Não custa lembrar que somos seres de relação, isto é, existimos no outro e na relação que com ele estabelecemos.

É preciso entender, portanto, que do outro lado do computador existe uma pessoa que pode ter desejos ou não iguais ao seu, e que mesmo assim estes precisam ser respeitados.

Grey'anatomy 🖤 - Capítulo 32 - Wattpad

O fato é que cada vez mais cresce o número de pessoas que praticam sexo virtual haja vista a grande facilidade de manter-se uma relativa privacidade ao mesmo tempo em que se pode viver uma pequena parcela de desejos mais profundos e proibidos. Pois quantos homens por pura curiosidade ou não, desejam ver outros homens despidos mas sentem medo, vergonha e até repulsa de pedirem isso? Quantas mulheres já não desejaram tocar no corpo de uma outra mulher e no entanto na vida real jamais se sentiriam inclinadas a isso? Quantos rapazes não desejam ter uma experiência homossexual só pelo fato da curiosidade? Pois bem, com a comunicação da Internet isso tornou-se parcialmente realizável. Pelo ao menos no que tange ao voyeur e ao exibicionista, embora nem todos fiquem apenas no sexo virtual e transcendem ao ciberespaço para viverem seus desejos mais recônditos e proibidos.

IGOR HUNSAKER

6 Replies to “Não custa lembrar que somos seres de relação, isto é, existimos no outro e na relação que com ele estabelecemos.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *