Bom… foi uma transa que aconteceu há alguns anos atras com Meu namorado, mas que é lembrada até hoje.

PACIENTE 18520.1

Sou elogiada por ter a cintura fina, seios fartos e pernonas definidas (amo jogar bola e malhar, desde o colegial) e a historia se inicia após a minha festa de formatura do ensino médio.

O evento acabou, meus familiares foram embora, fiquei com meu namorado na festa. Mas o tesão neste dia tava tantooo que eu queria uma transa, nem que fosse rapidinha. Então comecei a falar putaria no ouvido do meu namorado, tava doida para dá o cuzinho e ele sabia que eu amava anal, que gozo rapidinho.

Ele ficou doido, ficando de pau duro la mesmo, mas não tínhamos lugar. A casa dele não rolava, nem a minha, ainda mais meus pais super rígidos que nem imaginavam que não era mais virgem.

Então lembrei de um lote de frente a minha casa, que tinham colocado um muro recentemente e não tinha portão. (Obvio que fomos correndo pra lá).

Entramos e já fomos nos pegando, a luz da casa do vizinho acessa e dava pra ver pela janela quem estivesse dentro do lote, mas acredito que ninguém viu.

Já abaixei tirando sua calça e comecei um boquete bem gostoso, com muita sede ao pote. Eu babava aquelas bolas, batia o pau na minha cara e ele urrava. Eu falava “shiiiiiuu”, enquanto isto, ouvíamos o povo passando na calçada e morrendo de medo deles ouvirem o barulho dele gemendo e aí eu chupava mais. Era uma delicia ver ele sentindo prazer mais se segurando para não gemer alto.

Ele falava: “Mama cachorra… deixa bem molhadinho pra eu comer este cuzinho, vou encher ele de leite”

Nossa, com aquilo me deixava louca, já tava com a buceta encharcada.

Quanto já tinha uns 15 minutos chupando e batendo uma punheta, eu tirei a calcinha, subi o vestido, empinei a raba pra ele e falei “agora quero foder. Mas fode gostoso!”

Ele passou a mão da minha buceta pro Meu Cuzinho, puxou pelo pescoço e sussurrou “abre esta bunda para eu meter meu pau em você delícia”

Como uma boa garota respondi ” Come meu cu. Me faz gozar safado. ”

O cachorro ficou esfregando a cabeça do pau na entradinha da minha buceta para pegar o melzinho que já tava pingando. Começou a forcar o pau no meu cu que entrou facilzinho.

Eu queria gemer alto mas não podia, pq as pessoas estavam passando toda hora. Ele colocou a mão na minha boca e fiquei chupando seus dedos, o que dava mais tesão. Ele metia tudo, tava sendo arrombada. Passava a mão na buceta e ela encharcada e inchadinha.

Eu sussurrava “Come o cuzinho da sua mulher. Eu quero leite quentinhooo” ele gemia e aquilo me excitava, quando me disse “Só vou gozar se você gozar pra mim, gostosa”.

Seu pedido foi uma ordem, me arrepiei inteira. Abaixei mais um pouco, abri bem as pernas e ele fudendo com força. As bolas batendo na minha buceta fazendo estalo, foi questão de segundos, garrei uma de suas pernas e falei “Isto, fode, vou gozar”.

Quando comecei a me contorcer e as pernas tremerem, ele urrou e gozou… Ficou segurando minha cintura e para excita-lo mais, dei umas reboladas devagarzinho.

Depois nos beijamos, riamos e saímos como se nada tivesse acontecido.

Neste dia meu cuzinho ficou arrombado e cheio de poha. Foi muito gostoso.

Dá o cuzinho foi bom demais…

Sempre que falamos de putaria e loucuras, lembramos deste dia. Ainda irei repetir algo assim, me excito só de lembrar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *