha, eu fiquei completamente entregue a ele.

Ele chegou perto da minha bucetinha e só deu uma cheiradinha e falou, nossaa, adoro uma bucetinha lisinha e cheirosinha assim desse jeito, eu falei, passei perfuminho nela só pra você.

Quando falei isso, ele caiu de boca com tudo, me chupou, mas chupou de um jeito que eu não era chupada a muito tempo, ele lambia minha bucetinha toda, chupada a meu grelinho, não chupava muito forte, nem muito fraco, chupava no ponto certo, nossa que língua era aquela meu Deus, eu rebolava, contorcia, teve uma hora que ele me segurou forte pelas coxas, me travou na boca dele, e engoliu meu grelinho, que eu fui a loucura, eu segurei ele pelo cabelo, bem forte, segurei mesmo, com toda força, esfregava minha buceta na cara dele, o safado adorava isso, quando ele voltou a chupar meu grelinho e colocou um, depois dois dedos, eu não aguentei, gozei no dedo dele, o cachorro tirou os dedos e levou pra minha boca, enquanto eu chupava seus dedos, ele lambia minha bucetinha toda, limpando ela todinha.

Consegui me recompor um pouco e falei que agora era a minha vez, deitei ele na cama e beijei sua boca, estava sentada um pouco pra cima do seu pau, ele ainda estava de short, fui beijando seu pescoço, eu sim podia marcar ele todinho, chupei gostoso aquele pescoço enquanto ele apertava minha bunda, peguei as mãos dele e coloquei pra cima da cabeça dele e falei, agora é a minha vez de mandar, ele só sorriu, eu disse, você ouviu ? Ele voltou a sorrir e falou, que safada é assim que eu gosto, vai mandar agora é ? Eu falei, vou sim, então fica calado se não eu te mordo todinho, e desci pro peitinho dele, tem homem que gosta, eu contornei a língua todinha e mordi, se ele se contorcer é porque gosta, e ele fez exatamente isso, apertou a cama, então eu estava certa, comecei a cada hora chupar um, chupava enquanto arranhava sua barriga.

Arranhei e comecei a morder sua barriguinha, mordia e chupava gominho por gominho daquele tanquinho gostoso e sarado, ele ia a loucura, eu arranhava sua costela, chupava, mordia, lambia, arranhava, deixava ele doidinho.

Logo depois fui descendo mais, chegando no seu short, fui abaixando devagarinho, queria ser surpreendida, porque aquela hora na em piscina não consegui sentir, será que eu iria me decepcionar ?

Assim que eu abaixei, pulou pra fora uma piroca ainda meia bomba, mas uma piroca pesado, grande e grossa, ainda meia bomba já era enorme, eu que já tinha aguentado o Gabriel e seus 24cm, a dele ainda sem estar completamente dura, chega perto disso, eu já brinquei muito com Gabriel e sabia o tamanho do pau dele de tanto chupar, a do Lucas parecia ser ainda mais grossa, eu me assustei, ele percebeu e perguntou, e aí gostou ? Eu não respondi, apenas dei uma lambida bem na cabecinha, ele gemeu e falou, coloca a boca safada, eu respondi, o que eu disse ? Agora sou eu quem mando, cala a boca e curte, e segurei ele com vontade, era realmente bem pesada, eu fui contornando a língua nele todinho, foi crescendo na minha boca, aquela pica que já era enorme, foi ficando mais ainda, sabe aquela piroca grossa que é torta mais pra baixo, não sei se é pelo peso.

Eu quase não conseguia fechar minha mão nele, como eu ia aguentar aquilo tudo dentro de mim ? Mas eu não queria nem saber, só queria chupar, mas eu chupei com tanta vontade, colocava até onde dava na boca, e pra ser sincera, eu sou boa na chupada, mas não entrava quase nada, pelo tamanho e pela grossura, eu tinha que abrir muito a minha boca, chegava a doer, minha boquinha não é muito grande, preenchia minha boca toda.

Comecei a punhetar seu pau, e a chupar sua cabecinha, voltei tentar a colocar ele na boca, ele me segurou pelo cabelo, começou a forçar até onde dava, depois começou a meter, eu engasgava e ele parava, eu subi as mãos e arranhava sua barriga enquanto ele fazia isso, tava gostoso demais engasgava naquela anaconda preta, babei ele todinho, deixei ele todo molhado.

Depois ele sentou a beira da cama e eu voltei a sentar no seu colo, voltamos a nós beijar, eu fui rebolando nele, a cabecinha da sua piroca ficou na entradinha da minha buceta, mas não entrada, era muito grande, eu queria sentir aquela geba enorme sem preservativo, molhei a mão fui molhando sua cabecinha, mas ele pegou um vidrinho que estava dentro de uma gavetinha e começou a passar pra entrar mais fácil ou pra ser menos difícil essas.

Eu fui esfregando a cabecinha na entradinha, rebolando gostoso, sua piroca esfregava no meu grelinho, ficava cada vez mais molhada, eu rebolava cada vez mais forte, gemia no seu ouvido e beijava sua boca.

Depois de tanto forçar, a cabecinha começou a entrar em mim, nunca senti tanta dor assim, nem na minha primeira vez doeu assim, entrou um pouco abaixo da cabecinha, eu não conseguia colocar ele dentro de mim, eu tentava descer e não ia, ele teve que passar mais para lubrificar, depois foi descendo mais um pouquinho, a cada tentativa minha descia mais, a cada subida e descida devagar entrava um pouco, eu via estrelas a cada cm que entrava dentro de mim.

Eu só pensava, como um garoto tão novinho pode ter o pau tão grande e grosso desse jeito, ele estava me rasgando, mas fazia tudo com todo carinho, me segurava pela cintura e me deixava controlar a descida, ele sabia o que tinha entre as pernas e não poderia ser grosso nesse momento, ele me beijava e mandava descer devagar, depois de vários minutos sentando cm por centímetro, eu fui até onde deu, sentei o máximo possível e ainda ficou um pouco pra fora de mim.

Eu apertava seu pau com a minha bucetinha, contraia bem gostoso, sentia ele pulsando dentro de mim, aquela anaconda preta cheia de veias, era linda.

Ele disse que estava gostoso demais ficar assim comigo, que por ele passava a noite toda só assim, nem precisava meter, só sentindo minha bucetinha quente e molhada de pulsando no seu pau.

Mas eu queria sentir ela entrando e saindo, então comecei um sobe e desce, eu ia até quase a cabeça bem devagar, depois descia até onde dava, só queria curtir, esse dia não estava com pressa nenhuma, pensei, que se foda o mundo lá fora, hoje eu quero ser arrombada de jeito.

Pela primeira vez eu senti ele se movimentando, ele sentiu que eu já estava me acostumado com o tamanho de sua rola, me segurou pela cintura, me parou e começou bem devagar um vai e vem, nossa até hoje foi a melhor rola que eu já provei, não só pelo tamanho, mas pela pegada daquele moleque.

Ele começou a aumentar o ritmo aos pouquinhos, fazia tudo na hora certinha, sabia como me tratar, sabia quando eu já estava me acostumando e preparada para receber mais rola.

Começou a dar uns tapas mais fracos na minha bunda, com a força proporcional as metidas, eu me sentia completamente preenchida, e com ele me tratando daquele jeito e falando, nossa madrinha a senhora é gostosa demais, que bucetinha de menininha, apertadinha, nossa nao tinha como uma buceta não ficar apertadinha com um pau daqueles.

Ele começou pela primeira vez a meter forte, eu sentia seu pau encostar bem no fundo da minha buceta, ele colocou meu peito na boca e engolia ele todo enquanto metia mais forte em mim, eu só conseguia pedir mais, me come meu menino, apaga o fogo da sua madrinha apaga, me faz a sua puta hoje faz meu menino, ele respondeu, não só hoje madrinha, você vai ser a minha puta quando eu quiser, vai ser minha mulher quando eu quiser, quero acabar com você na sua cama, você vai voltar a sentir um piroca de verdade em cima da sua cama.

Nossa ele falando aquilo, me segurando forte pela cintura e me chupando o peito, me fez gozar pela primeira vez naquela noite, a primeira vez de muitas que ainda estavam por vir.

Eu contrai e falei pra ele, agora acaba comigo, soca com tudo vai, acho que era o que ele estava esperando, ele fez uma cara de safado, me levantou no colo, me deitou na cama de bruços, colocou dois travesseiros embaixo da minha barriga, e foi colocando de novo, nossa quase não entrou, quando eu gozo fico muito apertada.

Senti o seu peso sobre mim, me segurou pela cintura e deu a primeira estocada, meu Deus do céu, que homem era aquele, começou um vai e vem muito gostoso, ele tirava até a cabeça e colocava tudo de novo, ouvia ele falar, tá quase tudo dentro madrinha, eu empinei ainda mais a bunda, ele falou, você quer mais ? Então pede, eu falava, mete vai meu moreno gostoso, ele socava e perguntava, quer mais ? Pede mais, eu só falava, mete vai, mete safado, a cada pedida minha ele dava uma socada bem forte, então eu comecei a falar, mete vai mete mete mete mete, e ele ia me acompanhando a cada fala minha, nossa que tesão.

Eu estava quase gozando de novo, quando ele enrolou meu cabelo na mão e começou a bater na minha bunda, eu não aguentei, acabei gozando de novo, tremia todinha, ele não parava de me bater na bunda, a me chamar de puta safada, que eu ia deitar hoje toda vermelha de tanto dar, ia pro quarto com a bucetinha pingando porra.

Ele me virou de frente e voltou a me beijar, enquanto me beijava ele continuava metendo, eu cruzei as pernas em volta dele, comecei a arranhar aquelas costas toda musculosa, nunca senti um homem tão durinho daquele jeito, corpo novinho bem durinho, eu só falava em seu ouvido, mete bem fundo na sua madrinha, eu adoro uma rola, acaba comigo, ele só perguntava, gosta né vagabunda, eu falava que gostava demais.

Ele pegou minhas pernas e colocou em seu ombro, nossaaa eu vou falar pra vocês, eu nunca senti uma piroca ir tão fundo desse jeito, essa posição estava demais, encaixou direitinho, ele falou, olha madrinha, tá tudo dentro da senhora, como recompensa vou te dar isso, e se curvou mais ainda em mim, meu Deus do céu, tava fundo de novo, ele foi e perguntou de novo, você quer ? Eu falei, quero, ele foi e deu uma estocada muito forte, eu cravei minhas unhas naqueles braços fortes.

Ele começou então a meter tão forte e tão rápido, que eu não conseguia nem gemer direito, pela primeira vez na minha vida, eu senti que iria desmaiar tamanho o tesão que eu estava, ele me comeu tão gostoso, mas tão gostoso, nunca um homem ficou metendo em mim, naquela velocidade e forte daquele jeito por tanto tempo, eu gozei uma, duas, não sei quantas vezes, eu estava tendo orgasmos múltiplos, não tinha o menor controle sobre o meu corpo, eu só tremia, tremia e tremia.

Ele anunciou que iria gozar, e perguntou onde eu queria, estava sem condições me levantar e pedir na boca, a palavra quase não saia da minha boca, mas eu consegui falar bem baixinho, goza dentro, senti seu leitinho me inundar todinha.

Ele depois se deitou ainda com aquela anaconda dentro de mim, eu sentia seu leitinho escorrendo pelas minhas pernas e indo para a cama, sentia ela diminuir dentro de mim, mas ainda sim continuava grande.

Ele ficou me beijando ainda sobre mim, aí eu senti o seu peso ainda mais e pedi pra ele sair um pouco, estava exausta, ele perguntou, apaguei seu fogo madrinha ? Eu falei que sim, ele perguntou, a senhora aguenta mais ? Acham que eu ia perder essa oportunidade ? Eu respondi, é lógico, pra você eu dou a noite toda.

Ele veio em mim de novo, como um leão quando vê sua presa indefesa, eu perguntei, nossa já tá duro de novo ? Ele falou, com a senhora gostosa desse jeito, é só colocar que você vai sentir crescer dentro.

E foi dito e feito, ele me pegou forte e me colocou de quatro, foi pincelando aquela jeba na minha bucetinha, e me falou, nossa madrinha, a senhora tá arrombadinha, tem que ver isso, e tá toda vermelha, eu respondi, cala essa sua boca e me fode gostoso, anda.

Ele colocou com tudo, voltou a puxar meu cabelo com vontade, sentava a mão com força na minha bunda, sentia andar, mas tava gostoso demais pra mandar parar.

Eu sentia ele me cutucar fundo, entrando e saindo com toda força, eu gemia alto de tesão, ele metia cada vez mais forte, estava prestes a gozar de novo, não aguentei queria berrar alto com aquele cavalo me arrombando, abaixei e mordi forte o travesseiro, gozei muito de novo com ele me comendo, já tinha perdido as contas de quantas vezes já tinha gozado.

Como eu apertei muito seu pau quando estava gozando, ele avisou que iria gozar de novo, pedi ele mais leitinho na buceta, ele me segurou pela cintura e aumentou o ritmo e a força, nossa foi demais, ouvir ele gemendo enquanto me enchia de porra, sentia me encher todinha.

Depois nos deitamos exaustos na cama, ficamos nos acariciando e nos beijando, mas eu tinha que voltar pro meu quarto, ele me disse que foi gostoso demais, que é muito difícil ele ficar com uma mulher que pede pra ele fazer com a intensidade que fizemos, e que ele queria muito mais ainda comigo, e realmente teria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *